CategoriaMotoland

MOTOLAND

M

RIO (teria fácil) – O Wilson Hsie mandou a notinha. A Peugeot lançou uma série especial e limitadíssima da lambreta Django para comemorar os 210 (DUZENTOS E DEZ!!!!) anos da empresa, que nasceu fazendo moedores de café e bicicletas em 1810. São apenas 21 unidades. Claro que todas vão acabar nas mãos de colecionadores. Mas eu, se tivesse a chance de comprar uma, desfilaria orgulhosamente com...

MOTOLAND

M

RIO (e o carro, senhores…) – Recebi no dia 1º de maio, mas só agora lembrei de postar. A mensagem do Anderson Grzesiuk diz o seguinte: Prezado Flavio, vi estas fotos antigas da comemoração do Dia do Trabalho em 1961, na cidade de Zschopau (cidade da MZ) na extinta DDR, e achei que você gostaria de ver este Wartburg 331-2 Cabriolet, utilizado pela equipe de TV para filmar o desfile. De...

MOTOLAND

M

RIO (não conheço) – O Saulo Agostinho mandou a foto e o textinho abaixo. Acompanhem e me digam o que sabem dessa motocicleta: Há algum tempo você lançou no seu blog a sessão “Carro do papai” que fez grande sucesso. Sei que o blog não é mais a sua principal rede social, no entanto gostaria de sugerir uma nova sessão que poderia se chamar “Moto do papai”. Se você...

MOTOLAND

M

RIO (40 graus) – A Mahindra relançou no mês passado na Índia, através de uma subsidiária montada apenas para fabricar motos clássicas, a icônica (argh) marca Jawa, com três modelos em estilo retrô. Todas serão equipadas com motores de 293 cc de cilindrada, refrigerados a água. São lindonas, mas é claro que de Jawa só têm o nome. De qualquer forma, é uma homenagem justíssima à marca checa...

MOTOLAND

M

RIO (fazendo as malas) – O Thiago Teixeira, de São Bernardo do Campo, mandou esta foto de uma galerinha montada em motos que, desconfio, são todas DKW. Ou pelo menos algumas delas. Afinal, vejam o que diz a placa: Auto Union Brasil – Cruzeiro. Será? A mensagem do Thiago: Bom dia, Flavio! Em anexo, envio uma foto do que, segundo o que li, foi a primeira oficina mecânica da cidade de...

MOTOLAND

M

Pessoal de São Carlos (SP), atenção! Amanhã vai acontecer um leilão interessantíssimo com motos e bicicletas antigas. Os valores iniciais estão neste link aqui. Pirei nessa Peugeot. É a mais cara de todas. Aliás, nem sabia que a Peugeot tinha feito motos — se bem que me lembro de umas scooters… Dica do Marco Cesar Prospero.

MOTOLAND

M

RIO (ainda vou atrás) – Anderson Grzesiuk mandou a foto e a explicação. Flavio, esta foto é de uma MZ Delfin, criada para o retorno da MZ ao grupo das 125 cc nos anos de 1970. Possuía um motor dois tempos, monocilíndrico, com 29 HP, refrigerado a água. Possuía rodas Borani e freios a tambor de magnésio. O charme era seu chassi de aço em berço duplo, extremamente estreito e com o tanque de...

LOUCA MACAU (2)

L

RIO – Na prova de motos, porém, as consequências de uma batida foram fatais. Daniel Hegarty, britânico de 31 anos, sofreu um acidente violentíssimo e morreu. As imagens são realmente fortes.

MAIS ESSA, AGORA…

M

RIO (tá sobrando tempo) – Um blogueiro mandou a dica nos comentários. A Yamaha está fazendo uma moto que anda sozinha. Motobot. Colocaram para rachar com Valentino Rossi numa pistinha nos EUA. Thunderhill Raceway Park, 3,2 km. Tomou mais de 30s numa volta de 1min25s. OK, claro que não faz sentido essa disputa entre um piloto espetacular e um androide ridículo. É como achar que piloto de...

MOTOLAND

M

RIO (nunca sei de nada) – Desculpem a ignorância, e começo com uma pergunta: a Super Cub existe no Brasil? É desse jeito ainda? Tem outro nome, nunca veio, é completamente diferente? Relevem meu total desconhecimento. Às vezes não noto as coisas à minha volta, e esse pode ser apenas mais um caso. Mas quando recebi release da Honda hoje contando que chegou a 100 milhões de Super Cubs desde...

Perfil


Flavio Gomes é jornalista, dublê de piloto, escritor e professor de Jornalismo. Por atuar em jornais, revistas, rádio, TV e internet, se encaixa no perfil do que se convencionou chamar de multimídia. “Um multimídia de araque”, diz ele. “Porque no fundo eu faço a mesma coisa em todo lugar: falo e escrevo.” Sua carreira começou em 1982 no extinto jornal esportivo “Popular da Tarde”. Passou pela “Folha de S.Paulo”, revistas “Placar”, "Quatro Rodas Clássicos" e “ESPN”, rádios Cultura, USP, Jovem Pan, Bandeirantes, Eldorado-ESPN e Estadão ESPN — as duas últimas entre 2007 e 2012, quando a emissora foi extinta. Foi colunista e repórter do “Lance!” de 1997 a 2010. Sua agência Warm Up fez a cobertura do Mundial de F-1 para mais de 120 jornais entre 1995 e 2011. De maio de 2005 a setembro de 2013 foi comentarista, apresentador e repórter da ESPN Brasil, apresentador e repórter da Rádio ESPN e da programação esportiva da rádio Capital AM de São Paulo. Em janeiro de 2014 passou a ser comentarista, repórter e apresentador dos canais Fox Sports no Brasil. Na internet, criou o site “Warm Up” em 1996, que passou a se chamar “Grande Prêmio” no final de 1999, quando iniciou parceria com o iG que terminou em 2012. Em março daquele ano, o site foi transferido para o portal MSN, da Microsoft, onde permaneceu até outubro de 2014. Na sequência, o "Grande Prêmio" passou a ser parceiro do UOL até maio de 2019, quando se uniu ao Terra por um ano para, depois, alçar voo solo. Em novembro de 2015, Gomes voltou ao rádio para apresentar o "Esporte de Primeira" na Transamérica, onde ficou até o início de março de 2016. Em 2005, publicou “O Boto do Reno” pela editora LetraDelta. No final do mesmo ano, colocou este blog no ar. Desde 1992, escreve o anuário "AutoMotor Esporte", editado pelo global Reginaldo Leme. Ganhou quatro vezes o Prêmio Aceesp nas categorias repórter e apresentador de rádio e melhor blog esportivo. Tem também um romance publicado, "Dois cigarros", pela Gulliver (2018), e o livro de crônicas "Gerd, der Trabi" (Gulliver, 2019). É torcedor da Portuguesa, daqueles de arquibancada, e quando fala de carros começa sempre por sua verdadeira paixão: os DKWs e Volkswagens de sua pequena coleção, além de outras coisinhas fabricadas no Leste Europeu. É com eles que roda pelas ruas de São Paulo e do Rio, para onde se mudou em junho de 2017. Nas pistas, pilotou de 2003 a 2008 o intrépido DKW #96, que tinha até fã-clube (o carro, não o piloto). Por fim, tem uma estranha obsessão por veículos soviéticos. “A Lada foi a melhor marca que já passou pelo Brasil”, garante. Por isso, trocou, nas pistas, o DKW por um Laika batizado pelos blogueiros de Meianov. O carrinho se aposentou temporariamente no início de 2015, dando o lugar a um moderníssimo Voyage 1989. Este, por sua vez, mudou de dono em 2019 para permitir a volta do Meianov à ativa no começo de 2020.
ASSINE O RSS

Categorias

Arquivos

TAGS MAIS USADAS

Facebook

DIÁRIO DO BLOG

outubro 2020
D S T Q Q S S
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031