CategoriaMuseus & coleções

Brother

B

RIO (almas gêmeas) – Esse bonitão aí da foto se chama Peter Frost. Inglês, 63 anos, mora em Londres e tem uma coleção simpaticíssima — e viva! — de carros da Cortina de Ferro. Estou falando de Tatras, Wartburgs, Trabants, ZAZ e outras coisinhas. Vou tentar encontrar o cara. E quando puder ir à Inglaterra de novo, juro que tomaremos um pint em algum pub. Tentarei, inclusive...

Славься, Отечество наше свободное!

С

RIO (dá tempo até de dar entrevista) – O Alessandro Reis, do UOL, considerando minha tara por carros da URSS e do Leste Europeu em geral, achou que seria interessante mostrar algumas coisinhas da minha garagem. O texto está aqui. Diverti-me com os comentários, especialmente dos bolsominions espumando e soltando seus perdigotos ao berrar que sou um comunista de iPhone. XR, eu acrescentaria...

SUCESSO LÁ

S

RIO (merece) – Para comemorar os 60 anos da fábrica de São Bernardo do Campo, a Volkswagen selecionou alguns modelos brasileiros para expor no evento de clássicos da marca na Alemanha. O José Eduardo Cruz mandou o link. Teve Brasília, SP2, Kombi e… Gurgel! Como se sabe, a maior parte dos carros da Gurgel levava mecânica VW, embora a montadora não carimbasse sua marca nos carros. Mas...

FIAT GARDEN

F

RIO (um destino, por favor) – Sei que é nos EUA, mas sei lá. Vai que alguém que mora por aquelas bandas se interessa… Um velho mecânico de Denver morreu em maio e deixou uma coleção de mais de 70 Fiats, Lancias e outros que serão vendidos nos próximos dias. [bannergoogle] Alguns estão bons, outros nem tanto, mas todos parecem ter salvação e, pelo visto, os preços serão bem baixos...

ATÉ DÓI

A

RIO (na alma) – Saiu no “Silodrome“, excelente página para malucos como nós. Uma coleção de 11 Ferraris ficou abandonada por uma década num terreno baldio no Texas, na cidade de Lakeway. Elas pertenciam a um advogado rico que lá por 2011/2012 ficou doente e alugou um galpão de um amigo para deixar lá os carros enquanto fazia tratamento — eram 13 Ferraris e dois Rolls...

APLAUSOS

A

RIO (coisinha linda) – Esse Austin aí embaixo está no museu da WEG, em Santa Catarina. O Bruno Wenson fotografou e explica: Achei algo que pode te interessar. Ano passado estive com alunos da faculdade no Museu da WEG, empresa de Santa Catarina que produz motores elétricos. Lá tem a primeira caminhonete adquirida pela empresa, em perfeito estado e em dia com os documentos. A caminhonete é...

PREOCUPANTE

P

RIO (preparem-se) – Notícia preocupante enviada pelo Rui Teixeira. Quatro carros, entre eles esse Mercedes do velho Mundial de Marcas, foram removidos do Museu Fangio em Balcarce, Argentina. Não há mais informações. O que será que está acontecendo?

MAVERICK HISTÓRICO

M

RIO (vamos ajudar!) – Recebo e-mail do Rodrigo Lombardi com uma ótima notícia, mas que vai depender da participação de amantes do Maverick em todo o Brasil. A ele: O Maverick que participou do 1º Raid da Integração Nacional, em outubro de 1973, será restaurado e voltará a sua forma original, quando percorreu todas as capitais brasileiras. Com a participação de três automóveis — um...

BAD, BAD NEWS

B

RIO (só piora) – Desolado, fico sabendo que em 5 de novembro o museu de Donington Park vai fechar. A família de seu fundador, Tom Wheatcroft, não explicou as razões. É uma coleção impressionante, a maior e melhor que já vi — e olha que estive lá uma única vez, em 1993. O blogueiro Boer, nos comentários, mandou a notícia. Inaugurado em março de 1973, nasceu do amor de Wheatcroft pela...

FORD PARA TODOS

F

MOSCOU (tem Corcel?) – Recebi no início da semana o relato sobre o fim desta coleção/museu de modelos da Ford na Holanda, desmanchada após a morte de seu criador. Os filhos resolveram leiloar tudo. Espero que caiam em boas mãos. [bannergoogle]A maior coleção de carros clássicos da Ford do mundo, reconhecida pelo Livro Guiness dos Recordes em 2002, foi a leilão neste sábado, na Holanda. Os...

O ÚLTIMO FUSCA

O

RIO (que presente…) – Esta é uma das histórias mais lindas sobre um carro que já vi, e não tem como não dividir com vocês. Quem mandou foi o nobre Dom Pedro Von Wartburg, hoje proprietário de um castelo em Viena — apesar disso, deixa seu Trabant na rua; um dia ele não vai mais encontrá-lo lá e saberá imediatamente onde estará. Vou resumir bem, porque é preciso mergulhar na...

ESQUISITICES

E

RIO (e o que é isso?) – O Deivison Amaral mandou a mensagem: “Eu sigo o blog há anos. Moro no Rio, mas vim passar uma temporada de 3 meses de trabalho na Bélgica. Suponho que você conheça o Autoworld, museu com uma coleção incrível de automóveis que conta com veículos protótipos desde o século XIX até os mais atuais modelos de carros das grandes marcas. A coleção foi capitaneada pela...

OG

OG

RIO – O estranho nome foi dado pelo pai inspirado numa pergunta de palavras cruzadas: como chama o rei de Basã? Og. Também pode ser grafado Ogue. Mas nas palavras cruzadas em questão, a resposta era Og. E assim foi batizado em Natal, em 1930, Og Pozolli, o maior colecionador de carros antigos do Brasil, um dos maiores do mundo. Sua coleção impecável, com cerca de 200 carros, fica em cinco...

GRANDE NOTÍCIA: MUSEU MIAU

G

RIO (tirando o chapéu) – Já há algum tempo o MIAU (Museu da Imprensa Automotiva) mantém uma página no Facebook com publicações diárias de material ligado à indústria automobilística brasileira. A grande notícia é que, agora, o MIAU, idealizado pelo jornalista Marcos Rozen, virou museu de verdade. Fica na Vila Romana, em São Paulo, e está aberto ao público. Abaixo, algumas informações...

NAS ASAS

N

Boa notícia enviada pelo Ricardo Picoli: o museu de Bebedouro, fundado pela família Matarazzo, foi reaberto domingo depois de quase seis meses de inatividade. Aparentemente, a Prefeitura da cidade assumiu o acervo, que tem carros, aviões, armas, veículos militares e muito mais. O motor do Tucker brasileiro está lá, dizem.

DICA DO DIA

D

SÃO PAULO (coisa fofa) – Ando meio apaixonado por Chevette, e neste vídeo aqui o Alexandre Badolato conta a história do carrinho, com detalhes muito interessantes — vocês sabiam que foi o primeiro carro mundial da GM, e que, incrivelmente, foi lançado aqui antes de em qualquer outro país? O vídeo tem o mérito nada desprezível de apresentar aquele que pode ter sido o primeiro Chevette...

Perfil


Flavio Gomes é jornalista, dublê de piloto, escritor e professor de Jornalismo. Por atuar em jornais, revistas, rádio, TV e internet, se encaixa no perfil do que se convencionou chamar de multimídia. “Um multimídia de araque”, diz ele. “Porque no fundo eu faço a mesma coisa em todo lugar: falo e escrevo.” Sua carreira começou em 1982 no extinto jornal esportivo “Popular da Tarde”. Passou pela “Folha de S.Paulo”, revistas “Placar”, "Quatro Rodas Clássicos" e “ESPN”, rádios Cultura, USP, Jovem Pan, Bandeirantes, Eldorado-ESPN e Estadão ESPN — as duas últimas entre 2007 e 2012, quando a emissora foi extinta. Foi colunista e repórter do “Lance!” de 1997 a 2010. Sua agência Warm Up fez a cobertura do Mundial de F-1 para mais de 120 jornais entre 1995 e 2011. De maio de 2005 a setembro de 2013 foi comentarista, apresentador e repórter da ESPN Brasil, apresentador e repórter da Rádio ESPN e da programação esportiva da rádio Capital AM de São Paulo. Em janeiro de 2014 passou a ser comentarista, repórter e apresentador dos canais Fox Sports no Brasil. Na internet, criou o site “Warm Up” em 1996, que passou a se chamar “Grande Prêmio” no final de 1999, quando iniciou parceria com o iG que terminou em 2012. Em março daquele ano, o site foi transferido para o portal MSN, da Microsoft, onde permaneceu até outubro de 2014. Na sequência, o "Grande Prêmio" passou a ser parceiro do UOL até maio de 2019, quando se uniu ao Terra por um ano para, depois, alçar voo solo. Em novembro de 2015, Gomes voltou ao rádio para apresentar o "Esporte de Primeira" na Transamérica, onde ficou até o início de março de 2016. Em 2005, publicou “O Boto do Reno” pela editora LetraDelta. No final do mesmo ano, colocou este blog no ar. Desde 1992, escreve o anuário "AutoMotor Esporte", editado pelo global Reginaldo Leme. Ganhou quatro vezes o Prêmio Aceesp nas categorias repórter e apresentador de rádio e melhor blog esportivo. Tem também um romance publicado, "Dois cigarros", pela Gulliver (2018), e o livro de crônicas "Gerd, der Trabi" (Gulliver, 2019). É torcedor da Portuguesa, daqueles de arquibancada, e quando fala de carros começa sempre por sua verdadeira paixão: os DKWs e Volkswagens de sua pequena coleção, além de outras coisinhas fabricadas no Leste Europeu. É com eles que roda pelas ruas de São Paulo e do Rio, para onde se mudou em junho de 2017. Nas pistas, pilotou de 2003 a 2008 o intrépido DKW #96, que tinha até fã-clube (o carro, não o piloto). Por fim, tem uma estranha obsessão por veículos soviéticos. “A Lada foi a melhor marca que já passou pelo Brasil”, garante. Por isso, trocou, nas pistas, o DKW por um Laika batizado pelos blogueiros de Meianov. O carrinho se aposentou temporariamente no início de 2015, dando o lugar a um moderníssimo Voyage 1989. Este, por sua vez, mudou de dono em 2019 para permitir a volta do Meianov à ativa no começo de 2020.
ASSINE O RSS

Categorias

Arquivos

TAGS MAIS USADAS

Facebook

DIÁRIO DO BLOG

dezembro 2020
D S T Q Q S S
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031