CategoriaDKW & cia.

WE ♥ RACE CARS

W

RIO (amei o coraçãozinho!) – Vamos começar seção nova no blog? Toda hora me deparo com fotos de adoráveis carrinhos de corrida pelos tempos e pelo mundo. Estreamos com este DKW em Piracicaba, muito provavelmente em 1965. E a estreia não é casual. É uma homenagem ao grande Angi Munhoz, que nos deixou no último dia 29 aos 77 anos. Não era piloto oficial da Vemag, mas o branquinho #48 fez...

NAS ASAS

N

RIO (cinquentinha, já) – A foto foi enviada pelo blogueiro Britto, e mostra o antigo prédio da VASP em Congonhas. O ano? 1970. Pois é, já se vai meio século da onda nacionalista ligada à Copa do México — a decoração da fachada se refere a isso, adaptando algum dos slogans babacas da ditadura militar. Era pra frente Brasil pra lá, pra frente Brasil pra cá, noventa milhões em ação, ame...

MARINHO, 10

M

Marinho (de camisa branca): o maior de todos RIO – Acho que todas as vezes que escrevi Mário Cesar de Camargo Filho coloquei uma vírgula depois de Filho para acrescentar “o maior piloto de DKW da história” antes de seguir com o que tinha a dizer. Hoje tenho de dizer que Marinho se foi aos 82 anos — faria 83 no dia 15. Já vinha enfrentando problemas de saúde havia algum...

VEMAGUETES*

V

RIO (viva as mina mesmo!) – Estava guardando esta foto havia um tempão para mostrar como a Vemag era pioneira em tudo. Lá atrás, nos anos 60, fazia cursos específicos para mulheres aprenderem mecânica e não dependerem dos malas de seus maridos, noivos ou namorados para cuidar de seus carros. As aulas eram práticas e as meninas metiam a mão na graxa. Aprendiam tudo sobre motor, freio...

O FUSCA DKW

O

RIO (não tá fácil) – Incrível a história que o fuscólogo Alexander Gromow está contando em partes. Trata-se de um protótipo feito em 1935 provavelmente com ajuda da DKW para participar da concorrência que, três anos depois, definiria o Fusca projetado por Ferdinand Porsche como “carro do povo” alemão. O automóvel, que Gromow carinhosamente diz que é “o Fusca que gostaria...

RÁDIO BLOG

R

Peço licença ao nosso curador musical Nick B. para apresentar a banda sueca Torsson executando sua obra-prima, “DKW”. Se alguém tiver paciência para ver a letra no original e traduzir, aqui está. Uma ode ao melhor carro do mundo num rock da melhor qualidade!

FOTO DO DIA

F

Olha que notícia! O Mickey Mouse do Volante 13 será restaurado e ganhará um motor na Dekabras em São Leopoldo (RS). O nome dessa oficina/loja de DKWs homenageia a oficina autorizada de São Paulo pela qual Flodoardo Arouca, o Volante 13, corria nos anos 60. Que destino mais lindo para esse carro! Matheus e Fernando Jaeger estarão à frente dos trabalhos.

[bannergoogle]
 

DOCTOR HELIUS

D

RIO – Será cremado amanhã no Rio o corpo do meu grande amigo Hélio Marques, que morreu segunda-feira de complicações renais. O Hélio era um dos mais queridos fumacentos do Brasil. Por fumacentos entendam amantes de DKW. Médico em Niterói, “Doctor Helius”, como eu o chamava, também fabricava próteses penianas. “Fabrico mas não instalo!”, gargalhava, para depois...

BUS STOP

B

RIO (ficou grande) – Já imaginaram se essa coisa linda tivesse sobrevivido? Britto, da Vila Mariana, mandou a foto. Nem preciso dizer que o DKW ali me encheu os olhos. Provavelmente 1961, talvez 1962 primeira série — pelo para-choque e pelo emblema no capô; mas de pintura rara, por não ser saia-e-blusa como era comum nesses dois anos. Alguém sabe a marca desse ônibus? Ah, quem...

FINAL TRISTE

F

RIO (máximo respeito) – Em maio deste ano, postei aqui um vídeo do argentino Orlando Raúl Lizzi, que aos 103 anos ainda acelerava seu DKW na Argentina em competições de carros antigos. Pois recebo do Jason Vôngoli a triste notícia de que na semana passada ele cometeu suicídio na cidade de Arrecifes, onde vivia. Segundo informações publicadas pela imprensa argentina, Lizzi estava deprimido...

NA CASA DO DÚ (1)

N

Começamos um pouco tarde, dados os acontecimentos, mas foi assim que chegamos a Interlagos hoje. A cobertura do GP do Brasil está no Grande Prêmio, que tem a maior equipe jornalística do país no autódromo, com dez profissionais — fora os que estão na retaguarda, cuidando de vídeos, podcasts, galerias de foto etc. Pitacos avulsos e desimportantes vocês encontrarão aqui. E já vou avisando:...

Perfil


Flavio Gomes é jornalista, dublê de piloto, escritor e professor de Jornalismo. Por atuar em jornais, revistas, rádio, TV e internet, se encaixa no perfil do que se convencionou chamar de multimídia. “Um multimídia de araque”, diz ele. “Porque no fundo eu faço a mesma coisa em todo lugar: falo e escrevo.” Sua carreira começou em 1982 no extinto jornal esportivo “Popular da Tarde”. Passou pela “Folha de S.Paulo”, revistas “Placar”, "Quatro Rodas Clássicos" e “ESPN”, rádios Cultura, USP, Jovem Pan, Bandeirantes, Eldorado-ESPN e Estadão ESPN — as duas últimas entre 2007 e 2012, quando a emissora foi extinta. Foi colunista e repórter do “Lance!” de 1997 a 2010. Sua agência Warm Up fez a cobertura do Mundial de F-1 para mais de 120 jornais entre 1995 e 2011. De maio de 2005 a setembro de 2013 foi comentarista, apresentador e repórter da ESPN Brasil, apresentador e repórter da Rádio ESPN e da programação esportiva da rádio Capital AM de São Paulo. Em janeiro de 2014 passou a ser comentarista, repórter e apresentador dos canais Fox Sports no Brasil. Na internet, criou o site “Warm Up” em 1996, que passou a se chamar “Grande Prêmio” no final de 1999, quando iniciou parceria com o iG que terminou em 2012. Em março daquele ano, o site foi transferido para o portal MSN, da Microsoft, onde permaneceu até outubro de 2014. Na sequência, o "Grande Prêmio" passou a ser parceiro do UOL até maio de 2019, quando se uniu ao Terra por um ano para, depois, alçar voo solo. Em novembro de 2015, Gomes voltou ao rádio para apresentar o "Esporte de Primeira" na Transamérica, onde ficou até o início de março de 2016. Em 2005, publicou “O Boto do Reno” pela editora LetraDelta. No final do mesmo ano, colocou este blog no ar. Desde 1992, escreve o anuário "AutoMotor Esporte", editado pelo global Reginaldo Leme. Ganhou quatro vezes o Prêmio Aceesp nas categorias repórter e apresentador de rádio e melhor blog esportivo. Tem também um romance publicado, "Dois cigarros", pela Gulliver (2018), e o livro de crônicas "Gerd, der Trabi" (Gulliver, 2019). É torcedor da Portuguesa, daqueles de arquibancada, e quando fala de carros começa sempre por sua verdadeira paixão: os DKWs e Volkswagens de sua pequena coleção, além de outras coisinhas fabricadas no Leste Europeu. É com eles que roda pelas ruas de São Paulo e do Rio, para onde se mudou em junho de 2017. Nas pistas, pilotou de 2003 a 2008 o intrépido DKW #96, que tinha até fã-clube (o carro, não o piloto). Por fim, tem uma estranha obsessão por veículos soviéticos. “A Lada foi a melhor marca que já passou pelo Brasil”, garante. Por isso, trocou, nas pistas, o DKW por um Laika batizado pelos blogueiros de Meianov. O carrinho se aposentou temporariamente no início de 2015, dando o lugar a um moderníssimo Voyage 1989. Este, por sua vez, mudou de dono em 2019 para permitir a volta do Meianov à ativa no começo de 2020.
ASSINE O RSS

Categorias

Arquivos

TAGS MAIS USADAS

Facebook

DIÁRIO DO BLOG

dezembro 2020
D S T Q Q S S
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031