invasão! | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

quarta-feira, 28 de maio de 2008 - 12:27Sem categoria

invasão!

SÃO PAULO (não é Lada, mas serve) – Olha aí que boa notícia! Uma fábrica russa de jipes e veículos militares pretende se instalar no Rio Grande do Sul.

Vou encomendar o meu.

34 comentários

  1. Akhenaton disse:

    Não é um Humvee…

  2. reginaldo nat rock disse:

    Esquenta não Belair.
    Esses (re) encontros virtuais, proporcionados pelo espaço que o Flavio-amigão-Gomes, proporciona, só agrega qualidade por aqui. E ‘quê’ qualidade diga-se.
    O melhor de tudo isso é que estamos aqui por que queremos estar; pelo simples prazer de curtir as mesmas coisas.
    E de formar novas (antigas) amizades, absolutamente gratuítas.
    Nada além disso.
    Mal comparando é a reunião da turma da bolinha de gude, ou do rachão no campinho tudo regado a gasolina.
    As meninas que comparecem, apesar de minoria, também são bem vindas.

  3. Belair disse:

    Valeu Brar. Ainda tenho contato com OLAN e Furlan e vou tentar juntar essa turma.Na verdade deveríamos ter comemorado os 20 anos da “vitória” em Set / 2007. Te informo.
    E FG, obrigado por permitir essa correspondencia. E aos amigos do blog, desculpem e obrigado tambem.

  4. Brar Soler disse:

    Belair
    Putis, eu surtei feio nessa da Urss. Deve ter sido a hidrofobia cega por causa desse jipe russo.

    Infelizmente faz tempo que não tenho noticias do Arnaldo. A ultima a uma decada, ago, foi que ele estava na Albarus em Sorocaba carregando piano como sempre. Beatles era com ele mesmo.

  5. Harry disse:

    Oh Vitão, tecnologia os kamaradas do leste (entenda-se russos) tem.

    Lembre-se que há 50 anos eles vão ao espaço…

    Portanto não há o por que falar mal da mãe pátria. Na verdade estamos aguardando a fundação da Republica que o kamarada Gomes inserira no mapa. Feito isso tudo mudará!

  6. Belair disse:

    PelamordeDeus Brar, Arnaldo e seu violão,que ele tocava p/ c****o. E alem de tudo ,continuava tocando mesmo tendo que me ouvir cantando musicas dos Beatles. Que saudades daqueles tempos. Onde anda o espanhol ? Ainda no J. da Saúde ?

  7. Bianchini disse:

    Esse eu quero ver motoboy, taxista e motorista de ônibus intermunicipal de Guarulhos se meter a besta!!!! Quero um!!!!

  8. Brar Soler disse:

    Belair
    O eng, era o Arnaldo Avileis. Ficava sob o Odilon e da batuta do VEG.

    Eu trabalhava mais no setor “civil”. EE25, EE 15, jipe , tratores, tração 4×4, … Dentro do possível sempre tentei me desviar da area mais bélica (porque se você deixar fica fascinado mesmo)

  9. Belair disse:

    Brar,

    Desculpe mas não identifiquei o Eng. Sei que o teu método de id. tá certo, mas não lembro desse.De qualquer maneira, o resto lembro muito bem e aqui vai:
    Nossas esteiras tambem saíram inteiras, nosso problema foram as rodas, que soltavam a borracha Nenhum bicho de sete cabeças…
    O canhão que travou foi o ingles,mas esse não foi o maior problema deles. O sistema de controle de tiro é que era do tempo da vovó…Os russos não estavam lá. Ainda existia a URSS, e saudita comprar de comunista ? nem pensar…
    O motor de 85 foi p/ o vinagre, desmontado, analisado, aperfeiçoado c/ aumento de 30% na potencia, melhorado em absolutamente tudo e deu um BANHO em 87. Humilhou… Ah ! E já estávamos trabalhando em mais 15% de potencia.
    Caixa de cambio/direção (unica) perfeita.
    Problemas ? Claro. E muitos. Sentidos ? Fora as rodas , quase nenhum. Sabe porque? Porque quem resolvia eram brasileiros, os que dão nó em pingo d’água. Aqui não cabem centenas de histórias Engesianas, mas todas são sensacionais.Pena….
    Abraço.

  10. vitão disse:

    trabalhei em uma empresa de importação de máquinas, que trazia muita coisa da cortina de ferro (a coisa é assim, uma fresadora de engrenagem de cambio custava US$ 400 mil se viesse da Hungria, ou US$ 1 milhão se feita na Suiça) . A tchurma do leste é muito boa em “embromation” . duvido que cumpram tanta promessa de transferência de tecnologia (afinal, eles prometeram uma BMW e enviaram um Lada…..) .

  11. Rodolfo Machado disse:

    Mesmo que ou supondo que este jipe russo seja melhor que o Agrale, acho que sempre se deve privilegiar uma solução 100% nacional, desde que a diferença de desempenho não seja gritante, pelo que eu vi na internet, este Gaz Tiger seria equivalente ao Hummer americano, então seria interessante ver testes comparativos, mas por este tipo de veiculo as revistas não se interessam muito, mas mesmo assim o Agrale pode evoluir até satisfazer os requisitos da licitação. Estou aqui fazendo suposições, não sei nada sobre estes veículos. Os russos tem prometido muito ao Brasil transferência de tecnologia na area militar, desde que é claro optemos por seus produtos, o que é pagar para ver, nesta area um governante tem de ter muito equilibrio para negociar, sempre procurando o que for nacional primeiro. Aparentemente o que a Rússia nos oferece, segundo vários artigos no site Defesanet(http://www.defesanet.com.br/) é um verdadeiro sonho: Participação no futuro caça stealth russo, helicópteros fabricados aqui, tranferencia dos códigos fontes dos softwares usados, falou-se até em fabricar o Sukhoi Su-30 no Brasil, jamais americanos e europeus transfeririam tal tecnologia para nos, o que não significa que os russos o farão. Estamos tão acostumados a trazer de fora que no caso do jipe foi automático a escolha por fabrica de fora, outro dia circulou uma noticia de que o Brasil iria fabricar turbinas de avião, o nosso futebolístico presidente queria complementar o que a Embraer já faz, mas qual a minha surpresa quando eu vi uma entrevista do dito cujo onde ele dizia estar sondando empresas de fora! E eu que pensava que seria algum projeto do CTA de São José dos Campos em parceria com a Embraer. Quanto ao amigo Fechadura(segundo o Dú), so lhe resta mesmo comprar tudo de fora, porque la não se fabrica nada mesmo, o pior é não saber usar, porque vocês acham que o conflito com a colômbia e o equador terminou em pizza, quando se tem 24 Su-30 Mk na manga? Com certeza o fechadura pediu apoio logístico para a Rússia para atacar bases na colômbia, o que lhe foi negado. As empresas que eu citei antes, Gurgel, CBT e Engesa não poderiam ter seu patrimônio tecnológico encampado por algum grande grupo nacional, um dos Ermirio de Morais comprou a Lobini, se não me engano, tai uma grande chance de desenvolver um motor nacional para o Lobini, mas eu duvido muito(apesar que de fora de série, meu favorito disparado é o “Pumão” GTB-S2) Que eu saiba não existe um único motor de combustão interna projetado no Brasil, hoje. Mas é isso ai, o Brasil que goza do Rubinho, tripudia, faz chacota, mesmo tendo 9 vistorias na F1, onde (me corrigiam se eu estiver errado) só Emersom, Pace, Piquet, Sena e Massa ganharam, e outros que passaram por la como Christian Fittipaldi, Pupo Moreno, Guglielmin, Boesel, Pedro Paulo Diniz, Rosset, Tarso Marques,Zonta e outros não ganharam. Meu sonho era ver um carro de corrida nacional, com motor nacional, o carro que eu mais admirei em toda minha vida é o Porsche 917, mistura de beleza e força bruta, quando eu éra moleque, passou o filme 24 de Le Mans na TV, fiquei hipnotizado, Steve McQueen guiando, 380 Km/h no final da reta. Por que não poderíamos desenvolver um protótipo nacional para correr na American Le Mans serie, por exemplo, ou mesmo em Le Mans, a corrida ainda existe.

  12. Brar Soler disse:

    Belair. Lembro do JLWR dizendo: “Nós tinhamos o melhor conjunto: MWM, torre, soft, suspensão dunlop…”

    O Eng, que coordenou a demonstração me disse que o Osório foi superior em Velocidade max, tiro e no teste destrutivo. Que consistia em ver qual o motor que demorava mais tempo para fundir… qual a suspensão que demorava mais para arrebentar etc…

    Aí eu perguntei “Mas nós tivemos problemas com a esteira” . Só vinha noticia ruim, que é a primeira que espalha. Aí ele me respondeu “A esteira dos ingleses saiu inteira”.
    O canhão dos russos travou na hora de carregar…assim por diante. Foi incrivel.

    Quanto ao jipe Engesa ele tem a carroceria feita de chapas dobradas (sem estampo com repuxo) o que além de baixar os custos tem vantagens logisticas etc…

    Nesse ponto aposto que dá pra fazer uma carroceria como aquela (tão bonita ou mais que esse Russo) por uma fração do investimento.

  13. Gabriel Gago disse:

    Virão aqui em terras tupiniquins ensinar o que é carro OFF-ROAD de verdade!

  14. Victor disse:

    Mais um golpe? A história não bate e para quem venderia? O exército não tem grana.

  15. disse:

    Rosboronexport? Assumirei o lugar do Veloz HP se esta coisa vier para cá.
    Belair, trabalhei na Agrale, tenho na figura do Tio Xico, o Sr. Francisco Stédile, de ter sido o Maior idealizador e realizador que tive o prazer de conhecer na vida. Me lembro dos 1600D 4×4 com tecnologia Engesa, como tbm. de uma conveção, que o pessoal da Engesa e Perkins lá estavam, e do sistema anti furto utilizado na versão diesel. Era só seguir o rastro de óleo do Q20B! A Agrale foi a única sobrevivente da Indústria nacional no setor, e hj. está consolidada no seus mercados. Em http://www.agralemarrua.com.br/sitePortugues/default.asp
    tem o que é este setor do grupo. Eles em vez pegar nossos incentivos, usem o dinheiro que o débil mental do fechadura papou da Petrobrás. E montem esta coisa na Venezuela, alias o fechadura adora comprar equipamentos bélicos.

  16. Belair disse:

    Foi a Zélia, Rodolfo, a Zéia…
    - Não eshtou aqui para shalvar emprejash privadash… A Engeja que che vire…
    E lá se foram 30 anos de pesquisa,desenvolvimento, tecnologia,história, uns vinte mil empregos diretos e indiretos, e o orgulho de incomodar, e MUITO , americanos,franceses,ingleses, russos e outros que se achavam os donos da bola.
    Confirmando o que o Rodolfo tambem destacou, o Osório foi sim, à época , o melhor MBT ( Main Battle Tank) do MUNDO, tendo participado em 1987 de uma competição ( muito mais uma verdadeira epopéia ) contra MBTs da Inglaterra,França e principalmente EUA, que compareceu com o mesmíssimo Abrams A1 que voces vêem todos os dias operando no Iraque HOJE, mais de vinte anos depois. É absolutamente lamentável que essa fantástica história BRASILEIRA seja do conhecimento de tão poucos. Mas conto com MUITO orgulho p/ os meus filhos o quanto é bom ser brasileiro. Eu sei que soa meio piegas, mas EU estava lá, e foi muuuuiiito bom…..

  17. fernando sgrillo disse:

    Oi Flavio.
    Também apaixonado por clássicos de corrida, olha no nosso site a réplica em 2/3 de escala ( 2,80 m de comprimento motor 200 cc, 3 marchas + ré) do Vette #7, campeão em Sebring em 1956. Fizemos o lançamento mundial lá em Sebring em março deste ano. Detalhe: totalmente criada e produzida no Paraná ( como nossas outras réplicas na mesma escala) por brasileiros .
    Parabéns pelo site ( o design antigo era muitíssimo melhor…)
    Um grande abraço
    Fernando Bohrer Sgrillo

  18. reginaldo nat rock disse:

    Que ninguém arrisque discutir “Engesa” com o Belair que vai quebrar a cara.. ô se vai…
    Quando lembro que eu trouxe um punhado de Uralaz da Grande Mãe, e que aqui tinhamos tido coisa muito melhor….
    E alguns estão apodrecendo num desmanche em BH…

  19. Rodolfo Machado disse:

    Caro Dú, veja estes outros exemplos do desprezo do brasileiro pela industria nacional:

    Gurgel BR-800, seu motor foi elogiado por engenheiros da Porsche, pelas soluções ineditas desenvolvidas:
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Gurgel_BR-800.

    CBT, Companhia Brasileira de Tratores, desenvolveu um projeto inedito de verticalização da produção, onde desenvolveu motores Diesel 100% nacionais para seus tratores, inclusive transmissão e bomba injetora, depois criou o jipe Javali:
    http://br.geocities.com/montadorasbrasileiras/cbt/cbt.htm
    Dizem que quebrou por má administração, mas alguma empresa Brasileira se interessou em comprar suas patentes e continuar a produção?

    MBT-Osório (Engesa) este exemplo é o mais pecaminoso e escandaloso de pais colonizado e subdesenvolvido, tivemos o que na época foi considerado o melhor tanque de guerra do mundo:
    http://militaryzone.home.sapo.pt/osorio-file.htm

    Graças ao ilustre Collor de Mello que não comprou o tanque para o nosso exercito, a Engesa faliu.

  20. Belair disse:

    O “projeto”da Agrale” É o Engesa, já melhorado, um dos melhores já feitos no mundo, quem usou ou usa sabe.
    Trazer russos para fazer o que já fazíamos MUITO bem 25 anos atrás é simplesmente RIDÍCULO. Desculpe as maiúsculas FG, e sei que sua “encomenda” é bem humorada, mas a notícia é revoltante. Pelo menos para mim, que trabalhei lá.

  21. Max disse:

    Tem que ver o preço da criança. A versão civil do Marruá da Agrale, tá saindo por 100 mil Reais… Só doido com grana sobrando pra comprar um jipe desses. Imagino o preço de um versão militar.

    E a frente desse, tá mais para Humer do que Engesa.

  22. Paulo Ribeiro disse:

    Bruto. Gostei !

  23. Wellington Cunha disse:

    Onde encomendo o meu?

  24. disse:

    Rodolfo, assino aonde? Neguinho falando de frente de Engesa e tal. Franscisco Stédile, Tio Xico, deve estar p. da vida! Saudades de Caxias!

  25. Rodolfo Machado disse:

    Eu ja tinha comentado aqui esta noticia do Gaz Tiger(http://www.defesanet.com.br/afv1/gaz_tiger_1.htm), apesar de que a um projeto concorrente da agrale que foi preterido:
    http://www.defesanet.com.br/blog/2008/04/governo-do-rs-boicota-agrale
    Talvez seja uma questão geopolitica, a Russia tem acenado com proposta mais amplas, inclusive de participação do brasil no futuro caça Stealth russo:
    http://www.defesanet.com.br/md1/fr-ru_22.htm

    Parece que no caso deste jipe existe a possibilidade de se intalar no RS uma fabrica de helicopteros Mil. Este brinquedinho é o que a Russia esta oferecendo ao exercito brasileiro:
    http://www.defesabr.com/Md/md_russia.htm
    http://aircombatcb.blogspot.com/2007/08/mil-mi-28n-night-hunter-o-predador.html
    Mas acho que o projeto da Agrale deveria ser levado em conta.

  26. Brar Soler disse:

    O desenho lembra muito o jipe Engesa. Desde ao conceito da frente até as laterais.

    Tem redutor planetario nas rodas.Uma redução de velocidades, que faz com o que o sistema de transmissão trabalhe com menos torque e a roda com mais, podendo aguentar trancos maiores e capacidade de rampa, Trator.

    Pra quem faz helicóptero Sukhoy é fácil… Pneus vão ter que ser importados. Assim eu também sei fazer.

  27. Eduardo Prado disse:

    já que sucateamos a nossa indústria bélica. Que venham os bons!!!

  28. disse:

    Pô, a Agrale desenvolveu projeto específico para o exército, fazem anos e agora essa ?

  29. Nowhere Man disse:

    Santa Rosa é a terra onde Xuxa nasceu e onde teria levado uma ovada numa rara visita de retorno. O povo de lá faz o melhor cachorro quente prensado do mundo, denominado cachorrão.

    A cidade fica perto da divisa com a Argentina – penso que isso foi um fator decisivo na escolha dos russos, já que eles não ligam pra Xuxa e não apreciam a culinária americana.

  30. vitão disse:

    peloamordeDeus! se um grupo de lobinhos dos escoteiros uruguaios resolverem invadir o RS ‘tamos perdidos.

  31. Sérgio Hingel disse:

    É o genérico do Hummer.

  32. Cristianov Ruivov disse:

    Não tem algo errado aí, 700 empregos para produzir 300 jipes por ano? Ou estão incluídos (e superestimados) os não menos importantes “empregos indiretos”?

  33. Germano disse:

    jipinho bacana…alguém reparou q a frente dele lembra um pouco a do Engesa?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>