SEMANA SENNA | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

segunda-feira, 28 de abril de 2014 - 11:56F-1, Imprensa

SEMANA SENNA

SÃO PAULO (completo) – Quinta-feira faz 20 anos da morte de Senna. A Revista WARM UP vem, há meses, preparando uma edição especial sobre o tema. Está no ar a primeira parte. Ao longo da semana, faremos muita coisa diferente no Grande Prêmio e na Revista, como um “ao vivo” da prova de Imola. A programação está aqui. Tem tudo que se possa imaginar sobre aquela corrida e sobre o piloto. Entre outras coisas, um depoimento exclusivo do pai de Roland Ratzenberger, entrevistas com quase todos os pilotos que correram naquele GP de San Marino, a conversa que tive há dez anos com a médica que atendeu Ayrton no Hospital Maggiore e muito, muito mais.

Nossa maneira de homenagear o tricampeão foi essa: fazendo jornalismo. É certamente o mais farto material sobre Senna na imprensa mundial. Esperamos que vocês gostem.

semanasenna

30 comentários

  1. Roberto disse:

    Li a respeito do “ao vivo da prova de Imola”, como se estivéssemos em 1994. Que ideia sensacional. Parabéns a você, Flavio, e a toda equipe do Grande Prêmio. Abraços!

  2. Antonio disse:

    Os depoimentos foram bem legais. Gostaria de ler um do Erick Comas também, e obviamente do Schumacher, mas esse infelizmente não será mais possível.

  3. Alex disse:

    Li a parte dos depoimentos e nem é preciso dizer que está excelente, inclusive e especialmente, o seu, Flávio. Você parece ter sempre alguma coisa relevante, um aspecto mais profundo a dizer, mesmo sobre um acontecimento de 20 anos atrás, e que já foi comentado e esmiuçado do que qualquer coisa. Parabéns.
    Uma coisa que eu acho interessante nesse episódio é que, quase sempre, somos levados a crer, pela maneira como a vida se apresenta, que não passamos de um amontoado de moléculas e mais cedo ou mais tarde, voltaremos a ser terra. Aqueles acontecimentos de Ímola são dos poucos que apontam para uma outra direção, e que somos mais do que simples matéria. O clima pesado e negativo que emanava daquele evento podia ser sentido até por quem acompanhava pela TV, a milhares de quilômetros de distância e é partilhado por todos que testemunharam aquilo.

  4. “…eu iniciei um processo de mostrar a ele a importância do riso.” (Ron Dennis)

    Quem diria! Se é verdade, como somos enganados por não conviver pessoalmente com alguém, por só conhecermos pela TV.

  5. Ulisses disse:

    Gostem ou não de Senna, fez história, e andou a maior parte de sua carreira, lá na frente!
    Foi um dos maiores da história do automobilismo!
    Assim como Schumacher, Prost, Stewart, Lauda, Piquet, Fangio, McLaren, Brabhan, Villeneuve (pai), Hill (pai) e mais uns poucos.
    Todo o planeta do automobilismo está falando de Senna nesse ano!
    Sua morte foi um dos fatos mais lamentáveis da história do esporte.
    Mas, automobilismo é isso, e por incrível que pareça, é aí que está a graça da coisa, que reside toda a paixão, o famoso “desafiando da morte” sendo mais rápido que todos! O mais louco! O mais técnico! O mais corajoso! O mais astuto! Na linha tênue da vida.
    Saiu disso, perde a graça.
    E Senna, como todos os outros super campeões inesquecíveis, tinha muito de tudo isso, mas, pelo que se sabe e/ou supõe-se, foi traído pelo equipamento. Um acidente gigantescamente infeliz.
    Mas, faz parte.

  6. Alessandro Neri disse:

    Lerei tudo.

  7. Eric disse:

    assunto foda…até hoje!!

  8. disse:

    Os comentários, desde nome para Interlagos, até suicídio!

  9. Eduardo Daniel disse:

    Se o Senna tivesse feito tudo o que fez, mas com a F1 transmitida por qualquer outra emissora, que não a Rede Globo, ele seria o que é? As nossas manhãs de domingo teriam sido “aquelas” manhãs de domingo?

    • Caipira disse:

      Puts comentario nadaver meu.

    • Regis disse:

      Qual é o questionamento? A capacidade do Senna? A capacidade da Globo? Uma crítica aos concorrentes da globo? what else?

      • Paulo Pinto disse:

        O comentário do Eduardo Daniel é pertinente.
        A Rede Globo, Galvão Bueno e a torcida, sentiam que Senna seria o clímax da escalada iniciada por Emerson, e continuada por Piquet. Era questão de tempo.
        Prost e Mansell ainda conseguiram aplicar alguma frenagem nessa escalada, mas acabaram ficando fora do caminho. A reta estava livre.

        Quando tudo estava pronto para a arrancada final… eis o acidente!
        A fatalidade colheu o campeão. Comoção mundial…
        A série de recordes não mais seria por ele ultrapassada.

        Muda-se o foco: o homem vira mártir e o mártir vira mito. E essa imagem é reforçada não só pela mídia. Os dois brazucas que vingam em meio a uma safra pobre, contribuem de forma indireta para a perenidade do mito, ao assumirem a posição de escudeiros servis e acovardados, diante de companheiros geniais e egocêntricos.

        E para adoçar o sonho, adornamos o mito com uma série de “se”…

    • JP disse:

      Graças a Globo a F-1 é o que é (ainda) no Brasil. Com falhas e exageros, mas devemos a ela.

    • TagHeuer disse:

      Se a Inglaterra tivesse um cara parecido com Senna ele seria Deus por lá e não teria nenhum despeitado da mídia falando besteiras.

    • Roberto disse:

      O documentário “Senna”, de 2010, bateu recordes de bilheteria no Reino Unido. Os japoneses compram até hoje o boné com a marca “Nacional”, sem nem saberem o que é, um banco que quebrou faz muito tempo. Schumacher disse em documentário que Senna é o maior piloto de todos os tempos. Certamente, tudo marketing da Globo, não é? Aliás, que silêncio sobre o Schumacher. Seria legal ele estar ok para falar sobre esses 20 anos. Afinal, ele estava lá, e é quem é. Triste fim do Schumacher…

  10. PAulo Jorge disse:

    Flavio esta revista no final de tudo publicado deveria ser reconvertida em PDF,como as antigas revistas, é uma edição que todos os fans gostariam de guardar… pensem nisso

  11. askjao disse:

    Cara, estou louco para ler a entrevista com o pai do Ratzenberger, que logicamente, foi esquecido por essas bandas. Talvez tenha sido esquecido pela F1, também.

    • Sergio Miami disse:

      Caro askjao, pobre Ratzenberger.. teve uma morte horripilante com direito a cenas de massagem cardiaca ao vivo.. morreu na pista, na hora.. e que por questoes comerciais so foi declarado morto no hospital.. se tivesse sido declarado morto na pista, nao haveria corrida e Senna nao morreria, pelo menos nao naquele 1o de maio. Outro fato triste para ele foi que a morte de senna eclipsou-o completamente, foi como se tivesse morrido um indigente ou um anonimo qualquer como aqueles que, infelizmente, morrem todos os dias.. que Deus tenha sido muito bondoso com esse homem… ao recebe-lo nos ceus.. RIP Roland

  12. Cláudio F1 disse:

    Sem querer ser chato, mas já sendo, será que algum dia iremos ler por aqui a transcrição daquela fita K7 que o Gomes possui com a entrevista do Senna?

  13. Genesco Junior disse:

    Apesar de considerar Schumacher e Prost melhores, não significa que eu seja do contra e tire os méritos do Senna, que foi um dos maiores, inegavelmente… Temos hoje pilotos de capacidade espetacular no grid, como Vettel, Hamilton, Hulkenberg, e Alonso, que pra mim é o que mais se assemelha ao Senna, no quesito “tirar leite de pedra” com um carro inferior. Acho digno e justo estas homenagens na semana em que se completam 20 anos do mais trágico fim de semana da F1.

    • Williams Head disse:

      Vettel de capacidade espetacular? Tomando pau do Ricciardo?

      • Ulisses disse:

        Pois é!
        Até agora, Vettel provou com os seus títulos que dirigia o melhor carro e não desperdiçou a oportunidade. Daí a dizer que é gênio …
        Também não vejo ele, até agora, como “fenômeno”, Ricciardo parece que está mostrando isso!

    • Antonio disse:

      Eu acho que Senna foi o melhor da história
      assim como acho que Alonso é melhor que Vettel que também é excelente
      É simples assim.
      Senna tirava leite de pedra. Era imbatível nos treinos de classificação.
      Não era perfeito como ninguém foi. Schumacher levou tempo do Rosberg, Alonso levou do Hamilton, Piquet levou do Mansell e Vettel está levando do Ricciardo.
      Senna foi o piloto mais marcante. Morreu no auge. Ninguém discutia naquele ano ou nos anos anteriores quem era o melhor. Ele era indiscutível.
      Assim como Shumacher foi anos mais tarde. Só que ele não tinha adversários tão grandes como ele próprio, Senna, Piquet e Mansell. Teve Hill, Villeneuve e Hakkinen e o Alonso que mostrou que Shumcher poderia ser vencido e o venceu com muito talento.

    • Roberto disse:

      Da atualidade, na minha opinião, Alonso é o melhor disparado, com uma exceção. Muito próximo dele, Lewis Hamilton. Vettel está um patamar abaixo. Não se iludam com os quatro títulos seguidos num carro como aquele. Trata-se de um ótimo piloto, mas como eu disse, num patamar abaixo dos dois primeiros.

  14. Rafael Chinini disse:

    como eu disse agora pouco no facebook, o mais triste é que nessa semana de homenagem, não teremos o maior campeão de todos os tempos para dar suas palavras! uma pena! =/

    • Regis disse:

      Sim, concordo. Como é uma pena também, não termos a possibilidade de ver o mais técnico piloto de todos os tempos dando sua opinião a respeito e/ou prestando homenagens ao maior campeão de todos os tempos.

      • Roberto disse:

        “O mais técnico piloto de todos os tempos”. Isso é muito categórico! É uma afirmação científica? Baseada em quê??? Algo mais próximo de uma possível relativa “verdade”, só que com mais peso e embasamento que a sua afirmação: perguntado sobre o melhor de todos os tempos, esse ao qual você se refere disse: Senna. Não serei eu a desmentir. E ambos, cada qual ao seu jeito, estão impossibilitados de emitir outras opiniões, infelizmente.

  15. bruno disse:

    Esse documentario tb parece ser muito foda….essa é a primeira parte

    http://www.youtube.com/watch?v=EFUZuMBPq9o

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>