MENU

terça-feira, 5 de junho de 2018 - 21:48Autódromos

O RIO, O RIO

pistadeodoro

MOSCOU (seria legal, mas…) – A reportagem de Fred Sabino, no Glogoesporte.com, é impecável. Ele explica que na última segunda-feira um grupo apresentou à prefeitura do Rio um projeto de autódromo para ser construído no terreno de Deodoro que o Exército colocaria à disposição para esse fim. O projeto é assinado por Hermann Tilke, aquele de sempre.

Investimento previsto: R$ 850 milhões. Ideia proposta: nada de dinheiro público.

Agora a prefeitura vai lançar um edital para ver se alguém mais está interessado e construir um autódromo lá e, nada acontecendo, esse aí pode ser levado adiante.

Só que…

Só que o grupo não tem o dinheiro necessário. Apenas fez um projeto, como eu poderia ter feito, ou você, ou qualquer um. Claro que a grife de Tilke é legal. Mas não muda nada. É apenas um projeto.

Uma vez vencida a licitação — ou seja, o projeto sendo aprovado, se ninguém mais apresentar outros — e percorridos os trâmites de cessão do terreno etc. e tal, vai ser preciso encontrar alguém disposto a bancar a construção.

E é aí que está o busílis. Quem vai pagar? Onde vão arrumar alguém para gastar essa dinheirama num autódromo? Alguém realmente acha que no Brasil de hoje alguém estaria a fim de rasgar dinheiro construindo um autódromo, para uma atividade que no Brasil caminha para a extinção?

Sério, tem gente que sonha demais. Achar que de belas intenções e de um projetinho bonito feito no computador pode sair algo concreto desse porte, é viajar na maionese.

Ninguém vai fazer autódromo no Rio, esqueçam.

69 comentários

  1. El Pentejo Veloz disse:

    Só pela info de que se trata de desenho do Tilke, a torcida é para que não saia do papel… nem no RJ, nem em nenhum outro lugar do planeta

  2. Paulo Pinto disse:

    Os tilkódromos foram o sonho de consumo da FIA. Hoje são uma realidade e ninguém vai mudar isso.

  3. CRSJ disse:

    O Rio ainda vai ver por muito tempo o seu Finado Autódromo dentro do YouTube.

  4. Fernando disse:

    E os que apoiaram as Olimpíadas e a Copa, gente que ajudou a acabar com Jacarepaguá, gente que “inocentemente” apoiou a construção deste legado, um monte de elefantes brancos, e o custo de manter toda esta bosta inútil, para além da roubalheira, onde estão? Sairam de fininho. Estão curtindo futebol. E sobre isso aí, não vai dar samba não, vai é acabar em samba como tudo no Brasil, não vai dar em nada bom, como sempre, mas já estão apoiando…

  5. Marcus disse:

    E se…

    E se sair, “só” tinham que mudar o traçado, de cara da pra ver que seria uma Abu Dhabi da vida….

  6. coyote disse:

    Tilkódromos…??? torço o nariz. Deus queira que não.

  7. Mauricio disse:

    Quando lí a notícia inteira, o que me chamou a atenção foi o trecho final:

    “Com o projeto em mãos, a Prefeitura tem agora de 40 a 60 dias para publicar um edital e, dessa forma, esperar interessados numa concorrência. Depois de mais 60 dias, os interessados deverão apresentar suas propostas e, após outros 15 dias, sairá o vencedor da concorrência.

    Caberá ao ganhador dessa disputa captar investidores, exatamente de acordo com os parâmetros do projeto, ou seja, sem utilizar dinheiro público.”

    Como já disse o Flávio, esse autódromo não vai sair.

    • coyote disse:

      Mas se sair com dinheiro público, depois de tudo prontinho, vai chover de gente querendo privatizar porque caíram duas gotas de chuva na cabeça de alguém por causa de uma telha quebrada.
      Sei bem como é que é.
      Construir um linha de trem bala SP/Rio ninguém quer, mas se o poder público construir e atrasar 2 minutos… TEM DE PRIVATIZAAAAAAAARRR!!!!
      Abç.

      • Roberto Oliveira disse:

        Não existe dinheito público, tonto. Existe o meu, o seu e o dinheiro da população que foi usado na construção.

        Se foi o meu dinheiro, eu quero que funcione. Se for uma empresa privada, eu posso reclamar e ser ressarcido de por um serviço ruim ou não prestado. Se for do Estado, mesmo eu tendo pago, dane-se!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>