Ainda dá para viver neste mundo

SÃO PAULO (os grandes timoneiros) – Saudemos a volta do velocíssimo Horse Power. Ele se arrepiou com meus Lada, vai gostar dessa aqui — boa lembrança do blogueiro John Locke, que conseguiu se comunicar da escotilha.

Na China ainda fabricam motos baseadas num projeto da BMW da década de 30. Pelo que li alguns anos atrás, os chineses tomaram o projeto na mão-grande, não pagam royalties e que se dane. O fato é que fazem BMW 1938 zero bala.

Deu em “O Globo”: Imagine comprar em 2006 uma motocicleta 0km, modelo 1938… Pois a China ainda faz em série as clássicas BMW R71 do pré-guerra. Hoje batizadas de Chang Jiang 750, essas motos ainda mantêm, em uma de suas versões, o motor com válvulas laterais. Sua história é longa e curiosa: a fábrica foi transferida da Alemanha para a União Soviética após a Segunda Guerra e, nos anos 50, o ferramental foi repassado à China. Em meio a tantos produtos chineses que chegam ao Brasil, bem poderiam nos mandar algumas dessas charmosas máquinas.

A Chang Jiang, claro, tem um site oficial. Essa bagaça, que é linda, tem legiões de fãs nos EUA. Como não tem muita BMW 1938 espalhada por aí, os caras compram dos chinas e se divertem pelas routes da vida.

O Veloz, que também deve ser motoqueiro, pode nos contar mais. Por enquanto, fiquem com o aperitivo aí embaixo.

Comentários

  • A fábrica da BMW ficava em Berlim, e no final da guerra, a URSS apropriou-se dela como reparação. Os Aliados, que tinham feito um acordo (Yalta, será ?) de não tirar bens da Alemanha para permitir o reerguimento do país e evitar outra encrenca a lá tratado de Versailles ficaram fulos da vida com a russada e deram um financiamento para a BMW remontar a fábrica do lado ocidental de Berlim, onde as motos são montadas. Era um forma de manter uma base industrial e financeira em Berlim ocupada. Por isso também os Auto Union de corridas foram transferidos e sumiram na URSS (eles ficavam na zona da Alemanha Oriental). Exceto um que foi encontrado destruído após um acidente de corrida em algum país báltico ( Letonia, Estonia ou por aí) . a Car and Driver publicou uma reportagem sobre a busca desse carro na fianda URSS, e deu de cara com a Mafia russa.
    O único carro original ficou na Inglaterra sem o cambio , e na década de 80 eles adaptaram um Hewland (acho que DT 500) para ocarro andar. A Audi contratou a construção de uma réplica na Ingalterra. Ela foi feita pela mesma emrpesa que levou o Bentley em 2.003 . Foi a Autosprot ou a Car que publicou o teste.

  • Prezado Flávio:

    Motos, carros e outros produtos comerciais não pagam royalties depois de certo tempo já que não são criações com intuito artistico e portanto tem “prazo de validade”. O que não pode acontecer é usar a Marca de um terceiro, mas o design pode ser utilizado a vontade (inclusive muitas réplicas circulam por ai baseados neste princípio legal, vide as cópias do Porsche Spider feitas pela Phoenix…)
    []’s

  • Oi Tohmé !
    Há várias URAL no Brasil.
    Mas as mais interessantes são mesmo os modelos militares da 2a. Guerra.
    Tinham motor boxer de 4 cilindros e tração no side-car ! Um encrenca !!!
    Conheci 2 destas no Brasil.
    Talvez esta anunciada seja uma delas ! Se for merece uma visita !
    Abraços !

  • Tenho, dentre meus clientes nas montadoras, um que é especial por vários motivos.

    Seu nome é Francisco Satkunas, trabalha há mais de 30 anos na GM, é diretor e profundo conhecedor e apaixonado por tudo que diz respeito a máquinas…

    Tem uma bela coleção de motos antigas, que cuida com todo o carinho de quem ama e conhece o que faz.

    Vou ver se faço contato com ele e o levo para Interlagos. Se der certo, preparem-se para algumas aulas de mais um apaixonado, que alem de atuar profissionalmente fez de sua paixão o seu hobby.

    Abraço, Satkunas !!!

    Se voce estiver conosco, bem que podia ir pilotando uma das suas crianças…

  • Legal. Flávio, me fez lembrar da minha fiel BSA 500 1951, monocilíndrica (big single), lídima representante das “massachussets” da época. Quem sabe o que é, não preciso explicar…

  • Na verdade, estas motos são cópias das URAL russas.
    Eles fabricam vários modelos.
    A polícia de Beijin e de outras cidades usa um modelo mais modernoso, que lembra a R75 dos anos 60.
    Há alguns anos tentei importar algumas, mas o frete é mais caro do que a moto.
    Dä mais jôgo importar as URAL.
    Tem representante nos USA.
    Para quem gosta de motos, este site é bem interessante:
    http://www.bikez.com/