Alfa + Malzoni = Alfazoni

SÃO PAULO (Mas não precisamos saber pra onde vamos, nós só precisamos ir) – Um chassi de DKW encurtado, uma carroceria feita em Matão, e lá ia o Malzoni para as pistas, desafiar a Willys e suas Berlinetas.

Aí alguém pensou em colocar um motor de Alfa Romeo nesse negócio e nasceu o Alfazoni. Irmãos Cardoso? Sou ruim de memória e os Matuzas saberão reescrever a história desse carro que, felizmente, ainda existe. Eu o vi em São Lourenço/2001.

A primeira foto é do misterioso Filipe W. As outras duas, eu mesmo tirei.

Comentários

  • Sidney, um dia, eu conto toda a estoria do Alfazoni, ajudei o Abelardo a acertar o carro, pena que o carro não tem mais as caracteristicas para as quais foi feito, mas só uma por hoje, o Helio Mazza , na chuva andou com ele na frente de um Porsche 911S, dos portugueses, aqui no Rio, depois eu cinto o resto, Abs P.Lomba

  • Caro Joaquim
    Vc só se enganou num mínimo detalhe.
    O diretor desta prova, III Mil Kilômetros da Guanabara, 1969, foi o saudoso Mauro Forjaz, diretor da revista Auto Esporte, que nesta prova, estreava como Diretor de Prova.
    Aproveito para solicitar a você e aos que postam aqui, para saber se alguém tem o telefone para a compra do livro do grande piloto Jean Balder.
    Eu vi este telefone na internet, copiei, pois estou querendo comprar o livro, mas, infelizmente, deletei-o quando ia deletar outro arquivo.
    Antecipadamente, agradeço a quem puder me fazer este favor.
    Grato.

  • Caro Sidney GT-40 cardoso,
    Uma das gratas lembranças que eu guardo é vc acelerando o Ford GT-40 no retão de Jacarepaguá, na tentativa de classificar o carro para os 1000 Km da Guanabara de 69, numa deferência especial do Amadeu Girão, pois o carro havia chegado em cima do limite da tomada de tempo. Lembro do escarcéu armado pelos pilotos de Brasilia, pois vc virou o segundo tempo, alterando todo o grid de largada e muita gente ficando de fora, inclusive a dupla que eu estava acompanhando. Belas lembranças e quem agradece sou eu. Abs.

  • Em primeiro lugar quero pedir minhas sinceras desculpas ao Jason.
    É, Jason, fiz uma pequena confusão, quem postou as fotos foi Filipe W.
    A gozação fica pra ele, então. he,he,he.
    E quero agradecer tb ao Joaquim que, como sempre, sabe tudo de automobilismo e a Ney Prates, pelas informações.
    Acho que já sei pq não vi o José Moraes correndo com ele.
    Provavelmente ele deve ter corrido por um pequeno tempo que me afastei do Autódromo , logo após o acidente com meu irmão em Petrópolis.
    A todos vcs, meu muito obrigado pelas valiosas informações.

  • Grande Sidney “GT-40” Cardoso,
    Vou aguardar ansiosamente as tuas fotos do Elgar GT104 do Ênio Garcia, piloto gaúcho radicado em Brasilia. Este eu vi nascer, pelas mãos habilidosas do Waldir Lomazzi. Tem a história completa deste carro que eu mandei para o Blog do Máximo, não sei quando ele posta. Abs.

  • O Ney Prates tem razão: o José Morais, conduzindo o Alfazoni numa prova do Campeonato Carioca, deu uma aula de pilotagem ao evitar uma porrada homérica no Fusca “Ovo de Codorna” do Antonio Rodrigues, exatamente no S do antigo circuito de Jacarepaguá.

  • Ao Sidney:
    Pirou? Não postei foto nenhuma, muito menos disse que era de minha autoria. Aliás, nem era nascido nessa época! O Blog é do bom Fávio Gomes, não meu. Tudo o que postei foi o comentário…

  • Sidney, só pra lembrar, o Zé Morais correu com o Alfazoni sim, e várias vezes. Além de provas do carioca, que eu me lembro, pelo menos uma do circuito brasileiro, de longa duração, em Jacarapaguá mesmo.
    Lembro que ele quase encheu um fusca, ou Gordini, que rodou na sua frente, no S !
    Como freiava aquela encrenca !

  • Olha, vou deixar para postar as fotos do Fúria e as do Elgar na semana que vem.
    Lá no orkut me pediram para não tirar as fotos atuais.
    Como não gosto de faltar com a palavra, vim falar isso com vcs .
    abraços.

  • Para Jason
    Bonito, hem Jason? He,he,he.
    Disse que as fotos foram tiradas por vc.
    Realmente, foram “tiradas” do meu álbum do orkut.. He,he,he.
    Assim como vai “tirar” a que estou com ele na largada.
    Que tal “tirar”, tb a segunda foto que estou com ele na curva norte? He,he,he.
    Fique tranqüilo, pode “tirar” à vontade, estou só brincando contigo, lá no meu perfil vc leu que por possuir muitas fotos estava compartilhando-as com os amigos. Pra quem é do orkut, esta semana estou só postando carros nacionais de corrida. O endereço é http://www.orkut.com/AlbumView.aspx?uid=11645576532346168928
    Olha, tenho bem mais fotos dele. Só coloquei três, pq quis postar outras dos carros nacionais.
    Bem, gente, depois da gozação com o Jason, vou tentar responder algumas perguntas que fizeram aqui.
    Este Alfazoni era do piloto Abelardo Aguiar e não do josé Moraes Neto.
    Ele havia me alugado para esta corrida, pois estava na vice-liderança do Campeonato Carioca e o motor Porsche do Karman-Ghia 2 que havíamos comprado do Moco, estava em reparo.
    É bem possível que meu amigo José Moraes Neto tenha corrido com Alfazoni, mas não me lembro.
    Lembro-me dele correndo com o Patinho Feio e depois com um Porsche 910.
    Este Alfazoni tinha uma característica interessante, foi a primeira vez que corri com um carro com esta característica. Ele possuía diferencial altoblocante, ou seja, quando vc entrava numa curva e o carro tombava para um lado a roda do outro lado que ficava no ar não rodava mais rápido do que a que ficava no chão. As duas rodavam na mesma velocidade e isso, aumentava muito sua estabilidade.
    Confesso que foi o carro que levei mais tempo para achar seu limite.Só depois de umas 15 voltas.
    Este diferencial altoblocante fazia uma diferença enorme.
    Este carro tinha um pequeno problema crônico de refrigeração. Então, o Abelardo Aguiar deixava a tampa do capô aberta com uns quatro dedos..
    Por segurança, o capô abria ao contrário, isto é, perto do párabrisas.
    Acontece que muitas vezes, com ele Abelardo e, não foi diferente comigo nesta corrida, como saía ar quente do motor e entrava em contato com o vidro o párabrizas não agüentando se espatifava todo.
    Li num outro fórum aqui no Blig do Gomes que muitas pessoas, assim como eu, gostam do carro Fúria.
    Hoje vou postar algumas fotos dele no meu álbum e vcs estão convidados a assistir.
    Um abraço para todos

  • Jason,

    excelente a sua analogia para este pneus , realmente parecem biscoto globo hahahahahahaha.

    tem umas outras que mandei pro FG onde o carro está no grid e tiradas de mais de perto em que vc tem melhor noção do quão grandes são os pneus.

    abraço

  • Que bella macchina!

    Hoje o blig tá bom, com muitas ALFAS sendo mostradas. Digo sempre que um carro Alfa Romeo é um sonho possível! Ainda vou ter uma GTV pra botar pra andar em Interlagos na Super Classic.

    Abraços

    Forza Alfisti!

  • Jason, Grajaú-Jacarepaguá, catso!!!
    Esse foi o caminho que tomei lá no longínquo ano de 1969 para chegar ao antigo autódromo, rebocando um protótipo VW para os 1000 km da Guanabara de 69. Nem lembrava mais do nome!!

  • Bonito carro FG!!!

    Bonilha: o carro que vc viu é um Dodge Polara 1800. Motor dianteiro 1800cc longitudinal, tração traseira. Nos últimos anos tinha carburador horizontal.

    Não sei se é verdade, mas me disseram que era um dos melhores motores 1.8 para se preparar…

    Tb tinha uma versão com câmbio automátic, nos EUA até carrinho de feira é automático… Rs…

    Abraços.

  • Ah bom…
    Então, segundo o Jason, na verdade esta Alfazoni na verdade é um chassis + suspensão + motor + cambio de Alfa Romeo + “bolha” do DKW Malzoni…
    Assim fica mais fácil de entender a obra de arte que fizeram…
    Será que os matuzas do asilo tem mais detalhes técnicos?

  • Belo carro, conhecido como Trambelauto nos anos 60 (reza a lenda que um dos donos do Alfazoni naquela época pegou o carro numa oficina em Petrópolis para “testar” e até hoje não voltou para pagar pelo serviço!). O chassi não é de DKW não… É tudo Alfa por baixo, se não me engano de um antigo carro do Mario Olivetti. Observem os pneus na foto dos anos 60 – parecem Biscoitos Globo! Além das rodas modernosas que aparecem nas fotos recentes, o Viola tem um jogo de rodas de JK alargadas que ficam uma beleza no carro. Meses atrás o bicho derrapou na sinuosa Grajaú-Jacarepaguá, bateu um bocado e quase não temos mais Alfazoni para contar história – mas hoje este bólido único já está recuperado.

  • Não posso precisar quando mas lá por 1969 o Alfazoni foi parar nas mãos do piloto José Moraes, filho do dono da Gordura de Coco Dunorte, uma vaselina muito usada na época para frituras. Foi pintado de amarelo com patrocínio peed Motors, também do mesmo cara. Era bonitão, tinha pneus Cinturato 215, enormes. Parou de ir para as pistas mas vivia nos rachas de ua da Ilha do Dovernador, lá no Rio. Cheguei a ralar contra, eu, bons tempos, com um Mustang 67`. Modéstia a parte, me dei bem. O Alfazoni custava a embalar mas era bonitaço…

  • Putz, incrível…
    Nem imaginava a possibilidade de existir uma carretera dessas…
    É dos tempos em que nada se perdia, visto que foi aproveitado o conjunto mecanico de um carro batido…
    A foto em branco e preto apresenta o conjunto pneu/roda muito maior do que o normal, o carro ficou alto pra caramba… Porque?
    A motorização era tão mais estúpida assim?
    Foi um carro vencedor? Andou por muito tempo?
    Como voces vêem, não sei nada desse carro… Socorro, Joaquim !!!!

  • Esse carro maravilhoso já andou inclusive nos eventos tipo Endurance Classic em Jacarepaguá.
    A mecânica dele segue o esquema tradicional Alfa, motor dianteiro, tração traseira. O mais incrível é abrir o capô do motor e ver o agora enorme 4 cilindors do Alfa caber onde ficava antes o pequeno motor DKW.
    Tenho várias fotos desse carro, inclusive do interior, sempre que vejo esse carro nos encontros aproveito para tirar mais algumas fotos de algum angulo que não tinha visto antes.
    É um belo carro, o Viola está de parabéns, afinal foi mais de uma década restaurando o carrinho.

  • Eu não vi esse carro competindo muitas vezes, mas tenho quase certeza que mantinha a tração dianteira.
    O que eu sei é que o Moraes usou no Malzone a mecanica de uma Alfa destruida pelo Mario Olivetti.
    De perto mesmo só ví depois de restaurada em São Lourenço, (ficou linda) ao lado de outros Pumas DKW e Malzones do Paulo Lomba.

  • O Caíque está correto, o Alfazoni foi uma invenção do José Morais, o maluco beleza da Speed Motors, da Ilha do Governador. Andava uma barbaridade e o que fazia de curva…
    Obrigado Filipe W, bela lembrança.

  • Não tem muito a ver com o tópico, mas alguém tem informações sobre um carro chamado Polara?
    Vi hoje de relance na rua e achei interessante. tinha uma placa de vende-se e parece que era ano 81.
    Fiquei curioso porque não lembro dele.
    Abraços

  • Alguém sabe informar como este carrinho andava? Pois fazer curva ele era bom, mas com mecânica do Alfa que é bem mais pesada será que não afetou o equilíbrio do carro e o prejudicou na estabilidade. De todo o jeito ficou lindo e prefiro ele com as rodas de ferro como está na foto preto e branco.

    Jovino