Brazil, Indiana

SÃO PAULO (oportuna visita) – A blogueira Glau Santos leu hoje no mesmo “Estadão” matéria sobre uma pequena cidade do Estado de Indiana que se chama Brazil. Onde ninguém nem sabe que existe a Copa. Deve ter sido feita pelo Livio Oricchio, que cobre F-1 pelo jornal (não está assinada na página da internet).

Na minha última passagem por Indianápolis rabisquei mal-traçadas linhas sobre a cidadezinha, que visitei por falta do que fazer. Está num dos meus Diários de Viagem, textinho que gosto muito… Quem tiver paciência, que leia.

Comentários

  • Esqueci de comentar , sobre o hotel em las vegas, que no inicio da manha, umas 5 da matina , nos acordamos com uma gritaria danada no quarto ao lado, dava para ouvir tudo, eram pessoas do mexico e dos eua, 3 no total, brigando porque tinham perdido no jogo, e se perguntando o que iriam fazer agora que ja tinham perdido quase todo o dinheiro, la pelas 7 chega nosso colega coreano , e comeca a gritaria de novo. Ele ficou tao assustado, que tivemos que esperar os nossos ilustres vizinhos irem embora, para que assim pudessemos ir.

    Coitado desse nosso amigo, achou tudo muito violento.heheehheehe
    Ele nao conhece o Brasil.

  • FG, muito bom o seu texto, sou fa dos seus textos e opinioes, apesar de descordar algumas vezes de voce, quanto ao alemao, mas isso e questao de opiniao, cada um tem uma.
    Legal os artigos sobre os locais que voce viajou, pena que , me parece pois eu nao vi mais em suas colunas, que voce parou de escrever o diario de viagem, pois eles eram muito interessantes.

    FG,Eu nao tenho sua vivencia e nao sou viajado como voce, mas morei nos eua ate o ano passado e fiz algumas viagens de carro, alem de ter algums amigos ate hoje , la.

    Sobre estas viagens, eu posso destacar, e ratificar, o que vc disse sobre as pequenas cidades que nao teem nada, quando fui de l.a para o meio do grand canyon, vi algumas bibocas, tipo bares que pareciam sair daqueles filmes de terror , no meio do nada, com aqueles cartazes antigos escrito wanted, resumindo esquisito.

    Sobre las vegas, e outra cidade esquisita, voce passou a strip, como eles chamam a rua principal, e parece que esta numa cidade de faroeste , com hoteis mofados e gente muito, muitissimo esquisita, como no dia em que cheguei la, bem no sabado, antevespera final superbowl 2005, todos os hoteis lotados , custando uma fortuna, fui entrando pelo meio da cidade ate encontrar algumas bibocas,tinha cada tipo, numa hora fui checar um quarto que parecia um cortico, queriam cobrar 80 pilas, ai derepnte, desce de um carro antigo, grande e preto um cara a cara do wesley snipes , com uma capa preta ate o chao , um chapeu preto, uma bengala, cheio de aneis,andando em minha direcao, olhar raivoso, tive de desviar o olhar para nao pensar que estava discriminando-o, nessa hora pensei, put.z so faltava essa, ser assaltado em pleno eua, mas essa passou batida, foi so o susto. No fim minha busca acabou, achei um hotel no estilo daqueles filmes do quentin tarantino, mas que para nos brasileiros passava tranquilo, mas nao para nosso colega asiatico que achou tudo tao assustador que ficou no cassino ate o outro dia, com medo de dormir naquele lugar.

    Nessa viagem teve briga de homeless, que pediu um dime para mim e a atendente do posto partiu para cima dela , puxando seus cabelos, dando porrada, quando eu fui tentar separar, junto com um americano que tinha acabado de chegar, quase que a gente leva porrada tambem.
    Tive de esperar os cops chegarem para que fosse embora, tudo visto pelos olhos arregalados do nosso amigo coreano, que disse, vamos embora daqui dessa cidade, e muito perigosa, seguido de um riso deste brasuca que vos escreve, heehheehhe. Ele nao viu nada.

    Dica :Uma viagem que compensa e ir de san diego ate san francisco pela PCH.

  • O livro é ,de fato, ótimo e o final deste texto mostra que tem um homem por trás do moleque que gosta de remar contra a corrente.

    Por isso às vezes eu tenho a nítida impressão que o FG passa os dias tirando o maior sarro da nossa cara quando nos lê polemizando em torno de uma das suas opiniões bombásticas.

    Comprem o livro!

  • Flávio, sem querer ser grosseiro, essa tal cidadezinha, Brazil, é tema meio recorrente: a Globo já esteve lá, a QR fêz uma matéria com o Boesel no local há alguns anos. Agora, com relação ao teu livro, prá mim, essa é a tua melhor crônica.

  • La Fontaine, por falar em imigrantes estadunidenses aquí, já ouviu falar dos Confederados que se instalaram em Santa Bárbara do Oeste e todo ano fazem uma festa t %[email protected]$&@#do Sul dos EUA? Já saiu em matérias na revista National Geographic, no The History Channel e também, se não me engano, no Fantástico. No comments!!!!!

  • Não concordo com o que voce pensa muitas vezes, algumas ate me deixam irritado, mas não posso deixar de reconhecer, que voce escreve bem pra cacete, não tinha lido ainda essa
    Fantastica, fazer o que, continuarei sendo seu leitor assiduo e algumas vezes ficarei irritado e com vontade de te mandar as favas mas e dai não e mesmo

  • Engraçado. País é igual família mesmo…a gente fala mal p/caramba, mas se outro faz isso todos ficamos putos.
    Os “USA” deveriam ser imitados em vários aspectos (não em muitos, claro). Mas quem somos nós para criticar? Como diz o Tite…lisarb. Ô paisinho bom, e ruim ao mesmo tempo o nosso né?

  • Gomes, como alguém disse em outro post, vc escreve engraçado quando fica puto. E isso é um elogio. Ironia, bem humorada e inteligente é pra poucos…
    Nota-se como vc admira o american way of life.
    Agora, pergunta totalmente indiscreta, q pode ser motivo para a exclusão desse comentário, se o dono do blog assim quiser, quem é “ela”? Voltou?

  • E tem uma cidade próxima a Campinas que chama Americana porque foi fundada por um escravocrata que fugiu da Guerra Civil. se veio para cá proque a escravidão não tinha sido abolida por aqui

  • Chama Brazil por causa do Brasil, deve ser porque aquilo é um fim de mundo… aliás, por ali só tem Indy 500 e Brickyard 400 (Nascar) mesmo.
    Ah, corrida de F1 com 6 carros tem também.