E neguinho reclama de Mônaco…

SÃO PAULO (haja túnel…) – Videozinho esperto enviado pelo misterioso Filipe W, com uma volta de Piquet em Detroit, 1988. Na abertura da volta rápida ele bate, mas nem é por isso que posto as imagens aqui. É mais para se comparar com Monte Carlo. Pista de rua é sempre um problema. Mas na Riviera, pelo menos tem charme. Em Detroit, sei não…

Comentários

  • Eu concordo com o Marcos, se me lembro, o Piquet foi tocado pelo carro que ele tinha acabado de ultrapassar, por isso a batida. Agora dizem que quem gostava muito dessa pista era o Senna.

  • Cedar, eu falei brincando também.

    Já dirigi por aí, e realmente é divertido (especialmente algumas das passagens sob o Eixo Rodoviário Norte)… O problema é que de vez em quando tem um “Ministério da Fazenda 001” andando devagar na sua frente…

  • Circuitos de rua são a maior caca do automobilismo, por isso existem os autódromos. Mônaco pode ser charmosa, tradicional, coisa e tal, tudo fricote, desfile, corrida lá é sempre um tédio.
    Além disso, carro de corrida gosta de correr.

  • talvez uma pergunta inteligente, talvez apenas infantil, talvez idiota mesmo.
    Naquele tempo/carro não tinha controle de tração? Parece q na hora em que ele ‘juntou’ no pé direito na saída da curva, a traseira foi pro espaço… Um erro q parece infantil, mas talvez nem tanto, se o carro fosse realmente difícil de controlar…

  • Para o Sor: quem já dirigiu em Brasília sabe que o traçado é fabuloso, pistas largas, curvas gostosas de todos os tipos. Acho que nenhuma cidade do Brasil é igual. Poderia dizer ate que a cidade e quase um autodromo, andar por aqui de madrugada é muito bom, pena que tem muito “pardal” e o risco de multas e grande. Haveria possibilidade de se fazer traçados de vários tamanhos ate maior que 12. Mas eu estou falando isso só de brincadeira e nunca ouvi falar nada a respeito. Nos anos 80 eu e minha turma iamos de madrugada lá para o parque da cidade, que é fechado a meia-noite mas os guardas deixavam a gente entrar e podiamos andar a vontade com o pé em baixo. Hoje é cheio de quebra-molas.

  • Eu acho que a responsabilidade pela batida não foi da sujeira, foi da Tyrrell (Larrouse? Ligier? Osella?) que vinha lerda por dentro da curva.

    E essa pista até que não era tão enfadonha, tinha uma certa variedade de curvas.
    Acho que vcs confundiram com Phoenix. Lá é que só tinha curvas de 90º.

    Corrida de rua em Brasília? Traçado de 12km????

  • Brasília não é uma cidade perfeita, e ainda por cima temos um monte de politicos (de outros estados é claro), mas com certeza seria a melhor cidade do mundo para se fazer uma pista de rua. Nossas avenidas são largas e há locais com um traçado incrível e com muitas curvas com ângulos diferentes dos 90º tradicionais. Quem já andou por aqui sabe, não é por acaso que já sairam destas ruas vários pilotos, inclusive este do vídeo que é sem dúvida um dos 10 melhores de todos os tempos.

  • Toda corrida de rua é charmosa. Não por casinos, praias e yates exuberantes; mas por aproximarem o carros de corrida dos carros de rua. As corridas de rua evidenciam como os carros de corrida são máquinas vorazes e distantes da realidade cotidiana. As corridas de rua mostram como é importante tem um piloto habilidoso que saiba correr riscos calculados volta após volta, seja pra lidar com ondulções, ultrapassar retardatários ou chegar o mais próximo possível dos muros e guard-rails sem de fato bater. É claro que nem todas os circuitos de rua são tão boas quanto Mônaco, Long Beach ou Surfers Paradise; mas eles têm seu valor.

  • Além das curvas serem quase todas 90 graus ainda são feitas todas sem visão do que espera do outro lado (no caso, um carro leeeeeento).

    Pista de rua (Mônaco incluída) na verdade só tem graça pelas estampadas (que costumam ser constantes porém menos perigosas – pela baixa velocidade), porque não conheço nenhuma que tenha ponto de ultrapassagem decente…

    é lógico, que pra variar eu posso estar falando besteira, mas…