Indy, dia 1

SÃO PAULO (corrida quase secreta) – Davidson em primeiro, e Bridgestone andando direitinho (vejam onde acabou o Tiago Monteiro). E Schumacher que deve ter levado um radinho dentro do carro. É o que aconteceu hoje em Indianápolis.

Na falta de outros assuntos, interessante o depoimento de Pierre Dupasquier, da Michelin, um ano depois da corrida de seis carros.

Comentários

  • Mesmo concordando com o que o Edgar (em sua maneiura fantástica de escrever – que saudade da coluna!) Acho que se tivessem autorizado as equipes usarem o pneu seguro, o terceiro jogo dele, e depois tivessem desclassificado essas equipes por terem descumprido a regra, seria mais transparente.
    Chicane seria injusto com os times de “Potenza”, os mais inocentes nessa história, e redução de giros nas curva, ao meu ver, não garantiriam a segurança.
    Mas uma lição esse caso deixou: Mosley não tem mais condições mentais de ocupar cargo tão importante, o pepino é que o bicho é esperto, de lá ele não vai sair tão cedo…

  • Ah sei, então se a Potenza gritasse senhores, nossa borracha desmancha em cinco voltas com essa areia do deserto, solicitamos que a pista possua um sitema de irrigação permanente durante a prova.
    Os outros times, pilotos, Deus (vcs sabem quem né?), os abutres iriam apoiar a Bridgestone e sua principal Scuderia, bem como o arqui inimigo, Miguel??????? Menos

  • Acho que a Michellin agiu certo, assim como os pilotos e as equipes que não participaram.
    Se morresse algum piloto, cairiam de pau.
    Para mim faltou bom senso da FIA em não considerar outras alternativas para a realização da prova.

  • Senhores corredores da Goodyear, nas curvas 12 e 13 nós iremos limitar nossos giros, portanto, tomem cuidado e bonne chance. Essa história continua sem pé e sem cabeça.

  • Os pneus não aguentavam?
    Simples: os carros com Michelin deveriam correr, deveriam ter feito 456 paradas nos pits para trocar as gomas e disputar o 7º e 8º lugar, garantindo assim a corrida e 1 ou 2 pontos.
    O pneu tinha falha de construção?? AZAR DELES

  • A Michelin errou e quando se erra alguém paga o pato. No caso os pilotos que usavam os pneus da marca. Se fosse permitido fazer alterações na pista para beneficiar alguns pilotos (no caso a grande maioria) iriam abrir um precedente perigoso, pois qualquer coisa diriam que tinha que fazer igual a Indianapolis. O certo seria os carros que usavam os pneus da marca irem para pista e disputarem algumas voltas, assim o publico não teria do que reclamar e não teriamos aquela palhaçada. O mais triste daquela prova foi o que Schumacher aprontou pra cima do Rubinho naquela relargada.

  • O que aconteceu em Indy ano passado foi um erro grave da Michelin, e uma vergonha para o Mosley. Até o presente momento, sua única preocupação com o caso é se ele ficou enfraquecido ou não nas suas políticas.

    O conportamento descrito pelo Duspasquier foi exatamente o que eu tinha imaginado.
    Qual o pepino de se usar um pneu diferente e depois perder os pontos?