Le Mans, 24

SÃO PAULO (a que falta para mim) – Recebo a informação de que Christian Fittipaldi correrá neste fim de semana as 24 Horas de Le Mans. O primeiro-sobrinho tem-se especializado nessas corridas, o que pode ser um bom destino para sua carreira.

Não será o primeiro brasileiro a correr em Le Mans, me lembra Paulo Peralta, do Bandeira Quadriculada. PP conta que o primeiro de todos foi Bernardo de Souza Dantas, com quem o GPTotal fez excelente entrevista tempos atrás.

“Em 1960, Fritz D’Orey sofreu um acidente e ficou oito meses hospitalizado. Em 1963, Christian ‘Bino’ Heinz morreu”, recorda. Aliás, o Christian Fittipaldi recebeu esse nome em homenagem ao Bino. O cartaz abaixo, enviado por PP, é dessa edição de 43 anos atrás.

Não sei se vai passar algo das 24 na TV, mas fiquemos ligados. É uma corrida apaixonante.

Comentários

  • Neste momento, 20h10 no Brasil e 01h10 em LeMans, O brasileiro Thomas Erdos lidera a Categoria LMP2, da qual fez a pole também, e está em 6° na classificação geral Parece que a imprensa em geral, sem exceção,vive dos releases da assessorias de imprensa de Christian Fittipaldi e Nelsinho Piquet que disputam a terceira categoria da prova, a GT1, Thomas Erdos , venceu a categoria no ano passado. Enfim, não custa pesquisar e falar do que é mais importante

  • Como bem descreve o nosso amigo Mefistófeles, as 24 Horas de 1955 teve a participação de um piloto brasileiro. Hermano (ou Hernando) da Silva Ramos, em dupla com Jacques Pollet, pilotando um Gordini, que abandonaram com 145 volts, com problemas no sistema de refrigeração.
    Em 1963, Christian “Bino” Heins, o piloto brasileiro mais conhecido e prestigiado na Europa no início dos anos 60, foi convidado pela Alpine a dividir um carro oficial de fábrica no. 48 com o jornalista José Rosinski
    Largaram em 33o. lugar e na volta no. 50 o Aston Martin de Bruce McLaren estoura o motor e lança óleo na pista. Dewez, de Aston Martin, desvia, sai rodando várias verzes, mas sai ileso, seguido de Salman de Ferrari e Grossmann, de Jaguar. Roy Salvadori, de Jaguar, não consegue desviar, bate, seu carro pega fogo. Jean Pierre Manzon colide com os restos do Jaguar em fogo, seu carro se desintegra, é lançado fora do carro, mas sobrevive com pequenos ferimentos. Bino Heins tenta desviar, mas seu Alpine derrapa, bate num poste, capota várias vezes e o carro fica de cabeça para baixo em chamas. Terminava aí a carreira de um dos mais talentosos pilotos brasileiros.

  • Caro ntsntsntsnts
    Vá que essa história tenha sido mais uma das nedotas do automobilismo brasileiro…como as que trocavam motores de DKW´s durante as provas de resistência e jogavam no lago de Interlagos?
    Nunca se sabe…nos dias de hoje não confio em nada ou ninguém…somente depois de verificar por várias fontes…
    “Uma menitra repetida muitas vezes, pode virar uma verdade…”

  • Aliás, essa participação do Môco em Le Mans 73, tem uma história emgraçada: a Ferrari liderava com suas 312P, Ickx em primeiro e Arturo Merzario em segundo. Já no final da corrida, dobradinha assegurada, Merzario, revoltado com o tratamento preferencial de primeiro piloto devotado ao belga Jacky Ickx, resolve acelerar e partir com tudo para cima do belga, levando o chefe da equipe (Cesare Fiori?) à loucura. Foi preciso uma série de ordens via placas para acalmar o italiano. Final da corrida, Merzario abandonou os boxes irritado, sem esperar as comemorações habituais. Dizem que este episódio selou seu destino na Ferrari.

  • Quanto aos braucas em LeMans…procede a história q o Paulão Gomes quando começou a andar com o carro na Mulsanne gritava “Que tesão, Que tesão!” ?
    Ajuda dos matuzas a esse menino aqui.
    Quanto a Lemans 2006…tem mais equipes que vão correr com motores diesel..uma por exemplo pegou um v10 do touareg diesel e socou num chassi Lola…Pelo jeito os combustiveis alternativos vão entrar com tudo por lá…e eu fico pensando em nosso know how com alcool…e uma investida com uma trupe de pilotos em Lemans…sonhos, sonhos…
    Os MB-CLK GTR tinham um problema de instabilidade aerodinâmica que quando estavam atrás de outros carros perdiam a sustentação e decolavam do nada…

  • Aproveitando uma informação do Mefistófeles, em 1978 (não em 73) Paulo Gomes/Alfredo Guaraná Menezes e Marinho Amaral, com patrocinio Sul Fabril e Gledson, alugaram um Porsche 935 da equipe Henri Cachia, enquadrado no Grupo V, que havia sido o vencedor da classe no ano anterior com Claude Ballot-Lena/Peter Gregg. Enfrentaram, além da inexperiência em provas longas de Guaraná que vinha da Super Vê e Marinho Amaral, que vinha principalmente de provas de Div-1, uma feroz concorrência: o Porsche 935 Moby Dick, de Rolf Stommelen/Manfred Schurti, com preparação de fábrica; Porsches IMSA, Mercedes 450 SLC/AMG (que voltava a Le Mans, desde 1955), diversas Ferrari 512 BB, Chevy Monza e BMW CSL. Os brasileiros largaram na 12a. fila, com o 23o. tempo (Paulo Gomes) e sexto no Grupo V. Não tinham o carro mais rápido e a preocupação maior da equipe era a pouca experiência de Marinho Amaral com carros mais potentes numa corrida tão longa. Optaram pela regularidade e, numa corrida %[email protected]$&@# chegaram em 7o. lugar na geral e 2o. na categoria, à frente do Moby Dick de fábrica, Renault semi-oficial e Mirage. A destacar, também, a participação do José Carlos Pacce, em 73, com un segundo lugar histórico em dupla com Arturo Merzario, a bordo de uma ferrari 312-P.

  • christian em le mans,legal.
    não sei ao certo se o carro dele , saleen, compete nos GTs ou na principal q náo sei o nome, será q há chance de vencer na geral? bem, numa prova de 24 hs muito mais coisas podem acontecer…
    ele já venceu uma mil milhas(quase 12 hs) em interlagos, e também 24 hs em daytona (protótipos) e em spa-francorchamps (carros turismo).
    torcerei por ele sem dúvida.

  • O morrinho das hunaidiéres me lembra o Andrea De Cesaris falando sobra a Eau Rouge em SPA Francochamps, Não tem de mexer nada, estamos aqui prá isso, ela separa os homens dos meninos….

  • Mefisto, depois dessa prova o ACO chamou os catterpilar (nào gente, eles não correm) e mandou acabar com o morrinho artiheiro da Mulsanne. Suspeita-se que a elevaçào causava a entrada de ar na parte inferior do chassis na subida e o carro decolava. A boieng quis comprar o desenho inovador, mas a Airbus protestou (isto é brincadeira).

  • Na edição de 1999 A Mercedes-Benz vinha com tudo no seu retorno, tinha sido campeã mundial FIA GT em 1997 e 1998 ( este ano com Ricardo Zonta e Klaus Ludwig) o carro mais baixo ainda e aerodinâmico. Nos treinos capota de frente dando looping completo no ar ao sair do vacuo de outro carro, ou seja a frente levantava. no dia da corrida aconteceu a mesma coisa de novo no Warm Up com Mark Webber, o carrro cai dentro da floresta. A Mercedes então larga apenas com 2 carros, pois 2 já tinham sido perdidos. 2 horas de prova e acontece o looping pela terceira vez, restando apenas 1 carro e talvez lembrando de 1955 a equipe de fábrica recolhe o famigerado voador. Essa edição, vencida pela BMW V-12 , foi liderada pela Toyota por 23h30, carro com aerodinâmica muito inovadora, mas o câmbio quebra…..

  • Legal!
    E tem aquele detalhe , que os carros da mercedes foram chamados pra voltar ao box e abandonar,……..,mas antes de desligar os motores eles deram varias aceleradas só pra mostrar que estava tudo em ordem!
    Já pensou , aquela desgraça toda e os caras ainda tendo tempo pra massagear o ego!

  • Em 1955 as 24 Horas de LeMans Tiveram o maior acidente da história do automobilismo, 87 mortos e 111 feridos. A Mercedes-Benz 300 SLR do francês Pierre Levegh vinha pela reta dos boxes, que eram ao lado da pista sem separação. De repente, um lento Austin-Healey resolve entrar no box sem mais , vindo da extrema esquerda para a direita, Levegh desvia, bate na traseira de um Jaguar, vai de encontro ao frágil alambrado de madeira, bate, decola e explode no ar em cima da arquibancada. A corrida continua, quase 4 horas após o acidente, chega telex da Alemanha orientando Alfred Neugebauer o chefe da equipe tedesca a dar bandeira preta e recolher ao box os 2 mercedes remanescentes. Nesse ano, a vitória fica com o Jaguar D -Type n°6 de Mike Hawthorn e Ivor Bueb. O acidente causou a saída formal da Mercedes-Benz do automobilismo por mais de 40 anos e a proibição de corridas em todo o território Suiço

  • Só pra colocar mais farinha no angu.
    Esta corrida na Austria tinha mais um carro do time Hollywood ,era um Porsche 911S ,não sei quem ia correr mas o carro não se enquadrava no Grupo 4 e ….não correu!

  • Era o Luizinho Pereira Bueno (primo da Maria Ester Bueno; FG, ela é mais uma das heroinas esquecidas no Brasil) e o Tite Catapani (conheci a figura; meio doido mas bom de papo). Eles foram buscar o carro e resolveram “dar um rolê” para ver como andava. TEnho uma revista do Clube da Porche que conta em detalhes a compra do carro (pela equipe Z, ainda) pelo Denner da Stuttgart e a inscriçào na corrida meio em cima da hora. O 908-2 era de um espanhol. Para restaurar , o para brisa original eles acharam na Gunnar Racing na california (maior oficina de restauro de Porsche de corrida; acesse gunnarracing.com), e o Denner trouxe a valiosa peça no colo durante o voo de Los Angeles para Sao Paulo.

  • Em 1972 o Mundial de marcas prometia e muito.
    A Ferrari 312 pb ,com motor boxer 12,derivado da F1.
    A Alfa com o 33tt3 ,3.0 v8 ,ainda o motor antigo que fracassou em F1.
    Lola vinha bem com seu T280-cosworth.
    Mirage -Gulf -cosworth ,tambem motor de F1, vale lembrar que a Mirage chegou a testar um motor Weslake V12 (bancado pela Ford) mas não deu certo.
    Matra Simca MS670 ,dispensa apresentaçoes.
    E a Porsche 908 -03(evolução 3).
    Pois bem ,na corrida da Austria em Zeltweg ,não sei se era 6 ,12 horas , não importa, a Equipe Brasileira Porsche Hollywood com Luis P. Bueno e José Capitano conseguiram o setimo tempo com um 908-02,ou seja , uma evolução anterior aos demais.Mas não foram muito longe não,embora tivessem largado muito bem ,mas vale o registro.

  • Vale lembrar que apena 1 Piloto detém a triplíce coroa, ou seja Vencer 24 H Lemans, Campeão Mundial de F1 e Indianápolis 500, Graham Hill tem este recorde, também foi Mister Mônaco com suas 5 vitórias lá.

  • Tb acho que o Christian se dá bem em corridas de longa duração. Espero que ele se dê bem nessa e represente bem a família e o país.

    Pena que a nossa TV não mostra praticamente nada.. :(

  • Paulo Gomes e Alfredo Guaraná Menezes já disputaram a prova, chegando em 2° na categoria com Porsche, se não me engano, em 1973. O brasileiro Thomas Erdos, desde 1995 participa, Primeiro com Marcos LM 600 GT e nas últimas edições com Lola MG, na categoria LMP2, que inclusive venceu na última edição.

  • Gomes, creio eu, que, mesmo com uma certa tendência em se valorizar mais a marca F1 pelo tio Bernie, as outras categorias tiveram relativas perdas, porém, ainda possuem certas qualidades que não podem ser esquecidas, principalmente no item Historico ( com H maiusculo mesmo ). Le Mans, se estou bem informado, faz parte da lendária Triplice Coroa, que apenas ( pelo que sei ) foi conquistada pelo Mister Monaco G.Hill…. Alguns brasileiros até tentaram. Veja o Nelson Piquet. Campeão de F1, tentou Indianapolis 500 e não deu certo, e tentou as 24 Horas, mas também não deu. Uma pena. A lembrar, que o Nelson Angelo Piquet (filho) tambem estará lá. Boa sorte a todos.

  • O ano passado o Sportv 2 passou a largada e alguns flashes da corrida, da pra acompanhar no site oficial deles tb (Lemans.org). Essa corrida deveria ter um reconhecimento maior pela sua importancia histórica!!!

    E que foi construir um autodromo no mundo deveria dar uma passada lá pra ver como entreter o público em 24 horas de corrida.

    Ja foi la flavio?? Eu fui em 2004 e a história na no GPTOTAL.

  • Acho que o primeiro sobrinho é realmente bom nesse tipo de corrida e sempre é requisitado pelas melhores equipes. Achou seu lugar. Ninguém vai falar das aventuras do porsche brasileiro com Paulão e Cia.?