O mais belo dos belos

SÃO PAULO (a trilha é ótima) – Fechemos esta gelada quarta-feira com singela homenagem àquele que é considerado por muitos o mais belo dos Volkswagens jamais produzidos: o SP2. Rick Lucas manda, para começar, um simpaticíssimo clipe com imagens do esportivo de SBC ao som de Chris Rea, “Road to Hell” — que, diz a lenda, foi composta quando ele estava parado num engarrafamento-monstro para ir a Silverstone.

Há um belo site do Clube do SP2 com tudo que você sempre quis saber sobre esse carro e nunca teve coragem de perguntar.

É clássico a tal ponto que um exemplar está no museu da VW em Wolfsburg, esse da foto aí embaixo.

Em 2001, em Brasília, eu vi um SP1 que pertence ao acerto da VW do Brasil. Coisa raríssima, tirei um monte de fotos. No clipe enviado pelo blogueiro há uns estudos para um SP3. Quer saber? Acho que está na hora de uma chacoalhada na indústria brasileira. A VW bem que podia reeditar essa bagaça. Nos EUA viver reeditando Corvettes, Impalas e Mustangs. Por que não o SP?

Comentários

  • Pedro,
    Um exemplo de 1000 DOHC 16V encapetado é o motor da Suzuki !
    Fui “apresentado” ao demônio no laboratório da Petrobras. Eles usam este motor para o desenvolvimento dos combustíveis da Willians.
    140 CV a 14.000 rpm. É o que gira mais perto dos F1.
    Ali as 16 válvulas fazem um bom trabalho !
    Fiquei tão tarado pelo motor que comprei um !
    Só não sei ainda o que vou fazer com ele…
    Abraços !

  • Oi Joaquim !
    Heheheh….Bravo nada !!!
    Porque ficaria ???
    Nunca teve nada de secreto, não !
    É que acho meio pernóstico botar sobrenome.
    Marcos Troncon – grande cara, grande amigo, desde os tempos do kart; partiu cedo e deixou saudades !
    Putz ! Certa vez atropelei o pai dele, em uma largada complicada no kartódromo de Interlagos.
    Grande abraço !

  • Marcos Sacoman, não fica brabo não, que a gente entregou aqui a tua “identidade secreta”. É que desde o inicio dos teus comentários, saquei que vc era do ramo, só tinha dúvida com relação ao Tidemann, Tedesco ou Troncon. Salvo engano, F-Vê também? Abs, Sacoman

  • Tudo bem, Marcos, estão desaparecendo. Como eu falei, é muito caro para carro popular.
    Mas os comandos variáveis continuam multiválvulas, daí que eu pensei que calibrando um multi para baixa, funciona bem…

  • Oi Rick !
    Tem razão ! Nesta corrida tive o Dede Gomes como parceiro !
    O enrosco da madrugada foi excelente, porque a toda a turma do Ronco andava de VW.
    Mas o motor do Fusca abriu o bico quando amanheceu e nos deixou a pé !

  • Oi Joaquim !
    Milton Banana !!! Grande praça ! Alguem tem notícias dele ????
    Nesta corrida o Shiro da Kinko, só para sacanear, me dava placa com 4s a mais !
    Eu não sabia mais de onde tirar tempo ! Hehehehh…
    E eles não me deixavam sair do carro ! Abasteciam e mandavam: Toca, toca…
    Quase no fim, eu não aguentava mais ! Começou a chover e passei o carro para o Miltinho ! Ele deu 2 voltas voadoras e seguiu em frente no fim da reta ! Foi um porrão que precisou de espátula para remover o carro do guard-rail !

  • Oi Pedro !
    Energia não se cria ! Carregar toda esta parafernália tem seu preço ! A teoria das molas fracas desaparece, quando vc multiplica por 16 X. E uma eventual vantagem no enchimento só vai aparecer em alta rotação. Fácil de verificar no banco de fluxo.
    Apesar das tendências, a razão acaba prevalecendo – veja que os os “urbanos-cheios-de-válvula” estão desaparecendo.
    Não há calibragem que dê jeito !
    Sem giro não vem potência, ou então dá-lhe câmbio de 7 marchas !
    Volto ao início: No para-e-anda do trânsito, é tudo desperdício !

  • Marcos, concordo que 1.0 16v é um desperdício, pois é uma tecnologia muito cara para um motor tão fraco.
    Mas o fato é que acabaram a maioria, então nem é preocupação mais.
    Só que o que você falou em relação as molas das válvulas tá errado, a resistência é até menor, pois as molas são mais fracas pois as válvulas são pequenas, tem menor inércia (ai reside o truque das 16 válvulas, terem pouca inércia e trabalharem mais rápido).
    Mas tecnicamamente, apesar do custo desproporcional, os carros 16v 1.0 poderiam funcionar bem, o problema está na calibragem.
    Fazer o motor gerar potência é só para marketing. Deveriam calibrá-lo para gerar potência em baixa rotação, o que melhoraria o consumo e a diribilidade.
    Mas não, daí tem o problema do câmbio: Golzinho com 76cv precisa de uma marcha meio longa, o que faz o carro ser ainda mais fraco em baixa.

  • Ao Marcos sem o i :
    Meu rapaz, vc se entregou quando confessou aquela dupla com o Milton Oliveira nos 1000 km de Brasilia de 74. Não brinca com Matuza, que os caras vão atrás…he, he, he,
    Abs. Marcos “Div-1”

  • Oi Cláudio !
    Xííí…Não é tão simples assim !
    Ou melhor, não é nada barato !
    O Hewland mais indicado para isto seria um Mk8 / 9, que é o dos FSV ou FF. Mas estas caixas, mesmo antigas, estão longe de ser baratas !
    Na Inglaterra ou nos USA, vc não compra uma boa por menos de US$ 3.000.
    E cada relação Hewland ou Webster custa cerca de US$100 o casal.
    Por ai vc imagina que a coisa vai longe.
    Mas acho que o caminho não é este !
    A grande vantagem do Hewland é a facilidade de se poder trocar as relações sem a necessidade de desmontar a caixa toda !
    Isto é muito útil para quem participa de várias provas em diferentes autódromos !
    E não é o caso da SuperAP – ôôôps, desculpe-me, da Super Classic -Heheheh…que só anda em Interlagos !
    Por muito menos do que isto, é possível fazer um jg. de relações
    apropriadas para a pista !
    O caminho é o seguinte:
    Alongar 1a. e 2.a, e encurtar 3.a e 4a.
    fazendo com que as mudanças caiam menos do que 1200 rpm e sempre em cima da faixa de torque.
    Vou mandar para VC e para o FG um mapa da Hewland, mas que se aplica a qq caixa !
    Tirem várias cópias e rabisquem por cima !!!!
    Não tenho referências da caixa do DKW – na verdade, odeio câmbios…
    Mas acredito que a 1a. deve ser fixa no eixo; e a 2a., 3a. e 4a. devem ser móveis !
    Brinquem com estas móveis, que são as mais fáceis de se fazer.
    Quando chegarem a uma conclusão, eu desenho as almas das engrenagens carecas.
    E passo o endereço de uma empresa na Lapa, onde faço as minhas engrenagens.
    Abraços,

  • Ao Marcos:
    Por falar em “mapinhas da Hewland”, o FG e o Salomão comentaram no dia 10 que dava pra Deka ser mais rápida, se tivessem um cambio de Malzoni…
    Perguntei aos dois se não era mais negócio comprar um cambiozinho Hewland e fazer a adaptação volante – eixo piloto – embreagem…
    Tem como dar um pitaco nessa bagaça? Deve ter conjuntos bem em conta na Inglaterra, e com os 50 e poucos cavalinhos do 2T acho que não ia detonar nada…

  • PARA CHUTAR O BALDE !
    Motor 1.0 DOHC com 16 válvulas ???
    No para-e-anda do trânsito ???
    Isto é coisa de idiotas !
    Para começar, são oito molas a mais para roubar potência do motor.
    Além do peso e do custo !
    E não me venha um zebedeu falar que melhora o enchimento !
    Se é que isto vai acontecer, só mesmo em alta rotação !
    Portanto, para os urbanos, é jogar $$$ no ralo !

  • Celta VHC ???
    Que bicho é este ?????
    LPM1 ou 2 ?
    Hahahahahahhh….
    Meu amigo, há nisto uma teimosia que raia pela burrice !
    Acho, e acredito mesmo, que os carros 1.0 são a melhor opção para os tempos atuais !
    Principalmente no uso urbano !
    MAS A RECEITA ESTÁ ERRADA !
    E a culpa disto é exclusivamente de vocês !
    O povão, ajudado pela mídia incompetente, matou os motores de comando lateral !
    Os BBB !
    Torque em baixa rotação ! Este é o pulo do gato para o carro urbano !
    Estas enceradeiras 1.0 , com motorzinhos OHC tem que andar no giro !
    E o usuário normal, tipo a minha tia ou a sua, não estão acostumados a isto !
    Esticar as marchas doe na orelha !
    Então as montadoras tentam tirar o coelho da cartola com estas caixas malucas !
    Quem mandou enterrarem o CHT ?
    Agora que tratem de inventar uma cartola grande !
    Acho que preciso distribuir uns mapinhas da Hewland para a moçada !

  • Ao Marcos:
    Sobre cambios & desmultiplicação…
    Já experimentou um Celta VHC 1.0?
    A primeira marcha é curtíssima, quase inútil.
    Dá pra sair em segunda sem queimar muito a embreagem.
    Pois é…
    Sou fornecedor da Power Train e vivo lá no Portão 9 (tá cheio de remanescentes da época do Ciro Cayres, mas essa é mais uma outra história…)
    Quando perguntei pro pessoal do cambio o motivo, ouvi que era necessário devido a boa parte da frota usar ar condicionado…
    Mas com 71 HP ?!?!?!
    Pois é…
    E a quinta, então… Curta demais, enche logo e pede uma sexta…
    Pra mim, tá tudo errado: Escalonamento, diferencial… Mas vai tentar convencer os cabras… Sem chance.