O outro lado

SÃO PAULO (e hoje é dia de quê?) – Meu amigo Reginaldo Leme, também colunista do Grande Prêmio, discorda frontalmente da minha opinião no que diz respeito ao episódio “sabadão de Schumacher em Monte Carlo”.

Leiam aqui sua coluna Grand Prix e opinem!

Comentários

  • Tô pouco aí com essa conversa de viúva e outros adjetivos. Mas o colega colocou algo que as pessoas desprezam: cada caso tem sua história. 89 – Prost estava de malas prontas para a Ferrari, sabia que se Senna vencesse no Japão, contaria com total respaldo da equipe na Austrália pra virar o jogo. Quando viu a ultrapassagem se concretizando, forçou um aciente certo de que ambos ficariam fora da prova. Não contava com a persistência de Senna. Acabou se favorecendo de que o carro de Senna foi empurrado sem passar pela chicane e isso foi usado para desclassificar o brasileiro, graças à pressão de Balestre. 1990 – nosso colega já relembrou alguns detalhes, principalmente a manifesta intenção de Senna de não tirar o pé na primeira curva porque mantiveram a pole no lado sujo da pista. Depois ele ainda confirmou que fez aquilo de propósito, por vingança. 1994 – Schumacher lidera a corrida na Austrália, à frente de Hill. Isso é suficiente pra lhe garantir o título. Dick erra, bate no muro (já havia batido nos treinos, na tentativa de superar o tempo de Mansell). Quando precebe que Damon Hill herdaria a posição, mantém seu carro capengando na pista até o momento de abalroar Hill. Corta, Mônaco, 2006: Schumacher tem a pole provisória, supostamente erra. Estaciona o carro na pista pra impedir Alonso de roubar-lhe a pole. É um padrão de comportamento. Como diria Fábio Seixas, quando a coisa aperta, Dick sofre uns apagões éticos… Comparar esses apagões com a malandragem de Piquet então, é ofender a inteligência do leitor… Vamos ver o que vai rolar no encontro de Dick com os outros pilotos. Eles fizeram aquela curva centenas de vezes…

  • Bem, eu queria fazer aqui uma emenda, sobre o fato de sempre colocarem o que aconteceu em Suzuka, em 1990, como uma terrível mancha negra na carreira do Senna.

    Antes que me chamem de Sennista, quero me ater aos fatos:

    Senna foi prejudicado naquela corrida pois o Balestre mandou largarem com as posições invertidas, com o pole na parte suja, dando preferência ao segundo colocado (no caso, Prost).

    Senna, nessa polêmica, deixou bem avisado o que ia fazer, e o Prost sabia o que ia acontecer:
    “Eu sou o pole e tenho preferência na primeira curva, vou entrar na curva e se o Prost vier por fora não vou desviar.”

    Ele deixou isso bem claro, independente das posições nas curvas, ele tinha o direito de fazer aquela curva na frente, era o pole position, e digo que concordo com ele.

    Ele fez exatamente o que disse que ia fazer, e com seu argumento muito bom nas mãos. ele estava sendo prejudicado pelo presidente da FIA, era uma vítima no caso.

    Na largada, mesmo no lado sujo, largou tão bem quanto Prost. Chegou na curva e manteve a trajetória.

    Era impossível Prost não ter ficado sabendo das declarações do Senna, e ele sabia o que o Senna faria, portanto ele não foi tão vítima assim. Talvez o Balestre tivesse prometido alguma punição para o Senna que não teve condições políticas de cumprir.

    Mas o fato é que Prost mesmo sabendo o que ia acontecer não deixou espaço para Senna naquela curva, meio metro pra fora da curva já daria, e ele teria ultrapassado o Ayrton, que em nenhum momento “jogou” o carro no Prost, ele apenas manteve a trajetória.

    Revendo o vídeo da batida e as declarações anteriores a ela, só posso imaginar que Senna quis mesmo tomar o partido de vingador após o incidente.

  • O Piquet é símbolo do jeitinho brasileiro. Se esconder para ouvir a reunião do Mansell para copiar acerto são coisas que ele não esconde. Nem quando viajou colocando gasolina e fugindo do posto sem pagar… Falamos de ética e deslizes éticos parecem ser da natureza dos campeões. Tudo para vencer…

    Quanto aos EUA era um complemento ao posto de outro colega. Comentei que ao menos processam… Aqui nem isso, um processo rídiculo de trânsito dura meses… Com certeza muitas mazelas são iguais em outros países, a diferença é que aqui todo carnaval deixamos elas de lado, de 4 em 4 anos, nos feriados emendados, nas novelas da Globo…

  • Queria ver uma lista de malandragens dos bons pilotos: Senna no Prost, em 1990 (justo troco pelas sacanagens de 1989); Schumacher no Villeneuve, no Hill e sozinho, em Mõnaco; Pironi contra VIlleneuve, em Imola – 1982.
    Tem outras? Não lembro.

  • Para o Ednei: seu comentário dizendo Piquet foi Dick não é correto. Nelson foi um dos pilotos mais limpos na pistas, não me lembro dele ter ganho nenhuma corrida ou ate mesmo campeonato jogando o carro contra outros pilotos. Já sei que você vai dizer da refrigeração dos freios né, mas aquilo foi coisa do engenheiro da equipe, piloto não faz aquilo ok.

    Quanto a lorota que nos Estados Unidos a justiça funciona não acredite muito, me diga quantos dias a Patricia Herst passou na cadeia após ter se juntado a um grupo terrorista e assaltado bancos ? O Bill Clinton por acaso foi cassado após mentir descaradamente ? O O.J. Simpson passou quantos dias na cadeia após ter matado a ex-mulher ? Justiça em qualquer lugar do mundo é apenas para pobres pode ser aqui ou na civilizada Europa ou EUA.

  • Pedro, acho que todo esse estardalhaço pode sim ter a ver com nossa cultura, a filosofia de “aos amigos tudo, aos inimigos a Lei” impera no Brasil. Foi até bom o que aconteceu em Mônaco. Hoje muitos relembraram que Senna foi Dick, Piquet Foi Dick e passado o calor do momento, é a oportunidade de vermos que relevamos os erros de uns e vangloriamos os de outros (nossos).

    O Jeitinho Brasileiro é uma instituição. Poderia ser utilizada para a prosperidade da nação, mas não é o que vemos. Existe até um livro: Dando um jeito no jeitinho –
    Como ser ético sem deixar
    de ser brasileiro.

    Lá nos EUA pelo menos processam. Aqui reina a impunidade. Você cruza com um carro na contra-mão, o máximo que pode fazer e xingar e agradecer por ter tido chance de desviar… A “esperteza” eternamente impune…

    Temos que dar exemplos aos nossos filhos, só assim poderão crescer como brasileiros melhores que nós, com uma noção de valor diferente do que foi cultuado por décadas. Os Didis (Trabalhões mesmo) já não servem de modelo para nossa sociedade…

  • Interessante a frase atribuída ao Mrk Webber sobre a provável conversa de Michael Schumacher com os outros pilotos: “Então, eu estou interessado em ouvir o que ele tem para falar sobre os últimos 60 segundos em Mônaco. QUERO SABER SE SERÁ O MESMO QUE ELE FALOU A TODO MUNDO” – grifo meu –
    Fica a impressão de que o Mark está dizendo: – Será que ele terá a cara-de-pau de manter essa história ridícula na nossoa frente ?!

  • Minha mulher odeia fórmula 1!! Sempre assisto treinos e corridas sozinho ou sendo importunado pela minha filha e minha mulher. No treino do GP de Mônaco, no entanto, elas estavam sentadinhas esperando o treino terminar prá gente sair. No momento em que o Schumi pára na rascassi minha mulher me pergunta: “pq ele parou?”.
    Olha… prá minha mulher perceber que o cara parou de propósito é pq o cara fez de babaquice mesmo. Não tem desculpa.

  • Caro Pedro Jungbluth,

    Me permito não concordar com você, sobre o *Jeitinho Brasileiro*. Se ele existisse como uma maneira de um povo com vários problemas sociais entre outras coisas até lhe daria razão em parte, mas o jeitinho amplamente exemplificado especificamente neste Post, não é *Direito, Ético, Certo ou Razão*, é antes de tudo alguem passar um outro para trás, é errado em qualquer parte do Planeta, até em sociedades criminosas, tipo Comando Vermalho, PCC e Máfia; que têm seus códigos, totalmente deturpados, mas têm – lá se pode dar um trambique nocidadão comum, mas se eles tentam armar em cima deles mesmos, aí neguinho vai prá outra vida.
    *Jeitnho* não é certo em nenhum lugar e nós só vamos melhorar quando esta praga de jeitinho acabar.
    Agora existe um outro jeitinho que não é errado, ou seja, você se prover de atitudes e ações que ultrapaçam o nada que desde 1500 não é dado ao cidadão, tipo utilização de materiais de lixo como material para construção (reciclagem), etc, etc.

    Isto dá orgulho em qualquer povo…é isso,

    Bom fim de semana,

    Caíque.

  • Ednei, apesar de entender o seu discurso, não sei se concordo com o ponto de vista.
    Toda essa polêmica sobre o Schumacher não tem muito a ver com a hipocrisia brasileira. É um fato julgado separado, e pode até ser bom para que alguns repensem suas atitudes.

    E sobre o jeitinho brasileiro, é uma qualidade, uma capacidade de buscar alternativas, e sinceramente na minha opinião difere da ética. Alguns países tem cultura igualmente anti-ética (veja os EUA e sua profusão de processos contra vizinhos por motivos fúteis para tirar vantagem) sem ter a vantagem do “jeitinho”.

    Nossa cultura pode ter muitos defeitos, mas ela pode evoluir. Mas para evoluir ela tem que partir do que já é, suas qualidades resssaltadas, a negação não leva nada para frente.

  • O Schumacher é o tipo do cara para quem o que importa é a vitória e não a maneiro como se ganha. Em Mônaco, ele sabia que se largasse na primeira fila ao lado do Alonso perderia a posição logo na largada por causa do controle de tração superior da Renault, então ele fez o que acho que tinha que fazer para tentar tirar o espanhol da primeira fila. Lamentável sim, mas o que me deixa mais chateado é o pouco caso que Schumacher fez das inteligências alheias ao imaginar que ninguém fosse dizer nada.

    Abs

    Edu

  • Bruno, \\”transmimento de pensação\\”. Concordo com tudo o que disse, inclusive não torcer pela seleção!.

    Nesse episódio todo acredito que o ERRO do Schumacher, ter parado, ou ter errado de fato, de qualquer maneira um erro foi cometido, técnico ou ético, não importa mais, já foi penalizado, pode ser até que em excesso. Agora, Inês é Morta.

    Mas a maioria que agora xinga o alemão, em geral, é a mesma que endeusa o jeitinho brasileiro, que justifica o injustificável quando tem um brasileiro envolvido. Atira pedra no telhado dos outros enquanto vivemos uma maré de falta de ética.

    Sempre tem aquele que acha justo ultrapassar pelo acostamento, fazer uma pequena contramão, entrar pelo fundo do ônibus… Vemos isso todos os dias… Uma nação que reclama dos mensalões, que conforme vai subindo na profissão e cargo, sempre acha que para seu benefício o jeitinho brasileiro não é anti-ético. Enquanto nos vangloriarmos do jetinho brasileiro, pode tirar todos os políticos do congresso, trocá-los por novos, vindos do povo… Vai tudo se repetir. Licitação dirigida, super-faturada, desperdício do dinheiro público…

    Quando a nação se tornar ética os políticos mudam…

    Acho que mudei demais do assunto.

    Mil perdões e até a próxima.

  • sinceramente nao sou fa do schumacher.nada contra ou a favor.apenas nao sou muito fa na verdade da f-1 de hoje.muita tecnologia,pilotos que nao se xingam.proibicao de fechadas em tentativas de ultrapassagens enfim a chatice que se fez em nome da tecnologia absurda que esses carros carregam.tecnologia da qual ninguem fez melhor uso do que o alemao.pois se e verdade que ele muda o mapeamento do motor 8 vezes em apenas 1 volta,digo com certeza que se ele nao encerrar a carreira com reconhecimento de maior da historia,pelo menops sera reconhecido como o maior apertador de botoes que a f-1 ja teve.mas isso e outra historia.vou opinar baseado nas imagens aqui da tv japonesa.penso que ele percebeu que errou,mas nao um erro que pudesse faze-lo parar ou bater,e ai com o radio avisando que alonso vinha 0.4s mais rapido nao pensou duas vezes,deu duas guinadas pra esquerda e estacionou mesmo o carro,tentando dar um drible no mundo inteiro no intento de ser absolvido pelo fator duvida.afinal,depois de tantas e tantas mais sem ser punido porque seria desta vez?creio que o maior erro que ele cometeu foi se colocar acima de tudo e de todos.talvez a pergunta que ele devesse se fazer e a seguinte:SERA QUE TENHO A MESMA IMPORTANCIA PRO BERNIE E CIA. QUE TINHA ANTES?um pouco de humildade nao faria mal a ninguem.talvez ninguem se lembre muito,mas todas as vezes que ele se refere ao Massa,Barrichello e Montoya sempre usa o bordao “ele e da america do sul”,num tom nada agradavel,apesar que nao ligo pra essa baboseira de patriotismo.so queria frisar que em minha opiniao ele se acha superior a tudo e todos e caiu na proria armadilha.se e mau ou bom carater nao tenho ideia.mas provocou algo que poderia ter sido evitado e se coloca cada vez mais distante do podio imaginario que criaram para os maiores da historia,o que talvez so lhe traga mais incentivo ainda pra destruir todos os numeros da categoria.talvez o que o alemao busque seja o reconhecimento,a aura de mito e heroi que possuem Fangio,Clark entre outros.porem ninugem mais do que ele proprio vem contribuindo negativamente para isso.vamos esperar apenas que a FIA nao se arrependa e limpe de vez as maos para o que acontecer de agora em diante.ja basta ter fechado os olhos pra as asas moveis em beneficio de que equipe….vamos ficar de olho no Max Fiatley Mosley.

  • Olha, concordo com o colega abaixo sobre o comportamento no futebol. É comum, apesar de errado.
    Sempre defendi, para não me acharem hipócrita, maior rigidez nas punições de simulações por parte dos jogadores. Deviam criar uma punição posterior, algo que pudesse ser julgado pelas imagens de TV, contra os times dos jogadores que simulam punições.

    Deve-se mudar a cultura do esporte quanto à isso. Podemos pegar o exemplo do tênis, um esporte em que a honra de ganhar ou perder legitimamente vale mais que qualquer coisa. Mesmo lembrando que no tênis também corre muita grana.

  • Ednei, eu particularmente acho futebol um esporte de malandro. Nada contra, muito pelo contrário, adoro praticar e assistir. Mas torço contra a seleção, por diversos motivos que não cabe aqui trazer.

    De todo modo, o que quero dizer é que qualquer espécie de atitude que vise ganhar na esperteza é nefasto. Por isso admiro a honestidade de alguns tenistas, que corrigem o juiz quando uma marcação errada lhes favorece. Isso se chama hombidade e esportividade. Eu não vejo a menor graça em ganhar roubado. Que mériro tem? Não sou santo nem nada, mas me recuso a dar uma de esperto, ainda que em uma pelada ou jogo de baralho.

    Acredito que só quando revermos o conceito de “jeitinho brasileiro” é que poderemos almejar um país melhor. O dito “jeitinho” deve-se restringir no que tange à habilidade de superar obstáculos e encontrar saídas em situações complicadas… Jamais em qualquer modo de malandragem…

  • Só mais um…

    “Marcado por apenas um defensor, Ronaldinho Gaúcho invadiu a área pelo lado esquerdo e o driblou. Ao ver o adversário dar um “carrinho”, o brasileiro se jogou no gramado e cavou o pênalti decisivo.
    Sem sequer ser tocado, Ronaldinho comemorou a marcação com seus companheiros e não falhou na cobrança. Ele acertou o ângulo direito de Arnau, dando ao Barcelona a quarta vitória na competição.”

    A visão do Mosley parece acertada comparando o incidente de Mônaco a um Pênalti, Schumacher errou, no segundo seguinte pode ter visto que não dava pra fazer o gol e se jogou no chão… Ou não quis se arrebentar no muro e parou. Isso só ele sabe… Mas muitos vêm aqui defender a ética no esporte, justo no Brasil.

    Se o Brasil chegar à final da copa e o Ronaldinho “cavar” um Pênalti? Vai ser atitude anti-desportiva? Se jogar no chão para prejudicar a equipe adversária pode? É ético? Então por que não vemos reclamações todos os dias quando os mestres da bola fazem suas vigarices na cara do Gol?

    Endeusamos a malandragem do craque brasileiro e execramos o “craque” alemão. Ah, se fosse um brasileiro parado na Rascasse. Tudo seria diferente… Afinal, num país de dois pesos e duas medidas. Ver o piloto alemão, que destruiu os recordes brasileiros, cometer uma falta é mancha grave na carreira. E nosso jogadores colecionam cartões amarelhos, vermelhos e nunca deixaram de ser exemplo de profissionais.

    []s

  • Para o ” Engate é para…”,

    Engate, acho que você não entendeu o que escrevi. Vou tentar novamente: Se voce se dispuser a parar numa banca de jornais daquelas Boas, que se pode encontrar boas revistas de Automobilismo, algo como Autosport, Auto Sprint, etc, etc, verás e lerás que o Schumacher não é tratado em nenhuma delas como Schummi, Schummy ou Schumi, mas só como Schuey, foi só isso que escrevi. Se ele colocou Schumi, problema dele. A Imprensa o chama de Schuey, basta pegar as 3 mais bem vendidas e escolher 5 de cada nos ultimos tres anos e tentar achar Schumi,Schumy ou Schummy. Seria como se nós só chamássemos o Ayrton de BECO, que era seu apelido na família, seria estranho, na F1 ele era conhecido como ORELHA e Harry (isto na F3). Logo, me desculpe mais não errei…não falei do Michael, falei da Imprensa, mais precisamente do GB.

    Abraço e boa noite,

    Caíque.

  • E o Reginaldo, faz muito, mas muito tempo que ele não diz algo de útil. A sandice do Galvão deve ser contagiosa. Enalteceram a estratégia do Rubinho e murcharam quando todo mundo que estava na frente dele abasteceu e ele continuava no mesmo lugar.

    Podem ter dado o campeonato para o Alonso em Mônaco, mas que o Schumacher vai brigar até o fim, isso ele vai… E teremos tudo para ter show atrás de show…

  • É FG… Quando você falou que o Rubiiiinhoooo errou os botões, de novo!, choveu comentário dizendo que era achismo seu, viagem, coisa e tal… E agora que o Ruuubiiiinhoooo confessou? Sumiram?

    Alguém viu a nota sobre o comissário. Ele disse que não penalizou o Schumacher por querer atrapalhar o Alonso, penalizou porque parou e não bateu no muro. Como o Schumacher falou que se não parasse, batia no muro… A regra é clara: tentar Atrapalhar a volta de classificação dos outros pilotos (Como fazia Senna) OU PARA O CARRO INTENCIONALMENTE é motivo de anulação dos tempos. Schumacher falou que parou para não bater no muro. Se fosse TUDO tão premeditado, era melhor dar uma raspada no muro, não?

    Mas issso já passou, fora a dor de cotovelo de uns e outros, o novo recorde de Barcelo é DELE. E hoje fechou mais um dia na frente.

    Motivação não falta… Agora é perseguir o GRINCH, apesar que aquela comemoração do Alonso está mais para TELETUBBIE. Pior só a sambadinha do Barrichello.

  • QUÊ? “REGINALDO LEME DISCORDA DE MINHA OPINIÃO”? SE LIGA, FLÁVIO!!! QUEM DISCORDA É VOCÊ, O DONO DA VERDADE. QUASE TODOS DISSERAM QUE O ALEMÃO SACANEOU (UMA VEZ MAIS). PILOTOS, DIRETORES, CHEFES DE EQUIPES, COMISSÁRIOS, TELEMETRIA. MAS O SUPER-FG É O QUE TEM RAZÃO, CLARO!!! ACHO QUE SEU APELIDO DEVERIA MUDAR DE “FORMIGA ATÔMICA” PARA “EGO INFLADO”.

  • acho o RL um ridiculo, pelo tempo de F1 que ele tem, ele fala muita besteira, se equivoca muito e suas colunas são fracas, resvalando nas obviedades, e mais uma vez ele prova isso, agora expondo a verve dele de viuva e torcedor do Alonso

    Se fosse o “idolo” dele (o mesmo que andou de Lotus espanhado oleo na mesma pista) ou o Alonso, ele estaria quieto

    É por essas e outras que ainda acho o FG o melhor periodista de automobilismo neste País

  • Por favor, aqueles que defendem Schumacher neste caso, tenham pelo menos o cuidado de levar em consideração algo que não pode jamais ser desprezado: a telemetria foi analisada e chegaram á conclusão de que ele tinha freado 50% mais no mesmo ponto!!!! E outra coisa: se nossos comentários não valem nada, bem como os das pessoas que “odeiam” tanto o alemão, levem em consideração o comentário de e presenciou tudo um homem íntegro, ético acima de tudo e que estava lá, presenciando tudo: Jackie Stewart. Além disso, basta ver o vídeo pra não ser enganado

  • Galera boa noite.
    Minha opiniãp está alinhada com a coluna do Gomes, acho que aborda os pontos relevantes da questão sem falsos moralismos. Já o Reginaldo prefere uma posição digamos mais “legalista” (??!!) …, Por mim tudo bem, não muda nada.
    A julgar pelos testes recentes, o alemão parece estar extra-motivado. Gostaria de participar da reunião fechada dos pilotos que vai acontecer em Silverstone.
    Ficarei surpreso se dali não “brotar” alguma opinião solidaria a Michael.

  • Engraçado é que quando a telemetria serve pra mostrar que o Dick muda o equilíbrio dos freios e a establidade da rebimboca de proa por 319 vezes a cada volta, ela serve como prova cabal da genialidade do sujeito. Quando a telemetria mostra que ele pisou no breque até furar o assoalho sem necessidade, ela não é prova suficiente pra nada. Mais ou menos como neguinho tentando negar paternidade diante de um teste de DNA positivo. A coluna de RL tem mais valor por se tratar de uma pessoa que, junto com Galvão, até enchiam nossa paciência com a babação de o.v.o em cima (ou embaixo…) do alemão durante treinos e corridas. Creio que a atitude do Dick teve o significado de uma traição a tantos comentaristas e jornalistas que lutaram contra a alcunha Dick Vigarista que t lhe impunham desde 94. A folha corrida do alemão é longa, maior do que a de qualquer outro piloto. Schumacher entra naquela galeria da qual fazem parte Tyson, Ben Johnson, aquela corredora Joynner e tantos outros esportistas talentosos orém sem ética alguma.

  • Até agora a única histeria que eu vi foi a contra o Schumacher. Todos os que de alguma forma defenderam o alemão ou decidiram não o “trashear” simplesmente expuseram a sua opinião sobre o assunto. Sem chiliques. E não vi nenhum desespero da parte deles. Muito menos da minha. Aliás, eu sou a calma em pessoa. Mesmo porque o valor de um ser humano não é medido por uma ação aqui e outra ali e sim pelo conjunto da obra. Além disto, o ódio mirando o FG e seu ponto de vista mostra bem aonde a histeria vive.

    Mas dá pra entender. Por tanto tempo o Schumacher tava quieto, cultivando o lado de bom moço… enquanto isso ganhou dois títulos, padeceu no ano passado e esse ano, quando todos tinham certeza que ele já era, (tadinho!) eis que ele renasce das cinzas e mais uma vez se coloca como candidato ao título… ai que ódio(por sinal, outro pecado capital) daquele alemão safado! Afinal, ninguém chega aonde ele chegou sem alimentar um outro pecado capital: a inveja, que igualmente à soberba, mata e cega. E na primeira brecha que o alemão deu, com razão ou não de ser, pronto: pulam todos no pescoço dele aiming for the jugular. Se ele é culpado ou inocente, pouco importa. O que importa é que essa é mais uma chance de ouro para os sofredores da dor de cotovelo causada pelo seu CV ou mesmo pelos avarentos de plantão(FYI: avareza tb é outro PC), de descreditá-lo de todos os feitos de sua carreira ou pelo menos amenizar o seu impacto; de destilar todo o seu veneno alegando que seu senso ético é falho e por isso ele vai entrar para a história como um vigarista e não como um grande campeão que é. E nem pode, porque não seria justo (ou seria?)ele conseguir tanto (guloso não?)e ainda por cima ser candidato à Madre Tereza… Que diabo de justiça cósmica seria essa? Não faria sentido, ou faria?

    Then again, são apenas suposições…

  • Olha, se ajuda a definir a questao, nao devemos nos esquecer da reaçao dos outros pilotos e dirigentes em relaçao ao episódio. Inclusive, vários pilotos querem o impeachment do alemao. Humildemente, acho que isso encerra a questao, já que, como disse o Gomes, eles sabem o que se passa lá dentro…

  • Incrivel.. qq questao em relação ao nome Schumacher eh sempre contraposto com o nome Senna. Nao importa se a questao eh qualidade, caráter ou qq outro aspecto.

    Esse negócio de chamar de “viuvas” (do Senna) e de “putinhas” (do Schumacher) só demonstra o desrespeito que alguns blogueiros tem por outros: se nao concorda com opniao de outro, argumente, pois. Entendo que rotular outros pela divergência de idéia – sem fundamentação – é uma agressão.

  • Pessoalmente, acho que o episódio de Mônaco foi realmente pilantragem do alemão. Mas isto é só minha opinião…

    Entretanto acho mais do que natural que o pessoal pegue mais do pé dele porque ele é o Schumacher, simplesmente porque ele É o Schumacher: um cara de 37 anos, que corre na F1 desde 1991 e que de lá pra cá ganhou absurdos 7 mundiais de F1. É a responsabilidade à proporção de seu talento e experiência… É óbvio que a cobrança é maior no caso dele. Como não haveria de ser, Flávio?

  • Rikho,

    Sempre achei que em esporte individual, o EGO de cada competidor arrebenta com tudo. Quando o Senna era vivo, eu torcia para ele e queria que o Michael e o Prost sifu em todas as corridas, depois que o cara foi correr em outra dimensão comecei a analisar as minha opiniões e os fatos, hoje posso concluir sem medo que a pilantragem atribuída ao Alemão não é maior e muito menos menor que a do Ayrton e de outas figuras deste mundinho (que eu gosto), só acho que os Brasileiros foram mais completos , pois além das fechadas utilizavam-se de outros artifícios lamentáveis que denotavam, tal qual os outros reizitos (Prost, Fangio, Scheckter, etc), que seus atos enquanto desportistas eram para ser desprezados, só isso. Com relação a usar o pé direito, Senna era excepcional, dos melhores da história…só isso também, agora a diferença que vejo entre os que gostam do Alemão, do Emerson, do Clarck, etc é que eles sabem que eles nunca foram santos e a Viuvada não admite que o Senna tivesse sido tremendo Cafajeste quando precisava…só isso.

    Abraço.
    Caíque.

  • Oi pessoal.

    Na minha opinião, os argumentos do Flavio e do Reginaldo tem sentido.

    Particularmente, acho que o Schumacher(desculpe se escrevi errado) errou a aproximação da curva e….no momento do erro, teve “a idéia “e ….. a recaída(como alguns de nós chamamos)…

    Dizem que o ser humano é o animal mais imprevisível do mundo quando submetido a pressão e eu concordo 100%.

    Não existe homem de gelo, piloto perfeito, etc. Todos são humanos envolvidos em um esporte de risco e reagem de maneiras estranhas a determinadas situações.

    Não vamos ficar comparando que o Senna tb fez isto com Prost (aí vai aparecer alguem e dizer que o Senna fez com o Prost porque havia sofrido a mesma coisa com ele e a coisa nao tem mais fim.

    A verdade é uma só: Um excelente pai de familia, filho, etc, nao reclama quando toma uma fechada no transito, nao xinga quando seu time leva um gol? Isto faz voce um mau carater? Não.. Voce tem qualidades e defeitos assim como os pilotos: São esportistas sujeitos a erros e situações de pressao; e sob pressao, tomam as vezes, decisões erradas.

    Filosófico não?

    [ ] Ricardo

  • De fato, se fosse possível comparar argumentos e opiniões (o que de fato não é), não há como negar que os que foram utilizados pelo REGINALDO LEME estão MUITO mais coerentes do que os do FLAVIO GOMES. Fica a idéia de que o bravo FLAVIO está tentando se convencer do que escreve. Já o REGINALDO LEME está claro, simples e sucinto. E talvez com a verdade no colo.