O “outro”

SÃO PAULO (Odeio os indiferentes. Quem verdadeiramente vive não pode deixar de ser cidadão e partidário. Indiferença é abulia, parasitismo, covardia, não é vida.) – O trabalho que Paulo Trevisan realiza em Passo Fundo é de uma tenacidade exemplar. Ainda bem que ele existe. Só porque ele existe, esse Casari A1 está desse jeito aí, nas fotos enviada pelo Ilustríssimo Sr. Caíque Pereira.

Que está desde já convocado a contar o que esse “outro” #96 andou aprontando pelos asfaltos brasileiros.

Comentários

  • Bom dia Flávio Gomes, gostaria de saber se tem como vc passar meu e-mail para Fred Coutinho postado dia 11/07/2006, onde ele fala sobre a competição de Buggies na areia, para eu passar mais informações. Sou da BUGRE e tenho todos os detalhes desta competição . Grata

  • O capacete do Casari era uma viagem. Vi de pertinho, no começo dos anos 70, quando fizeram uma corrida de bugui (como é que se escreve mesmo?) na areia da praia
    do Leme, em Copacabana, que o
    Casari ganhou. Era o primeiro capacete integral que vi na minha vida, branco, e com uns desenhos psicodélicos, parecido com desenho de quem fuma unzinho e sai desenhando. Era lindão. Lembro que tinha um cara que perguntou quem tinha vencido a corrida, cuja organização era uma certa zona, não tinha informação nenhuma, e eu respondi que era o Casari o vencedor, daí o cara falou: “Pô, com um capacete desses até eu.”
    A corrida era uma espécie de oval na areia, uma piração sob qualquer ponto de vista de hoje em dia, seja de segurança do piloto, do público, da agressão ao meio ambiente, muito doido. E ainda por cima tinha um morrinho onde os caras vinham pisados e eram obrigados a pular, o carro dava um pulo e aterrisava uns 4 metros na frente. Um deles aterrisou do lado do carro do Casari,
    que ainda abanou a mão pro cara, como quem diz, tudo bem, não foi nada. Nunca vi foto ou matéria sobre esta prova.

  • As 3:30 da manhã, meio deprê (nada anarmal para um início de uma previsível semana) e derepente protótipos.br, Jan Balder, as preciosas informações dos incríveis Matuzas, os Gol’s, Monza’s, Escort’s, Passat’s, Gol’s fora de série e etc.
    Isso já virou caso para o Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural. Ou será que somos apenas maníacos e fúteis. Leiam os colegas e verão que patrimônio… IMPAGÁVEL!!!
    Obrigado amigos.

  • Jan? Polar?
    Só pode ser o glorioso Jan Balder.
    Eu aqui, moleque, em Minas, sem autódromo mas devorando tudo que era publicado a respeito. E sempre lá estava o notório Jan Balder.
    Parabéns “amigo”, felicidades e que tenha o prazer de pilotar o histórico Polar.
    PS: Por favor, leia meu post anterior, onde sugiro um site para eternizar estas pérolas, nossos protótipos, tantos projetados, tantos intuitívos, mas todos fantásticos.
    Um grande abraço orgulhoso de frequentar o mesmo “ambiente” de um ídolo.
    Graças ao impagável FG.

  • Aos notáveis FG e demais notáveis Matuzas.

    Ufa!!!
    Enfim a internet novamente após quase um mês “ilhado”. Adivinha onde fui primeiro? Claro, aqui, no reduto dos sábios e prestativos amigos e entusiastas. Só quem gosta muito pode considerar o inestimável valor deste espaço fomentado pelo grande escriba (como se auto-intitula) Flavio Gomes.
    Isso tudo é óbvio, notório!

    Após fazer minha (justa) média, vou abusar com um pedido e sugestão:
    Imagina um site com fotos, histórias, dados técnicos e os cambaus dos incríveis protótipos tupiniquins, das Carreteiras, passando pelos heroicamente projetados e construídos nos idos 60/70/80’s (Divisão 3?) até os atuais.
    Não seria fantástico?
    Pena que não possuo fotos e meus parcos conhecimentos e memória se limitam ao básico. Mas prometo vasculhar incansavelmente a rede a procura de informação. A 4Rodas e Auto Esporte poderiam colaborar tanto…
    Fica aqui meu apelo e sugestão.
    Um abraço.
    PS: Havia um HEVE F-VW ou F-Ford (frente em cunha, a lá revolucionária Lotus 72)?