Tire o Fusca da garagem!

SÃO PAULO (coragem, vamos!) – Senhoras e senhores, amanhã, dia 22 de junho, é o Dia Mundial do Fusca. “Foi nesta data, no distante ano de 1934, na Alemanha, que foi assinado o contrato entre a Associação Nacional de Indústria Automobilística Alemã e o Dr. Ferdinand Porsche. Segundo esse contrato a Eng. h.c. Ferdinand Porsche GmgH deveria desenvolver o Volkswagen e apresentar o primeiro protótipo em 10 meses a partir desta data. Foi o dia que deu início à vitoriosa saga do Fusca, o dia em que tudo começou”. Quem explica é o blogueiro João Cesar dos Santos.

O fuscamaníaco Alexander Gromov já havia me avisado e em sua página conta mais sobre a data. O cartaz abaixo pode ser baixado nesse site, para você colocar no vidro da sua Fuqueta amanhã.

É o que farei.

Comentários

  • Tenho uma Moeda de ouro rara que foi fabricada pela Volkswagen na época referente aos 100 primeiros fuscas fabricados no Brasil.
    Gostaria de saber se algum colecionador ou algum amante do fusca gostaria de comprá-la

  • Jovino… isso vai dar bode… escuta o que estou lhe falando… o preterido vai achar que vc tá vendendo ele… isso não vai dar certo… vai pro mim… vc tem que dirigir os dois… hahahahaha

  • Aí Veloz HP…
    Quem andou de divisão 3 jamais esquece… A primeira marcha ia até 80 Km/hora… Um verdadeiro canhão e dependendo do comando de válvulas, só parava de engasopar acima de 2.000 RPM…Mas quando abria… Puro êxtase.
    Por isso digo sempre que, assim como a Porschinha verde, um chassizinho leve com uma preparação competente dá o maior calor nos AP da Superclassic. Em carro de corrida, é o conjunto equilibrado a chave do sucesso, sempre.
    Continuo teimosamente um fervoroso defensor do Boxer VW – E nem poderia ser diferente, sujei muito as mãos de graxa e a cueca com patê nos, tamanho o gás…
    O Spagnolo diz que o virabrequim tem que ser um que não fabrica há 20 anos, que falta peça, que a mão de obra é cara, que os AP duram uma temporada inteira sem abrir… Sei não, a Porsche verde empurra todo mundo, pô… E com um conjunto mecanico que nem chega perto de um Divisão 3 ou Super Vê…
    Ele usa a famosa preparação “Rio-Bahia”, que é o apelido que tinham os motores feitos pra durar, e não pra explodir…
    Adoro essa motorização.
    Nas mãos de mecanicos competentes é UM SHOW !!!! Equipou tudo que é fórmula, protótipo, o escambau a quatro rodas.
    Salve, fuscas !!!

  • Povo, acho que ainda está nas bancas uma revista bem completa sobre a história do fusca (desde 1934 até os últimos mexicanos). É uma edição 2 em 1 “Automóveis Antigos” : História do Fusca + Carros Esportivos Brasileiros (de Willys Interlagos, GT Malzoni, FNM Onça, até Hofstetter, Aurora…) . Bem legal, especialmente para os não especialistas como eu…

    abraços a todos
    (esse blog é ducaralho… hehehe)

    pedro – belo horizonte
    (se fosse “pedro – são paulo” já teria ido a Interlagos ver o Gomes correr…)

  • Jovino, siga o conselho do Askjao, ciúme de carro é brabo, eu também tenho dois velhinhos, um Del Rey e um Monza, ambos dos anos 80, e tenho que fazer um revezamento entre os dois, senão o preterido acaba encrencando quando preciso dele.

  • Tenho um 94 branco, ele vai pra rua amanhã.Tbem tem rodas de ferro do porche, mais pneus 195 e calotas cromadas do fuscão. Fora isso ta originalzinho com 50.000 km
    O Jovino, vamos de fusca pro autodromo dia 15?

    Eduardo Pereira

  • Bem amigos do blog do Gomes, boa noite.
    Merecida essa festa para o Fusca, um carro que marcou a história do automovel com sua robustêz e versatilidade em qualquer lugar e sob qualquer clima.
    Apesar de não ter sido nem de longe pensado para isso, sua performance quando preparado com seriedade e competência é extraordinária.
    Eu tive apenas um Fusca na minha vida, era um ex-Divisão 3 da categoria estreantes e novatos que coloquei na rua para andar normalmente.
    Normalmente é força de expressão, pois instalei um motor 2000 cc feito pelo Amador Pedro que, em conjunto com um câmbio de Puma, caixa 3, trambulador do SP-2 e 4 amortecedores Barchi, além dos 4 freios a disco, fizeram-me um cara muito feliz nos idos de 1975, dando páus homéricos em vários carros de maior porte, tanto em retas como em curvas pois mantive o acerto de suspenção para corridas já existente na caranga quando a comprei.
    Por alguns meses esse foi meu pequeno fogete mas, a chegada dos Mavericks com kits Quadriget, fizeram-me voltar para as altas cilindradas porém, sempre respeitando todo o “besouro” invocado que encontrava pela frente, pois conhecia, por experiência própria, as duas faces da fera.
    Parabéns Fuscas do mundo, certamente o carro mais divertido do planeta.

  • Tenho 2 fuscas, um 66 verde escuro todo original, um pouco desbotado, Mas está perfeito e um outro 95, o chamado Fusca do Itamar, mas todo retrô, com rodas do porcher Speedster cromadas, farois de milhas com pestanas e faixas brancas com um motorzão. Amanhã é dia de circular pela cidade com ele.
    Parabens para o nosso dia do Fusca e para todos os aficcionados pelo carrinho.

    Jovino