Creighton Brown, o descobridor de Senna

SÃO PAULO (um minuto de silêncio) – Morreu domingo em Edimburgo, na Escócia, Creighton Brown, um dos sócios da Project 4 com Ron Dennis, dono da McLaren. Ele tinha câncer e era casado com uma brasileira. Passou os últimos anos vivendo em Santa Catarina. Era muito amigo de Tarso Marques e de seu pai, Paulo de Tarso.

Brown foi quem convidou Senna para correr na McLaren, ainda na época em que o brasileiro estava na F-Ford inglesa. Teve uma equipe de F-2 e um de seus pilotos foi Chico Serra.

Em 1988, quando Ayrton finalmente foi para a equipe, tornou-se grande amigo de Creighton, a ponto de ser padrinho de sua filha Allie.

Brown juntou-se à P4 em 1978. Ele, Dennis e John Barnard assumiram a McLaren em 1980. Foi diretor da equipe até 1992. Em 1990, com Gordon Murray, foi encarregado de montar a McLaren Cars, que deu no espetacular McLaren F1, um protótipo de rua caríssimo que chegou a fazer algum sucesso nas pistas.

As informações acima e a foto abaixo foram passadas por Carlos Eduardo Ramoa, amigo de Brown, que nos últimos anos vinha desenvolvendo o projeto de montar uma fábrica de carros esportivos fora-de-série no Brasil.

Conheci-o bem. Era uma doce pessoa.

Comentários