Notícias dos EUA

SÃO PAULO (semana de Superclassic) – Duas da América de Lá, começando com o Canadá. Choveu de dar inveja a Noé, e cancelaram a corrida da F-Mundial (ou “merdial”, como diz um amigo) depois de seis voltas. Havia 17 carros no grid. Ficou para hoje de manhã, 11h de Brasília. Para ver, creio que só no site da categoria.

Há uma curiosidade especial pela presença de Pizzonia nessa prova. E pela comparação com os tempos da F-1. Vou poupar seu trabalho. Alonso fez a pole neste ano em Montreal em 1min14s942, média de 209,490 km/h. A pole de Bourdais para a prova da ChampCar foi obtida em 1min20s005, média de 196,174 km/h.

Franck Montagny, o pior no grid da F-1 em Montreal, fez sua volta de classificação em 1min19s152 com a Super Aguri, o que lhe daria a pole na F-Mundial.

A outra da América: em Sonoma, no finzinho da prova da IRL, aparentemente Michael Andretti mandou Bryan Herta, da sua equipe, rodar para causar uma amarela e permitir que o filhote Marco, 19 anos, economizasse metanol, dispensando um derradeiro “splash and go”. Digo “aparentemente”, porque não leio pensamentos. Espero que meus colegas da imprensa americana tenham questionado Andrettinho sobre a possibilidade, e se encontrar algo, coloco aqui.

E Herta rodou. E Marco ganhou.

E neguinho fica falando mal da Ferrari e da F-1…

Ah, nem preciso dizer que na transmissão da emissora que tem os direitos da IRL para o Brasil, embora a rodada de Herta tenha sido notada e descrita como proposital, ninguém ousou dizer de Mario Andretti o que teria de ser dito: que é um picareta e que essa categoria é uma piada por permitir essas coisas.

E lá vem chumbo, mas podem mandar.

Comentários

  • A pergunta do Pedro é boa: quem dos bons pilotos faria ‘jogo’?
    Senna? Nem pensar. A ajuda que ele deu pro Berger é uma humilhação tatuada na carreira do austríaco.
    Piquet? Talvez, se estivesse realmente fora de qualquer disputa.
    Prost? Acho que faria, pensando nas vezes em que precisou / precisaria de ajuda, mas desde que estivesse bem mortinho na disputa.
    Lembro que o Lauda foi ajudado pelo REgazzoni na Ferrari. Peterson respeitou o Andretti em 1978 (não deu tempo de ‘receber’ ajuda em 1979).
    Capachildos como alguns pilotos de hoje, não lembro de nenhum.

  • Bem, existem times e times. Willians e McLaren, quando disputam sozinhas, sempre deixam os pilotos se engalfinharem.
    E em 1988, apesar da menor pontuação do Ayrton, ele já claramente tinha demosntrado sem mais rápido, ninguém cogitaria pedir para ele jogo de equipe tão no começo.
    Nunca aconteceu do Senna chegar a 3/4 do campeonato perdendo para o companheiro a ponto de ter que ajudar. Qual seria a atitude dele?

  • Luiz,

    Eu enxergo este fato, mas é que como acompanho essa cachaça desde 1965, já me cansei de ver estas atitudes em todas as categorias e países. Quando escrevi sobre o Michael, não quis dizer que você era o torcedor de todos contra o cara, mesmo porque seus posts de hoje deixam isso bem claro, agora quanto ao Barrichello, embora o ache um piloto dentro da média que sempre existiu na F1, eu, particularmente tenho uma impressão ruim dele, pois é o tipo do sujeito que eu jamais confiaria e/ou contrataria, já que a cada dia tem uma História e uma Estória nova e seu semblante é sempre de sofredor que juntado as suas declarações me fazem ter certa desconfiança dele, mas reconheço que é um piloto dentro da média histórica da F1.
    Boa noite amigo e um abraço.

  • Eu jamais vou querer que o Schumacher “perca, se desintegre ou qualquer outra coisa do genero”, nem sou daqueles que “detesta o cara”, pois sei reconhecer o valor do alemão. Sempre afirmei se tratar de um grande piloto, com inegáveis méritos e talentos. Está longe de ser um dos meus preferidos, mas isso não interessa agora.
    Nesse caso, porém, estou com a maioria: a Ferrari exagerou (e ainda exagera) sim na proteção ao piloto número 1, e foi com justiça motivo de muitas vaias e reprovações.
    Sei que o Rubinho está longe de ser um top driver, mas o que aconteceu foi uma proteção desmedida e obviamente exagerada ao Schumacher, que nem precisava disso (e aceitou ainda assim). O que me espanta é voce não enxergar esse fato, que é quase senso comum na F1. Mas tudo bem, como voce mesmo reconhece, cada um com sua opinião …

  • Luis,

    Mais uma coisa, em 1988 a McLarem só perdeu uma corrida, aquela que o Ayrton bateu no Schlesser em Monza, logo ele na quarta corrida estava 18 pontos atrás, mas ainda assim era o vice-líder, logo sua resposta vai de encontro ao que eu escrevi e o Pedro concordou. Ao final do ano ele venceu o Campeonato porque o Regulamento tinha Descartes, pois se fosse como é hoje , o Campeão teria sido o Prost que fez 105 pontos (teve que descartar 18), o Ayrton fez 94 (descartou 4) e o Berger, terceiro colocado fez 41 (nada descartou), logo, este foi o campeonato mais desigual dos 55 já acontecidos na F1 e era óbvio que o Ron Dennis tava morrendo de felicidade de não ter que dar preferencia a nenhum de seus pilotos. No caso do Piquet não , pois o Head quis fazer do Mansell Campeão, mesmo sabendo que o Piquet fora contratado para ser o Primeiro Piloto. Agora lembre-se que depois que o Prost substituiu o Manssel na Ferrari e a Ferrari poderia se tornar forte já que o carro era bom e tinha câmbio automático, o Ron Dennis jogou sua imparcialidade para o Alto e o Berger foi aquele Austríacozinho lutando contra o mundo, mas como ele era o SEGUNDO piloto do Inesquecível Ayrton, aí todos o acham gente fina, legal…não senhor ele era o Rubinho da época, ou você discorda?

    Em tempo, no post anterior escrevi Cossa, mas por favor leia coça.

  • Luis Fernando,

    Com respeito, me desculpe, se a Ferrari tivesse como pilotos em 2001,2002 e 2003 Schumacher e Kimi Raikkonem ou Alonso, sua tese seria justificável, daí a querer comparar os dois ultimos com o Barrichello é meio forçado né? Que você queira que o Schumacher perca, se desintegre ou qualquer outra coisa do genero porque detesta o cara tudo bem, cada um com seu cada um, mas achar que o Rubinho foi prejudicado…dá vontade de rir…então tão sa.ca.nean.do o cara na Honda, pois a cossa que ele tá levando do Button é grande (segundo os amigos Burti e Bueno a tática dele é sempre diferente…). Para o Rubinho disputar um campeonato em condiçoes de vencer ao Alonso , o Kimi ou o Schumacher ele precisaria ter duas coisas que nunca teve: Aquilo bem rôxo e um pé direito pelo menos com 2 toneladas a mais, só isso. Por favor não compare o Rubens com estes três que parece torcida organizada num estádio de futebol.

  • Em 1988 após 4 corridas a colocação indicava PROST com 33 pontos e SENNA com 15 pontos. E quem teve coragem de falar para o Senna fazer jogo de equipe ?
    E o argumento de que só havia uma equipe disputando não serve, pois a Ferrari passou por isso em alguns temporadas, e continuou trabalhando só e somente para o Schumacher ….

  • Na minha opinião o título de pilotos é uma vitória para toda a equipe, portanto não vejo problema de toda a equipe ajudar.
    Como disse o Caíque, o que faz a competitividade dentro do time é o time ser o únicoa competir.
    Em 2002, uivaram a Ferrari por isso, pelo jogo feio, não pela injustiça do jogo de equipe como dizem alguns.

    E vamos parar com essa de competência, afinal um atacante que depende do passe do meio de campo não deve lamentar. Alguém tem que ser o zagueiro, alguem tem que fazer o jogo sujo, e os demais, mais habilidosos, que joguem na frente.
    Mesma coisa na F1.

  • E o PIZZONIA heim galera? esse cara não toma jeito, 11º com seu companheiro em 6º, quer voltar pra casa mesmo! Ridicula atuação, ou melhor, bem ao seu estilo, estúpidamente ridicula,não aproveta uma chance, só faltou bater no Bordais e tira-lo da liderança, ai seria perfeito. O Bruno Junqueiora parece cada dia mais que depois da porrada de Indianapolis ficoumeio “lé-lé” da cuca, já não é o mesmo, álias, ele depois de tantos vices e levar três ‘chapeus’ do Francês podia começat a se tocar, a coisa ta feia na Champ Car tambem.
    E na fuza IRL ao que parece, o Hélio C.Neves pode levar o tiulo, mas com mais três na parada, sei não. Gostaria mesmo é de ver o Vitor Meira vencer, mas parece que ele gosta mesmo é de 3 e 2º lugares, vai ser terceirão assim la na conchinchina fiieeee.

  • Se a F-Mundial é “merdial”, em extinção, pra que comparar com a F1?

    Se Andretti faz trambique, isso inocenta a Ferrari? Qual a lógica?

    Se a “a emissora que tem os direitos da IRL para o Brasil” chama Band, por que não dar o nome?

    Se a picaretagem de uma equipe desqualifica a categoria inteira, qual categoria sobrou?

    Ô FG! Bola for a essa, tão fora que não dá nem pra polemizar.

  • Ingo,

    O que você escreveu abaixo para o Pedro, só foi válido porque nessa época citada, só existia uma Equipe para vencer o Campeonato, logo o Dennis e o Patrick Head deixaram os dois se comerem, sendo que em 86 o Head foi burro, pois ao deixar isto acontecer, o Piquet sifu para o Prost, graças ao Pneu estourado do Mansell. O que você colocou como – aquilo é que era uma época de competição – não existe numa equipe ou num campeonato em que existe mais de uma equipe boa para vencer o campeonato e apenas um piloto fora-de-série em cada uma delas, ou você acha que se a corda apertar o Briatore vai deixar o Fisichella vencer o Alonso, lembre-se de Montreal ano passado, onde o Alonso ficou p… da vida porque o Briatore demorou muito a dar a ordem de troca de posições… e ele estava em segundo e o Fisichella em primeiro.O Automobilismo ao qual você se referiu não existe mais a década*S*, mais de 20 anos.

  • Pedro, pra quem assistiu a McLaren de Senna e Prost, a Williams de Piquet e Mansell, época em que o piloto tinha que dar conta do recado e não esperar uma ajuda do companheiro, muito pelo contrario, seu companheiro era seu maior rival.
    Isso era esporte, isso era competitividade. Nos últimos anos temos visto um cara que recebe ajuda dos boxes e do companheiro e o pior, não reconhece isso. diz que fez tudo sozinho.
    Assisitir um cara ganhar sua primeira corrida e dizer no rápido que sentia muito pelo Michael.. que não teve competencia pra fazer se virar sozinho e nem com ajuda dos outros. Isso pra mim não é esporte. É enganação

  • Xadrez é esporte, gente, automobilismo também é, um esporte de equipe.
    Esporte é competição. O outro único tipo de competição que eu conheço que não é esporte são os jogos de azar, onde o acaso é determinante para o jogo. Se o azar não tem grande influência, é esporte, ponto final.
    Futebol é esporte, um jogador deixa de fazer gol para passar para alguém com mais chance de fazer, isso é normal.
    Massa não pode levar o título de piloto para sua equipe, mas pode ajudar o seu time a conquistar.
    Se acontece do time pedir para eles trocarem de posição, e o Massa se recusa, e com isso a Ferrari perde o título de pilotos, é o mesmo que um jogador fominha não passar a bola e errar o gol, e com isso o time perder o título.
    É a mesma coisa, nada muda.

  • Apenas lembrando aos mais desavisados, ou com meros 64 mb de memória: há alguns anos atrás, um certo Andretti chegou a F1 com a fama de grande campeão e de bom piloto. O que vimos no decorrer daquela temporada, a sua demissão sumária da Mclaren por falta de esportividade e tb pq aquela alura já tinha destruido alguns carros, enquanto o outro piloto estava disputando o mundial com um equipamento abaixo do esperando em relação aos concorrentes. E olha que sempre torci pelo Piquet por achá-lo muito mais piloto do que o Senna, mas esta é outra discussão, respeito muito o excelente piloto que ele foi.

  • Ahhh Gomes, tu não conhece o Marco Andretti…o guri não é picareta não….é bom….não é piloto de oval, é piloto de misto….na infiniti pro series, só disputou as etapas dos mistos, Sonoma, St. Petersburg e Watkins Glen…só não venceu a última, onde terminou em segundo depois de dominar a corrida inteira e cometer um erro de principiante no final, tendo iclusive vencido na estréia…acho que esse “moleque” ainda vai dar o quer falar…..(e bem!)….já foi segundo nas 500 milhas de indianápolis na estréia, coisa para poucos…agora, concordo que essa IRL não é grandes coisas mesmo…

  • Tem muitas reservas em relação a Champ Car World Series (parem com esse negócio de “F-Mundial”, é tão ridículo e absurdo quanto os RBR e STR da Globo) atualmente, mas quem tá falando que eles não corream no domingo por causa de uma chuvinha tá enganado ou querendo enganar os outros. Foi um mega-temporal, com verdadeiras piscinas na pista e chuva praticamente horizontal, tamanha força e vento. NENHUMA categoria correria nessas condições. No mais, até que a prova hoje de manhã, com pista úmida, foi bastante interessante e praticamente decidiu o tri do Sea Bass.