Num Simca, acelerando

SÃO PAULO (V8 é V8) – Faz tempo que estou para indicar aqui o melhor site sobre Simca do Brasil, que tem coisas interessantíssimas. Como as fotos de competição, especialmente as das Mil Milhas de 1961.

Mas legal mesmo é o vídeo que você encontra indo a “Diversos” e depois “dias atuais”. Uma pequena transgressão não-identificada. Certamente dois “velhotes” malandrinhos que… enfiaram mais de 160 km/h numa Simca! Numa estrada boa, é verdade.

Puxão de orelha à parte, porque não sou de estimular ninguém a desrespeitar as leis, é de espantar a saúde do bicho.

Comentários

  • Ai, pessoal, aqui é um dos 3 velhinhos que estava no Simca a 170 km/h. Sobrevivi e estou passando bem, obrigado.

    Considerem que o camera man fez o seu “debut” com uma câmera digital, por isso pula tanto.

    Até eu fiquei impressionado como o carro deu segurança, mais do que o meu Chambord a 140. Não me pergunte porquê.

    Claro, só pela aerodinâmica, não dá para comparar com os carros modernos. Será que na época existia túnel de vento? Você tem que considerar que o carro foi concebido e produzido há muito tempo atrás, e não esperar que ele te ofereça o que os carros de hoje oferecem com 50 anos a mais de tecnologia em cima.

    Estou programando voltar a Curitiba -sim, foi lá – para fazer uma filmagem com mais qualidade. E também para aproveitar, porque agora eles deram uma “mexidinha” e disseram que o velocímetro chega nos 180 – não mexeram no velocímetro, mas no motor..

    O Simca de Rio Claro: o cara tem dois, um com motor de Opala, outro com motor original. Anda com os dois diariamente. No site da Simca tem fotos dele, em “proprietários atuais”.

    Sou suspeito, mas pra mim, no conjunto, o Simca passou a ser o melhor carro do seu segmento a partir da linha Tufão. Até 62 era sofrível. Em 63 melhorou bem. O seu calcanhar de Aquiles era o controle de qualidade – o que, convenhamos, não era problema exclusivo da marca, mas sim fato comum a todos os fabricantes dos primórdios da industria automobilística.

    • Puxa!

      Já fez aniversário de dez anos desta “filmagem”, Eu. Marcelo e o Carlos “on board”.

      Acessei o site aqui por causa do e-mail que recebi ontem do Marcelo (do site Simca) em comemoração ao aniversário do evento. Como me disse o mineiro (Marcelo), meu amigo velhinho… no início do e-mail, kkkk.

      Abs.,
      Marco.

  • Olá Eduardo :
    Gostei do Rapaz : )mas Desinformado , não : ( . Tenho 2 carros da sua lista na minha empresa e nenhum chega com segurança nas marcas que vc aponta . Teste de revista e dados de fabricante é uma coisa , no dia-a-dia as coisas mudam . E muito .
    Com as novas alíquotas os preços de um modelo 1.4 está bem próximo de um 1.0 . Mais segurança para todos nós .
    Entendi perfeitamente seu ponto de vista . Um abraço .

  • 9,8 metros por segundo ao quadrado, por segundo apenas é velocidade e não aceleração. desculpe mas não resisti, vício de engenheiro.

    o simca era muito bom em termos de desempenho, estabilidade e guardadas as proporções, tinha freios razoáveis.
    o problema é que tirando o motor cambio e diferencial, o resto quebrava tudo.
    no primeiro dia ia o dínamo, depois a maçaneta e fechadura, depois as lampadas, o velocímetro funcionava quando queria, a seguir o radiador vazava, a bomba de gasolina pifava, não podemos nos esquecer que se tratava de um Ford Vedette.
    quando tudo era consertado o ciclo se reiniciava.
    no entanto, era infinitamente superior ao seu concorrente, o aero willys que tinha uma suspensao e freios projetados pelo porteiro da fábrica na hora vagas. fora o motor de jeep.
    tive um simca que tinha sido de corrida, não tinha nada de estofamento e nem painel e banco traseiro. os caras que me venderam colocaram uma armação de tubos e um banco de lanchonete de plástico como banco do acompanhante. acho que afanaram o banco.
    o banco do motorista já era meio concha, meia boca.
    tinha dois carburadores que surpreendentemente não gastavam muito para o que o carro andava e tinha seis marchas. três na alavanca já no assoalho, mas com curso de caminhão fenemê e mais três elétricas num botão na alavanca mesmo.
    um santo antonio de dar dó com um extintor de incêndio que mataria alguém na primeira brecada forte de tão bem colocado.
    portas traseiras eram soldadas.
    o avanço da ignição era manual no que restara do painel e como tinha sido um carro de corrida o distribuidor devia ter sido mexido e era chato ter que ficar toda hora mexendo lá para o carro andar direito, ainda mais que a mão direita tinha que ser usada e atrasava a troca de marcha.
    esse itens saiam em alguns carros de série.
    como o meu já tinha sido malhado pacas e não tinha nada para quebrar, nunca quebrou nada. andava pacas, tinha uma ótima estabilidade, fazia bem curva e não faria feio hoje em dia.
    cheguei a emprestar o diferencial para um simca que correu as 25 horas. sem problemas, meu carro ficou no cavalete sem o eixo jogado na parte de terra detrás dos boxes e depois da corrida montaram de volta e funcionou perfeito, sem um ronco.

  • lembro nos anos 60 de um teste feito pela fabrica de Brasilia a Belem ida e volta sem parar pra saber qto o carro aguentava…saiu publicado na 4R da época…uma baita quilometragem…mais de 120.000km e com médias nos 100km/h…(não creio nessa média, mas lembro bem dos numeros)…no site da Simca não falam nada a respeito…já tô achando que era matéria comprada….mas que o ronco é música..ah! isso é…eu acho que eles estão na campinas – piracicaba sentando a lenha…e como é molenga a suspenção hein?…eu já disse aqui que no Palio 1L, madrugada, estrada livre consegui no velocimetro uns 185km…POR POUCOS SEGNDOS e o carrinho tava durinho na minha mão….esse aí parece sei lá o que…hay que tener cojones…pra acelecer assim…Tesão puro….

  • Ah, faltou o Polo 1.0 16V que atingiu 168 km/h num teste aí, quantos aos 1.0 em si, logico que atingem momentaneamente esse nivel, não mantendo a velocidade alta com a facilidade de um motor de maior cilindrada, mas que atingem, atingem, no Palio de um primo por exemplo já andamos a 170 no velocimetro, o que com um erro de 5 a 6 por cento corresponderia entre 159,8 e 161,5 km/h

    Manter isso são outrso quinnhentos, mas

  • Ao rapaz desinformado
    Grande parte das tranqueiras a que convencionamos chamar de carro 1.0, mas que tem importante valor para a parcela que não pode comprar um 1.4 ou um 1.6, chegam sim a 160 km/h, aliás alguns até superam essa marca, o que quis enfatizar é que a tecnologia evoluiu, mas que gosto de carros antigos

    Aliás, aos numeros, pois:
    Fiesta 1.0: 158 km/h
    Gol 1.0 8V: 160 km/h
    Gol 1.0 16V: 165 km/h
    Palio 1.0: 155 a 161 km/h
    206 1.0: 163 km/h
    Clio 1.0 16V: 165 km/h
    Ford Ka 1.0: 165 km/h

  • Se tiver entre os frequentadores desse blig alguém que more na região de Campinas/ Americana/Pira/Rio Claro e tem que pegar a Anhanguera do trabalho para casa, já deve ter visto uma Simca com chapa de Rio Claro de manhã ou no fim de tarde. O dono usa ela diariamente, externamente está original inclusive rodas e calotas. Hoje mesmo vi o carro indo em direção a Pira.
    Um abraço a todos

  • E pensar que o “Tufão” era referencia e chegava a espatosos 160 km/h na época

    Atualmente boa parte dos 1.0 chega a essa velocidade, não com a mesma desenvoltura e vigor, mas chegam. Viva a tecnologia !

  • Caros Doug e Vitão, é exatamente por isso que eles estão vivos até agora, aprenderam a viver a vida intensamente a morrer aos poucos sentados numa velha poltrona em frente a televisão. Vida longa aos loucos por velocidade!!!

  • Isso me lembra de um quadro muito popular nas bases da RAF na 2ª Guerra Mundial: “There are old pilots. There are bold pilots. But there are not old bold pilots”. Traduzindo: existem velhos pilotos. Existem pilotos audazes. Mas não existem velhos pilotos audazes.
    Definitivamente, esses do Simca são exceção! Se bem que, justiça seja feita, acho que confio mais num Simca a essa velocidade do que num Lada ou Wartburg – isso partindo da teoria que um deles chegasse nessa velocidade…

  • Hoje em dia essas rodovias pedagiadas são todas iguais, mas na minha opinião e pelo sotaque do motorista e passageiro, acho que estão na BR 277 entre Curitiba e Ponta Grossa. BR boa, onde já peguei 190 com minha ex pickup corsa… tá no youtube

  • Velhinhos assanhados estes, mas eu tive um Simca Tufão 66 na década de 80 e estourei os 180 km de seu velocímetro fácil, só que estava com mecânica do opala 250 S. O Simca era um carro que estava 10 anos à frente dos seus concorrentes na época.

    Jovino