Piquet no aeroporto

SÃO PAULO (meio longe, mas enfim…) – Essa é para o pessoal do Rio, ou para quem tiver de passar pelo Galeão nos próximos dias. Abre amanhã no Espaço Cultural do Aeroporto Tom Jobim uma exposição de fotos de Nelson pai e Nelson filho. São fotos da F-1, da GP2 e de outras categorias da qual a dupla participou, como essa aí embaixo.

Esse capacete do Nelsinho é realmente muito bonito.

Comentários

  • /Bom dia! E o 7 de setembro? feriado nacional1 o povo anda em total descontentamento, nem aqui por Minas se vai maiis ver o desfile tão bem organizado das forças militares…
    Lamentavel,sim, pois nossos filhos não terão historias nem estorias para contar como a geração de anos atraz.
    A emoção de se cantar ohino nacional(obrigatoriamente) ou não…
    Saudosista que sou, me pergunto, e o 7 de setembro?

  • confessso que apenas sou admiradora de corridas e particularmente de Airton Senna,que para muitos não era tanto assim…
    Mas acredito que existem estrelas que passam rápido e talvez por isso brilhem mais.
    O Rubinho é quase uma estrela cadente.
    será só azar? ou o que?

  • Existem teorias diversas que negam que filho de peixe, peixinho é…
    Claro que a prática mostra o contrário no caso de vocês,sabemos que muito esforço e garra ,talento fizeram o restante da combinação.
    Parabéns,necessitamos de vitórias e alegrias.
    Nelson pai, que Deus o conserve por muitos e muitos GPs

  • Ao Emmanuel,

    Pude perceber que vc é um especialista em Nelson Piquet. Procure nos informar também,quantas marcas de motores (Ford, Honda), aspirado ou turbo, marcas de pneu ( Michelin, Pirelli ) que ele usou nos 3 titulos. E como voce disse, ele foi campeão contra a propria equipe Willians em 1987. Lembra-se daquela cara de puto-da-vida que o Patrick Head ficou quando chamou o Mansell pro box e quem entrou foi o Piquet e assim se apoderou da estratégia dos ingleses? Abraços

  • Emanuel

    Concordo comtudo no seu post. Nelson foi o último campeão da verdadeira F-1 competitiva. Depois do banho da McLaren em 88 nunca mais houve cometição. No máximo 2 equipes ou 2 pilotos da mesma equipe. Ele foi o último dos campeões.

  • Até 1987, a F1 era uma categoria competitva, com vários pilotos vencendo e diferenças de pontuação mínimas decidindo campeonatos (em 1984 foi de 0,5 ponto). Até 1987, em oito temporadas completas, Nelson Piquet já tinha três títulos mundias (81/83/87), um vice (1980) e um terceiro lugar (1986, na ultima corrida estava sendo campeão faltando poucas voltas para o final, na Austrália, quando foi obrigado a parar por problemas de pneus e perdeu o título para Prost), bem como era detentor de vários recordes e estava, em todas estatísticas, entre os cinco melhores de todos os tempos na formula 1.

    nesse tempo todo, só teve mesmo “carro de ponta” em 86 e 87 quando a a williams realmente tinha um carro melhor que as outras equipes, mas nada que impossibilitasse outros carros, como Mclaren, Lotus e Ferrari de vencer.
    Foi bi campeão mundial e uma vez vice , com Brabham, que nunca foi campeã de construtores e depois que Piquet saiu em 1985,deixou de vencer corridas e se extingiu pouco tempo depois. Ou seja, foi campeão no braço, sempre na última prova da temporada, com diferença de 1 ponto (em 1981) e 03 pontos em 1983, aliás, disputando o título contra três franceses e vencendo no máximo, três etapas por temporada.
    Em 87, assombrou o mundo ao conquistar a inacreditável, para época, pontuação de 69 pontos e bateu seu record pessoal ao vencer quatro corridas naquela temporada.

    Assim era a formula 1 até 1987 e até lá, mesmo com Senna, Prost e Mansel, Nelson Piquet foi o melhor piloto, o mais completo e o que mais ganhou por méritos próprios, já que na Williams a equipe trabalhava para o Mansell.

    A partir de 1988 a formula 1 , para mim, perdeu o que havia me encantado, até meus então 16 anos de idade, a competitividade. Eu ficava sempre sozinho nas minhas opiniões, mas achava ridículo que em 19888 as Mclarens ganhassem todas as corridas co uma volta de vantagens para o terceiro colocado, ao passo que todo mundo só queria saber que o Senna estava la´ganhado a metade desas corridas (a outra metade era do Prost) e batendo todos os records numa superioridade de equipamento que se instalou e jamais deixou a formula 1 até hoje.

    É so verificar: a Mclarem ganhou absolutamente tudo (tudo mesmo -corridas, poles e campeonatos de piloto e construtores) até 1991. depois, pela ordem vieram a Wiliams, a Bennetton, Mclaren e Ferrari com imensa superioridade em relação aos seus rivais, como o exemplo do que ocorreu entre 2000 a 2005 com a Ferrari.
    Para mim, enaunto o que valeu foi mais o piloto do que o carro, Nelson Piquet foi imbatível, ganhava na raça, na tecnica e inventou, com Gordon Murray, o jogo de equipe quando estava na Brabham, como forma de compensar eventuais deficiencias de seu equipamento em relação aos rivais.
    Os números de hoje para mim não tem o mesmo valor do que os que eu tenho guardado num pequeno livretinho que veio de brinde na revista “Grid” de 1987, que continha todas as estatísticas da f1 até 1987 e onde Piquet figurava como um dos cinco melhores em todos os quesitos, com apenas nove temporadas completas.
    Dou mais valor ao título de 81 com suados 41 pontos (ou 43?), ganho na última prova do que a título proveniente de dezena de vítórias com pontuações centenárias.

    Em 1983, quatro pilotos de três equipes diferentes poderiam ser campeões na última prova. Em 2006, pelo menos temos um suposto duelo, já que nas últimas sete temporados, sequer duelos, de fato, tivemos.

    Resumindo, Piquet , enquanto a Formula 1 foi competitiva, era o seu melhor piloto, de todos os tempos.

  • embora nao seja tao habilidoso qto o pai, ta ficando claro que nelsinho nao enfrentará muitos problemas para chegar bem na F-1, afinal o pai ta investindo com todo seu prestigio nisso! Aguardem eleS por mais uns 2 anos numa equipe boa..

  • Identidade visual.
    Em corridas se utiliza do ‘casco’ para criar uma identificação.
    Particularmente não sou muito a favor de repeti-la, jé andei metendo o meu bedelho em outros sites.
    Porém com a suruba que esta na área do desing que evoluiu milhôes de vezes…tem se visto filhos, primos, fâns usando como uma forma de homenagem ou identificação…
    Que seja; nada se cria tudo se copia!
    O capacete MUG por exemplo é uma idéia simples e que é e será modelo prá muita gente.
    O do Véio – é ótimo, simples limpo, permite adendos (patrocinadores) e sugere o que ele sempre fez VELOZ.
    A Familia utiliza com variações do mesmo tema, Geraldo Azul/Prata, Rodrigo, N.A.P que sempre foi prata e vermelho e quando saiu a tal da cromagem se bandeou e agora voltou a usar o prata…

  • Me abstendo de votar no capacete, esse Piquet pai é um gigante… Só com as histórias que já ouvi (verdadeiras ou não), admiro o sujeito. Agora, vê-lo socando o Eliseu Salazar e deixando o Senna comendo poeira naquele video do YouTube sem dó, mostra por que deixamos de ter campeões e passamos a ter “amigos da galera” correndo na F-1. O Senna (que sempre achei meio fresco), também não ligava para ser gente boa com ninguém. Vamos ver se o Jr. vai “partir pro braço” ou vai seguir o estilo Berger/Rubinho/Coulthard de ser…

  • Piquet pai, the Greatest !!!!

    Se o filho tocar 2/3 do que toca o pai, vai arrebentar nessa F1 medíocre.

    Quanto ao(s) capacete(s), são mesmo dos melhores, porém no quesito originalidade fico com o MUG.

    Abraço!

  • O Nelsinho não esquece os bons tempos aqui em Brasília onde começou a acelerar um kart e sempre que pode vem a Brasília como neste final de semana quando passou toda a manhã acelerando juntamente com seu primo Geraldo no kartódromo do Guará.
    Quanto aos capacetes o do Nelsinho realmente é mais bonito, mas teve o que ele deixou aqui para um sorteio ou concurso da época do seu tri campeonato que também era muito bonito.

    Jovino

  • Se eu não me engano, o capa do filho tem o desenho igual o do pai. O que muda são as cores. A gota, segundo li numa entrevista do Piquet, é a forma aerodinamica mais perfeita da natureza. Por isso está no desenho do capacete, que ele mesmo projetou. O Piquet era piloto de por a mão na massa até na hora de desenhar o capacete!!! Por essas e outras que sou seu fã.
    Só uma coisa me incomoda no capa do piquet: nunca teve um padrão de cor. Já vi em todo tom de vermelho e até laranja!!!! Mas fora isso, é o capa mais lindo da história da F1, na minha opinião.

  • O capacete o Nelsinho (ou Piquet Jr. como dizem os gringos), é realmente bonito, mas igual ao do Emerson (principalmente os dos anos da F.Indy) ainda não vi. Sou fã do Piquet pai e torço para que o filho faça igual. A conferir… Vamos deixar o garoto correr…

  • O casco do Bop Pai é o mais bonito, juntamente com o Clay Regazzoni.
    O do Emerson, já foi mais bonito, quando ele ainda estava na Copersucar. Depois enfresculharam muito.
    Aí Jonny, sentimos sua falta nas última duas corridas.

  • Flávio, qdo. vc. entrou com o blog, e no vácuo vieram desde ESTADO de CIRCO, Panda ( meu falta o Titê se Tiver time) e muitos outros legais, fazem referência, não só ao CHEIRO de CORRIDAS, como tbm. à momentos de relax.!
    E eu aqui, dando um tempo para esta baixa umidade, dou uma conectada para saber do Cristiano, dai entro no blog do Téo José, para mim um MANÉ, e já descarregando a adrenalina depois de dar um Print Screen entro no seu blog. ( o ig tá meia boca heim!!).
    Esta do Nélson, é coisa de gente do ramo, sem colocar para fritar, mas dourando em azeite de prima a carreira do moleque, PARA INFELICIDADE DA GLOBO! Sabe Flávio, quem leu e tem o livro do Nélson, entende que prateleiras são feitas para expor produtos, ou produtos são feitos para se expor! Grande Piquet, gerencia a carreira do moleque com maestria, dá lá e toma cá. Este é o Nélson Piquet. Quanto à coluna do “téo josé”, vou postar aqui, e enviar por mail para ele. Flávio, sempre me perguntei se vale mais a mídia ou se a mídia vale mais? O que vc. acha?
    De Pato para Ganso, sem querer vc. matou a charada.! Lembra que te falava de uma DKW na Classic. Estamos com ela quase arquitetada. Chassis tubular flexivel com motor de Honda cr 250, bolha em fibra e se o regulamento permitir….. ONDE SE ACHA O REGULAMENTO DA CLASSIC? Sabe , o que a falta de notícias do Cristiano leva é a preocupação. O Eduardo Saçaki, um dos maiores Campeões de Motocross teve coisa bem pior. Pressão craniana acima do limite, baço, rim retirados, cervical pela segunda vez operada e EM CAXIAS DO SUL, a equipe o salvou, fato determinante como o físico do Cristiano, que os esportistas possuem um UP GRADE. Ah se o Cristiano ficar como o Dú Saçaki. Vamos trampar. Abçs.

  • O Nelson Angelo Piquet é realmente um piloto muito bom. Demonstrou isso nas categorias que correu. Assim como o pai. Espero estar em breve torçendo pela segunada geração dos Piquet na F1. Me apaixonei pela F1 torcendo pelo Piquet pai, e agora espero mesmo uma grande atuação do filho. ( Essa história de Piquezinho ou Nelsinho não me agrada não…). O capacete lembra muito o do pai pelo desenho, mas o cromado é show !!!

  • Muito bonito mesmo o capacete. Pena que o capacete não condiz muito com a habilidade dele ao volante, não é tão bom como o pai, mas acho que mesmo assim teria chances de se sobresair na F1, jáque tá cheio de piloto meia-boca lá :P

  • Flávio,
    eu assisti i filme Grand Prix, o relançamento com DVD duplo. Nos extras há uma reportagem sobre o cicuito de Brands Hatch (é assim que se escreve?) mostrando todo o traçado e suas peculiariedades, etc. Nisso, mostra corridas da A1 GP, com o Nelsinho liderando e vencendo, inclusive o comentário final é que só os melhores vencem aqui, e aparece o Piquezinho vencendo.
    Ótima publicidade – sendo mero acaso ou não.