Porrada é isso aí

SÃO PAULO (sensacional) – O vídeo que segue é certamente um dos três melhores que já foram mostrados aqui. Cortesia do blogueiro Broskinha, de São José dos Pinhais.

Trata-se daquele que é considerado o pior acidente da história da Nascar, ao menos em quantidade de carros envolvidos.

500 Milhas de Daytona, 1960. Largaram 68 geringonças daquelas americanas dos anos 50/60. Quando o pace-car saiu, pé na tábua.

(Sabem de onde vem a expressão pé na tábua? É que antigamente o assoalho dos carros era de madeira, e quando o sujeito acelerava tudo, grudava o pé literalmente na tábua.)

Aí, na curva 4, nada menos do que 37 carros bateram, capotaram, rodaram e fizeram a maior cagada do universo. O mais impressionante é que ninguém se machucou.

Um barato os pilotos de mangas curtas e capacetes coquinho saindo das jabiracas. No final, o locutor diz que “Lady Luck” salvou muitas vidas aquele dia, assim como os cintos de segurança e os santantonios.

Para ver o acidente mais gozado da história da Nascar, clique aqui.

Comentários

  • Só uma pergunta técnica: Os carros mais antigos, como os ford 42 e 34, que aparecem, podiam usar a mecânica dos mais novos? Se podiam, taí a as nossas carreteiras, ou os hots correndo… Pois a Stock americana nessa época sempre foi rigida quanto ao preparo, só se podia usar o que era de linha, daí o surgimento de monstros como o Chrysler 300 e o Hudson Hornet, e o Belair com injeção mecanica, entre outros. Nesse caso, os mais antigos levavam desvantagem na aerodinâmica. E olhem que os carros parecem um pouco rebaixados em relação ao normal. Ou todo mundo acha que um bel-air é tão baixo assim?

  • Um dos melhores posts do blog. Cerega disse tudo, outros arremataram.
    Isto é que é stock. Hojé é protótipo. Fico por aqui para não ser redundante.
    Viram aquelas suspenções. Caminhões a mais de 200 km hora

  • Coisa de doido mesmo. Existe um vídeo que eu considero o pior em termos de acidente da Nascar. O vídeo é da década de 40, imagino, pelos modelos dos carros, pois eles vão batendo e formando um amontoado e uma núvem escura enorme e muito fogo cobrem tudo e eles continuavam a bater e só se via quando entravam no meio da fumaça e não saíam. Não haviam segurança nem sinalização alguma e deve ter morrido muita gente.

    Jovino

  • Você tem um carro muito rápido, e uma curva desafiadora pela frente:
    Fazer de tudo para praticar uma coisa dessas com o máximo de segurança não é só aceitável, é recomendável pelo bom senso e responsabilidade.

    O QUE EU NÃO SUPORTO, de jeito nenhum, é quando cogitam de mudar a curva ou a velocidade para aumentar a segurança. Pois, se for para aumentar a segurança não praticando o esporte em seu todo, é melhor ficar em casa e deixar que tem coragem se divertir.

    Lógico, quando falo de carros rápidos, me refiro à motor. Carros com estabilidade e aderência absurda tornam as curvas piadas.
    A Eau Rouge, na F1, virou uma reta, o pessoal nem lembra dela, a não ser pela força G que é mais alta lá.
    Ver esse ano, nas on-board, o pessoal fazendo os Esses de Suzuka com a maior facilidade também é irritante!

  • Pois é Cerega!
    Era enfiar o pé na jaca mesmo!
    Coisa prá nego macho (e doido), impossivel imaginá-las nesses tempos de Politicamente Correto, mas que a essência tá fazendo falta, ah isso tá mesmo…

  • Apesar de não ser lá muito macho, como parece ser fundamentalmente necessário para alguns no que tange automobilismo, eu adoraria sentar minha botinha (prada, lógico) num carrão desses. Cada fofurinha nesse vídeo! Quantos carros maravilhosos! E que peninha vê-los destruídos. Dá até uma dor no meu coraçãozinho.

  • Isso que americano gosta, mas um grid medonho com 68 geringonças daquelas é absurdo??? 68!!!
    Não deixem o Carlos Col ver esse video, vai que ele se inspire nisso e faça um grid assim!!! Já pensou um grid desses em Cascavel, Tarumã ou Jacarépagua com nossas bolhas V8???

  • É impressão minha ou tinha carros de diversos modelos? não somente a “bolha” como hoje em dia mas o conjunto inteiro diferente entre si…
    Esse tempo devia ser bom. Esse acidente até parece filme de comédia. E o ronco dos V8itão,, é de arrepiar..
    Se fosse nos dias atuais, uma batida dessa só ia sobrar fibra pra todo lado, no caso deles é só desvirar a fubica e pau na máquina..hehehe

  • É, Ceregatti, a paranóia da segurança substituiu o medo da invasão comunista, de todos usarem a foice e o martelo. Os McCarthistas de hoje são os ecochatos e os que acham que carros a mais de 300km/h são seguros. O inimigo não é mais a União Soviética, é o perigo. Socorro!!!! Pare o mundo que eu quero descer!!! Como diria o mestre Veloz-HP, meus sais!!!

  • O vídeo e as imagens são sensacionais! O locutor espantado com o acidente e os efeitos sonoros é que são de doer.

    Os carros são clássicos, mas são mesmo carros de estoque, não levam muito jeito pra corrida. Tá mais pra um congestionamento que pra uma corrida.

  • Ééé meu caro Comendattore, além do mais, as roupitas de manga curta, calça social, e por aí vai…Ou eram absolutamente machos, ou absolutamente irresponsáveis. Hoje, por qualquer bobagem, batem o pézinho e dizem “não brinco mais”…Está tudo muito plastificado essa que é a verdade. Novos tempos, novos ventos, que só tem trazido poluição. Acho que é por isso que curto a SC..Abraço

  • Carros feitos “de lata”.
    Feixe de molas traseiros, como carroças.
    Suspensão lá em cima.
    Chassis com 2 longarinas como de caminhão.
    Carroceria separada do chassis.
    Pneus diagonais.
    Freios a tambor.
    Mais de 2 toneladas de peso total.
    Vidros de verdade, nada de acrílico.
    Motores com 5 ou mais litros fuçadaços e urrando.

    E os caras andavam socados uns nos outros, a dedos de distancia.

    Será que ficamos maníacos por segurança?
    Será que não exageramos na dose?
    Quem sentava numa barca dessas hoje, pra mandar o pé num oval como eles faziam a quase 50 anos atrás?

  • Adoro o tipo de trilha sonora que se usava antigamente e a entonação dos locutores… Outra coisa: isso era a verdadeira Stock Car, como já disseram nos posts abaixo. Carro de verdade e não aquelas bolhas sem graça.

  • Caraca…….
    Que panca, sem nenhum chassi para absorver impacto, imagina o tranco.
    E o cara sai e ainda vai desvirar carro.
    Reparem que quase não tinha arquibancada, e onde tinha estava vazia.
    Se Interlagos está assim, podemos mudar isso.