Um ano: Pipoquinha

SÃO PAULO (nem tudo é verdade) – Informalmente, a equipe do blog (Flavio e Gomes) chama esses vídeos de “Pipoquinha”, e é sabido que o YouTube explodiu neste ano depois que comecei a colocar alguns links aqui. Pedi comissão no dia da venda para o Google, mas não responderam meu e-mail.

Um dos primeiros postados foi “C’etait un Rendezvous”, um curta de Claude Lelouch rodado em 1976 que gerou muita polêmica, e gera até hoje. É um passeio por Paris num carro desconhecido, dirigido supostamente por um piloto de F-1 que faz as maiores barbaridades na Cidade Luz.

Há muitas especulaçôes sobre “…Rendezvous”, mas parte delas foi por terra com este making of enviado pelo videolouco Eduard S-Matic. Nele, Lelouch refaz o trajeto no carro original, que na verdade era uma Mercedes 450SEL automática. Pelo que entendi, o diretor acelerou certas passagens, sonorizou com um ronco de Ferrari e jogou no ar para ver no que dava.

Persiste um mistério: quem, afinal, dirigiu o carro?

Comentários

  • criança prodígio e nã0-matuza, tenho o filme há um tempão. na capa, comentários de car & driver – um dos melhores filmes sobre automóveis jamais vistos, e etccc.
    e a descrição: para fazer este filme de 9 minutos, o conhecido diretor frances claude lelouch montou uma câmara no nariz de seu ferrari e dirigiu, pé embaixo, pelas ruas de paris ao amanhecer.
    opto pela prova. todo o entorno é ferrariano. ademais, para que o trabalho para usar um mercedes e depois fazer toda a mixagem, numa época de exigir cenários físicos, cortes e colagens – nada de computação gráfica – seria muito maior do que utilizar a própria ferrari.
    talvez um cinéfilo possa identificar fisicamente o lelouch à hora em que ele corre para o encontro, o rendez-vous.
    aposto

  • das hipóteses q escutei sobre quem seria o piloto – ickx ou lafitte ou servoz-gavin – fico com o último, embora não saiba bem o motivo da escolha.
    era o mais desencanado dos 3 nomes à época do filme. abandonou a carreira depois de machucar um dos olhos num acidente num rally; foi parar nas árvores, a ponta de um galho o atingiu no rosto e, segundo o próprio, perdeu a visão periférica no olho afetado. foi praticar iatismo e viajou pelo planeta em barcos.
    morreu em 2004, se não me engano, não sei o motivo (era jovem ainda).

  • Em se tratando de cinema nada é impossível. Colocar os efeitos sonoros de uma Ferrari em cima do barulho da Mercedes não tem nada de mais para um bom técnico. Na época não tinha PC era tudo muito tosco mas o resultado final se iguala ao conseguido hoje. Para que eles iriam ter medo de dizer a verdade 30 anos depois ? O problema é que as pessoas se iludem e nao querem acreditar quando alguém diz a verdade …

  • Puxa, o making of estragou a fantasia… eu até tinha comprado o DVD há uns 2 anos, e sonhava com a Ferrari carburada dos anos 70, pilotada por um F1 driver da mesma década… bom, a dura realidade 30 anos depois. Mas é melhor a realidade mesmo, não? O dvd ainda vale pelas imagens fantásticas da cidade luz… que , pensando bem, mudou tão pouco em 30 anos. (ainda bem que não podemos dizer o mesmo de SP).

  • Claude Lelouch admite, na entrevista, ter sido ele mesmo o piloto. Além dele, havia mais 2 outras pessoas dentro do carro. É ele quem aparece no fim do filme, saindo do carro. Lelouch diz que escolheu a Mercedes, e não um carro de corrida, por causa do tipo de suspensão disponível naquele modelo. O objetivo era limitar vibrações na câmera. Muito pouco é dito sobre a trilha sonora; apenas que o trajeto foi refeito com uma Ferrari para gravação do áudio, sem maiores detalhes.

    Lelouch conta que havia somente um ajudante na rua, ao longo de todo o trajeto, na passagem sob o arco ao lado do Louvre. Esse ponto era a única passagem cega e o ajudante deveria sinalizar com uma lanterna caso houvesse tráfego. Lelouch, não tendo visto nenhum sinal do ajudante, acelerou e roletou os arcos. Depois da filmagem, o ajudante disse que a lanterna não estava funcionando!

  • Também concordo com o Jovino, acho meio impossível sincronizar tudo, inclusive diferença de reverberação do som no arco e nas ruas estreitas. A única coisa que acho ruim e que pode denunciar uma montagem é no final, a redução e o apagar do motor.
    FG, acompanho o blog, acho que quase do começo, pois me lembro da campanha pelas kombis, realmente é muito boa a coletânea de assuntos que você aborda, mas tendo sempre os carros e as corridas como plano de fundo ou tema principal.
    Apesar de que acompanho sempre, acho que está deve ser a segunda vez faço um comentário, desculpe a extensão do texto, mas queria me apresentar e aproveitar para lhe dar os parabéns pelo blog. Um grande abraço
    Nante / Porto Alegre – RS

  • FG, gostei do Videolouco Eduard S Matic foi legal FG, gostei mesmo !

    Parabens pelo primeiro aniversário de muitos desse blog, no que precisar estarei sempre a postos para te mandar videos e mais videos, valeu por postar e conte comigo !

    Parabens a voce FG e ao Blig do Gomes !!!

  • FANTASTIQUE… maravilhoso.. mas gostei mais do filme. Fala Fávio.. sou o cara de Niterói que te enviou as fotos do DKW Jr. Lembra? quanto ao Filme… Muito Bom retrata lindamente a Cidade Luz, suas vias e ruelas. É um grande passeio, que me faz ficar triste pelo crime que foi cometido em cidades brasileiras como Rio e São Paulo, que um dia já tiveram arquitetura comparável a algumas européias e hoje e esse horror de favelas e pseudo arquitetura pós-moderna de prédios com insulfim que vivemos e presenciamos.. é Flávio Gomes….acho que o vírus do saudosismo me pegou tb. um abraço.

  • É impossível eles colocarem imagem e som de uma ferrari ao mesmo tempo fazendo as reduções de marchas, as cantadas de pneus, as erradas de marchas, as conecções de som e imagem perfeitos, tudo isto para enganar os outros.
    Para mim, eles pegaram uma ferrari realmente e fizeram o filme e depois ficaram com medo do que pudesse acontecer.

    Jovino

  • Parabéns pelo belo trabalho. Gostyo muito do Blog. E mais uma vez, parabéns pela bela entrevista com o Luciano Burti…. sempre falei que o Bobby Rahal (Barbie) nunca valeu nada, está aí a prova !!!!

    Parabéns