Exumação do Plymouth

SÃO PAULO (acho que deu merda) – Notícias não muito alvissareiras do “desenterro” do Plymouth Belvedere deixado por 50 anos numa “cápsula do tempo” em Tulsa, Oklahoma. Quando abriram a tampa do caixão, perceberam que houve infiltração e o carro, coberto com uma capa, estava cheio de terra e lama.

Aqui tem um vídeo do momento da abertura do túmulo, mas o carro não aparece ainda. Só mais tarde, com cobrança de ingressos, creio que num ginásio, ou algo assim. Deve estar todo enferrujado.

Eu acho os americanos em geral uns babacas, basta ver as caras deles vendo o guindaste levantando a múmia de lata como se de dentro da cova estivesse saindo um disco-voador, mas devo admitir que a idéia é bacana demais.

Estou torcendo pelo Belvedere. Fico imaginando sua surpresa depois de meio século sendo retirado de um buraco e dando de cara com aquela gente esquisita. Gostei mesmo. Quando for aos EUA de novo, vou visitar esse carro em Tulsa.

No final do vídeo aparece um pedaço do parachoque e da lanterna traseira, e a coisa parece que está feia. Aliás, tem um barbudo no fim da reportagem que olha por baixo e faz cara de “fodeu a bagaça”.

Voltamos logo mais com outras informações.

Comentários