Guerra dos Mundos

SÃO PAULO (vale tudo) – Depois da campanha do Sentra, que começou na internet com a criação do fictício grupo The Uncles (que estaria voltando com novas músicas, etc. e tal) que na verdade era apenas um “teaser” para lançar o sedã “que não tem cara de tiozão”, vem aí o asteróide Pallas.

A Citroën plantou uma falsa notícia na internet dando conta do choque do asteróide que leva esse nome com a Terra. A história toda está no e-Code de Eric Messa. E já gera controvérsias.

Até que ponto deve ir a publicidade na internet? A divulgação de notícias fictícias como se fossem verdadeiras (o grupo The Uncles nunca existiu, embora tenham sido criadas comunidades no Orkut, blogs e o escambau a quatro) para lançar produtos é válida?

Meu filho pequeno, se lesse no UOL ou no Estadão que um asteróide iria se chocar com a Terra ficaria apavorado. Ele morre de medo dessas coisas. O UOL tirou a campanha do ar “pois repudia publicidade que imita conteúdo jornalístico e confunde o público, mesmo que o espaço utilizado esteja informado como ‘Publicidade'”, diz o e-Code.

Pois fica aberta a discussão. Ah, o carro é esse aí embaixo. Vivemos a era dos sedãs no carnê. Tudo carro de tiozão.

Comentários

  • Sobre a propaganda nem tem o que falar, ridícula. Sobre o carro, muito bonito, aliás eu adoro esses sedãs novos, quase todos eles! Sentra, Fusion, Civic, Corolla, C4 Pallas, Jetta, acho todos eles lindos! Mas pelo preço que eles estão custando e pelo que eles oferecem a esse preço, eu fico com meu completíssimo e potente Tempra Turbo Stile, que é velho mas é muito bem cuidado e deixa esses carros mais novos todos na poeira na estrada. Até mais!

  • Vcs já viram a publicidade se preocupar com alguma coisa que não seja vender? Engraçado é que quando uma agência toma um chapéu da outra, como no caso do Zeca Pagodinho, ela vem choramingar pela ética. Ética? Os caras fazem propaganda de cerveja pô! Vcs acham que quem não se importa em associar o consumo de álcool a beleza, prazer, saúde, alegria, esporte, diversão, vai se preocupar se uma notícia fictícia pode ser perigosa?

  • Por mim poderiam pegar esse Pallas, o Sentra, o Fusion, o Corolla, o Renault do cartão, o Jetta e jogar tudo na prensa hidraulica.

    É tudo carro de tiozão barrigudo metido à executivo, sem graça e o pior, tudo importado do México ou da Argentina, com exceção do Corolla.

    Carro para tomar emprego dos trabalhadores brasileiros.

  • Olá,

    Sou editora do Jornal de Debates ( http://www.jornaldedebates.com.br ), um jornal colaborativo na internet que periodicamente propõe debates sobre assuntos da atualidade. Essa semana entraremos com uma discussão relacionado aos limites das campanhas virais de publicidade.
    Encontrei no seu blog um post sobre a campanha para o lançamento do carro da Citroen que se utilizou da falsa notícia de que um asteróide poderia se chocar com a Terra, e gostaria de convidá-lo a escrever um artigo para nós, ou mesmo permitir que publiquemos seu post.

    Qualquer dúvida, entre em contato.

    Grata
    Gabriela Nardy
    Editora – Jornal de Debates

  • Marketing viral e cnversão de mídias…somente agora aqui a tendência está chegando e pelo visto não pegou bem…seu efeito é justamente esse, fazer o povo discutir, falar, etc…é o elho mote do falem mal de mim, falem o que quiser de mim, mas falem de mim.

  • Assunto super polêmico. Apesar de ter achado o Sentra horrível, até que eu gostei da idéia do conjunto musical e sua divulgação. Entretanto, essa de choque de asteróide com a Terra já não gostei. Achei apelativa demais. Assim que eu começei a ler o post, me lembrei da Guerra dos Mundos do Orson Wells. (Isso é citado no blog do Eric Messa.) Eu me lembro do meu pai contando esse fato. Ele dizia que teve gente que morreu por conta do pânico provocado pela notícia, mas não sei se é verdade. Como a nternet é uma mídia relativamente nova, muitas coisas desse tipo ainda vão aparecer. No fim, a opinião pública decidirá entre o marketing bom e o ruim. Essa da Citroen terá efeito negativo em minha opinião.

  • Mote ridiculo. Aliás, a propaganda no Brasil anda muito rasteira. Propagandas de extremo mau-gosto das cervejarias e agora das empresas automobilisticas. Numa época que se tenta levar a ciência à camadas mais baixas da sociedade este tipo de anúncio é típico des-serviço. Bola pretíssima para a Citroen.

  • Elementar, meu caro Gomes. Elementar.

    O que a Internet não faz por jabá, hein… Criar uma notícia ( a agência de publicidade ) para o pré-lançamento de um produto. Convergência das mídias e – por que não? – carreiras. Publicitários dando de jornalistas.

    Se o Sindicato dos Jornalistas cisma, cai matando em cima dos publicitários.

    Elementar.

  • A campanha do Sentra , realmente a meu ver não é atrativa (principalmente os primeiro spots veiculados , tanto que os que estão sendo veiculados já despertam mais a atençào). Penso que o “efeito “desejado pelo publicitários não provocou a curiosidade/polemica e etc desejados. Agora , que o sedan em questão tem lá suas qualidades isto é inegavel …… Quanto ao Pallas ,será um belo carro se visto dentro do contexto à que foi idealizado , ainda que a campanha possa ter sido má idealizada quanto à mídia de lançamento……

  • FG, você tem poupado o novo ícone dos tiozões, o Ford Fusion. Eita coisinha chinfrim. andei em um V-6 com cambio manual que era bem legal, mas essa barca de 4 cilindros e cambio automático é uma lástima (o carro é feito no México, então eles devem achar que também somos cucarachas; somos, mas de outra espécie) . Pior ainda se for blindado.
    De todos eles, o que se salva é o Sentra, que pelo menos tem um estilo mais arrojado. O Corolla devia entregar uma caixa de gerovitol (ou viagra…) no porta-luvas de cada carro.

  • Pois é, tá cheio de propagandas assim na 4 Rodas, Veja, Época e os cambal, os caras plastificam elas de notícias e botam no meio da revista, os idiotas aqui quase caem no conto e acabam lendo algo que não queriam… e qual o efeito dessas propagandas? Para mim o efeito é o contrário, só me faz ficar com mais raiva, ainda mais desse carro de Vozão – o Sentra – pq nem meu tio compra um…

  • Tem que tomar cuidado com essa manobra, para posteriormente, isso não se tornar “febre” mundial. Imaginou só o embrólio? Vai para o espaço a isenção e o descrédito torna-se realidade em relação à publicidade, imprensa, enfim.
    Internet está para nos ajudar, e não para atrapalhar ainda mais.

    O convenhamos, se fosse os novíssimo Dodge Charger RTO, Ford GT-40, Audi’s ou BMW’s vá lá.
    Mas fazer tudo isso por esse Sedan?
    Tá!