No Texas…

SÃO PAULO (colorida) – Assistir a uma corrida de F-Indy é um exercício de sadismo. Ainda mais essas provas longas, como os 550 km do Texas.

(Por que 550? E por que os caras colocam nos caracteres da TV, nos EUA, “550k”? Internacionalmente, km é a sigla para quilômetros. Esses americanos são uns ignorantes.)

A gente fica torcendo para acabar logo, ou para acontecer alguma coisa. Mas “alguma coisa” pode ser um acidente fatal, pela velocidade estonteante nos ovais. Então a gente se culpa por torcer para os caras e as minas se arrebentarem.

Os pit stops são divertidos. Os pilotos erram o lugar, passam direto, se tocam, os mecânicos se atrapalham e as mangueiras não concetam. Mas é só. Porque a corrida em si é chata demais.

Ontem de noite, invadindo a madrugada, deu Sam Hornish, da Penske. Uma batida múltipla levou meia-dúzia pro saco no final, entre eles Helinho.

Mais dois destaques: Tomas Scheckter irritado com Marco Andretti jogou suas luvas no rival. E Danica Patrick em terceiro, melhor posição da menina dourada na Indy.

Comentários

  • Marquito falou e disse tudo. Antes de saírmos jogando a pedra na Geni, vamos pesquisar o porquê.

    E se americano é ignorante, brasileiro é o quê??? Povinho medíocre esse nosso…tstststs.
    Abs.

  • Nao sei se alguém já comentou aqui, confesso que nao deu tempo de ler todos os posts. Mas uma explicação para o uso da letra K no final dos números poderia ser o uso da notação científica 10 elevado à terceira potencia. Velha conhecida de quem trabalhou com resistores e afins, a tabela de conversão – que também é universal – utiliza-se de letras gregas para substituir as notações. 10 Mb (Mega bytes), por exemplo, seria 10 elevado à sexta potencia. Nike 10K, representa Nike 10000 (metros, implicitos). Concordo que essa notação so gera confusão.

    :-D

  • Este final de semana foi automobilisticamente falando SENSACIONAL.
    Grande prova no Texas (IRL), muito disputada, emocionante e como sempre os Brasileiros mostrando todo o seu talento, Kanaan um lutador, Helinho está perseguido pelo azar, Meira com equipamento inferior compensa com desempenho constante. Boa transmissão com Téo José (embora eu prefira o outro menino, é menos afetado), oportunas intervenções do Herman, que entende do assunto e acompanha “in loco” Destaque também para a corrida muito boa da Danica.

    Bela prova da DTM num circuito que eu adoro, Brands Hatch.

    Fantástica prova no Canadá, vitória merecida do Hamilton, soberba. Ótimo Heidfeld e sua BMW, sorte (e das grandes) para Kubica. Um final de semana para esquecer na Ferrari, mas, vamos lá, tem muita corrida pela frente. Maravilhoso o Sato, adorei a ultrapassagem no espanhol. Devagarzinho as coisas vão entrando nos eixos, a verdade aparece com o tempo. Na semana retrasada Ron Dennis deixou recado claro por quem os sinos dobram na equipe, neste fim de semana Hamilton também deixou seu recado, nas entrelinhas desta vitória há muito o que se esperar..!

  • Sem exageros…
    A corrida foi legal de se ver, como a grande maioria das corridas da IRL. Não gosto muito desse seu radicalismo “kamarada” Gomes. A F1 pra ter uma corrida emocionante, levou meses! E “só para variar” quem fez a curva em primeiro lá ficou até o final da corrida.
    Mas… “Cada cabeça uma sentença” como diz meu sábio pai. Prefiro a emoção da IRL e da MotoGP as corridas muximbentas da F1.

  • Gomezzz, o que me emociona neste tipo de prova é ver um Dan Wheldon e um Sam Hornish brigando a 340 km/h a milímetros sem se tocarem, com carros extremamente nervosos (vide camera on-board)… Exemplo de coragem e estupidez, coisas que movimentam o ser humano, dá mais vida…

    Andei em Interlagos neste fds com um Lobini. Uma grande experiência, especialmente pelo carro…

    Abs.

  • Engracado… quantas corridas jah assisti da IRL e a diferenca entre os 3 ou 4 primeiros colocados foi de 0.00xx… ficava na casa dos decimos de milesimo. o negocio lah eh apertado mesmo. Emocao eh isso e nao chegar a 50 segundo de frente como foi a maclaren a frente da ferrari em monaco. quem gosta de ver acidente nao assista a IRL pq tah cada dia mais dificil acontecer. assistam a Stoque car que tem esse nome pq o estoque de carro eh grande por causa dos carros batidos nas corridas. os caras correm lah a vida toda e se acham os tais… pq nao correm na DTM ou na ITC, pode ser ateh na NASCR pra provar que sao bons mesmo? ficam brincando de carrinho de bate-bate aqui no Brasil!

  • Claro Gomes, ótima coerência. Diz que a corrida da F1 o Canadá foi emocionante, mas a da F-Indy no Texas, foi chata. Você só não só atentou que o GP do Canadá nunca foi tão parecido com uma etapa da Indy. Carros entrando juntos nos pits, diversas bandeiras amarelas e safety cars, várias ultrapassagens e fora o Hamilton, ninguém saberia quem ia ao pódio.

    Ainda bem que ninguém mais te dá crédito e seu texto está cada vez mais xumbrega. É por isso, que nem no Lance o pessoal te quer mais. Saiu da Band e compra horário na ESPN para aparecer. O Grande Prêmio é ótimo, mas está seguindo a linha do dono. Pelo amor, dizer que a corrida foi chata e sem emoção, é melhor falar que dormiu e deixou o texto pronto antes…Grande narração do Téo José e ótimo resultado da Danica, adorei.vIsso sem falar do Tony, que prova que é favorito ao título

    Wake Up…

  • Do que eu consegui ver da corrida, tava razoavelmente interessante, mas o normal em ovais, ou seja, sempre vai ter disputas porque todos andam relativamente perto… e tem os pits… mas até onde eu vi, o Sam Hornish estava na frente. Depois, o sono me levou… vi que não perdi muita coisa…

  • Realmente, os americanos sao ignorantes, uns imbecis.

    Gracas a Deus!

    Se mesmo sendo ignorantes dominam o mundo, economica e militarmente, imaginem o tamanho do dominio se eles fossem bons como nos brasileiros, os fudidos, os gostosos, os bons, os espertos, os mestres do jeitinho, etc.

    Realmente eles sao ignorantes, cultos somos nós, governados por um semi analfabeto, canalha, ladrao, chefe de quadrilha de caca niquel.

    Culto é um povo do qual floresce um elemento que se diz comunista mas é especialista em F1, um jornalista defensor de censura, um comunista que pratica esporte burgues.

    Culto é ser antiamericano e passar no caixa de uma multi americana no final do mes para receber.

    Vc nao se toca nao o mane?

  • Do meu ponto de vista, o único grande problema da IRL eh grande qtdade de ovais por ano. Fora isso, eh uma categoria mto mais interessante q a F1: pits com limitação de pessoas (o que aumenta a segurança e a probabilidade de erros), carros com mto menos apelo tecnologico e com um relativo padrão mecânico, qse ausência de regras estratégicas (como a questão da qtdade de combustivel), pontuacao que motiva combater posições, etc. Até o fato das equipes poderem usar carenagens diferentes em seus carros contribui (tanto para o espectador qto para o patrocinador).

  • Sobre a dúvida da utilização do “k”. Na verdade não só os americanos, mas vários países têm adotado (informalmente) a utilização do k (o correto é minúsculo) para a designação de 1000.

    Isto vem do Sistema Internacional de Unidades- SI (http://futebol.incubadora.fapesp.br/portal/doc/Si.pdf) que trata entre outras coisas dos prefixos e sufixos que devem ser utilizados na escrita das unidades do sistema internacional.

    Exemplo: A unidade internacional de Massa é o grama (símbolo g). Como é mais comum utilizarmos grandezas maiores do que 1000 gramas, adotamos o seu múltiplo que é o quilograma (símbolo kg).

    Outros múltiplos:
    mega – (x1000000) – símbolo M
    giga – (x1000000000) – símbolo G
    tera – (x1000000000000) – símbolo T)

    Submúltiplos:
    mili – (x0,001) – símbolo m
    micro (x0,000001) – símbolo mi (m no formato “Symbol”)
    nano (x0,000000001) – símbolo n

  • O site tá de brincadeira…dizer que a corrida da IRL no Texas foi sem emoção? Teve de tudo um pouco e se Tony não passou Sam Hornish foi porque este não errou no final apesar da pressão. Fora o fio de cabelo de distância que Kanaan passou no acidente entre Helinho e os carros da Ganassi.

  • Desde quando os americanos precisam agradar alguém mais do que eles mesmos? A Nascar é o típico esporte americano sem a influência externa e é o esporte que mais movimenta $$$ nos EUA. Eu gosto da IRL e a prova ontem não foi uma prova longa porque toda hora estava acontecendo alguma coisa.
    Corrida foi divertidissima e não achei tão longa porque o circuito é pequeno e permite todo mundo andar embolado, agora os americanos nunca pediram para que gostassem deles, assiste quem quer uê,

  • Droga…. É só eu me render aos suplicios da minha namorada e sairmos de noite pra corrida ser boa… (pelo o que li nos comentarios dos colegas).
    E concordo com todos… pelo menos em termos de emocao, a IRL esta dando de 10 a zero na F-1…

    P.S: Tomara que todos nós quebremos a cara hoje e possamos assistir uma corrida emocionante no Canada…

    Abracos

  • IRL tem seus problemas? TEM. Assim como a F1 também TEM. Mas apesar de todos os problemas, na IRL o campeão AINDA não é decidido um dia antes da prova.
    Pelo menos esta emoção a IRL ainda carrega.

    Flávio, Todos sabemos que você não gosta da IRL (e não esconde nem um pouco), mas ela tem as suas diferenças e algumas destas diferenças hoje em dia trazem muito mais emoção ao fã do que a F1 faz.

  • Eu gostei da corrida e da narração. Na parte da competição houve várias alternativas. Torci pelo Kanaan e pelos brasileiros em geral. Ah! pela Danica também.
    Acho que é o caso de quem não gosta categoria não vê-la, para não ter dissabores. Senão fica aquela coisa de ir ao circo esperando o trapezista cair do trapézio, e desgraçado não cai, entendeu?
    Se não gosta vai ver o que?
    Eu não gosto de filme gay. Vou comprar ou assistir para que? Num é, não?

  • humilde escriba respondendo à dúvida do bligueiro: Antigamente a corrida doo texas tinha 200 voltas. Eles decidiram incrementar 28 (total de 228) para atingir 550 quilômetros e assim fazer uma homenagem ao Bombardier Learjet 550K.

    Portanto o “K” de 550K refere-se ao nome do Bombardier e não à (coincidente) extensão da prova, pois se fosse isso deveria se chamar 550km.

  • Sim verdade a prova foi chata, divertida mesmo são as provas de “Autorama” da Formula 1 né ? (Ironic Moment Off)
    Já sei quem ganha a corrida de F1 logo após o final do treino classificatório, já na Indy a emoção é até a ultima volta pra saber quem chega na frente, sem asadeltas penduradas, sem pneus riscados, sem auto-ajuda na pilotagem, tudo no braço essa é a Formula da Emoção !

  • Caro Gomes, bom dia!
    Sem querer defender a americanada, prá eles, colocar o “k” é normal, pois o sistema de medidas deles é diferente do nosso e, vejo em nosso pais as pessoas se referirem ao sistemas deles de forma errada também. Nesse caso, uma mão lava a outra.
    Quanto às corridas chatas, o mesmo digo de fórmula 1, onde uma equipe tem um carro que domina a categoria por 5, 6 ou 8 anos seguidos e sempre dá o mesmo cara no final…a gente consegue prever o resultado. Esse ano por exemplo será mais difícil fazer previsão, outra equipe começa a superar aquela que esnobou por tanto tempo (atá quando?).
    Pelo menos na Indy o equilíbrio nas equipes fala mais alto. Por isso creio que por lá não vai surgir nenhum Shummy ou Ferrari para dar mais “emoção”.

  • detesto circuitos ovais parece aquelas corridas romanas de bigas com cavalos…monotonia pura…mais torco pelos excelentes pilotos brasileiros… em acao…valeu TONY…vc esta em forma EXCEPCIONAL…valeu HELIO…essa mare de azar …ja ja passa…valeu DANICA vc e fera mesmo…da PAU ate no queridinho MARCO ANDRETI…hehehe…e querem leva-lo para F1 hahaahah so rindo…hahahahrssrsr

  • É!
    As corridas são cheias de ultrapassagens, mas o ruim é que é quase sempre nesses ovais sem graça.
    Nos bons tempos, quando a Indy corria em circuitos mistos, era muito mais interessante, e até os ovais, por não ser sempre neles as corridas, ficavam legais, era uma coisa diferente.
    Agora é sempre em oval, é sempre chato…

  • Toda a vez que tenho paciência para assistir a corrida , a Band corta a transmissão , mas ontem não troquei meu sono pela corrida do ” cachorro atrás do rabo” .
    Desculpem-me ,mas correr em círulos para mim não é automobilismo , esse formato para mim é de corrida de cavalos.
    Agora , se a IRL aumentasse o número de corridas em circuitos mistos , aí sim , teria tudo para bater a F-1 em emoção .
    O problema é que americano não gosta disso , aliás eles não gostam de nada que preste , só agradam do que faz parte ” de seu mundo”.

  • Flavio, por favor. De todas as corridas vc reclama! Eu já não entendo mais o que uma corrida precisa ter para te agradar. Assisti a prova da Indy inteira ontem, sinceramente, foi uma ótima corrida, troca de líderes, pit com erros, pilotos errando, tudo que vc falou que falta a F1 em sua coluna e mais, no fim a pressão do Tony para cima do Sam Hornish foi eletrizante, teve ultrapassagem por fora e poucas bandeiras amarelas.

  • Fazia tempo que eu não assistia a Indy mas, confesso, a de ontem foi tremendamente mais emocionante que as corridas de F1 de hoje em dia. Dá certo medo pela possibilidade de um acidente sério a qualquer momento. Mas existe troca de posições, a velocidade é alta e os pilotos se arriscam, tentam ultrapassar, ao contrário da F1. Não foi aquela maravilha, mas se lembrarmos da chatice do GP da Espanha ou Mônaco, ou de traçados travados como Hungaroring, a Indy e os chatos ovais aos menos são rápidos e há disputa.

    Nos pit stops, o legal é que um mecânico sempre empurra o carro. Pra quê? É um ritual, ou é realmente necessário?

  • Achei a corrida boa e acredito que vai ser melhor que a F1 no Canada.
    Só uma duvida que fiquei nessa corrida, eles fazem toda volta com acelerador em 100% ?? Apareceu um grafico bem rápido no meio da corrida mostrando isso… Alguem explica por favor…