MENU

domingo, 9 de novembro de 2008 - 20:22No comments, Stock Car

NO COMMENTS

Detalhe do guard-rail de Brasília, em clique de Bruno Terena. Notaram o ano em que a peça foi inspecionada?

27 comentários

  1. Fabiani C Gargioni disse:

    Essa é a nossa CBA, cobra um monte, mas não retribui, que pena!!!

  2. MRodrigs disse:

    Jeba,

    Só uma correção. o Laércio bateu num caminhão plataforma, ao lado deste é que se encontrava um caminhão do corpo de bombeiros.

  3. MRodrigs disse:

    É isso aí…………. só trocam quando passa um carro por cima e mata um piloto, mas só se não der para “aproveitar”.

  4. Rubem Rodriguez Gonzalez disse:

    Flávio, essa data provavelmente se refere a época da inspeção de instalação, normalmente são feitos END ( ensaios não destrutivos) em pontos cr´tico pré determinados por um inspetor de equipamentos qualificado pelo CREA, em períodos pré determinados pela ABNT ( associação brasileira de normas técnicas) isso deve constar em mapas de acompanhamento no fichário técnico do autódromo,e não necessáriamente na peça. Bem isso é o que deveria ser feito, o que é feito não sei, é bem provável que a “inspeção” pintada no guard rail ( que tinta boa!!!) tenha sido a primeira e única recebida pelo referido até hoje, com a palavra os responsáveis.

  5. do Amaral disse:

    esse trecho parece que está inteiro, mas é bem verdade que são tocos de madeira que sustentam as lãminas, e também são da época – aliás já mostrado pelo Terena também no GP, um tempo atrás.

    e eu vi uma peça dessa solta, no último trecho do guardrail, no fim da reta atrás dos boxes, circuito misto.
    a lãmina de baixo estava presa só num toco, no outro dava pra empurrar pra frente com o joelho.
    um carro de fórmula certamente afundaria a peça e passaria direto – se bem que ali a área lateral de escape rebaixa em relação à pista, o carro ia era voar sobre a barreira.

    vi isso assim duas vezes, (marquei e nunca fotografei) a última foi uns 3 anos atrás. deve estar igual.
    mas é bem verdade também que o traçado longo é muito legal.
    o piquet mesmo usou isso para promover a pista, o fato dela não ter nenhuma chicane.
    abs

  6. Jeba disse:

    Hum… o problema dos guard-rails do autódromo de minha cidade é que são apenas duas chapas de zinco em grande parte do autódromo, ao invés de três chapas, que seguram carros mais pesados… essas duas chapinhas de zinco de 35 anos de idade, estruturadas em caibro carcomido de igual idade não seguram um carro pesado em velocidade…

    O Laércio Justino morreu de Stock aqui por conta disso… escapou forte, a mais de 150km/h… e no que deu no guard-rail o mesmo não aguentou, e pior, ainda lançou o carro no ar, causando a batida do Stock com um caminhão dos bombeiros… foi praticamente morte instantânea…

  7. Di Moreno disse:

    nossa… meu pai ainda nem conhecia a minha mãe em 1973….

  8. Braulio Gerhardt disse:

    Isso é que é material bom!
    O guard-rail e a tinta usada na inspeção também.
    Hoje em dia é difícil achar alguma coisa que dure…

  9. cesapar disse:

    Como alguem disse ( Du?) a chapa é zincada ,por isso dura bastante. Sabia que o Zinco é um mineral (um dos) essencial que ajuda o sistema imunologico, é bom pra próstata, ajuda a formar insulina, e participa da formação da porrinha nossa de cada dia? (cada vez menos)

  10. Aliandro Miranda disse:

    Ainda bem que ninguém o inaugurou!

  11. EDU disse:

    Que é antigo, tudo bem, mas está firme no lugar…

    Ao contrário de Autódromos novos como o de Sta. Cruz que sequer tem guard-rail…

  12. Hugo Becker disse:

    Hahahahaha, putz…. lamentável… um salve à CBA!

  13. Rafael Aun disse:

    Juro que achei que a chapa tinha vindo da Ucrânica ou Russía…

    Depois vi que estava de cabeça pra baixo….

  14. Valmir Passos disse:

    Sem comentários mesmo.
    Principalmente para as palavras do Reginaldo Leme. Não entendo o que está acontecendo com ele. Deveria se aposentar. É um absurdo ele dizer que a nossa Stock é” a melhor categoria do genêro no mundo. Nem a DTM tem tanta competitividade e organização como a nossa” Tudo bem que a DTM atualmente não está tão forte como já foi. Mas comparar as nossas gaiolas multi bolhas com aqueles carrões, autódromos e organização é uma piada.
    É um atentando à nossa inteligência. Não disse uma palavra sobre as condições vergonhosas do autódromo de Brasilia. Nos boxes, o piso tinha rachaduras, buracos e terra pra todo lado. Em suma, um lixo. Não entendo como alguém com tanto conhecimento no esporte e tanta experiência pode falar uma asneria dessas. E pra variar, perde a oportunidade de prestar um serviço ao automobilismo nacional.

    Abraços
    Valmir

  15. Jovino disse:

    O problema não é a chapa em si e sim o que dá sustento para que elas fiquem firmes que são os caibos de madeira que já estão vencidos e meio podres, pois já vi carros baterem nelas e eles se soltarem e pederem a sua função.
    Quanto a data, me parece que é de quando elas foram inspecionadas pelo fabricante antes mesmo de chegarem ao Brasil.
    Jovino

  16. jose carlos disse:

    em indianapolis tem parts que tem mais de 60 anos em pe sem danificar ou por em risco
    esta galva tem que durar 50 anos na especificacao e dura 100 anos sem zebra
    o que corroe e desgasta sao os cartolas da cba
    jc sete lagoas

  17. Roberto Martinez disse:

    Como informado pelo Dú , a chapa é zincada e se não houver corrosão e não sofreu nenhuma pancada forte dos F. Trucks, não há problemas. Se há falta de estrutira em autódromos do Brasil, ok, concordo, mas não no caso deste guard rail.
    A foto valeu muito mais pela história do que pela “denuncia”.

  18. Jackie disse:

    Apenas 35 anos !!!!
    Pouco tempo !!!

  19. Sergio disse:

    Bobagem! Esta data refere-se a montagem do guard-rail. Se esta lá até hoje é porque está num local que não recebeu nenhum pancão.

    O autodromo de Brasilia está lá, modesto mas direitinho. Como falou o amigo acima, o asfalto também é da época, 1973. E na minha opinião é o melhor traçado do Brasil, pena que a Estoque e a Truck descobriram este anel externo e não correm mais no traçado original, que é bem mais legal.

  20. 11 meses antes do meu nascimento. E viva os cartolas do automobilismo brasileiro.

  21. Rodrigo disse:

    Realmente uma imagem fala mais do que mil palavras…
    NO COMMENTS

  22. Marcos Micheletti disse:

    Talvez esse seja o maior problema de passar de 100 quilômetros por hora num Corcel II. A infra-estrutura dos autódromos (?) brasileiros. Boa sorte a todos que se aventuram nos Puminhas, Passatinhos, etc…

  23. Bugre disse:

    O pior é que foi inspecionado à noite!

  24. Abreu disse:

    E o asfalto é ” da época ” também.

  25. Jefe Rodolfo disse:

    Eu estava lá. Essa data se refere a quando foi entregue o autódromo e em seguida teve uma corrida de F1 muito legal.
    Evidentemente o autódromo deve passar por inspeções antes de cada corrida que acontece nele.

  26. disse:

    Esse viu o Émerson ganhar em 74. Se falasse tinha história.
    Mas o seguinte, se a chapa foi zincada a imersão quente, tem 50 anos +- de vida útil, caso no processo eletrolítico, 2 anos…..
    Eu do Terena achava uma chapa como esta, cortava em algum box e trazia para pendurar na parede.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>