A NOVA ISETTA

SÃO PAULO(lindinha) – Semana passada foi o Passat Iraque, nesta semana a nova Isetta que apareceu aqui no blog um dia desses. Fomos atrás e fizemos uma matéria para o “Limite”, da ESPN Brasil. Já está no YouTube, então está aqui, também. O projeto é do empresário Américo Salomão e sua trupe. Adorei e já comecei a contar os dias. Como digo na reportagem, estou na fila. Só não escolhi a cor, ainda! Mas vou escolher em breve, porque no site do Américo já tem até um formulário para quem quiser encomendar a sua e entrar na lista de espera.

Comentários

  • Eu já solicitei por farias vezes informações a respeito da réplica isetta e até agora não recebi resposta …
    Será que alguém pode me responder: como conseguir comprar somente a carroceria? a porta dianeira? e posteriormente os demais componentes?
    Este é um velho sonho meu, atenciosamente, Cezar

  • Vocês estão reclamando porquê não sabem que uma Isetta original custa entre 60 e 80 mil reais e essa que é replica custa entre 27 e 40 mil reais, então vocês não tem motivos para reclamar do preço. Essa Isetta deve ser artesanal, uma máquina de montar carros deve custar muito caro . O preço esta caro demais para não ser artesanal. E se você quer ter uma Isetta e pagar pouco dinheiro a sua oportunidade acabou! so dava para isso ser possível a mais ou menos 50 anos atrás, quando fabricava a Isseta original 0km.

  • Alguém já viu uma “réplica perfeita” feita de fibra de vidro? É estimar muito pouco o que é um automóvel. Buggy ou bugre não é um automóvel, é um brinquedo. E quanto ao preço, uma réplica de verdade não pode ser barata não. No caso da BMW Isetta, a original, mesmo antiga, é carro de verdade.

  • Faz tempo que não coloco um pitaco…mas o blog continua interessante.

    Parabéns pela iniciativa dos responsáveis pela réplica.

    Nos meus 18 aninhos um colega de escola tinha um brinquedo deste o qual era acelerado pela galera em peso fazendo fila para chegar a vez de cada um numa reta meio deserta e em declive da rua Bartolomeu Feio no Brooklin.
    O apice da emoção era quando passavamos numa emenda do trecho de paralelepipido (è assim) para o asfalto. O bolidozinho já embalado em ultima marcha parecia que fazia um pequeno võo
    e quicava no asfalto umas duas vezes parecendo uma bola de basquete.
    Os anjinhos da guarda logicamente ficavam olhando da calçada.

    Agora é muito legal a gente escutar a pronuncia BEEMEVEE como a do F.G.
    Não sei porque por aqui o pessoal novo rico e incrivel até os responsaveis pela marca pronunciam BEEMDABLIU.
    Então deveria ser tambem DECADABLIU.?????

  • Noa anos 80 já tentaram a produção de uma réplica…
    DIASETA – Tentativa de um empresário do ramo de autopeças do ABC paulista em ressuscitar a clássica Romi-Isetta, a partir da mesma carroceria e motor BMW monocilíndrico de 4 tempos. Mostrada na Brasil Export (São Paulo) em 1980, a Diaseta apresentava faróis embutidos no pára-choque dianteiro inteiriço, em fibra de vidro, tomadas de ar sobre os pára-lamas dianteiros, lanternas traseiras e intrumentos emprestados do Fiat 147.
    No site abaixo há uma foto

    http://www.carroantigo.com/portugues/conteudo/curio_carros_conceito_nac_5.htm

  • Puxa… muito legal essa… eu sempre fui fã da Romi Isetta, mas confesso que sou mais o modelo inglês de 3 rodas.

    Agora um detalhe, na materia diz que ela tem cambio de 6 marchas pra frente… e não tem ré ????

  • estão reclamando do preço???

    poxa…o cara se dispõe a recriar um clássico e vocês querer levar de graça???

    quem “só” tem 15 mil pra pagar num carro não vai compra uma romi isetta…vai comprar um gol bola…uno..pra usar no dia-a-dia

    além disso…qdo se compra um carro desses, não se está pagando apenas por um amontoado de peças que se transformaram num carro…por isso o preço elevado

    de qualquer forma….sonho por sonho…o meu é um VW SP2… (mas é caro pa dedéu tb!!!!)

  • Acho que tem gente viajando aqui nesses comentários.
    Um motor de Twister custa uns 2.500,00, mas uma pintura decente uns 1.500,00. Só ai já foram 4.000,00, como fazer uma réplica desse pra vender por 15.000,00 ? Sei que fazer vidro também é caro, tem mais tapeçaria, banco, sistema de freio, transmissão, suspensão, rodas, pneu, funcionários, etc. O carro não é apenas chassi e uma carroceria por cima. Então o preço de 27mil a 40mil (na reportagem diz 40mil e não 50mil) acredito não estar muito caro. Imagina a quantidade de detalhes para fazer esse carrinho, são peças que acredito que não tem mais pra vender por ai, deve ser tudo feito artesanalmente. Se for uma réplica perfeita, com todos os detalhes, acredito que vale sim !
    Por que o pessoal que tanto fala não faz uma e vende por 15mil ?? Criticar e querer queimar a idéia dos outros é fácil. Eu já vou até me informar pra entrar na fila.

  • Como faço sempre, terça-feira assisti ao Limite e fiquei maravilhado com a iniciativa desse empresário.
    Pra mim a Isetta é o carro perfeito paras os dias de hoje: economica, ecológica e ocupa pouco espaço nas ruas – o que ajudaria e muito no trânsito. A maioria das pessoas anda só ou com um único passageiro.

  • O CNT diz que um automóvel para ser regulamentado deve ter pelo menos DOIS acessos (o código de transito não fala necessariamente em portas…. ). O teto solar então vai contar como ” acesso ” no caso dessa réplica? Outra coisa, pq não usar o motor da Lander da Yamaha, que é injetado? (menos poluição, consumo e desregulagens). E para quem está reclamando do preço, réplica é uma coisa artesanal e, portanto, cara.

  • Realmente sonhos não tem preço, mas daí a começar por 27 mil e ir até 40 já é demais. Tubos, Fibra de vidro, solda, motor de twister e mão de obra se ficar em 15 mil já está caro. Por isso que no Brasil réplica encalha e os donos quebram…os empresários querem ganhar muito de poucos e não o contrário. Gostaria de comprar uma até fiz a pré reserva com Sr. Salomão mas esperava algo em torno de 15 a 20 mil….só lamento.

  • Muito legal esse programa “Indiana Gomes”
    O unico coisa que nao achei legal e o som de fundo.
    Muito alto e sobrepoe a voz do apresentador, fica dificil (pelo menos pra mim) de assistir.
    Quanto ao programa, vale a pena continuar, muito bom
    Ricardo – OR

  • Sempre achei a Romi isetta muito simpática porém não muito prática pou confortável. Já me aconteceu (1967) de ter estacionado e não conseguir entrar porque o veículo da frente praticamente “encostou” na única porta.

    Você conhece o rabo quente da Renault. Por que não refazê-lo, obviamente modernizando um pouco o estilo, já que a mecâmica, teríamos varias disponíves. Pequeno, econômico, 4 portas, quatro rodas, etc. Não venha me falar em Gordini.

  • Tohmé
    Na reportagem disseram que ficaria entre R$ 27mil e R$ 50mil, depende muito das opções de motorização e acabamento dos clientes. Aliás, a reportagem estava ótima, parabéns mais uma vez Flávio! Só uam dúvida: houve ou vai haver alguma reportagem no estilo sobre a Gurgel? É que eu jurei ter visto na chamada do programa que além da Romi Isetta ia ter uma visita à fábrica da antiga Gurgel. Mas posso estar totalmente enganado, peguei a chamada do Limite meio de longe da TV. Valeu!

  • legal, quanto as cores na minha opinião devem ser cores vivas pra ficar mais visível no nosso transito, visto que é um carro bem pequeno.
    Mas cá entre nós 40 paus é muita grana heim

  • Por que será que mesmo antes de chegar ao fim da reportagem eu já tinha certeza que uma delas ia pra sua garagem… rs. Se financiarem eu juro que compro uma! Já pensou passar todo mundo aqui em Floripa, quando tiver aquele transitozinho chato no morro da Lagoa da Conceição! E com muito charme e estilo!