FOTO DO DIA

SÃO PAULO (tudo se copia) – Acabo de receber um simpaticíssimo e-mail do Marcos Lameirão, filho do Chiquinho, que hoje vive na Inglaterra envolvido até o último fio de cabelo com corridas. Ele me mandou a foto ao lado, de seu pai numa corrida de Super Vê nos anos 70.

Como se vê, essa história de calotas nas rodas não é exatamente uma novidade inventada pela F-1…

Subscribe
Notify of
guest
38 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
alessandra gil
alessandra gil
13 anos atrás

com certeza bons tempos….mas ainda pro meu falecido irmao que tanto amava carros…todos tipos,cores..enfim quatro rodas….valeu

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  alessandra gil
6 anos atrás

Por onde você anda, Alessandra Gil?

Carlos Afonso
Carlos Afonso
13 anos atrás

É bom desabafar. A gente se sente mais leve e com mais esperança. Afinal o que tinha que ser dito foi dito e ponto final.
Percebe-se que tem muita gente querendo mudar. Você pode ser o pivô de tudo isso Claudio. Idéias não faltarão. Espaço na mídia FG ajuda .Divulgue seu projeto e com certeza poderemos ajudar.
Abraços

Ronaldo Nazar
Ronaldo Nazar
13 anos atrás

Belas palavras Ceregatti. Que inspiração heim meu camarada……………………….

Claudio Ceregatti
Claudio Ceregatti
13 anos atrás

Meus caros MRui, Thiago Sabino, Ronaldo Nazar, MK, Ludimar Menezes, Milton, Mario Aquino e J, N. Dias:
Não é de hoje que várias pessoas, por vários meios diferentes, com vários projetos criativos, tenta várias alternativas para melhorar e alavancar tudo isso que está aí.
Não faltam idéias, iniciativas e vontade.
Para que voces tenham uma idéia, acabo de voltar tambem da FEI exatamente agora, e amanhã tenho uma reunião de trabalho com o Lucas Elias e o Dinécio dos Santos.
E é um projeto meu e do Lucca Furquim, particular e absolutamente independente, que envolve a Motores Xingu, de nossa propriedade.
O que não falta é empenho, competencia e vontade.
Ocorre que esse bando de abnegados (dentre os quais me incluo) dá de frente há séculos com uma estrutura caquética e apodrecida de quem dirige o automobilismo nacional.
Os boçais que detém o poder não incentivam ou apóiam.
Limitam-se a recolher seus dinheiros através de carteirinhas e inscrições exorbitantes.
Inverteu-se o lógico.
Quem pode não se mexe, só atrapalha e se aproveita.
Quem quer se esforça e não encontra apoio.
Independente desse cenário caótico, que beira o absurdo, ainda há dezenas de teimosos contumazes que teimam em reescrever a história. Nesse caso, tambem humildemente me incluo.
Basta um mínimo de esforço, um tiquinho de vontade política, um tantinho de amor que a gente estraçalha tudo isso que está aí.
Temos competencia, tesão, massa crítica, profissionais habilitados, fornecedores de alto nível, escolas técnicas, Senais, universidades, montadoras de monte e milhares de aficcionados.
O que não temos é uma CBA, Federações e Clubes de fato interessados e motivados a revolucionar.
Sabem porque?
Porque aí o poder muda de mãos. A iniciativa privada demonstra sua iniciativa e acabativa.
Cresce, torna-se forte e aí vira um mega-evento… Como a Formula Truck, que por anos e anos foi defenestrada pelo rotundo falecido e correu à base de mandatos de segurança. Depois se acertaram, mas aí quem mandava era quem criou e insistiu, e não aquele que quis detonar e depois chorou no seu enterro, cinicamente…
Com a criatividade e o fortalecimento natural de categorias independentes, os mesmos de sempre não poderão mais homologar, restringir, exigir, cobrar, mandar, se intrometer e destruir.
Esse é o ponto.
Como um país de nosso tamanho e porte pode ter um automobilismo tão pífio? É só pensar um pouquinho…
Mas nós insistimos. Ligas ditas “piratas” como a Linea e outras pipocam por aí. Basta ver a reação intempestiva do rotundo presidente anterior. Suas medidas imperiais, contrariando o senso comum, a lógica administrativa e atuando no limite da lei que beneficia tais práticas.
Verdadeira vergonha nacional. É legal, mas absolutamente imoral.
Vamos ver o que nos reservas o novo presidente.
Basta que se comporte como tal: “Um Presidente”.
E não um senhor feudal.
E deixe todos nós em paz.

J. N. Dias
J. N. Dias
13 anos atrás

Que me perdoem os puristas da aerodinâmica, mas… Monoposto bonito é esse Polar limpa-trilhos!
Até hoje tem uma categoria na Argentina (Formula 1000) com esse estilo de chassis.
Bons tempos em que aparecer nas competições dava ibope, garantindo a vinda de grandes marcas (Como a MotoRadio) para o automobilismo. Bem que poderia ser assim novamente, né?

E concordo com Ludimar, MK e Milton: Uma fórmula base com variedade de motores, chassis simples (De preferência limpa-trilhos – Ainda tem hífen?) e grids cheios é tudo que o automobilismo brasileiro precisa!

Roberto Martinez
Roberto Martinez
13 anos atrás

Ceregatti,
Em 1996, naquela corrida da ITC no Templo, o Gabrielle Tarquini,de Alfa vermelha Martini, se não me engano, trepou no guard rail do pinheirinho e quase desceu o barranco. Isso foi na 2º bateria. Nessa corrida trabalhei numa pick-upzinha Fiat branca como fire-car. Fiquei bem na agulha entre a entrada dos boxes e a reta de largada. Show do Max Wilson!!
Abçs

mario aquino
mario aquino
13 anos atrás

Imagina só na mesma tarde as seguintes categorias:

Formula VÊ – Chico Serra disparando com 50 carros na sua trazeira.

Fórmula Super VÊ-Guaraná-Piquet-Chico Lameirão-

Estreantes e Novatos com seus fuscas e chevettes se engalfinhando.

Divisão I
Opalas e Mavericks, Passats e Dodge 1800 e Fusca, carros de verdade representando as montadoras.

Divisão III – Até 1600cc – Até 3000cc – Acima de 3000cc(Mavericks e Opalas)-Ciro Cayres-PVLamare-CChristofaro-Edgar Mello-Paulo Gomes-Luiz Pereira Bueno-Edson Yoshikuma-Bird Clemente.

Esporte Protótipo Divisão IV – Até 2000cc e Acima 2001 cc
LC.Avallone-Luiz P.Bueno-Chico Lameirão-Jan Balder-

E veja os nomes que o R.Nazar está citando, nos viamos naquele tempo Lolas/GT40/Porsche 917, o Maverick da Hollywood a Brasilia de Ingo Hoffman, O Opala do de Lamare, viamos coisas maravilhosas que nada se comparam com a automobilismo asséptico hoje realizado, é por isso que não tem público, quem vai querer ver milionário se exibir em pista mas com medo de amassar o seu carro? Quem vai querer ver o laboratório engordar a planilha de custos de seus medicamentos?
Isto tem que ser uma coisa de sangue de coração e não de pura vaidade como está proposto hoje.

Ainda bem que tem loucos ainda vivos como estes matuzas aqui e a partir deste ano muita coisa está rolando nos bastidores, eu vejo o Lameirão andando muito para os lados da FEI atrás do Bock, eu vejo o Bird preparando projeto também com a FEI, eu vejo o Ceregatti falando de projeto.

Graças a deus, porque no que dependa dos dirigentes mesmo, fica só na grana e na vaidade e na compra de público via camarotes.

Saudações

Zé Dirceu
Zé Dirceu
13 anos atrás

Motoradio era ótimo. Meu pai tem um até hoje.

rubem r. gonzalez
rubem r. gonzalez
13 anos atrás

Esse ano é o de 1976, me corrijam se eu estiver errado mas os arofólios traseiros só foram permitidos a partir de 1976, quando Chiquinho tentava o bi-campeonato, mas o carro teimava em não andar. Lembro até hoje quando ele apareceu com essas calotas como solução aerodinâmica, tinha uma foto na Auto esporte com elas em destaque, ele só ganhou uma corrida em 1976 e acho que foi em Tarumã ou Cascavel embaixo de chuva, o título de 1976 ficou em uma briga restrita a Piquet e Alfredo Guaraná.

Milton
Milton
13 anos atrás

…motorzinho 1.4 com 100 pocotós no alcool(coisa facil, vá lá…), montado na transversal dum chassis em aluminio, com cambiozinho com coroa:pinhão invertido, pneus radiais com rodas de ferro, disco nas 4 rodas vindo de carro de série…
ai, sai caro fazer um badulaque desses? acho q não…

MK
MK
13 anos atrás

Concordo com o Ludimar, e acrescento, pneus radiais, nenhum material nobre na confecção do chassis, aliás, a produção do chassi deveria ser caseira (dentro de normas pré-estabelecidas) , nenhum apêndices aerodinamicos (como na formula-1), subsidios de pelo menos 3 motores (afinal são 8 montadoras, Ford, Fiat, GM, Volks, Pegeout, Renault, Citroen e Honda que possuem motor 1.4 litros). E principalmente SEM interferencias de Cartolas, (tanto no regulamento e na organização) senão já viu !

Claudio Ceregatti
Claudio Ceregatti
13 anos atrás

Roberto Martinez:
Tambem pensei ser o pinheirinho a princípio. e ainda tenho dúvidas. Pode ser. É que o fundo da foto está borrado pela velocidade, difícil saber.
Todo mundo fala do barranco da curva do sargento, altíssimo.
Mas basta ver as fotos, ainda as de hoje (vide a foto “depois” do Lucca Furquim do show do Iron Maiden) pra ver a altura do barranco do pinheirinho… Bela ribanceira esperando os incautos.
Esse barranco nunca deu tanto ibope porque o S que antecede o pinheirinho sempre teve uma freada forte matando o carro, e mais forte ainda agora.
Portanto, pra voar ali de cima precisava de muito…
Ao contrário do sargento original. Essa sim, antecedida pela curva do sol – rapidíssima, e por uma retinha em descida pra embalar ainda o que faltava…
Voar dali era quase entrar em órbita, ou cair no lago menor.
Quem sabe não volta, com barranco e tudo?
Abraços saudosos.

Ludimar Menezes
Ludimar Menezes
13 anos atrás

Boa idéia do MK, Mas acho que deveria ser com motores 1400cc, já que praticamente todos os fabricantes tem máquinas nesta cilindrada (combustível ÁLCOOL).

MK
MK
13 anos atrás

Não seria interessante a fabricação deste monopostos com motores de carros de 1000cc. ?

Ronaldo Nazar
Ronaldo Nazar
13 anos atrás

Ah,outra coisa. Ele abandonou as pistas em 1978 , qdo correu em Jacarepaguá ,estreando o patrocinio da Marlboro no Brasil. Ai se desencantou e parou de pilotar, mas continua fazendo altos projetos…………………..Quem sabe este ano ele não pinte ai com um objetivo grande pela frente.Tem coisa bonita na área.

Roberto Martinez
Roberto Martinez
13 anos atrás

Lembro desse carro com calotas, em 1976. O Lameirão foi campeão em 1975.
Ceregatti:
Parece mesmo o antigo Sargento, observando aquele pedaço de pista ao fundo, que parece ser a reta oposta. A princípio me pareceu o Pinheirinho, com aquela pequena reta que antecede a Ferradura ao fundo, mas o Pinheirinho é mais fechado. Enfim, pouco importa onde, pois o “Templo” original era mágico em qualquer lugar.
Abçs.

Ronaldo Nazar
Ronaldo Nazar
13 anos atrás

Joaquim. Esta foto é da temporada de 1976. O Chico foi campeão Paulista e Brasileiro em 1975, e o título foi como vc disse sob judice. Teve até aquela corrida que eles correram em fila indiana. Acho que foi em Goiana ou Brasilia. Vc deve ter estado lá né………….Abçssssssss………..

BR.Soler
BR.Soler
13 anos atrás

CALOTA SIM MAS…
A calota dos F1 são fixas , não giram junto com a roda. A diferença esta na aerodinamica e pelo fato de serem fixas poderem ter uma saida de ar sempre na mesma posição tipo “16horas”. Uma concepçâo bastante diferente da calota desse Super vê e dos Indy , que pensavam em explorar mais a velocidade em linha reta.

UMA GRANDE MENTIRA.
Já ouvi famoso comentarista da TV (não vou dizer quem é o aerólito) dizer que a formula 1 tem perfil alto por causa dos patrocinadores fabricantes de pneu. Ora, se isso fosse verdade essa calota parada agora teria o nome de um patrocinador estampado nela. Ia ser impossível parar de olhar para ela.

Thiago Sabino
Thiago Sabino
13 anos atrás

Concordo com o MRui..

Porque não reviver uma categoria desse estilo?

Pena que a Volks nem mais produz o boxer……..

Mas que seria um barato termos carrinhos desses num campeonato nacional, ah seria…. acessível eu até diria!

Seria para realizar o sonho. Mas…..nasci na época errada!

A época de ver fotos digitalizadas. E só.

MRui
MRui
13 anos atrás

Numa era em que falta corridas de Fórmula fico com a pulga atrás da orelha. É tão difícil produzir e vender a baixo custo um monoposto para um campeonato para os recém-saídos do kart?

Outra coisa… ah.. se a principal categoria do Brasil fosse em monopostos e não na stock!!! Eu iria até assistir, coisa q não faço hj com a Stock de Luis Roberto

Joaquim
13 anos atrás

Se não estou enganado a foto é da temporada de 1975, quando o Chiquinho foi campeão, apesar de toda uma lambança feita pelo presidente da Federação do Distrito federal (não lembro o nome do indigitado agora e nem interessa…) que o suspendeu das corridas por seis meses. Chiquinho correu o restante da temporada sub judice e só no final teve seu título confirmado, ao ser inocentado pelo STJD. Um sinal que não é de hoje que cartolas sacaneiam os pilotos…
O uso das calotas foi um expediente experimentado em uma ou duas corridas, não resultou nenhum resultado prático, sendo logo abandonadas.
No ano seguinte, 1976, Chiquinho abandonaria as pistas.

Milton
Milton
13 anos atrás

eu perguntei sobre os F-Super Ve… também, para segurar os bixim para fazer a 3 e a 4 no templo, pista antiga, de 1600 com 2 webber, só com disco nas 4…

ivo zangirolami junior
ivo zangirolami junior
13 anos atrás

muito legal mesmo…bela foto….e bons tempos!!!!

dcoelho
dcoelho
13 anos atrás

Dou um MotoRadio pro melhor em campo!

Ronaldo Nazar
Ronaldo Nazar
13 anos atrás

Bela foto hein. E ai está a prova que o nosso Chiquinho foi além de uma Fera na arte de pilotar, um tremendo acertador de carros com muita enfase na aerodinamica. Tem um outro F Super V que ele cobriu a suspensão dianteira com carenagem e tinha um ganho de 3 décimos por volta . Qdo a categoria tem um grid lotado e que contava na época com Nelson Piquet , Alfredo Guaraná, Antonio Castro Prado , Zé Pedro Chateaubriand,Eduardo Celidônio, Mauricio Chulam, Tite Catapani, Jan Balder, Luis Moura Brito e por ai vai……não é fácil não………………..

Mauricio Scarcioffolo
Mauricio Scarcioffolo
13 anos atrás

Léo Engelmann
Vc seria um alemao que fez informatica industrial no jorge street de São Caetano?

Mauricio Scarcioffolo
Mauricio Scarcioffolo
13 anos atrás

Milton

Segundo a a wikipedia o primeiro carro com freio a disco nas 4 rodas foi o Austin-Healey 100 em 1954.

“The first production car to feature disc brakes at all 4 corners was the Austin-Healey 100S in 1954”

Claudio Ceregatti
Claudio Ceregatti
13 anos atrás

Chuto que a foto é na finada curva do sargento.
Bons tempos da Super Ve e do circuito original…

Dú
13 anos atrás

O Chiquinho meteu um título em cima do Piquet. Só isso!

Jonny'O
Jonny'O
13 anos atrás

Uma boa lembrança seria o Voisin de 1923 ,calotas ,monocoque em aluminio (o primeiro) carroceria aerodinamica .Um carro de corrida na frente de seu tempo.

http://forums.vwvortex.com/zerothread?id=3891956

Humberto Corradi
Humberto Corradi
13 anos atrás

Foto sensacional!

valeu

Luiz Guima
Luiz Guima
13 anos atrás

Milton, relendo sua pergunta, se ela for referente aos carros da década de 40, desconsidere minha primenra resposta.
Aí, não sei (não sou tão matuza assim!).

Luiz Guima
Luiz Guima
13 anos atrás

Milton, usava-se, sim. E nas 4.

Zolder
Zolder
13 anos atrás

Detalhe para o patrocinador. A Motorádio simbolizava os aparelhos radiofônicos do esporte. Lembro-me que meu pai (graças a Deus vivo e lúcido, aos 82 anos) teve um aparelho Motorádio, com três bandas: AM, OM e OC, as tradicionais ondas curtas e médias, pelas quais dava prá sintonizar emissoras de outros países.

Por onde anda a Motorádio? Saudades.

Milton
Milton
13 anos atrás

Na verdade, calotas já não eram novidade desde o fim dos anos 40, com os carros que faziam corridas em lagos secos de sal nos EUA…

Agora, uma duvida para os matuzas: já se usava disco nos freios nessa epoca?

Léo Engelmann
Léo Engelmann
13 anos atrás

Mesmo noa anos 90, a Indy corria de calotas. Não eram necessariamente calotas, mas as rodas já eram fechadas, como nesse caso, por exemplo: http://www.welcomecongonhas.com.br/18/imagens/capa/capa_15.jpg

Tales Ramalho
Tales Ramalho
13 anos atrás

Muito bonito este Super V.

Só com o resurgimento de categorias assim teríamos chance de continuar com a fama de celeiro de super pilotos.