MENU

segunda-feira, 30 de março de 2009 - 16:38Meus velhos papéis

MEUS VELHOS PAPÉIS

SÃO PAULO (quase dez anos) – Juro que foi casual, mas veio bem a calhar. Nessa história de catar velhos papéis da F-1, o primeiro da pilha era um da Stewart. Achei legal, afinal é um time que não existe mais com esse nome (deu origem ao que é hoje a Red Bull) e Barrichello fez parte desse projeto de Jackie Stewart e seu filho Paul a partir de 1997, quando estava mortinho para a F-1.

E estava mesmo, numa situação muito parecida com a do final do ano passado. Demitido pela Jordan, me lembro de que no dia em que a equipe anunciou Ralf Schumacher para o ano seguinte, Rubens me disse que seu caminho, provavelmente, seria a Indy. Não me lembro direito onde foi, talvez na Hungria, ou na Bélgica, esqueci.

Aí surgiu a Stewart, e era o que tinha. Todos conhecem a história a partir daí. Barrichello fez três bons anos (especialmente em 1997 e 1999), foi ao pódio em Mônaco, renasceu para a categoria e acabou sendo contratado pela Ferrari.

Quando fui ler o papel em questão, esse press-release da Stewart reproduzido ao lado, surpresa! Era do dia 26 de setembro de 1999, GP da Europa, em Nürburgring. Exatamente o da primeira (e única) vitória da equipe na F-1. Só que quem ganhou foi Johnny Herbert, em historinha que lembrei num post de ontem. Rubens terminou em terceiro, atrás ainda de Jarno Trulli, então na igualmente extinta Prost.

Foi uma corrida muito doida, com chuva, abandonos trágicos (Badoer, de Minardi, estava em quarto quando quebrou, coitado) e um resultado surpreendente, claro. Afinal, Herbert largara em 14º e Barrichello, em 15º. E ambos estavam longe de frequentar a lista de favoritos.

Vale a pena ler as declarações de ambos. A Ford, àquela altura, já tinha comprado a equipe e anunciado que, no ano seguinte, ela passaria a se chamar Jaguar. Rubens, por exemplo, assumiu que seu coração estava “dividido” depois da prova. “Eu queria ter dado essa primeira vitória à equipe”, falou. Já Sir Jack disse que era o “momento mais importante” de sua carreira, apesar das vitórias e dos títulos como piloto.

Enfim, um bom papel, esse aí. E será guardado, porque não dá para imprimir nada atrás. É daqueles que tem coisa escrita na frente e no verso…

32 comentários

  1. Rap disse:

    Efeito borboleta…. A história podia ter um desfecho diferente…

    Deve ter ficado aquela frustação no Barrichello de ter ganho a primeira corrida da equipe. Entraria para a história…

    Agora imaginem se Bruno Senna tivesse no lugar de Barrichello…e tivesse vencido….!

    Primeira corrida da equipe, primeira pole, primeira vitória com piloto estreante….Sobrenome Senna….

    Qual seria as manchetes do jornais pelo mundo…!!!

    E não só isso… se a Brawn terá toda essa superioridade que mostrou na primeira corrida, Bruno poderia ser campeão mundial na estréia da categoria… Seria o sobrenome Senna predestinado a vencer mundiais !?

    Ou não. Dependeria do braço de Bruno Senna também é claro.

  2. André Muraro disse:

    Lembrem-se também que na 1a corrida na Ferrari o Barrichello também fez dobradinha com Shumacher e ficou em 2o lugar, ou seja, repetiu o feito, estreiou numa equipe e ficou em 2o lugar na 1a corrida em que o companheiro de equipe venceu

  3. Guilherme disse:

    Poxa,que legal ver esse press-release da Stewart,eu nunca tinha visto um documento de uma equipe que falasse do fim-de-semana na corrida.
    É bom relembrar uma equipe que poderia dar certo por anos!

  4. Fábio disse:

    Flávio Gomes

    Gostaria muito de entender essa parcialidade que existe em alguns jornalistas. Penso que faz parte do bom profissional da comunicação resumir seu trabalho em informar e suprir o consumidor da notícia com parâmetros que o façam construir sua própria opinião referenciando o que é relevante. Escrever sobre Rubinho na Stewart pra levantar que quem deu a primeira vitória para o time não foi ele server pra que? Cadê a relevância da informação. Sinceramente, me parece que serve apenas para satisfazer o seu ego, trazendo à tona uma pífia lembrança que o faz vibrar (e aos seus amigos brasileiros) com os momentos menos felizes do Rubinho. Pobre de quem lê uma matéria tão lamentável como esta.

    Mas… meus parabéns! Lendo muitos dos comentários, vemos que você atingiu o seu objetivo; objetivo tão lamentável quanto a matéria.

    RESPOSTA DO FG:

    Ora, vai te catar.

  5. Pois é… o Barrichello perdeu pro Johnny Herbert no quesito vitória, foi segundo piloto fo Schummy e as primeiras vitórias da Brawn e da Honda foram com o Button.

    O primeiro piloto a se vencer na F-1 é o companheiro de equipe.

    ARRIBA, RUBENS!

  6. Cacá disse:

    O que me deixa louco é o tanto de Maria vai com as outras que escrevem aqui,se no primeiro post tivessem falando bem do Rubinho tinha um monte falando tb,a quem diz que o Rubinho não é tudo aquilo,pergunto.
    Porque não vai no lugar dele?
    Ou torce pro Zé Rodada Angelo Piquet(esse sim é uma piada).

  7. Michael Schumacher disse:

    Caro Gomes,
    Como sempre, digo à você que Rubens foi, depois de mim claro, o melhor do mundo em nossos bons tempos. Ele hoje é sem dúvida mais rápido que Button e o veremos vencer corridas se o carro continuar com este desempenho. Como sabemos Ross Brawn não é idiota e sabe que Rubens, apesar de ser chorão, é um grande piloto, por isso Rubens esta lá na frente novamente.

  8. Cassius Clay Regazzoni disse:

    Barrichello… o maior chorão e despeitado da história da F1!!!

    Daqui a pouco vai começas a falar que o Button recebe privilégios na equipe!!!

  9. Fernando disse:

    Na boa, se eu não torcesse pelo Hamilton, talvez (e só talvez) até iria torcer pelo Rubinho. Mas quando penso no ufanismo doentio que viria (ou virá, quem sabe?) em um título do “velhinho”, o surgimento de um pseudo-herói nacional, digo que não dá mesmo pra torcer. No fundo, não acharia de todo ruim se o Rubinho vencesse, mas prefiro ver o nariz torcido do Bernie Eclestone com mais um título do neguinho Lewis. A mim ele não engana, ele torce por todos os pilotos contra o inglês. Ah, mas isso ele não vai admitir não.

  10. krlos disse:

    Eu me “INTRISTEÇO” é com os comentários de pessoas maldosas, que acham que os brasileiros têm que ser os melhores, sempre.

    Me “INTRISTEÇO” é com pessoas que fazem críticas, sem ao menos saber escrevê-las.

  11. luiz disse:

    Chega, to de saco cheio de torcer pro Rubinho, sempre acontece alguma coisa, como domingo:”entrou ponto morto” fala sério.

  12. Antonio disse:

    Rubinho é um eterno segundo piloto. Antes os torcedores do rubinho diziam que ele pedria para o Shummacher que era o melhor do mundo. E agora o Button é o melhor do mundo?

    Brawn escolheu o rubinho porque ele tem experiência em ser segundo piloto.

  13. pois é ,ao ler certos comentarios,me intristeço muito,ao ver o que a midia sensacionalista faz a cabeça de certos brasileiros.O brasileiro tem uma certa preguiça em buscar informação, e aceita a imposiçao de certos veiculos da mídia.
    Para se ser top na f1 é preciso ter muito talento,matar muitos leões
    e para falar de rubens barrichello ,só existe um apelido plausivel para ele “gladiador” ja se vao 17 anos de luta ,contra o carro a equipe ,pilotos e ai esta ele firme e forte um verdadeiro e autentico brasileiro.vencedor diga se de pasagem pois ele nao paga para correr é pago para isso.

  14. Walter S. disse:

    NOOOSSSA! Austraçia.
    Como diria Galvão Bueno, “que país é esse !?”

  15. Walter S. disse:

    Jackie Stewart, sinônimo de competência.
    Teve um ano horrível em 98 e mesmo assim conseguiu manter e ampliar o número de parceiros comerciais em 99.

    Se Rubens continuou na sua sina de não dar a primeira vitória às suas equipes, o GP da Austraçia/09 mostrou uma nova cara: O Sortudo.
    Quando que, nos tempos de Ferrari e Honda, ele bateria na largada e sairia ileso?
    Ou tocaria na traseira de outro carro e voltaria dos boxes?
    Ou ainda veria dois carros à sua frente baterem no finalzinho da corrida e entregar-lhe um pódium perdido?
    Tomara que continue assim.

  16. Joshua Arneiro disse:

    Estive em Interlagos e torci muito pelo Rubinho.

    Mas parece que a história já está escrita. Uma escolha pelo Schumacher em detrimento de muitos outros, parece ser inegável.

    E o “segundinho” Barrichello sempre lutando com o “destino” que parece sempre escolher outros.

  17. Vecchio disse:

    FG
    Seguindo a sugestão do Fábio Aguilera, topo trocar algumas “resmas” de papel (sou antigo) por alguns destes documentos históricos que você dispõe como rascunhos. Posso escolher entre os disponíveis? Seria possível catalogar e fazer uma relação dos mais interessantes para a troca?
    Abraço,
    Vecchio

  18. s3th disse:

    um ano depois, no mesmo cicuito, rubinho celebrou sua primeira vitória na categoria, numa corrida com chuva onde ele optou por nao trocar os pneus para pista seca e assim ganhar a posição do mika hakkinen, que havia feito o pitstop
    depois o próprio mika congratulou-o por tal feito, pois ele mesmo nao teria guiado na chuva com o pneu seco

  19. Glaucio Branco disse:

    AH guarda o press realease da 1a vitoria da Brawn tb.. daqui a alguns anos vai valer algum $$$$

    AXÉ

  20. Glaucio Branco disse:

    FG.. MANDA ESTA FOLHA PARA MIM… que eu te envio a resma (500 folhas) de A4.

    (gostei da ideia)

    AXE

  21. Jonny'O disse:

    Foi pura crueldade do destino ,se ele existir.

    O Herbert já tava bem devagar ,um piloto que aparentemente desistiu do sonho assim que teve o Shumy pelo caminho (mesma coisa o Irvine) passou claramente a ser um piloto de F1 só pela grana ,talvez .

    Em 99 foi um dos melhores anos do Rubinho na F1 ,o segundo lugar em Monaco ,a corrida no GP Brasil , mas essa prova na alemanha foi de deixar marca ,e profunda ,aquela coisa de falta de estrela , será diferente este ano?

  22. JBCarneiro disse:

    Esses “papéis velhos sempre tem uma história interessante” para comtar.

    Grande Stewart. Grande piloto. Um cara do bem.

    Pobre Barrichello, olha o que disseram sobre ele:

    Giorgio Teruzzi, um dos correspondentes do Corriere della Sera.
    Dá nota 5 para a corrida de Barrichello. Explica que Rubens “errou ao largar, errou ao falar, errou ao rir no sábado”. Disse se tratar de uma “estrela pobre que continua a se considerar candidato ao título”.

  23. Edmundo Rodrigues disse:

    Eu fico com esses papeis todos, parece a biblioteca de Alexandria

  24. Seven disse:

    Neste mês eu estava em lua de mel na Europa. Tinha passado o sábado no salão do automóvel de Frankfurt, e à noite ido a Koln visitar um amigo nativo, e iríamos ao Ring no domingo (dá pra imaginar a maluca com que me casei…).

    Mas o mané aqui, apoiando o braço no vidro da porta, quebrou a máquina de enrolar vidro do carro do pai dele. Ele ficou teutonicamente puto (ou seja, só falou que não poderia devolver o carro assim. Sem esporro, sem drama, sem nada mais).

    Fomos no domingo na casa de uns primos dele que eram fanáticos por F1 e entre beers, rohwursts, kochwursts, brühwursts e bratwursts, vimos a corrida e arrumanos o carro.

    Naturalmente que eles não falavam uma palavra de português, imaginem só! E eu não me lembro de muita coisa mais, pois pegamos um trem para Amsterdam no fim da tarde…

  25. Victor disse:

    Como era a relação entre Rubens e o Herbert?

    Era cada um no seu canto ou havia uma certa amizade entre os dois?

  26. Filipe disse:

    Eu tenho saudades de duas equipes. Jordan e Stewart. Eu tinha um carinho enorme pelo time escocês.

  27. Fábio Aguilera disse:

    Meu querido, por favor, para de usar estes papéis como rascunho. Façamos assim: Cada pacote de 500 folhas de papel A4, novinhas em folha (literalmente) que te enviarem, vc escolhe uma esmo e envia pro cabra. Ou troca por 5kg de alimentos. Vai ter nego fazendo fila pra trocar suas folhas por comida ou folhas novas.

    RESPOSTA DO FG:

    Hum… Isso eu topo. Um papel a esmo por um pacote de 500 folhas A4. Mas tem de mandar entregar aqui. Vou abrir uma papelaria.

  28. Eric disse:

    Eu ia falar o que o Alex Martins falou aí em cima……16 patrocinadores ou apoios tecnológicos…..

  29. Alex Martins disse:

    Histórico papel.
    Notem como haviam muitos patrocinios na equipe. Outros tempos…

  30. JONAS disse:

    Pobre Rubens. Tudo leva a crer que, na sua melhor chance, será um secundário do Button…..Ou aproveita e ganha logo uma corrida, ou vai mesmo ser (novamente) um escudeiro.

  31. Muito nostalgico, lembro aquela manhã de domingo assistindo a corrida e desesperado esperando ver a primeira vitoria do Rubinho, não deu, deu sim muita pena dele, pois como voc%ê citou em um post anterior ele nunca é o 1º em nada nas equipes que andou. Esse ano estou torcendo para ele quebrar o tabu e dar o 1º título da Brawn

    Roberto Ellery

  32. Leonardo disse:

    A Stewart foi a equipe que eu mais gostei desde que comecei a ver F1 (lá por 1992). Não sei se foi a simpatia que tenho pelos escoceses, se foi a faixa xadrez do Sir Jackie Stewart ou se foi minha admiração pela Ford.

    Talvez tudo isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>