MENU

quarta-feira, 11 de março de 2009 - 16:00Esquisitices

O PRIMEIRO GPS

SÃO PAULO (que coisa…) – Vale a pena clicar na imagem ao lado, ampliá-la e ler a matéria da “Modern Mechanics” de maio de 1932, quase 77 anos atrás. O texto fala sobre aquilo que se pode chamar de primeiro GPS da história, um sistema que previa a instalação de uma antena receptora sobre o radiador para captar sinais de rádio emitidos ao longo de rodovias. Se o cara saísse do rumo, a trapizonga apitava dentro do carro. Quem mandou foi meu amigo Rogério Gonçalves, dono de campos de petróleo no Iraque.

Falando em GPS, usei esse negócio três vezes na vida. Uma em Indianápolis, 2001, quando aluguei uma perua Volvo danada de boa. Outra também nos EUA, em Miami, no ano passado, emprestado de uma amiga. E ainda em 2008, na República Checa, numa perua Audi também danada de boa.

Prefiro um bom mapa. Detesto alguém me dizendo o tempo todo o que tenho de fazer. Ainda mais dentro de um carro.

23 comentários

  1. MSM disse:

    Só em andar numa Volvo SW e depois numa Audi SW, eu nem ia olhar para GPS, podia me perder a vontade. Acho os Volvos muito clássicos.

  2. Fernando Carvalho disse:

    ……Morri de rir do último paragrafo também , pois como o “escriba -mor ” pretente correr de Rally , como nos tem confidenciado neste blog ???? E o co-piloto ficará de ” boca -fechada ou todo amarrado ” ou será um boneco inflável , o INFLAVONOVIK ,o co-piloto Kamarada , mandado especialmente pela fabricante da Trapizonga para o piloto do Meianov???? Vai ser “pandëgas ” ( Uia!!! muito tempo que não me lembrava desta palavra ) :. Imaginem o diálogo :
    -Kurva feXada Paarrrra IsKerda !!!
    – Cala boca INFLAVONOVIK.
    Veloz Hp que estaias no céu , ajuda aí sô !!!!!
    kkkkkkk……

  3. Rodrigo Duarte disse:

    É preciso melhorar muito os mapas do Brasil, tenho certeza que nos EUA os mapas tem uma precisão perfeita. De qualquer forma, eu uso e acho muito legal.

  4. Eduardo disse:

    Faz assim, voce pode vender o seu notebook e comprar uma máquina de escrever,assim poderá regredir no tempo..hehehehehe..

  5. Breno Peixoto disse:

    A força aérea alemã utilizava um sistema de orientação semelhante para atacar a inglaterra durante os primeiros anos da segunda guerra.

    Os sinalizadores eram estrategicamente posicionados ao longo da costa do continente europeu, e direcionavam os aviões da Luftwaffe em direção à Londres.

    Foram alvos preferenciais do serviço de espionagem britânico, anos antes do dia D.

  6. Ricardo - OR disse:

    Eu uso o GPS diariamente, e muito facil e pratico.
    Antes dele usava thomas guide (mapa)
    GPS e so uma questao de se adaptar e configurar como voce deseja ir, por free ways ou por distancias mais curtas e etc.
    Como a cidade e grande ele ajuda muito, inclusive faz a previsao da hora que se vai chegar ao destino, o que e pratico pois e possivel ligar e avisar a quem esta aguardando.
    alem de mostrar a velocidade da rua ou avenida que voce esta, a velocidade real, distancia percorrida no dia, tempo que ficou parado no transito, enfim, muito bom, principalmente pra quem usa a servico

  7. Pedro Paiva disse:

    FG, estranho seria se você gostasse mais do navegador do que do mapa…

  8. Daniel Pareto disse:

    Gomes, sabe quem assina a tal matéria? Se conseguir descobrir publique por favor.

  9. Celso Renato de BH disse:

    ah… ah… então foi pra Me ame Bicha Florida ( Miami Beach Florida) que o Sr. Gomes foi ano passado e deixou todos sem pistas hein?
    Lembro-me das informações em código “estou ao norte”.. Resolvido o mistério. Tudo bem, Cuba fica ali pertinho mesmo.

  10. Milton disse:

    Eu tb acho peruas Volvo DANADAS DE BOAS…já mexi numa V40 T4… e que torpedo que aquilo era!

  11. supimpa disse:

    No Brasil o cara acaba entrando em favela.

  12. tomitão disse:

    Lembrei outra:
    Em São Paulo, testando o GPS da Nokia, seguindo um caminho roteado da zona oeste para o Centro, ele me fez subir e descer do Minhocão umas três vezes!

  13. tomitão disse:

    Para quem como eu está acostumado com um belo mapa de papel, depender de GPS é a própria visão do inferno.
    No Carnaval, aluguei um carro e resolvi dar umas bandas pelo Nordeste. Me deram uma dica de um lugar na divisa entre Alagoas e Pernambuco, que ficava há uns 150/200km de Recife, onde eu estava. Pois bem, roteei o caminho no maldito aparelho que me foi cedido por uma amiga e fui.
    Fui… parar quase em Maceió, há 3 horas do meu destino!!!!!
    Fiquei intrigado com tremenda k-gada e em S. Paulo fui verificar os mapas do GPS (da Garmin, tido como top de linha), sobrepondo em fotos aereas do GoogleMaps, e vi que a cartografia parece ter sido feita por uma criança de 12 anos… em alguns pontos do caminho, havia uma diferença de até 11 km entre o que era estrada e o que o GPS achava que era estrada. Tem estrada sobre rio, ponte imaginária… Até no mar tinha rota de trânsito!!!!!!!!
    GPS, never more!!!

  14. Toni Espolador disse:

    A facilidade de viajar com um bom navegador em locais com mapas digitais 100% desenvolvidos não pode nunca ser comparado com “navegar com mapas”. Principalmente em locais, falando de países de primeiro mundo, onde a quantidade de estradas/encruzilhadas e carros é absurda. O sistema atualmente é extremamente prático e confiável.

    Mas fazer o que. Tem gente que jura que carburador é melhor que injeção eletrônica.

  15. Ludimar Menezes disse:

    Eu nunca usei um navergador a GPS, mas minha mulher usa sempre que eu vou de carona : eu fico falando para ela tudo o que ela tem que fazer, ou seja, brigas homéricas no final…

  16. disse:

    O sistema de 32 era via rádio, usado até hj, nas cidades tem melhor desempenho que os satélite.
    Com relação ao último parágrafo, vamos arrumar um rádio para vc. usar na próxima etapa.
    Com o Ceréga lógico!

  17. VaaaaLNeeeeY disse:

    Eu ri do último parágrafo

  18. Leon Neto disse:

    Flavio:

    de toda a forma, a minha experiência é que o GPS jamais vai aposentar os mapas; vira e mexe , a gertrudes ( aquela vozinha chata do aparelho) escolhe uns trajetos absurdos e nos leva para uns buracos assustadores e se não tivermos um bom mapa, vamos terminar no atoleiro. além de tudo a gertrudes vive interrompendo nossas conversas; algo intolerável, mas um mal necessário para um desonrientado como eu.

    abraços.

  19. Rodrigo Moraes disse:

    Flavio, o aparelho que você usou (e não gostou) foi um navegador. Ele usa sinais de GPS, mas só faz apontar caminhos em locais previamente catalogados. Já um bom aparelho de GPS (como o Garmin) é um verdadeiro parceiro de viagens de aventura, para encontrar praias desertas, para cruzar desertos, para subir os mais altos montes. É praticamente imprescindível, até como fator de segurança.

  20. Eric disse:

    Senti uma magoa no final do post…..ainda bem que eu não dou muito pitaco…hehehehehhe

    E não tenho GPS também não….quando vou viajar,se tiver dúvida,pergunto.

  21. adriano disse:

    pode ser subliminar, mas fiquei com a impressão que a amiga também era danada de boa…

  22. ALEX B. disse:

    Muito interessante post, Flavinho! O que será que aconteceu com o cara? Foi outro Tucker??
    Putz, ele não perde a oportunidade de elogiar as trapizongas quadradas… Volvo = confiabilidade e só!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *