MENU

domingo, 29 de agosto de 2010 - 21:40Motoland

CHEGA

SÃO PAULO – Correr, de qualquer coisa, é uma estupidez. Todos sabemos disso. Correr de carro, correr de moto, de caminhão, desafiar a morte, assumir riscos, é tudo uma grande bobagem, não leva a nada. Mas tem quem goste, quem ame, quem viva disso. Eu, e a maioria dos que vêm aqui, somos assim. Adoramos velocidade, as corridas, as disputas. O ser humano é estúpido em vários níveis, e esse é apenas mais um deles.

Mas tem uma coisa inadmissível nesse mundo besta da velocidade que é colocar criança para correr de motocicleta. Já falei disso anos atrás e fui devidamente esculhambado por xiitas das duas rodas. Foda-se. Falo de novo. E falarei de novo, e de novo e de novo, mesmo sabendo que falar e escrever não adianta nada, não muda as coisas. Foda-se.

Hoje, em Indianápolis, um menino canadense de 13 anos caiu na volta de apresentação de uma corrida local, preliminar das provas da MotoGP, e foi atropelado por outro menino de 12. O de 13, Peter Lenz, morreu.

Sim, eu sei que se pode morrer de várias maneiras aos 13 anos. Nadando no lago, andando de bicicleta, correndo de kart, jogando bola, empinando pipa, fazendo manobras de skate, pode-se morrer atropelado ao ir à padaria comprar pão, ou à banca de jornais para comprar figurinhas.

Mas é mais difícil do que morrer correndo de motocicleta. O risco é grande demais, as velocidades são altas demais, os corpinhos dessas crianças são frágeis demais. Elas não têm noção de riscos, não têm medo da morte, não têm idade para competir.

Sou a favor do esporte desde cedo, acho que todos são, mas há limites.

Moto, para criança, não.

161 comentários

  1. Leopoldo Luz disse:

    É uma questão de seleção dawiniana cujo resultado ainda não se pode prever.

    Explico-me:
    – sobrevivem mais os filhos cujos pais são cautelosos;
    – pegam mais fêmeas os filhos cujos pais demonstram poder econômico e espírito aventureiro .

    Se alguns dos jovens levados aos esportes de risco pelos pais sobreviverem até alcançar a idade de procriação, é possível suas tribos resistam por mais algumas gerações ou até mesmo proliferem.

    Mas, igual esperança não há com relação aos atuais “ciclistas metropolitanos”, já que tal prática, além de arriscadíssima, não “pega” mulher.

  2. livramento disse:

    o ser humano gosta de brincar de DEUS, em seus devaneios de arrepiar os cabelos da nuca do Dracula, criou até mesmo a eutanasia para animais sadios e se diz preocupado com o bem estar dos animais e seres humanos- nao e assunto relacionado a velocidade mas ilustra quao confusa e a raça humana-dai permitir que crianças corram riscos bobos e desnecessarios, facil, os resultados sao jogados na nossa cara a todo momento de nossas vidas

  3. Luiz Carlos Alves de Carvalho disse:

    Concordo inteiramente com você, meu caro Flávio. Tive moto durante vários anos, hoje já não tenho mais. Afinal, já tenho 71 anos e, o pior, perdi meu olho esquerdo. Para moto, não dá mais.
    O problema de jovens na moto e que é a causa de tantas mortes é que o jovem perde o medo muito rápido. Na moto, ter medo é fundamental para a segurança. Acabou-se o medo, o acidente está próxiimo.
    Parabéns, meu caro!
    Luiz Carlos Alves de Carvalho

  4. ColinZeal disse:

    Só um detalhe… ele não era canadense, e sim americano, nascido na Flórida e criado na cidade de Vancouver, em Washington (estado americano). Talvez daí tenha havido a confusão.

  5. João Pedro S.A. disse:

    Incoerênte, cada um escolhe os riscos que corre, mesmo sendo uma criança e sem ter noção do perigo real (coisa que eu acho dificil, há crianças com mais bom senso q muito adulto) ela não era campeão nacional e não corria tão bem por correr sem pratica e dedicação, acidentes acontecem e isso nunca vai mudar na vida. Apenas sinto pena dos pais, mas do menino não sinto pena nem dó, sinto admiração por ele seguir o sonho dele independente dos riscos existentes.

  6. ChristianS disse:

    Com motos mais limitadas e com alguns adicionais como um paralama dianteiro forte e que fosse “até o chão” como nas motos de speedway a gravidade do acidente seria menor.
    Assim não sou contra não. Mas acho que a forma como se está conduzindo isto, me refiro as corridas, é que está errada.
    Quem já viu uma entrevista do Eric Granado percebeu a maturidade dele. Talvez se cada pilotinho fosse obrigatoriamente treinado por um piloto pró, além do que já citei acima, as coisas seriam aceitáveis.
    Ando de moto desde os 12 (tenho 44) e sei que é possível fazer com segurança. Agora não tenho filhos então minha visão dos fatos é, sem dúvida, diferente. Se tivesse filhos pode ser que tivesse outra opinião.
    É óbvio que fique triste com os fatos, tanto que só hoje estou escrevendo pq passei a semana toda até agora com isto na cabeça.

  7. rbabrantes1 disse:

    Sinto muito pelo ocorrido.
    Vejo isto como acidente.
    Comecei com 9 e minha filha com 8.
    Por mim esta tudo bem.
    Respeito a opiniao de todos.

  8. Ricardo Oliveira disse:

    Grande Flavio.

    Não sei bem quem foi o radiacal-xiita de duas rodas que descordou de você com relação a crianças correndo de moto, mas eu, como motociclista apaixonado digo e afirmo que tenho a mesma opinião.

    Aliás, acho que as corridas não são coisas pra crianças, independente se de carro, de moto ou de ônbus espacial, é sim um esporte muito perigoso, o qual deveria ser praticado por homens e mulheres com a real consciência dos riscos envolvidos.

    Os adultos com os seus brinquedos e as crianças com os delas.

  9. William Trajano disse:

    esporte com rodas, deve se começar a partir dos 16 anos. é a hora que tem começa a ter um pouco de noção do perigo.
    o que eu fico mais puto é que tem pai que coloca os filhos nos esportes não pq ama o esporte e sim visando lucros para o futuro.

  10. Ricardo Zanin disse:

    Olá FG, há anos atras quando vc comentou este assunto, fui um dos que criticaram seu comentario, dizendo que um piloto devia comecar cedo para atingir o profissionalismo. Passado alguns anos, ganhei uma pequena, que é apaixonada por velocidade, automobilismo e motos (inclusive tenho duas e ela diz que a 7 galo é dela) e hoje concordo plenamente com vc. Não gostaria de perder minha pequena desta maneira e não vou incentivá-la a isto (pelo menos até a maioridade). Abs, Ricardo.

  11. Isso lembrou-me outra história. Tive um debate com o Fábio Seixas porque ele colocou em seu blog filmagens de um cara dirigindo carro fazendo o mesmo trajeto de rua que a stock faria.
    Deixei de lado a questão velocidade porque era difícil dizer pelas imagens.
    O cara, contudo, furava preferenciais e fez uma curva em local não devido cantando pneus. Apareciam idosos andando no parque. Ou seja, no mínimo infringiu a lei.
    Veja que um jornalistas que, imagino, ainda goza de algum prestígio no meio fez uma besteira dessas: disse que achou muito legal aquilo e não quis tirar do blog o vídeo. É o tal NÃO PENSAR NAS CONSEQUÊNCIAS.
    Não sei mais como andam as coisas por lá, pois acionei a ombudsman do UOL e, ainda que muito solicita e profissional, nada resolveu. Decidi que a única atitude disponível para mim era deixar de lê-lo para sempre.
    VELOCIDADE, SÓ NAS PISTAS… E COM UM POUCO MAIS DE IDADE.
    Afirmo isso não de um pedestal de quem nunca fez besteira na rua, mas de quem já fez bobagens e percebeu que o veículo pode tornar-se uma arma.

  12. Leonardo disse:

    Que triste. Qual a idade para cada coisa? Muito difícil dizer. Para pais e mães, um dilema terrível. Que sirva de exemplo. É muito comum que as pessoas (os adultos) não pensem que os atos têm consequencias.
    Para os responsáveis legais do menor, para o organizador e para federação de automobilismo (autorizou), que hajam consequencias.
    é isso aí flávio, FODA-SE.

  13. SMaron disse:

    Por curiosidade, sem polemizar, vc seria contra a garotada no motocross, acho mais seguro….um pouco.

  14. doutormarin disse:

    Camarada Gomes

    Garotos e garotas se matam de bike ou skate…
    Garotas e garotos se arrebentam fazendo balé ou judo…

    Esporte ou atividade de alto nivel = profissional para menores de 18 anos deveria ser proibido, é para ser diversao, competicao amistosa, sem pressao para ser campeao e realizada de maneira moderada.

    Apos atingir-se a maturidade fisica, ai sim escolher uma atividade e se dedicar a ela…

    Iniciar-se numa atividade fisica intensa quando jovem e fisicamente imaturo apenas antecipa o final da carreira, via de regra devido a esgotamento do corpo humano…

    O ser Humano é muito burro mesmo, arranca a flor para ver como crescem as raizes…

  15. dagoberto disse:

    Ninguém esta se perguntando se o garoto morreu FELIZ fazendo o que mais gostava na vida ANDAR E CORRER DE MOTO.

    • Ricardo Sk disse:

      Garotos dessa idade não ter dicernimento pra saber o qto vale a pena arriscar a vida pra fazer “o que gosta”.
      Pelo seu raciocinio, eu que gostava de brincar de soldado, devia ter participado da guerra da Bósnia, por exemplo.

  16. Eddie Irvine disse:

    se eu escrever foda-se no site pra comentar ,api fica no FILTRO de moderação, essa é boa, não dá pra falar o que se pensa, é censurado, não para o dono da coluna, que pode usar o termos chulo que quiser !

  17. Eddie Irvine disse:

    1ª vez que eu concordo com vc. Flávio

  18. Rogério Raucci disse:

    Pela primeira vez concordo integralmente com o seu comentário

  19. Flávio Gomes, eu também concordo 100% com você, até mesmo no Kart que teoricamente teria mais segurança, eu acho que deveriam começar a correr somente depois dos 9 ou 10 anos.

    Agora na Moto….e agora os pais desse canadense, estão se preparando para enterrar um garoto que nunca mais vai ter a oportunidade de Viver a vida…só isso já seria uma GRANDE VITÓRIA….

  20. Saulo Teixeira disse:

    Uma criança morrer indo a padaria é um acidente/tragédia, morrer competindo em cima de uma moto é um crime cometido por quem autoriza e quem organiza tais eventos, crime maior ainda dos pais/tutores irresponsáveis que incentivam seus filhos a praticar tal esporte.

  21. Flávio disse:

    Show de horrores! Lamentável e totalmente desnecessário.

  22. Paulo Franco disse:

    Acabei de ler esta:
    “In effetti, correre a 13 anni è un pó presto!”
    O autor:
    Il Dottore Valentino Rossi, sobre o acidente de Lenz.
    E se ele concorda, lo faccio anche io, eh!

  23. Joao disse:

    Olha, não gosto de crianças em motos. Ando com uma, mas meu pequeno só sobe nela para tirar fotos. Andar com ele? Vai demorar.

    Mas tem outra questão. Apesar de ser bem melhor apoiado (4 rodas), o kart também oferece bons riscos. Sou a favor que se comece (tanto em 2 como em 4 rodas) um pouco mais tarde.

    Só que cada vez mais se começa mais cedo.

  24. Endrigo Cenzi disse:

    Finalmente, uma opinião sensata do Senhor Gomes. Muito triste o que aconteceu. Tanto para a família que perde o filho, quanto para o garoto que, (obviamente) sem intenção, acabou causando a morte de Peter. Tomara que possa se recuperar do trauma.

  25. misterjairo disse:

    quanta hipocrisia,,,

  26. Beto disse:

    Alguém pode dirigir carro ou moto antes dos 18 anos?
    Então, porquê pode pilotar?
    Não é muito mais arriscado?
    Creio que criança não deva andar nem de moto e nem de kart antes da maioridade!
    Existe videogame, autorama e radiocontrole pra quem quiser divertir-se!
    Abraço a todos!

  27. wart disse:

    De acordo, Flavio. Eles podem até desenvolver habilidade, mas não maturidade pra um negócio tão perigoso.

  28. Rogério lemos disse:

    Concordo em gênero, grau e número. Lugar de criança não é andando de moto. Aliás, quem coloca criança para correr de moto deve ser algum frustrado na vida, que queria fazer isso e o pai, consciente, proibiu no tempo devido.
    Um absurdo. Quando a criança morre, depois vem dizer “Deus que quis”, tirando a culpa de si e jogando em quem não tem nada a ver com a história.
    Parabéns em poder dizer isso, Flávio. Mas como você bem disse, palavras jogadas ao vento; sem apoio nenhum.

  29. Rodrigo Moraes disse:

    Discordo. Penso que deva haver algum curso que habilite o menino a correr. Se ele tem isso, e tem a autorização dos pais, pronto.

    Acho ruim os meninos fumando crack na rua, acho ruim o menino que foi pisoteado na cabeça por um touro em Barretos (ele começou a montar depois dos 18?), acho ruim as meninas anoréxicas e fumantes que são modelos (de quê?)…

  30. Bruno disse:

    Não vi o acidente, mas acidentes fatais (principalmente em motos) poderiam acontecer com moleques de 13, homens de 27, enfim qualquer um…O que talvez possa ser discutido aí é que um homem de 27 anos é responsavel pelo que faz e consequentemente tem condições de avaliar seus riscos (se ele morrer, a principio ele assumiu esse risco por conta própria)…Um moleque de 13 anos está lá por que alguém permitiu (pais, empresários…).

    Não acho que seja questão de falta de habilidade ou fragilidade corporal (não sou médico, mas cada um acha o que quiser), mas de responsabilidade…Só resta agora quem permitiu assumir o ônus…

  31. Sérgio Castro disse:

    Quando eu era moleque perdi dois amigos menores de idade com moto e outro ficou quebrado pelo resto da vida. Começamos cedo de moto (eu e uma porrada de amigos em Campinas) e o que mais fazíamos com 12 , 13, até 18 anos eram muitas barbaridades, como pegas em avenidas e estradas. Eu achava que era consciente, que fazia tudo com controle, me achava o bonzão. Não adianta, nessa idade as crianças só fazem merda com uma moto na mão. Achei que minhas filhas começariam mais cedo do que eu com moto, mas estou adiando sempre que posso este presente à elas, pois já assisti o filme “dos jovens heróis” lá atrás….

  32. Cacá Camargo disse:

    Concordo que é uma perda irreparavel,Muito triste,Mas concordo tambem que o pior cego é aquele que não quer enxergar,Não que eu não tenha ficado triste com a noticia,Mas cavalo velho não pega trote!!!!!!!!

  33. RILDO ALMEIDA disse:

    situaçao complicada essa.a cada dia o esporte a motor se torna mais e mais competitivo,e essa competitividade exige mais e mais empenho.seja no kartismo,automobilismo,motociclismo ou qualquer outro esporte,a busca pelo sucesso exige que os pilotos iniciem cada vez mais cedo a carreira.acho que se deve estar sempre trabalhando em prol da segurança em qualquer esporte e nao e deixando de pratica-lo que se estara resolvendo o problema.aqui no brasil mesmo a gente ve exemplos muito mais explicitos do que nao se deve ser feito.tem piloto de 11 anos que corre no meio dos adultos em alguns regionais de motovelocidade, e por ai vai….quando se esta vencendo é tudo lindo e maravilhoso,veja o exemplo do nosso eric granado,mas quando se esta perdendo ou se envolvendo em acidentes,ai aparecem as criticas.o eric granado esta no brasil se recuperando de um acidente.sera que alguem vai desestimula-lo ou á familia dele a deixar de correr?? duvido.a gente sabe que o risco existe mas sempre pensamos que nunca vai acontecer conosco.se fosse assim,com certeza nao correriamos.tomara que esse acidente sirva pra melhorar a segurança nas corridas e nao para dessestimular as pessoas a pratica-lo.

  34. Não acho que uma criança de 13 anos tenha condições de avaliar os riscos de que corre ao correr de moto. Por isso que cabe aos pais decidir isto. Se os pais aceitaram, que agora aceitem o destino do filho. Eu corro de Kart e tenho uma filha pequena. Se ela quiser correr, tenho que fazer todo um trabalho de preparação e prevenção e aí deixar. Agora, nunca fazer algo impensado e sem planejamento.

  35. Pedro Francisco Zimmermann disse:

    Lamentável o que ocorreu, meu filho corre de kart sei dos riscos, mas prefiro ele correndo de kart a dar uma volta sequer de moto, mesmo que seja a 20 km/hs, já tive moto e sei como doi um tombo. Teve um filho de conhecido aqui da minha região que perdeu um filho de 14 anos competindo de motocross, o cara não se recuperou até hoje, e acho que pai algum se recupera de uma perda destas.

  36. Augusto Santos disse:

    Caro Flavio,
    nos conhecemos ja faz algum tempo, e também faz muitom tempo que não falamos. Voce tem falado muito com certa frequencia com o Augusto Farfus , meu filho.
    ele começou a correr de na moto velocidade com apenas seis anos de idade , e digo, foi por pedido dele proprio. Ele conquistou tres titulos na categoria , 90Cc, e não facil levar ele para o kart , que comparando com duas rodas e muito mais seguro. Na vida exitem fatos , que não encontramos explicacões, fiquei chocado com a noticia , pois acompanho o warmup todos os dias . Sei que não é facil , e não sera também para o garoto envolvido no acidente, mas todos nos temos uma missão , para alguns demora a terminar , e para outros ela é breve. Para um pai sei que não é facil, ter que conviver com esta imagem. Vamos pedir a Deus que de forças a familia ,e proteja toda esta garotada , que entra neste mundo muito louco .
    Abs…
    Augusto Santos.

  37. Champion disse:

    Moto para criança sim. Antes em cima de uma moto do que dentro de uma trapizonga bloqueando o acostamento em dia de congestionamento na Imigrantes..
    O risco é menor em cima de uma moto. Trouxa…

  38. Doriel Filho disse:

    Nem pra adulto, quanto mais pra criança!

  39. Winston disse:

    Não sei se concordo ou não! mais foi uma trajedia!!!

  40. Mario H Sanctos disse:

    Não sei que cilindrada os “menudos” estavam correndo….
    Tambem acho que menores de 17-18 anos não devam competir com máquinas de muita potência. Nos anos 70, tinhamos corridas de Mobylete em Interlagos para menores
    só pelo circuito externo. Foi lá que o Alexandre Barros começou…

  41. Luciano Terto disse:

    Ao João Vasconcelos a minha opinião: as corridas legais de moto entre adolescentes e crianças não influencia de maneira alguma quem corre pelas ruas de carro ou moto. Liberar crianças para correr em pistas fechadas não diminui em absolutamente nada os acidentes, para que o número de tragédias no trânsito diminua é preciso que se faça um outro tipo de trabalho. Como diria o PVC (ESPN): “olha, eu respeito muito a opinião dos outros, mas a sua!! PUTZ!!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *