MENU

domingo, 29 de agosto de 2010 - 19:10Rali

E MAIS UM…

SÃO PAULO (incrível) – E no mesmo e-mail que o Sandro Alves enviou e deu no “Carro da Firma” aí embaixo estava este link da história do único Rolls Royce que disputou o Paris-Dacar. Vocês sabiam disso? Eu não sabia. Ou não me lembrava. De qualquer forma, a história é a seguinte…

Em 1981, o piloto Thierry de Montcorgé teve a ideia de meter um Rolls no rali mais temido do mundo. Conseguiu o patrocínio da Christian Dior, que estava lançando o perfume Jules. Mandou fazer uma bolha de fibra de vidro (pesava só 8o kg), vestiu um chassi tubular, enfiou transmissão 4×4 e câmbio de Toyota Land Cruiser e um motorzão Chevrolet V8 de 5,7 litros e 350 hp.

O carro chegou a ocupar o 13º lugar na geral, mas teve uma quebra que demorou para ser resolvida. Mesmo assim, Montcorgé o levou até Dacar, um dos 40 que lá chegaram entre os 170 que largaram. Depois disso, o RR nunca mais participou de corrida alguma.

Na página enviada pelo blogueiro, ele estava sendo anunciado para venda. Não sei se foi parar em alguma coleção. Mas dá para ver várias fotos, e a história é ótima.

28 comentários

  1. Snowmeow disse:

    Bolha, motor Chevy, transmissão Toyota… Esse Rolls Royce é tão Rolls Royce quanto aquele protótipo feito pela Chamonix era um Dobló.

    Se ao menos o motor fosse o mesmo usado nos carros Rolls Royce, era perdoável. E só aceitaria porque era o Paris-Dakar, porque se fosse o WRC ou algo mais “light”, seria irrelevável.

    Ao menos, fizesse um buggy tipo Schlesser com mecânica Rolls Royce, aí sim!

  2. Luke disse:

    Bolha? Chassi tubular?? Motor Chevrolet??? Desde quando isso pode ser considerado um Rolls Royce?!!?!!?

  3. Andre Moreira disse:

    POxa, lendo as caracteristicas do carro chego a conclusao que nao é um rolls royce

  4. claude bes disse:

    NO RALI DA COPA DO MUNDO NO mEXICO, PASSOU AQUI EM CURITIBA UM ROLLS SE ARRASTANDO, LOGO DEPOIS ABANDONOU.

  5. Paulo F. disse:

    Se tivesse pelo menos o motor RR, o mais fraquinho é um baita v-oitão! Ou poderiam usar um Merlyn , eh eh.

  6. Roberto Costa disse:

    No Rallye da Copa do Mundo que saiu de Londres e chegou no México passando pelo Brasil alguns RR participaram.
    Acho que daria uma boa pesquisa.

  7. rubem rodriguez gonzalez disse:

    O cara poderia fazer tranquilamente uma réplica do onibus espacial, isso aí é tão RR quanto uma Discovery……desse jeito é fácil reeditar até a corrida maluca, é só chamar o joãozinho trinta para projetista…….

  8. Eduardo Isidoro Gasparrini disse:

    Flávio, aproveitando em que o post se refere digamos a uma aventura tenho uma aqui, que não sei se você conhece.
    Se chama, Expedição Alasca, um grupo de Blumenau / SC se reuniu e com suas Harleys e decidiram ir até o Alasca. É incrivel!!
    Eles concluíram a etapa de ida, voltaram de avião para o Brasil por compromissos pessoais, e agora vão voltar novamente de avião para trazerem devolta suas “crianças”.
    Realmente é inexplicável assim, então o melhor ainda é ver o site que eles mantêm, atualizado diariamente, sagrado, com fotos e videos e marcações por onde estão passando, é de tirar o folêgo. Segue o site:
    http://www.phd-loja.com.br/expedicaoalasca/

    Há também o twitter de um deles, que sempre está colocando fotos da viagem e mantendo por onde está passando.

    http://twitter.com/phdchico

    Seria ótimo mostrar o esforço dessas pessoas, e claro, a todos os amantes de harleys iriam ficar loucos!!

  9. Machinist disse:

    Um Rolls Royce que não era um Rolls Royce então..

  10. DURVAL PEREIRA disse:

    Logo ví que não era um RR que já fez um teste enorme em umd eserto e passou incólume, aliás conta-se uma história que um barão comprou um RR e depois de algum tempo ele apresentou um probleminha na rebimboca da parafuseta, ele mandou pedir a peça da fábrica e a mesmca chegou, depois de algum tempo estranhando a fatura não chegar entrou em contato com a fábrica arguindo sobre o assunto, a resposta foi seca:
    -SENHOR…’REBINBOCAS DA PARAFUSETAS DE RR NÃO QUEBRAM” O SENHOR ESTÁ ENGANADO, NÃO CONSTA DE NOSSOS REGISTROS

  11. julio Cesar Gaudioso disse:

    Os ralis da copa do mundo eram muito mais difíceis que o Paris Dakar, não tinham equipes de apoio nem da organização da prova; eram coisas do tipo “vai lá e te vira como puderes”. Não tinha caminhão passando no final do dia recolhendo os que ficaram pelo caminho, nem botão de emergência. O Paulo Trevisan pode dar uma longa esplanada sobre isso, visto que inaugurou a ala de rali no Museu em Passo Fundo.

  12. Tohmé disse:

    coloquei uma mini dele lá no blog. Porém faz tempo e não acho.

  13. fred disse:

    Antes da Copa do Mundo de 1970, o Daily Mirror promoveu um rali Londres-Cidade do México, que passou pelo Rio e eu fui lá ver largada no Museu de Arte Moderna, no Aterro. Tinha um monte de fuscas e mais de um Rolls Royce. Quem ganhou foi um Escort inglês. Os carros chegaram inteirinhos da parte européia do rali, e chegaram aos pedaços no Mexico.

    • Walter - Poa RS disse:

      Eu acompanhei a passagem dos carros por Porto Alegre.

      Comentavam que o RR era pilotado por um príncipe e que teria batido na serra (entre Caxias do sul e Porto Alegre.

      Falavam que teria sido levado, o RR, para uma revenda Chrysler (na Lima e Silva) não consegui vê-lo.

      A estória deste Rally é muito legal.

      Também diziam, que vários competidores europeus tinha grades para colocar nas aberturas dos carros em caso de pane pele inteirior das Américas pois tinham medos de animais, aves ferozes que poderiam invadir os carros.

      Quem souber mais que comente
      Abraços

  14. Daniel Nascimento disse:

    Lembro-me desse carro nos cards de SUPER TRUNFO…aquele joguinho da Growl (acho ser essa).

    Sempre me questionei… o que um RR faria numa competição Off-Road??

  15. alexandreperlini disse:

    Acho que o pessoal que critica carro tipo bolha, só aparencia devia voltar-se a realidade e ver que isso não importa em competição, importa é termos ela em si, tudo é valido, desde que não iluda as pessoas, como o Eduardo Homem de Mello falava que os Nascar Toyota tinham motor Toyota e tal, isso é mentir.

  16. Julio Diaz disse:

    Porra galera puta história legal… vcs são muito exigentes !!!!
    Que viagem um Rools no Dakar !!!!! Adorei ….

  17. alberto disse:

    Deixem de ser chatos. A bolha é uma réplica exata, diferente da Stock, que lembra vagamente. O painel é o original, tá tudo no link. Vocês não queriam que ele fosse pro Dakar com câmbio e motor originais, né? Eu gostei.

  18. Lvcivs disse:

    Isso é tão RR quanto os carros da estoque são Peugeot, Chevrolet e afins.

  19. Ricardo disse:

    Flávio, o carro não tinha identidade nenhuma, pois só usava uma bolha que imitava o RR, que pra mim é um travesti de RR, e não um legítimo RR. Iguais aos travestis da Stock, que a mecânica é igual para todos e tem uma casca de cada empresa. Deveria ser o contrário cada fabricante com seu chassi próprio e sua motorização, mas pelo custos e patrocínio difícil no Brasil, a gente releva.

  20. Bruno Mantovanelli disse:

    Chassi tubular, bolha de fibra, motor Chevrolet, cambio Toyota.
    De Rolls Royce isso aí não tem nada.

  21. Bolha? Chassi tubular? Hum… estoque de luxo! Espetacular o carro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *