GRANDE, O DKW-VEMAG

SÃO PAULO (já atrasado) – Bom dia, macacada. Viram o “Limite” ontem? Então aí vai o link para a matéria contando a história do primeiro sedã fabricado no Brasil, o Grande DKW-Vemag. Era o nome oficial do carro em 1958.

Subscribe
Notify of
guest
39 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
fernando
fernando
8 anos atrás

tenho um decave

Glaudemir Marques
Glaudemir Marques
10 anos atrás

Boa Tarde!

Gostaria de saber onde posso encontrar, ( Cabo seletor de Marcha DKW ) Em São Paulo.

Paulo Henerique
Paulo Henerique
10 anos atrás

Flávio, bom dia!
Tem como você me mandar o Link desta reportagem pois para mim é uma das melhores suas da Vemaguete.

E aproveitando gostaria de saber aonde posso conseguir as Miniaturas da Vemaguete e Belcar aqui em SP.

Abraço.

OSWALDO
OSWALDO
11 anos atrás

CARA SAUDADE E BOM TER. POIS E MEU PAI TEVE UMA VEMAGUETE AZUL CEU. LINDONA. ACHO QUE ERA 68. EU TINHA 10 ANOS. E MEUS AMIGOS A APELIDARAO DE PIPOQUETI. EU MORRIA DE VERGONHA, QUANDO MEU COROA IA CHEGANDO NO QUARTERAO. SE VE NE, AGORA MORRO DE SAUDADES DAQUELA EPOCA TAO ROMANTICA. O CARRINHO BOM… ECONOMICO E ESPASOZO. TAMBEM MNHA FAMILIA TINHA 7 IRMAOS E UM CACHORRO AINDA. EU IA LA TRAS NO XIQUEIRINHO. COM A MIMHA IRMA E O KIKO, CACHORO DE ESTIMACAO. ERA FELIZ E SABIA… BOM DIMAIS.

Victor Ferreira
11 anos atrás

O DKW 58 FOI O NOSSO PRIMEIRO E UNICO 4 PORTAS DA AUTO UNION

Luiz Alberto
Luiz Alberto
11 anos atrás

Muito lindo o teu DKW, impecável nos detalhes. Eu tenho um ano 1958 modelo 59 e me chamou a atenção o detalhe do motor de 900 cc pois tenho guardado um bloco de 900 cc, vou verificar o numero e conferir com o da plaqueta. Um abraço.

Joel_RS
Joel_RS
11 anos atrás

Muito simpático teu Dexavê Flávio.
Deu inveja mesmo, hehe.

Eduardo Cl
Eduardo Cl
11 anos atrás

Parabens pelo carro, Flavio, muito lindo
E voce tava um charme com esse Raybann

Orlando Salomone
Orlando Salomone
11 anos atrás

Tá certo, Flávio. O carro ficou lindo, parabéns.

Américo Salomão
Américo Salomão
11 anos atrás

Flávio, segundo carro a ser fabricado, 5 de setembro de 1956 foi lançada a Romisetta fabricada aqui, em Santa Barbara D’oeste SP., a questão de quantidade de porta, pessoas etc, é outra coisa, mas que ela foi fabricada e lançada antes, admita foi. Sei que seu coração de 2 tempos não permite, mas não podemos mudar a história.

Flavio Gomes
Flavio Gomes
Reply to  Américo Salomão
11 anos atrás

A Romi-Isetta, pelos critérios do GEIA, não era enquadrado na categoria “automóvel”. Para mim é uma bobagem, mas foi assim. Portanto, a Vemag é considerada a primeira fábrica de automóveis do Brasil. A Universal, o primeiro carro. O Grande DKW-Vemag, o primeiro sedã. A Romi-Isetta tinha apenas uma porta, capacidade para apenas duas pessoas, nenhum espaço para bagagem. Um veículo encantador, eu amaria ter uma, mas a história registra a Vemag como a primeira. Além do mais, as Indústrias Romi faziam (e fazem) outra coisa. Usaram seu espaço para produzir veículos, deu errado, pararam e seguiram a vida. A Vemag, não. Foi constituída como montadora de automóveis. A primeira do Brasil.

Márcio Heide
Márcio Heide
11 anos atrás

Vc tem mesmo motivos de ser orgulhoso dele… mas ele é um espelho do seu capricho!

Sds

luiz guima
luiz guima
11 anos atrás

Parabéns, Flávio, pela matéria e pelo carro.

Só uma observação: não achei adequado teu comentário sobre cinto de segurança. Não tenho dados, mas acho que morria gente pela falta dele, sim. E você, como formador de opinião que é, não deveria fazer piada pela falta do cinto.

E tenho certeza de que jamais você alinharia para uma largada com o Meianov sem estar bem afivelado no seu 6 pontos. (ou são 5?),

Mais uma coisa: tenho várias fotos antigas que podem servir para seus posts; como faço para enviá-las?

Abraço,
LuizGuima .

Maurice Stambouli
Maurice Stambouli
11 anos atrás

Justamente, o 1º carro do mau pai no Brasil foi uma perua 1959, azul marinho, estofamento vermelho, placa 2-2449 (sp1).
eu tinha 9 anos e aprendi a dar a partida neste carro. Inclusive, creio que você deixou de falar da roda presa / roda livre. Detalhe importante. E o freio de mão. Era aquela alavanda do lado direito com uma bola branca. Detalhes. Detalhes.
Abraço e parabéns pela tua coleção. Inveja branca.

Rovilson Portela
Rovilson Portela
11 anos atrás

Sem dúvida o carro mais lindo fabricado nestas terras…
Muito legal também você ter elogiado o grande Mino Carta durante o programa, realmente o jornalismo brasileiro deve muito a ele.
Abraços

Anonimo
Anonimo
Reply to  Rovilson Portela
11 anos atrás

Concordo. Era (e ainda é) tão lindo que foi lançada a versão sedã: o ‘Fissori”.

Batista Lara
Batista Lara
11 anos atrás

Morri mesmo de inveja, FG! Dirigi uma 59 , saia e blusa, verde e branca e porta dexavê. Saudades demais! Meu pai teve duas Vemaguet 67. Faz mais matérias com todos os seus DKWs !!

Romeu Nardini
Romeu Nardini
11 anos atrás

Muito bom o Indiana de ontem.
Realmente esse exemplar de 58 é o mais charmoso dos DKWs brasileiros.
Os frisos na tampa do portamalas e a porta traseira pequena, davam um charme todo especial ao carro.
Importante e histórico: O primeiro carro de passeio fabricado no Brasil.
Saiu no dia 13 de Maio de 1958.
Bem por isso, nessa data comemora-se o dia do Automóvel no Brasil.

L.O.
L.O.
11 anos atrás

E vc ainda me esquece a tampa do bocal do tanque no posto!!!!!!!

Mais uma vez, parabéns pelo belo trabalho e pela bela viatura.

Túlio Parodi
Túlio Parodi
11 anos atrás

Parabéns pelo carro e pela história que anda!!!

V. Maghetti
V. Maghetti
11 anos atrás

Lindo carro, parabéns!!!

Tiago Mio
Tiago Mio
11 anos atrás

Parabens FG, esse seu DKW tenho certeza q varios amantes da marca queriam de um. Sem duvida, é carro que vale a pena ser cuidado para vida toda.

MSM
MSM
11 anos atrás

Muito legal a matéria, principalmente qd foi andar na rua, comecei a rir qd vi como era “estranho” usar aquela alavanca de câmbio no volante. E valeu em explicar o porque de portas suicidas (tinha ouvido falar mas não sabia o motivo).

Zé Maria
Zé Maria
11 anos atrás

Beleza de matéria, carro IMPECÁVEL (mereces os elogios, com certeza!), faltou contar do macete de tirar a borracha do filtro de ar e tampar a “boca” do carburador com a mão enquanto alguém dava a partida, senão não pegava de manhã cedo (acho que só nos dias mais frios, agora deu um branco. . .) meu pai teve 3 Vemaguetes em seguida, 65 bege, 66 marrom café e 67 bordô e eu, menos de 10 anos, sempre curioso e “pescoçando”!

ALEX B;
ALEX B;
11 anos atrás

Pô! Lindão teu Das Klein, Flavinho! Só faltou mostrar o rádio e o porta malas! O banco do motorista é ajustavel da distancia, ou o banco dianteiro é inteiriço?

Carlos Augusto
Carlos Augusto
Reply to  ALEX B;
11 anos atrás

O DKW 1.967 que o meu Pai teve, um Vemag Belcar 4 portas, que dirigi muito, o banco do motorista era inteiriço e todo ele corria no trilho, indo para frente e para traz ao gosto do motorista.

enio
enio
11 anos atrás

Flavio fiquei muito feliz em saber que a reliquia esta em tuas maos, pois e uma garantia que estara bem cuidado…….quanto a reportagem que vi e escutei atentamente sobre o deka 1958 ,mecheu demais comigo pois eu na epoca com 10 anos tinha o prazer de andar mesmo que de carona com meu Pai que adquiriu o primeiro da revenda do meu Tio em Santa Cruz do Sul, meu Pai tinha empresa de carros de Praça,hoje Taxi, imagina a mexida que deu no mercado naquela epoca, que reinavm os importados Ford,Dodge,Desoto,Studebaker,Chevrolet todos nos mais variados modelos considerados carros grandes e atender chamados e viagens com um pequeno alemao ou seja o Grande DkW, vou parar por aqui pois teria historias para conversarmos por horas e dias sobre esse tema ……Mas voltando a Tua narrativa do Verdinho cor original da epoca, estranhei o porque de nao falares para os leigos o porque daimagem propaganda da epoca vendida pela Vemag ou seja do Grande, sabem porque…pois os carroes da epoca eram todos para 6 pessoas e 4 portas pois o nosso 58 tinha essa pretençao com muito menos HP e baixo consumo de combustivel e manutençao simples e barata foi um sucesso…..quanto as portas tinhmos um probleminha, gostei do que falas-te da dobradiça, pois nao tinha me tocado do detalhe de servir para as diant. e trazeiras, que tinha um grande defeito de abrir so uma parte, pois o paralamas trazeiro nao abria o suficiente em consequencia o vidro da porta nao baixava o suficiente…….mais tarde foi corrijdo pela Vemag, outra novidade da epoca era a traçao dianteira, roda livre etc……..Voltamos ao assunto outra hora parabens pelo Teu trabalho e conhecimento pela causa dos antigos…..Sucesso e continue com esse trabalho maravilhoso

ricardo lima
ricardo lima
11 anos atrás

belo dkw,parabens pelos detalhes e pela exclusividade,pois ninguem melhor que voce para valoriza-lo com grandeza real,e parabens pelo indiana gomes,abraços

Bruno Pracideli
Bruno Pracideli
11 anos atrás

Ótima matéria! Leio o blog e o GP diariamente. É sempre bom conhecer a histórias desses grandes carros brasileiros. Parabéns!!!

Giovani JArdim
Giovani JArdim
11 anos atrás

olá galerinha, como faço pra mandar um e-mail pro Flávio Gomes???

Sérgio Castro
Sérgio Castro
11 anos atrás

Acho que de todos os seus fumacentos, esse é o mais charmoso, impecável….mesmo com aquele vasinho gay….

Mauro José Santana Júnior
Mauro José Santana Júnior
11 anos atrás

Show Flavio Gomes!!!

Mais uma matéria fantástica e parabéns por mais esta belíssima Maquina!!!

Abraço!

Rafael Ribeiro
Rafael Ribeiro
11 anos atrás

Sensacional.
As matérias do Limite são ótimas!
Continue assim FG.

Marcelo
Marcelo
11 anos atrás

Pra variar grande materia, esse carro e muito legal, engraçado como as coisas são os carros legais ( dkw, gordini, opala, corcel, etc…) deixaram de ser fabricados para dar lugar nas ruas a lixos como estes coreanos, chineses e italianas que a gente ve por aqui

Helio Mendonça
Helio Mendonça
11 anos atrás

Vi e gostei da Deca, parabens FG..
abs
Luby

Carlos Augusto
Carlos Augusto
11 anos atrás

Como sempre, achei espetacular a matéria sobre o DKW, e todas as outras do gênero.

Hoje estou com 57 anos e me fez sentir aquela doce lembrança do passado, ao ver aquele carrinho verdinho que me fez lembrar o 67 que meu pai teve e que dirigi muito num passado distante que deixou saudosas lembranças.

Apenas, gostaria de lembrar o Flavio, que não se deve falar para os espectadores usando óculos escuros, por mais ensolarado que esteja o local, restaria ainda, o recurso de ficar de costas para o sol enquanto se fala para o público.

Não vamos confundir com atletas que via de regra cometem esse deslise perante as cameras, talvez por serem pegos de surpresa.

No mais, gosto de todas as matérias comandadas pelo Indiana-Gomes, que são bem elaboradas por profissionais que entendem do assunto.

Abraços.

Kiko Lanari
Kiko Lanari
11 anos atrás

Bem legal a matéria. Por que não cobrir o blue cloud no próximo indiana?

Gabriel, o Pensador
Gabriel, o Pensador
11 anos atrás

Bom dia, caro FG.

Deu para perceber como você tem muito orgulho deste carro. Uma dos “Indiana Gomes” mais legais!

Só uma dúvida: já te pararam na estrada por conta da falta do cinto de segurança?

A frase: “não tinha e ninguém morria por conta disso” foi sensacional. me acabei de rir.

Parabéns pela matéria e pelo carro.

Abraço!

Gabriel, o Pensador
Gabriel, o Pensador
Reply to  Gabriel, o Pensador
11 anos atrás

Corrigindo: um dos “Indiana Gomes”.