MENU

segunda-feira, 27 de junho de 2011 - 13:26F-1

HISTÓRIA ESTRANHA

SÃO PAULO (sei lá) – A Audi estaria por trás da ideia de mudança dos motores da F-1 para 4 cilindros turbo 1.6 a partir de 2013. É o que diz Adrian Newey. E a FIA, disposta a atrair a marca (o que significaria trazer a gigantesca VW), acabou propondo esse formato às equipes.

Depois Ingolstadt teria voltado atrás e aí decidiram por um V6 1.6 a partir de 2014.

A Audi, vira e mexe, é colocada nas especulações sobre entrar na F-1. Anos atrás, Mario Theissen, da BMW, nos disse num jantar que a decisão já estava tomada. “Só resta saber quando, exatamente, eles vêm.” No fim, a Audi nunca veio e sempre negou o interesse. Nem a VW.

As quatro argolas investem no DTM e em Le Mans. É algo que a fábrica considera mais adequado às suas necessidades. Nas provas de protótipos, desenvolve um monte de coisa, de novos materiais a combustíveis alternativos. Nas de Turismo, mantém-se na mídia numa briga eterna de mercado com a Mercedes.

Dia desses li uma entrevista do chefe da Audi para as corridas, Wolfgang Ullrich, e ele não parece curtir muito monopostos. “Corridas de fórmula não têm relevância para as ruas e estradas. Em Le Mans, um de nossos carros andou mais do que um carro de F-1 durante uma temporada inteira e gastou 42% menos em combustível, com uma média de velocidade maior. Isso é relevante.”

Não dá para tirar sua razão.

36 comentários

  1. Fernando Monteiro disse:

    Olá pessoal. Eu que acompanhei toda era turbo na F1, achei muito boa a idéia dos motores de 4 cilindros de 1,6 litro. Já, naquela época, aqueles pequenos propulsores entregavam enormes quantidades de HP’s,coisa entre 10.000 e 12.000 RPM. No auge da era turbo tínhamos os motores de classificação que chegavam a entregar 1300 HP. Piquet certa vez disse que seu 4 cilindros BMW, em configuração de treino passava dos 1500HP. Não era a toa que os pilotos saiam dos treinos, principalmente nos circuitos de altas velocidades da época, com os olhos esbugalhados. Agora imaginemos hoje com toda essa tecnologia de motores , com todos os sistemas digitais, as atuais técnicas de confecção dos blocos e etc, com certeza teríamos motores de no máximo 60 a 70 kg ou menos com cerca de 900 HP para corridas. Lembro bem, que aqueles motores tinham o ronco mais soprado, suave em contraste com o berro rascante dos DFV de 3 litros e dos Ferraris plano 12 aspirados. A Renault até aceitou a nova configuração V6, até porque seu antigo turbo era nessa configuraçao, mas sabes-se que, como pioneira em propulsores turbo na F1, seu grupo de engenheiros apostavam no 4 cilindros pressurizado. Ainda assim aposto no propulsor frances. O que corre nos bastidores também, sobre a desistencia da Audi em apostar na F1, foi o fato da Mercedes até agora ter gasto fortunas e não ter colhido nenhum resultado significativo, pois sabe-se que de inicio a Audi forneceria os motores para a Red Bull e depois absorveria a equipee ficando os energeticos como patrocinadores mantendo sua pintura, mas com o fracasso da Ford(Jaguar), Honda, Toyota e BMW, o pessoal da DKW ponderou sobre a situação. Também meditemos, pois os fabricantes não precisam mais da F1 para extrair algo para seus carris de rua. As regras são muito restritivas, os circuitos são lentos com traçados ruíns. Acho que o povo de Ingolstadt acertou na escolha e que fiquem por lá. Mas gostaria de ver na F1 uma coisa que só vi pelos livros e videos antigos, um duelo de Audi X Mercedes. Em termos de propaganda, seria ótimo para a F1. Os fãs iriam adorar. Esperemos….
    Abraço a todos.

  2. foca disse:

    tremendo chega pra lá na viadagem da F1…

  3. Rafaaph disse:

    O grupo que compõe a Audi e Vw é revolucionário mesmo, na década de 80 os Quattro nos Rallys, em 1990 e 1991 no Dtm com os 4×4 e v8, R8,R10,R15 E R18 Com novidades e não é de se duvidar de mais surpresas do grupo que marcou o mundo com o fuscas e vários carros.

  4. Renato Campestrini disse:

    Está correta a Audi.

    Isso sem contar que a F1 está uma chatice sem tamanho, parece que perdeu o rumo.

  5. Paulo F. disse:

    Faz 30 anos que esta lenga lenga sobre Audi na F1 é contada e recontada. A Audi é apenas a 4ª força na Alemanha. Tem BMW, Mercedes Benz e a competição da casa, a Porsche (a ordem de preferencia é irrelevante). Todas essas marcas já tiveram seus motores campeões na F1, antes que venham me amolar o motor TAG é Porsche. Na década de 1970, quando existia um campeonato de Sport & Protótipos realmente com caráter mundial a Ferrari viu que não dava para continuar dividida entre os dois, concentrou suas fichas na F1. Deixou o S&P de mão beijada para a Matra. A F1 continua até hoje já o S&P….

  6. 2SIX disse:

    Falando-se em relevancia para a indústria automotiva as corridas de protótipos estão mais na vanguarda que a F1. Esta foi distorcida a um ponto que somente os interessos comeciais da F1 interessam. Penso que a AUDI deveria ficar longe da F1, pelo menos até a morte do Bernie…

  7. Fernando Assis disse:

    Esse nãoserdasquantasgang é dos meus… Grande pensador…

  8. David disse:

    A coisa não poderia ser mais simples do que isso. F-1 é um show caro que não traz retorno para a vida real. Exemplo de empresas automobilísticas grandes que não participam da F-1 não faltam. E ninguém enxerga. Acho que poderia ser bem difrente, se ao invés de banirem, por exemplo, efeito-solo, suspensão eletrônica e o Câmbio CVT, aprendessem e evoluíssem essas idéias e tecnologias. Automobilismo não é feito só de pilotos e 4 rodas. É feito de mostrar idéias de segurança, conforto e confiabilidade para os carros que usamos. Por isso pilotos têm de ser tão bem pagos. São malucos que aceitam pilotar carros com equipamentos que têm grande chance de falha. É só pegar resultados de corridas antigas e constatar quantos carros terminavam uma prova. Ou quantos morreram devido a falhas de mecânica e/ou aerodinâmica.
    A F-1 perdeu a essência do que realmente era. Se transformou em passarela/vitrine de artistas.

  9. Levi Davet disse:

    Agora, nos últimos tempos, as regras de F1 tem padronizado os carros (tudo que dá alguma vantagem a alguma equipe é proibido) e as cabeças da Ferrari não são mais tão pensantes, de modo que o desenvolvimento dos carros de rua está mais dissociado dos monopostos da F1.

  10. Levi Davet disse:

    “Corridas de fórmula não têm relevância para as ruas e estradas.”

    Ferrari e McLaren discordam.

  11. Andre disse:

    Esse cara tá com medo da Ferrari. Lá a Audi e Peugeot mandam, na F1 obedeceriam.

  12. Jaison disse:

    E têm outra coisa, o regulamento da f1 permite tração integral?… Queriam um f1 quattro.

  13. Roberto Borges disse:

    O homem está certo!
    Não inventem moda, os DKWs devem continuar na LMS. Não dá pra pagar as duas contas, F1 e protótipos, melhor ficar onde dá mais retorno.

  14. marcio riva disse:

    Resumindo a idéia de Dr. Ullrich, a F-1 está a caminhando para o suicidio com suas regras loucas, circuitos em lugares absurdos, tudo movido apenas por dinheiro. Le mans tem tradição e se pode aproveitar como mostra de tecnologia para a AUDI. A DTM serve para mostrar seus carros de “rua” (win on sunday, sale on monday). A ainda tem os R8 nas GTs da vida que serve para mostrar o super esportivo para os endinheirados.

  15. Jaison disse:

    Tá explicado a temeridade do Mercedes e Ferrari. Os Ap’s são imbativeis…

    Mas fora a brincadeira, acho que não combina o Grupo VW com a F1 e a F1 não combina com a VW.

    Mas é um grande grupo e se era estratégia da fia para atrair estavam certos.

  16. Renan Veronezzi disse:

    Não há o que falar. O Grupo Volkswagen é conciso em quase tudo que faz. E esses diretores e chefes do grupo são muito inteligentes – usam a esperteza nos negócios a favor de suas marcas, e não contra, como em outras. A F1 me causa náusea faz tempo, e feliz do Grupo VW de não fazer parte desta zona.

  17. Bruno Abila disse:

    Flavio, a Formula 1, e suas regras bizarras, esta se tornando, com isso, uma das categorias mais bizarras do mundo. Daqui a pouco, os carros da Superliga, e outras categorias muito menos tradicionais, terao carros mais potentes e velozes que a categoria, que deve ser a maxima no autimobilismo. As regras da Formula 1 estao jogando contra a categoria.

    Os dirigentes querem fazer carros ecologicamente corretos, mas colocam tantas restricoes no carros, que eles acabam sendo pouquissimo eficientes, seja em aerodinamica ou em mecanica.

    Acho que a Formula 1 nao pode entrar nessa moda do ecologicamente correto, isso vai afundar a categoria. Formula 1 e corrida, e carro, nao essas modinhas mundanas. Tem coisa melhor por ai, a F-Indy por exemplo.

  18. pedro ar de concorrência... disse:

    Concorrência no mercado
    Mesmo concordando comparte do que os cérebros da Audi falam, acredito que uma maior participação de montadoras dentro do circo seja saudável, eu adoraria ver quatro argolas subindo no podium e o espocar de champangne por pilotos WV… mesmo que para isso tivéssemos que esperar alguns anos até conseguir o desenvolvimento necessário. A F1 ocupa um lugar especial dentro do esporte a motor e tem características singulares realmente, mas não se pode negar que mesmo com toda a controvérsia reinante, ainda é um espaço que tem valor publicitário, principalmente para montadoras que brigam num cenário cada vez mais globalizado. Gostaria sim de ver mais uma alemã na briga e quiçá dando as cartas como vencedora um dia, em um futuro mais competitivo.

  19. JackSpeed disse:

    primeiro é o seguinte:queiram ou nao a F1 é a categoria top do automobilismo e a mais popular.
    mais é correto dizer que as regras de hoje sao estupidas e mudam demais,por que nao criam regras para favorecer o desenvolvimento de carros mais economicos e novas tecnologias,a F1 deixou de ser laboratorio e os motores estao congelados,uma merda total.

  20. Ricardo Albuquerque disse:

    Boa tarde, Flavio

    Gostaria de por em pauta uma lógica que acho que a FIA ainda não se deu conta:

    A FIA se diz na “onda verde” para poupar energia e combustivel, porém so de dano
    ao tao “coitadinho” do meio ambiente que tanto falam vao queimando borracha par car……
    com esses pneus que desgastam tanto, será que esses pneus não são proviniente do latex??

    Até onde eu sei são, mesmo que não a queima para prõdução do mesmo é enorme!!!!

    Com sua experiencia segue ideia para aprofundar neste assunto

    Abraços

    • JackSpeed disse:

      correto! e a FIA busca um equilibrio ficticio com essas regras,esses pneus sao um absurdo,a pista fica parecendo acostamento das nossas BR’S e garagistas hoje na F1 nem podem sonhar com a F1,isso acabou, a Red Bull que nada tinha a ver com carros com muita grana e o melhor projetista esta atropelando os anos de pista de Ferrari/Mclaren,tinha que baixar os custos e ter fabricas envolvidas,ficaria bem legal se tivesse presente a VW,Porsche,GM,Ford.

  21. Lazlo Barbieri disse:

    Acho que postei aqui que acmpanha as provas de protótipos desde 1987. Sempre achei, e continuo achando-as mais interessante do que a F1, embora esta mantenha a soberania no automobilismo.

    Os protótipos são fantásticos, carros que rodam em provas de 8, 12 e 24 horas em velocidades ´semelhantes, as vezes superiores aos F1…esses é que são super carros (tem hífen?).

    Seria legal ver a Audi (VW) na F1 e ter de volta a Peugeot, mas isso significaria que elas teriam que desistir do protótipos, pois o custo para se manter nas duas categorias seria astronômico.

    Pensando bem, melhor que fiquem onde estão.

    Há um boato de que no final dos anos 80 e início dos 90 Ecclestone, com medo da concorrência dos protótipos teria dado um jeito de detonar o Mundial da categoria, que de fato acabou em 92. Teria algo a ver com o interesse em levar a Mercedes para a F1, que realmente deu as caras em 94, com a Sauber. Sabe algo à respeito, Flávio?

  22. César disse:

    Mesmo que não queiram, os motores 4 cilindros do Grupo VW ainda estão bem presentes nos principais fórmulas até 2 litros. F3 Europeia, Inglesa e F2 (1.8 T Audi) usam os propulsores do grupo alemão, e não creio que largarão tão cedo. “Acha peça em qualquer esquina”, dizem.

  23. Eric disse:

    E tem mais….quem já viu o Diesel que eles usam?

    Hehehehe….nem parece combustível….putcha cheiro de quimica e incolor como água….

  24. samuel hamilton disse:

    Muito apropriado… No final das contas o que os acionistas querem ver e ter é Lucro. O modelo de negócios da F-1 beneficia apenas Ferrari e MacLaren. O que no final das contas é um paradoxo… Uma fábrica de Energéticos, com um orçamento bem menor dominando a categoria. e o restante do Grid se arrastando.

  25. Eric disse:

    Não concordo muito não….desde quando aquele Audi que ganhou Le Mans parece com alguma coisa de rua???

    É a mesma coisa que as Touareg do Dakar…..ou o C4 do Loeb…..

    Em nurburgring sim….ganhou um Porsche de verdade, nada de protótipos.

  26. Batista Haddad disse:

    Eu gostaria de ver uma marca na F-1

    CHEVROLET

    O que acha Flavio?

    Abraço

  27. ROGÉRIO CARVALHO disse:

    Fala FG blz? E na maior cidade do mundo ta bem frio hoje! Cara também acho conversa fiada, a Audi não vai pra F1 nada, as fabricas de carro que lá estão só não sairam ainda por que tem patrocinios fortes e só estão na F1 pra fazer bonito pra patrocinadores, se tiverem que por um centavo do bolso saem no dia seguinte, nada que se cria na F1 nos dias de hoije tem utilidade em um carro de rua. Abraço.

  28. Marcos Martinho disse:

    Drº Wolfgang Ullrich é o cara!
    Tem feito um trabalho espetacular com a Audi e ele está coberto de razão

  29. Fernando Giti disse:

    Acho que montadoras na F1 deveriam se limitar a fornecimento de motores. Elas sempre vão e voltam a F1 alegando “N” motivos… Sugam até onde dá, e depois “capinam”…

    http://pessoalprofissional.blogspot.com/

  30. Jáder, O Pitoresco disse:

    Pior que é verdade.

  31. Marcus Vinicius disse:

    Interessante. A F-1 era um laboratório pros carros de rua. Hoje, com tantas limitações, não vejo tanta novidade vindo das pistas pras ruas.
    O cara da Audi está muito certo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>