FABIO STEINBRUCH

SÃO PAULO – Recebo atônito a notícia da morte, neste domingo, do amigo Fabio Steinbruch. Autor de livros sobre a indústria automobilística, colecionador (seu acervo de nacionais é o maior do Brasil), alfista, piloto que há anos corre com a gente de Dodginho, uma pessoa querida e doce, sofreu um acidente de moto. Não tenho detalhes de onde foi, como foi, nada.

O enterro será nesta segunda no cemitério Butantã às 13h.

Fabio tinha 51 anos e era casado com Fabiane. Não estou acreditando.

Comentários

  • Foi com grande tristeza que fiquei sabendo hoje do falecimento do Fábio. Não o conheci pessoalmente mas a narrativa dele no livro me trouxe muitas recordações de infancia.

    Meus sentimentos à esposa e família.

  • Meus sentimentos à família. Fábio certamente era uma dessas pessoas que a gente, mesmo sem conhecer pessoalmente, sabe que era especial.

    Tenho um de seus livros e, desde que li uma reportagem sobre sua paixão, muitos anos atrás numa revista de autos antigos, o tinha como referência como um colecionador único, apaixonado. Triste saber que partiu tão jovem, muito antes de realizar tudo o que poderia, mas certamente fez muito até partir.

  • Eu assim como a grande maioria de seus amigos custa a crer que ele realmente tenha partido. Conhecia o Fábio há quase 14 anos e 90% do meu conhecimento de carro antigo, principalmente o nacional, devo a ele. Me ajudou muito no início do meu caminho nos eventos de carros antigos. Sempre tive uma admiração muito grande por simplicidade e bondade. Sua ausência deixará um vazio no meio antigomobilista e automobilista. À Fabiane e família desejo muita força para superar esta grande perda.

  • É COM PESAR E PROFUNDA TRISTEZA QUE FIQUEI SABENDO DA MORTE DE FABIO FUI SEU PARCEIRO ENTRE 1999 À 2002 COMO PILOTO DECOMPETIÇÃO NA CATEGORIA FORÇA LIVRE E PROTÓTIPO CONSEGUIMOS ÓTIMOS RESULTADOS.ME DEIXA PROFUNDAS E BOAS LEMBRANÇAS DA ÓTIMA PESSOA QUE SEMPRE FOI E DE GRANDE GENEROSIDADE DESCANCE EM PAZ AMIGO………

  • Estive presente no almoço de seu último aniversário. Uma pessoa que era querida por todos. Excelente alma.
    Venho trazer a expressão sincera de meu profundo pesar pelo rude golpe, que o destino acaba de desferir a toda a família, privando-a de um ente que era tão caro e afeiçoado, e cuja perda abre um claro impreenchível.
    Posso afirmar-lhes que participo sinceramente da intensa mágoa.
    Não é só a família a única a sofrer com a perda de tão insigne chefe: sofre a sociedade a falta de uma de suas mais assinaladas figuras representativas no mundo automobilístico.
    Aceitem com estas linhas o testemunho de minha solidariedade a grande, a inefável dor, que essa família está sentindo.

  • Ainda nao consigo acreditar e asimilar a perda de uma pessoa muito boa, humilde e sabio, sempre sabia o que estava falando quando se tratava de automovel uma celebridade neste segmento e muito, mas muito especial como pessoa .
    Fico muito triste com a noticia…..
    Desejo muita força a toda a familia…..
    Meus Sentimentos.

  • Que se faça ao menos uma homenagem na próxima etapa do Paulista, pois é realmente o mínimo que se pode fazer em agradecimento à quem fez tanto pelos carros antigos em geral, tanto originais quanto os de pista.

  • Caramba!!!
    Não conheci !!
    Um dia no templo, dia quente. o carro dele quebrou bem do lado do meu posto… Ele parou desceu enquanto esperava o resgate perguntou se tinha água, disse que sim, mas já estava quente pois tinha vindo na mochila e já eram umas 12:30 , 13:00Hrs..Ele não se importou e bebeu assim mesmo. O resgate chegou e ele foi pra dentro do doginho… Nunca mais o vi…Só que depois de uma meia hora apareceram no posto duas pessoas, Com água gelada, fresquinha, um pcte de biscoitos e um lanche de pernil muito bom, deixaram e disseram: com os agradecimentos do piloto do doginho…Essa é a unica lembrança da pessoa… Me pareceu ser gente muito boa, mais um pro rool das lembranças, apenas….Aos familiares, sinceramente minhas condolencias…E força.. Se ele era assim com todos,, deixará saudades

    • Marcão, seu relato é que melhor enaltece a pessoa de Fábio. Atitudes especiais como esta que você relatou só são oriundas de pessoas diferenciadas, e apesar de eu não ter tido a sorte de conhecer esse moço, com o seu relato tive a exata idéia da sua Grandeza. Que descanse em paz.

  • A gente se conhecia desde sempre, quase. Desde o tempo do Curso Marazzi de Pilotagem. Vivíamos enchendo o saco um do outro, sempre por causa dos carros. Ele, alfista. Eu, anti-alfista. Tínhamos carros de rua iguais à época. Dois Passat GTS Pointer cinzas. Com esses carros fizemos vários e vários pegas super legais nas tardes de quarta-feira em Interlagos. Passamos um tempão sem nos ver e por acaso, em Interlagos, num sábado qualquer, por causa das corridas de carros antigos, rimos muito sobre reencontros de fantasmas.

    E ele teve a manha de virar fantasma antes de mim.

    Alfas são legais. Eu tava só enchendo o saco.

  • um amigo me ligou e deu-me essa triste noticia. o fabio era uma pessoa com valores(e n é

    por que n está mais entre nós) e extremamente humilde. sempre q ia em seu galpão, nos recebia bem, tanto qto sua equipe. imagino aqui, como todos devem estar. um grande e bom amigo se foi, daqueles q não se encontra facilmente. só o q temos a desejar, é q ele esteja bem e lembrar q viveu sua vida a pleno, fazendo o q gostava e rodeado de pessoas que o admiravam. adeus fabio. esteja bem!!!!!

  • Conhecia e admirava o trabalho do Fábio há mais de dez anos, e tive a sorte de conversar bastante com ele na época das reuniões do Chrysler Clube do Brasil, quando ainda morava em SP.
    Uma perda enorme do amigo, parceiro, incentivador, pessoa muito positiva e influente em nosso meio.
    Ainda estou chocado com o fato.

  • Oi Flávio, estamos todos chocados com a notícia. Só soube essa manhã, através dos jornalistas e colegas, Raul Machado e Bob Sharp. Bob, Raul, Fábio e eu trabalhamos juntos no projeto Carros Inesquecíveis do Brasil e não sou capaz de explicar o que sinto agora mesmo. Espero que todos os amigos do Fábio que poderão estar presente possam confortar a Fabiane hoje. Eu, mesmo distante, estarei em pensamento presente.
    Um abraço a todos e força, muita força, para superar esse momento tão triste.
    Karla

  • Flavio, voce definiu muito bem: O Fabio, do Alfa Clube de 25 anos e do nosso Interlagos, era um cara querido, doce e humilde. Seus amigos todos do nosso meio. Seu mundo, o nosso. Corria com seu Dodginho, uma versão preparada do seu primeiro carro.
    Estamos hoje com a alma despedaçada…

  • Fábio era uma personalidade no meio automobilístico. Nos conhecemos pelo Chrysler Clube do Brasil, que além de sócio era um grande colaborador, sempre participando pessoalmente ou então emprestando os maravilhosos carros de seu acervo para os eventos do Clube.

    Ele era um grande conhecedor, colecionador e escritor que teve a coragem e a felicidade dedicar sua vida à sua paixão, os automóveis!

    Muito triste sua partida, tão cedo.

    http://www.V8nFUN.blogspot.com