MENU

Tuesday, 5 de November de 2013 - 19:36Nas asas

NAS ASAS

SÃO PAULO (tem cara que é bom…) – Adoro esses vídeos que meu amigo vemagueiro José Ma2Tos manda para seu grupo de discussão sobre aviação, do qual faço parte clandestinamente. Esse eu não conhecia, e acho que é coisa recente, do começo do ano. Um 767 da LOT polonesa, com 231 pessoas a bordo, ficou sem os trens de pouso e o comandante conseguiu pousá-lo divinamente. Um passageiro disse que foi a aterrissagem mais suave de sua vida. Incrível a habilidade do piloto, e sua humildade.

E é bem legal o que aconteceu dentro do avião também (há imagens). Assim que a ave parou, as pessoas começaram timidamente a aplaudir. Mas não durou muito. As aeromoças polonesas imediatamente se levantaram e gritaram: “Todo mundo fora desta merda AGORA!”. Havia risco de explosão. Sem muito tempo para festinha, pois.

Demais essas histórias que acabam bem. O avião não explodiu. Ficou com a barriga arranhada. Nada que um bom funileiro não resolva.

36 comentários

  1. Marcos Segantini says:

    Old but gold.

  2. Clayton Duarte says:

    Alguém pode recomendar fóruns de discussão sobre aviação?

    Obrigado.

  3. gera says:

    Os pilotos poloneses são muito bons. Na 2ª WWar formaram um esquadrão de caças
    na RAF e se tornaram lendas apesar de serem muito tagarelas em combate.
    Errado a postura dos passageiros no pouso, estão de cabeça abaixada, e se
    tivesse um impacto abrupto a coluna entra para dentro da caixa craniana.
    É mórbido isso, mas sempre agimos assim de maneira errada.

  4. Rodrigo Mota says:

    1) filmar pouso de emergência de dentro da cabine é uma idiotice sem tamanho, se o impacto fosse maior a filmadora iria parar na cabeça do infeliz…

    2) por isso que dizem “desliguem seus equipamentos eletrônicos na decolagem e no pouso”, mas 99% dos passageiros não dão a mínima até acontecer alguma merda…

    3) cade a RAT (Ram Air Turbine) do 767? a RAT fornece força hidráulica para o 767 e junto com a APU (fornece energia e ar pressurisado) podem baixar o trem de pouso no vídeo não deu pra ver a RAT baixada…

    4) como foi dito os CBs (Circuit Breakers) devem ter “trippado” (saltado) por alguma sobrecarga do sistema, o QRH manda fazer o reset do CB primeiro por verificação (comum em qualquer Avião seja pequeno ou grande). e é estranho que o sistema de liberação por gravidade não tenha funcionado, alguma coisa obstruiu as portas do trem depouso…

    5) o pouso só foi super macio por causa da espuma da pista e porque os motores estavam funcionando, o Piloto fez um “flare” convencional como se tudo estivesse funcionando, além disso a asa do 767 foi projetada para permitir que a aeronave pousasse em velocidades baixas (135 a 145 nós)…

    6) o 767 é decididamente o “Coringa” da Boeing. é aquele tipo de Avião que deu muito certo, o modelo é antigo, ultrapassado, mas não vive parado. achar um 767 parado é raro pra caramba porque é um Avião pequeno/medio com um alcance grande (12.000km), tem versões cargueiras e militares e de usos múltiplos…

    • Tiago says:

      2) Meu amigo voltou de uma viagem há duas semanas e na hora do pouso o avião ficou dando voltas e voltas por cima da cidade (Foz do Iguaçu), mas aparentemente não tinha nada de errado, nem chuva, nem turbulência… Quando finalmente pousou, o comandante falou que o problema foi causado por um celular (ou qualquer outro aparelho) que estava ligado e dava interferência nos sensores, e o avião perdeu o altimetro digital, ou seja, “impousável”. É o que ele diz.

    • Triple7 says:

      3) Os dois motores estavam funcionando, quer RAT pra que? Muito superficial mas recomendo a leitura: http://culturaaeronautica.blogspot.com.br/2010/04/rat-ram-air-turbine-o-ultimo-recurso.html

      Uma pena que este excelente pouso precisou ser feito por uma falha da tripulação. Um bom piloto consegue usar suas habilidades para sair de situações difíceis, um excelente piloto evita situações difíceis em que seria necessário usar suas habilidades.

      • Rodrigo Mota says:

        eu sei pra que a RAT serve…

        aliás a RAT nada mais é do que um cata-vento ligado a um gerador ou bomba hidráulica (dependendo do Avião), com o Avião se movendo move a hélice que atua os sistemas…

        a questão é porque as comportas do 767 estavam travadas (FOD, gelo, borracha solta). se foi o CB então um reset era suficiente, o atuador por gravidade poderia ter suprido…

        motor funcionando nem sempre é garantia de fornecimento da pressão hidráulica especialmente para o conjunto do trem de pouso que puxa muita pressão de uma vez só. as vezes ocorrem vazamentos na linha…

        o que estranha é porque diabos o 767 fez o flare com o motor funcionando, cortava antes do cruzamento da cabeceira e usava a velocidade de planeio pra resolver o resto e porque o jato estava com flap em cima, colocava flap full na curta final e pronto, ou uns 15 graus e ajudava bastante…

        emergência acontece em tudo que é canto, salvou gente, salvou. mas deve-se usar de exemplo pra não ocorrer de novo…

      • Triple7 says:

        A questão dos CBs é que estavam saltados e não foram devidamente verificados como deveria.

        Cara, 767 não é Cessna 150 pra tirar motor a 100 pés e ter razão de planeio para um pouso normal, jato “despenca”, olha esse vídeo de um catrapo de 737, ouça e perceba em que altura os motores são reduzidos.

        E com certeza não estava com flaps em cima, aparenta full flap

  5. André Luís says:

    Flavio

    Esse acidente é de 1º novembro de 2011.

    http://avherald.com/h?article=4456bd6b/0021&opt=0

    Abraço

  6. fernando duarte amaral says:

    Prezado FG,
    qual seria esse grupo de discussao de aviacao ?
    grato

    Fernando

  7. valmir lopes says:

    Para que serve mesmo esse negócio de trem de pouso?

    • Rodrigo Mota says:

      como diria um Cmte Mineiro que eu conheci no Garimpo enquanto eu voava naquelas bandas…

      1) “serve pra desavoar esse monte de metal sem que as nossas bundas sujem a pista de merda”

      ou

      2) “como tudo em Minas Gerais é chamado de TREM então o TREM de Pouso é aquele negócio que coloca o Avião no lugar na hora de voltar pro chão…”

  8. Marcelo Lavanini says:

    Se vc curtiu essa história, dá uma olhada só nessa aqui. Foi essa semana. Coisa de louco.
    http://www.nbcnews.com/video/nightly-news/53461411#53461411

  9. Eduardo_SC says:

    Bela história mas o que se percebe é que todo aquele procedimento padrão das companhias aéreas de nos tratarem feitos idiotas sobre as instruções de segurança não servem para nada na hora da situação em si.

    E que crânio estranho tem o entrevistador.

  10. Rodrigo Mendes says:

    Foi no dia 09/02/2013

    Que pouso sensacional..

  11. Rizzo says:

    Escrevi um breve artigo sobre esse fato em março desse ano. Esse piloto deveria ser tratado como herói nacional… o Capitão Polônia…
    http://lizardinzoo.blogspot.com.br/2013/03/human-factor-episodio-1-capitao-polonia.html

  12. Adriano Tegani says:

    Quando me perguntam como foi meu voo, eu costumo dizer que só exitem duas possibilidades: ou ele foi ótimo ou fatal.

    Neste caso, o voo foi ÓTIMO!

    • Luiz says:

      Sempre digo que para o avião só existe duas possibilidades, ou ele está no ar ou está no chão. No ar, a princípio, tudo bem, no chão depende de como ele chegou lá!

  13. Romeno says:

    Isso sim é que é fazer algo útil para a humanidade. Ser piloto de fórmula serve para…Serve para que mesmo?

  14. Sabugo says:

    Grandes coisas.
    Em 2002, um Fokker 100 da TAM ficou simplesmente sem combustível, que havia vazado e não dava sequer para chegar ao aeroporto de Araçatuba, a uns 15 quilômetros dali.

    O piloto desceu no meio de um pasto, e com exceção de uma pobre vaquinha que curtia tranquilamente a sua suculenta braquiara, ninguém se feriu mais gravemente.

    Quem se machucou foram exatamente os desesperados que tentaram sair do avião a lá Usain Bolt.

    Como não tinha nenhum passageiro americano à bordo, o piloto não virou nenhum herói para o mundo.
    Aterrissar um Fokker 100 da TAM, com a bela manutenção deles, em um pasto cheio de irregularidades comparado com esse pouso em uma pista lisa e sobre o produto químico que faz o avião deslizar é tarefa bem mais árdua.

  15. Philipe Pacheco says:

    O pouso foi um ESPETÁCULO, mas durante a investigação descobriu-se que o trem não baixou por 3 CBs (uma espécie de disjuntor) que estavam saltados e os pilotos não viram pq a mala estava na frente.
    Depois de colocar os 3 CBs pra dentro e levantar o avião no macaco, os trens baixaram normalmente…

    • Zé Maria says:

      Primeira coisa que o investigador polonês fez ao entrar no cockpit foi checar os tais CB’s que você citou. . .batata!
      E o cara ainda é tido como herói. . .
      Fala sério. . .
      Zé Maria

      • Thiago Sabino says:

        Ele é tido como herói, mas , se reparar bem, em todo o tempo do filme, não se coloca como tal.

        As pessoas é que assim o trataram, e ele foi humilde suficiente pra deixar claro que não é.

        Tiro o meu chapéu. Tem cara com o trem baixado normalmente, que não pousa do jeito que ele pousou…pelo contrário: planta um pé de 767 em cada pista..

        767, ATR, qualquer merda que voe. Tem cara que não merece um manche e um par de pedais…

        Parabéns a todos ali. Emergência real, e foda-se o resto. Todo mundo em casa, ninguém com um arranhão, foram profissionais.

    • Allez Alonso! says:

      De herói a manicaca…

    • Sabugo says:

      Além de ter praticamente causado o acidente, deslizar sobre espuma química não é lá um grande feito. Isso já aconteceu outras vezes, sem graves consequências. Muito drama.

  16. Hullington says:

    Tem coisas desse mundo de hoje que sinceramente não dá pra entender.

    O cara pega o celular e pensa: se eu sobreviver vou colocar no youtube.

    Sou muito antiquado pros dias atuais…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *