NAS ASAS

SÃO PAULO (Meianov rules) – Esse está no Museu da TAM em São Carlos. O Carlos Washington, pelo Facebook, mandou. Já vi essa pintura antes… Vamos lá, quero detalhes da nave. Vamos ver se vocês endendem alguma coisa.

nomuseutam

Subscribe
Notify of
guest
27 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Gondo
Gondo
8 anos atrás

eu se fosse vc aplicava uma arte desse avião de um lado no meianove ano q vem…

Túlio Parodi
Túlio Parodi
8 anos atrás

Caro Flávio, bom dia.

Eu não entendo de nada, mas o meu irmão conhece um pouco. Segue abaixo o comentário dele:

Conheço- e já o vi ao vivo e em cores. Chegou no Brasil em condições de vôo, mas o Museu resolveu mantê-lo em exposição estática, não indo atrás de um certificado de aeronavegabilidade. Uma pena… seria muito interessante ouvir o motor dele, que apesar de ser origem russa (motor construído sob licença na Polônia), tem sua verdadeira origem no Rolls Royce Nene, que por sua vez derivou do Rolls Royce Derwent e este da turbina do motor do eng. Frank Whittle. Durante a Segunda Guerra Mundial, a fábrica Whittle que era muito pequena, não tinha recursos técnicos nem financeiro para desenvolver os motores da fase de protótipo experimental, para motores operacionais. O Ministério do Ar britânico passou o projeto para a Rolls Royce, e esta desenvolveu uma primeira versão operacional, que viria equipar os Gloster Meteor, os primeiros jatos de combate aliados. Versões do motor Rolls Royce foram cedidos para General Electric, a qual desenvolver os primeiros motores a jato J-31 e J-33 Estados Unidos, que viriam equipar os caças Bell P-59 Airacomet e Lockheed P-80 Shooting Star. Operacionalmente o motor Whittle nunca emplacou, mas os motores derivados dele escreveram o nascimento da aviação à jato dos dois lados da Guerra Fria! Também gerou desdobramentos no campo dos motores turbohélice. O motor turbohélice Rolls Royce Dart, utilizando nos Vickers Viscount, Avro 748, Fokker F-27, NAMC YS-11 (que operou no Brasil com o nome de Samurai a serviço da VASP), e tantos outros…” – Fernando Parodi

Nelson
Nelson
8 anos atrás

Foi um bom avião. Só não contavam com a chegada dos super sabres, aí já era !!!

Boer
Boer
8 anos atrás

Estive lá sábado passado. Para quem quer um passeio bacana independente de entender ou não de aviação, lá é o local… Ah! lá tem um avião nazi também. Bom, pelo menos tem a suástica na calda.

Abraços Flavio.

Eduardo costa
Eduardo costa
8 anos atrás

Para quem gosta de aviação russa, No youtube há uma série chamada wings of russia muito interessante e que recomendo assistir . O episódio que acho mais bacana, smj, é o ep. 11, que trata de uma máquina chamada ekranoplan. Uma espécie de meio barco meio avião que navegava sobre as águas do mar cáspio a 400km/h.

https://www.youtube.com/watch?v=xr8N0Z4Cl0U

Abs,

Eduardo

Marcvs Avrelivs
Marcvs Avrelivs
8 anos atrás

Mig 15, fantástico. Mas na Guerra da Coreia, por causa da baixa qualidade dos pilotos nativos e chineses, foi 750 a 75 a favor dos Sabres.

Virgo silva
Virgo silva
8 anos atrás

Esse avião foi uma surpresa desagradável para os americanos quando surgiu nos céus da Coréia e, de cara, causou a aposentadoria prematura dos F80 e Gloster Meteor, que não eram páreo para o altamente manobravel MIG 15. Sua aparição forçou os americanos a acelerar o desenvolvimento do F86 Sabre e F100 Super Sabre. O MIG15 foi um páreo duro para os Sabre, e, apesar da propaganda americana, ao final do conflito o resultado foi meio que uma paridade entre o número de vitórias americanas e coreanas.
O que os americanos não sabiam, era que a antiga URSS havia deslocado para a peninsula coreana seus pilotos da V V S para enfrentar os americanos. Então, na verdade, muitos dos combates entre MIG’s e Sabre se deram entre pilotos americanos e russos.

Moy
Moy
8 anos atrás

Belo MiG. E com pintura inspirada no lendário …… Meianov.

Elvys
Elvys
8 anos atrás

Flávio,
quando estive anos atrás no Museu da TAM, além do MIG 15, tinha o MIG 19 e o MIG 21. Também tinham alguns caças da 2ª Guerra Mundial – um alemão (BF109), um britânico (o Spitifre) e dois norte americanos (F4 Corsais e o P47 Thunderbolt). Quem for ao museu, não se arrependerá. Ah, e tem um Lockheed Constelation nas cores da Panair, lindo!

Nilton
Nilton
8 anos atrás

MIG 15 UTI

William Santos Cavalheiro
William Santos Cavalheiro
8 anos atrás

Mig-15…motores copiados dos ingleses, engenharia reversa…fizeram frente eficaz contra os f-86 americanos na guerra da coréia.

Fábio Mandrake
Fábio Mandrake
8 anos atrás

É o MIG 15 construido sob licença pela polonesa PZL e lá recebia o nome de Mielec!

Carlos
Carlos
8 anos atrás

Como já falaram, é um MIG 15. Mas dessa ala do museu o que eu mais gostei mesmo foi do MIG 21.

Aliás, esse museu é um baita programa pra se fazer no FDS. Fica perto de sampa, as estradas são boas e o acervo é incrível.

Um textículo que eu escrevi qdo fui lá no ano passado: http://papodehomem.com.br/meu-novo-carro-velho-no-museu-aeronautico-na-estrada-3/

lelo guimarães
lelo guimarães
8 anos atrás

Mig 15, Polônia, biplace de treinamento

Paulo Sousa
Paulo Sousa
8 anos atrás

Eu ia falar Mig-15, mas todo mundo já acertou.

Mauro Oliveira Almeida
Mauro Oliveira Almeida
8 anos atrás

Na verdade é um Mig-15 UTI

Clésio Luiz
Clésio Luiz
8 anos atrás

Segundo o site do Museu, é um CS-102, versão construída na Checoslováquia (como motor polonês!) do MiG-15UTI soviético.

Fernando
8 anos atrás

O que são os anos lendo blog do FG… vejo a pintura e a primeira coisa que penso é http://flaviogomes.warmup.com.br/wp-content/uploads/2012/05/bateudesamassa.jpg

Fernando Assis
Fernando Assis
8 anos atrás

Eu não endendo nada!

Thiago Sabino
Thiago Sabino
8 anos atrás

Esse MiG-15 bis é da Força Aérea Polonesa ( identificável pelo cocar próximo ao plexiglass).

Um amigo meu, especialista em armamento que trabalhava nos assentos ejetáveis da Esquadrilha da Fumaça, fez a desativação dos assentos ejetáveis dessa máquina, quando chegou ao Brasil.

Curiosidade: esse avião é da IAE – International Aero Engines – empresa que fabrica os motores dos Airbus 319/320/321 da própria TAM, e foi cedido em comodato.

Mesma coisa com o Spitfire, que é da Rolls Royce, o Corsair, que é da Pratt&Whitney, e o DC-3 que a Boeing presenteou a TAM, quando da compra dos Boeing777.

Nathan
Nathan
8 anos atrás

MYKOYAN-GUREVICH MIG-15

Adrian
Adrian
8 anos atrás

MIG-15
E tem alguma coisa a ver com Gagarin, sim, aquele de “a terra é azul”
MAs a pintura eles roubaram do meianov!
Demais!

Lucas
Lucas
8 anos atrás

MiG-15 bis (ou biplace, se preferir).

Douglas
Douglas
8 anos atrás

Mig 15 ou 17 força aérea da Polônia

Danie
Danie
8 anos atrás

Mig 15.

Luís Augusto Malta
8 anos atrás

MiG 17?

Ernesto Longhi
Ernesto Longhi
Reply to  Luís Augusto Malta
8 anos atrás

MIG 15. No MIG 17 o canopy é menor.