MENU

segunda-feira, 25 de novembro de 2013 - 18:26F-1

TOONED 50, FIM

SÃO PAULO (valeu a pena) – E a McLaren colocou no ar ontem o último episódio da sua série de animação “Tooned”, que comemora os 50 anos da equipe. No geral, muito bacana. Mas me irritam algumas frescuras como não citar Lauda, nem Hamilton — embora este apareça numa breve imagem no início desse episódio. São os dois campeões pela McLaren que hoje estão na Mercedes. Um é chefe, o outro é piloto. Será que não quiseram fazer parte da brincadeira? A Mercedes vetou? A McLaren nem quis ir atrás? Pelo bem da história, e é bela a história do time fundado por Bruce McLaren, eles não poderiam ficar de fora. Mas neste mundo corporativo em que vivemos, nada mais me surpreende.

16 comentários

  1. Marcelo Ramaciotti disse:

    O Hamilton se recusou a autografar uma réplica de um capacete dele da Mclaren para um amigo meu nesse fim de semana….

  2. Alan Roberto disse:

    E o Perez….
    … rodou…

    boa sacada

  3. Wal disse:

    No tooned do ano passado, quando um piloto novato caminha pela galeria dos campeoes e cita o nome do Lauda ao ver a foto do mesmo, o professor olha pra ele com cara feia… Deve ter algum ressentimento.

  4. J disse:

    Pois é, “corporativo” é certamente a palavra chave aí… Os contratos dos caras são tão restritivos que eles nem podem dar entrevista sem permissão. Imagine então ir participar de um “evento” de outra equipe!? Sem a mínima chance.

  5. Tiago Avila disse:

    Engraçado que o único que roda é o Perez, os outros todos vão de boa ou fazem alguma peripécia.

  6. perna quebrada disse:

    Bonitinho o final, pena que o do Senna foi o mais fraco, mas faltaram os dois.

  7. Will disse:

    É o Murray Walker alí de vermelho?

  8. Vander Romanini disse:

    Bom, acho que o Lauda de certa forma, aparece.
    No episódio do James Hunt, ele é o Vilão.
    Mas concordo que tinha que ter um episódio pra ele.

  9. japoneis disse:

    Se o Perez que é o atual piloto, antes mesmo de ser dispensado, já nem participou direito dos episódios, o que dizer dos “traidores” Hamilton e Lauda…
    Pelo visto eles são mais sentimentais que a Ferrari… rs

    • Marcelo ao japoneis disse:

      Bom lembrar japoneis, em um momento crítico da equipe Mclaren, Senna deu um pé na bunda da equipe para pilotar o melhor carro da época, Williams com suspensão ativa e motor Renault.

      Senna foi traíra quando trocou a Lotus pela Mclaren, e depois Mclaren pela Williams?

      A Williams tinha o melhor carro em 93, ela foi traíra quando apostou em um piloto francês, ao invés de um inglês? Em 93 o novato D. Hill poderia facilmente ser campeão com aquele carro fantástico, Hill venceu três corridas seguida na temporada assustando Prost. Damon poderia ter vencido cinco corridas em 93, e até disputado título com Prost. Williams tinha outros planos, favorecer sempre Alain Prost na temporada. Nem por isso o torcedor inglês satanizou a equipe.

      Líder D.Hill entrega posição a Prost GP Canadá 93
      http://www.youtube.com/watch?v=2HSAm0pZS04

      Líder D. Hill entrega posição a Prost GP França 93
      http://www.youtube.com/watch?v=sAP9Smmix3U&feature=youtu.be

      Assista a partir de 9:54 os comentários de Galvão e R.Leme.
      gp da italia 1993 (Italy Grand Prix 1993)
      http://www.youtube.com/watch?v=4PsIAE2NfVA

      Williams admitiu ordem para Prost ser campeão em 93.
      http://www.youtube.com/watch?v=64nMDgrzkMo&feature=youtu.be

      Em 94 com mais experiência, Hill provou que podia liderar e até brigar pelo título, porque a Williams escolheu Senna ao invés de um piloto inglês? Não me lembro do torcedor inglês fazer mimimi por isso. Mclaren foi traíra quando apostou em um finlandês(Hakkinen), ao invés do escocês D.Coulthard?

      Europeu tem mente aberta, diferente de sul-americano! Imagine o “carnaval” que Galvão e os pachecos iriam fazer se Keke Rosberg fosse eleito primeiro piloto na equipe Fittipaldi em 81, deixando Chico Serra como número dois.

      Patriotismo(caso de Lewis) nunca foi prioridade na Formula 1, basta ver a Ferrari, desde Alboreto nunca mais um italiano liderou o time. Pra deixar como “número dois” sendo humilhado, melhor ficar sem.

      Nessa questão, os italianos sempre foram mais espertos que os ingleses…

      • Pedro disse:

        Bem, depois do Alboreto nenhum italiano completou uma temporada com o time. Morbidelli substituiu Prost em Adelaide-91, Capelli correu 14 das 16 em 92, sendo substituído por Larini nas duas últimas, este que também substituiu Alesi por duas corridas em 94. Por fim, Badoer e Fisichella substituíram Massa em 2009.

        Histórico nada bom.

  10. Peixe disse:

    Não entendi a piadinha com o Hamilton…
    Fala algo sobre um simulador, mas não peguei.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>