A CAMINHO DO CABO

SÃO PAULO(assim é) – Em muitos países do mundo, não saberei precisar quais, a F-1 já virou produto de TV a cabo. Normal, o evento é longo, TV a cabo se popularizou e segmentou, não chega a ser um grande drama em países onde essa modalidade de TV tem mais penetração. Quase todo mundo tem uma assinatura.

E no Brasil, pelo jeito, esse será o caminho. A Globo, neste sábado, só mostra o Q3 do GP da Alemanha, informa o Grande Prêmio. O treino inteiro de classificação não será mostrado. A F-1 entra às 9h48, depois da… TV Globinho. É isso aí. Está no site da emissora. A Sportv, pelo que entendi, passa tudo ao vivo.

globosemtreio

Agora pergunto aos universitários… É o começo do fim? A F-1 virou, mesmo, produto de TV a cabo? Por quê? Porque não tem brasileiro ganhando? Ou porque o público é, mesmo, cada vez mais segmentado? Qual desenho vocês querem ver no horário do Q1 e do Q2?

Divirtam-se, e não xinguem muito. Os comentários são moderados, lembrem-se.

Comentários

  • Na Inglaterra, assistir ao vivo custa, no mínimo, £43.50 por mês. É o preço do pacote mais barato da Sky mais os canais de esporte. O Sky F1 é muito bom, passa tudo ao vivo e, durante a semana, tem outros programas sobre F1 e inclusive corridas antigas na integra. É muito caro. A grande maioria prefere a BBC, canal aberto que mostra algumas corridas ao vivo e outras em VT de 1 hora. Eu sinceramente prefiro os VTs de uma hora.

  • E não é só o treino do GP da Alemanha. Ficou claro desde os treinos de ontem que o Sérgio Maurício anunciava “que a partir de agora o SPORTV transmite também os treinos de classificação”. Acredito que até o final deste ano as corridas também passem para o canal fechado.

  • Porque televisão aqui no Brasil, principalmente esporte, não se vende o produto e sim os atletas. Se o esporte tem brasileiro vencendo, é vendido (basta ver que o MMA ganhou espaço na grade da Globo). O que acontece dessa forma é que se não tem brasileiro vencendo, é difícil “prender” o telespectador. Normalmente os canais de esporte que tem sucesso no mundo, vendem o esporte e conquistam os fãs por ele e não por quem vence. Dessa forma o telespectador passa a ser assíduo.

    Prova disso é que a ESPN vende o esporte, bem transmitido e analisado imparcialmente e tem fãs fieis de esportes que aqui no Brasil não se acredita existir, como NBA, NHL, NFL, MLB…

    Se a Globo tratasse a Fórmula 1 assim, independentemente de quem andasse na frente, sempre teria audiência.

  • Corrigiram o nome do Reginaldo (ou Regi, como às vezes preferem Galvão, Luciano e
    Rubens) lá no site da Globo. Alguém, ou alguma mente brilhante, tinha identificado o Reginaldo Leme… como “Reginaldo Paes Leme”. Vai entender isso… E vai entender também a diminuição dos treinos no canal aberto…

  • Isso acontece porque brasileiro não gosta de nenhum esporte, brasileiro gosta de vencer, sem vitórias “não tem graça” então é realmente o fim aproxima-se, fazer o que né, e nesses momentos também vale lembrar, que muitos que gostam não terão de deixar de assistir não porque o evento vai para o cabo, mas em razão do seu pacote não contemplar o canal do evento, o serviço no Brasil é uma droga, um grande cartel que leva você a gastar dinheiro e não ter a disposição aquilo que você gosta, é foda.

  • A Globo errou em exaltar tanto os brasileiros quando venciam , deixando o encanto da categoria como pano de fundo. Ela poderia ter cativado as pessoas a serem fãs de F1, afinal todos sabemos que campeões não surgem o tempo todo.
    A categoria também está ajudando a cagar no pau, com regulamentos esdrúxulos, como pneus que acabam em poucas voltas, pontuação dobrada na última prova (essa doeu meu saco) se voltarmos os olhos para os tempos mais legais, a dúvida era trocar pneus ou não trocar, a F1 virou show de pit stop há 20 anos, desde que reintroduziram o reabastecimento, a FOM gosta tanto de carro parado que basta uma Marussia ir pros boxes que eles cortam uma disputa na pista para mostrar a porra do carro.
    Enfim, a F1 no país está virando produto segmentado e acho que o futuro dela é a TV a cabo.
    O desenho que podem passar é Dragon Ballz Gohan Vs Cell tá de bom tamanho.

  • Sou um dos fãs de carteirinha do Senna. Vejo até hoje Vts de corridas antiigas, decadas de 70,80,90. Muitos amigos disseram que a F1 morreu junto com o Ayrton. A nova geração nem ídolo tem. Brasileiro gosta de brasileiro vencedor. Exemplo Belucci x Federer: A maioria torce pelo Suiço, pois Belucci é um “perdedor”. Assim como Massa, Barrichello, etc. Eu sobrevivi ao acidente em ímola. Coleciono miniaturas, gps. livros , documentários sobre F1 e não apenas sobre meu ídolo. Sou exceção. O esporte na TV aberta também. “Ninguém” quer saber se vai ganhar o Lewis ou o Nico. Ninguém quer ver o Belucci. A TV fechada é o caminho. Na Copa só vi um jogo na TV aberta, a disputa de terceiro lugar, para ver a cara de velório do narrador oficial da CBF, que é o mesmo da F1.

  • Acredito que como eu, muitos aqui tiveram a oportunidade de morar fora do Brasil. Eu por exemplo tive 10 anos de Europa entre Irlanda, UK, Espanha e Alemanha. O que acontece por lá, a televisão aberta é altamente idiota, programas ridiculos e o que mais me impressionava? O cara não tinha capacidade de ter um canal aberto descente e ainda sim tinha 3 (no caso da BBC são 5) RTE são 2, RAI mais um porrada TVE são 3.

    A Globo dentro da sua filosofia de “eu prefiro ter e não usar do que deixar para os outros usarem”, dentro do seu monopolio acontece estas coisas ridiculas. A Globo não é o melhor dos mundos, não gosto de defender a Globo, porem eu tenho que ressaltar o Padrão Globo de Qualidade que é infinitamente superior a todas as emissoras nacionais juntas.

    Se eu acho que a Globo deveria ter um segundo canal aberto? Sim eu acho que já passou da hora.

    Enquanto isto fica tudo “dentro de casa” pela GloboSat. Falar mal da Globo e falar bem do SporTV pra mim não faz sentido. É tudo do mesmo dono!

  • eu mesmo, nas últimas semanas, já vinha acompanhando o treino classificatório apenas na reta final. Se começa as 9h, acordo 9h30, faço meu xixi, preparo um sucrilhos e começo a assistir o Q3. Acho bastante acertada a decisão, levando em conta o círculo vicioso menos audiência, menos publicidade, menos relevância, menos tempo de grade. Agora precisam acertar os direitos de transmissão pra possibilitar transmissão pela internet na íntegra, por exemplo, além da TV paga do próprio grupo. Ou seria interessante repassar pra outra emissora?

  • De fato, a ausência de um brasileiro “lutando” derruba a audiência. E na TV aberta, audiência é tudo. Temos visto a Fórmula 1 perder para os desenhos animados da Record frequentemente. Os que sobram são os adeptos do automobilismo porque as viúvas do Senna já fizeram a fila andar. Mas não se enganem, a ESPN – que antes da latinização era bem eclética – agora joga alguns eventos internacionais para o novo canal ESPN+ e entupiu a grade dos outros canais de futebol. Depois reclamam dos fracassos brasileiros nos Jogos Olímpicos.

  • Excelente noticia! Tudo o que os fans da F1 querem é uma transmissão decente, livre de ufanismo e falsas esperanças. Imaginem só uma transmissão honesta, decente, com gente competente e lucida como Lito Cavalcante, Reginaldo Leme, Sergio Mauricio, Celso Itibere…. Muda logo, já deveria ter mudado a muito tempo.

  • Regras estapafúrdias, carros feios, punições exageradas e mais estapafúrdias que as regras, e ainda, sem brasileiro pra torcerem – infelizmente a F-1 foi e está sendo deixada de lado pelos brasileiros que gostam mesmo é de ganhar. Vi uma entrevista do Flavio Prado no programa do Abujamra na TV Cultura, ele disse que uma das coisas que faz o brasileiro ser tão apaixonado por futebol é que, por pelo menos 90 minutos, por pelo menos um dia, o sujeito que se fode todo pra se sustentar pode sentir o gosto do sucesso, consegue se sentir inserido na sociedade e se perceber como ser humano vestindo a camisa do time de futebol, gritando gol, gritando é campeão. A F-1 não trás mais isso ao brasileiro, que coloca bandeira no capô do carro na época da copa, mas não coloca a mesma bandeira no capô do mesmo carro no dia que vai votar. É uma pena, o esporte mais sensacional do mundo está ficando de lado…

    Já que é pra assistir desenho, que seja Bob Esponja.

  • É no Q3 que define o pole, então o Q1 e Q2 na visão da Globo é perda de tempo por isso a decisão somente pela transmissão do Q3 na Alemanha. Será um teste, se a transmissão do Q3 tiver a mesma audiência de antes com classificação completa já na Hungria ela irá transmitir somente o Q3!

  • Na Italia, a RAI só passa lagumas corridas durante o ano. Quem quiser ver toda a temporada, tem que assinar o pacote da Sky. E lá o povo é doido por corridas… a ida da F1 para a TV paga é segmentação mesmo. A TV aberta precisa de audiência máxima, e no Brasil, o que dá audiência é futebol, novela, programa de barraco em família e banho de sangue tipo Marcelo Resende e Datena.

    Pra mim, não é o fim do mundo. Quem curte F1 normalmente curte outros esportes, e por isso já tem pelo menos um pacotinho básico de TV por assinatura. Eu prefiro pagar uns trocos por mês e ter uma cobertura filé, do que assistir uma cobertura carne-de-pescoço de graça.

    • Concordo. Penso que o brasileiro, de uma forma geral, não gosta de esportes (com exceção ao futebol), gosta sim é de ganhar. Basta ver o fenômeno Guga nos anos 90 (todo mundo gostava de tênis), o basquete nos 80 (campeão do Pan em cima dos americanos) e o volêi de muitos anos para cá (porque continua ganhando). Percebo o quanto de espanto provoco quando digo que vou para São Paulo (sou do Rio) assistir corridas de carros antigos ou o endurance. Ninguém entende e logo vem a pergunta: Tem algum brasileiro na disputa?.

    • Eu gosto da F1 e concordo com a opinião do EduardoRS, que quem curte pode ir atrás. Acho engraçado reclamarem, mas aposto que todo mundo aqui tem o Sportv como opção. Eu assisto na TV aberta digital e posso escolher pagar um pouco pelo o app oficial, com as tomadas de tempos, estatísticas, etc. Pessoal reclama demais, se apegando a saudosismos. O que precisava era melhorar a transmissão, embasando melhor, criando VTs e coberturas melhores, com um roteiro melhor. Queria muito trabalhar numa sala de controle dessas pra ver como é e porque não se ousa mais.

    • Se for pra pagar eu não quero comerciais durante a corrida! E tu acha que isso vai acontecer ? Acaba a corrida ai vem propaganda da renault dos bancos e da cerveja! Além da qualidade… Eu tento acompanhar a cobertura da sky que é transmitida na inglaterra e está em outro nível. De que vai adiantar pagar se a filosofia vai continuar a mesma.

  • Há pouco, na Copa, a TV Globo sofreu um duro golpe naquele ufanismo ridículo que marca o jornalismo esportivo da emissora. Penso que o corte na transmissão do treino da F-1, em sinal aberto, é um reflexo dessa bordoada. Quanto ao desenho que eu gostaria de ver, durante o Q1 e o Q2, é TINTIN, sem dúvida.

  • Parece a história do preso que, ao ser julgado por ter matado pai e mãe, pediu clemência ao juiz por ser orfão…
    A Globo vai picotar as transmissões e depois reclamar que a audiência está caindo.

  • Estava morando na Inglarerra quando a cobertura passou para o cabo. Foi a maior choradeira e um monte protesto na internet. Resultou em nada. Mas lá a cobertura sempre teve ótima qualidade e alto nível de detalhe.

    O que falta aqui é um local para os fãs se encontrarem e ver corridas no domingo de manhã. Já pensaram um local desses com FG presente pra comentar a corrida após o término????

  • Já era esperado. O mercado pra F1 encolheu radicalmente nos últimos tempos porque, na média, o torcedor brasileiro (menos o de futebol) gosta de esporte que brasileiro ganhe. Vide o caso do boxe x UFC. Esse tema já foi abordado na revista Warm Up em uma matéria muito bem feita. Quem leu sabia que isso aconteceria. E é o normal. Não faz sentido para Rede Globo gastar esse tempo todo da grade com uma atração que não dá audiência. E se ela tem 3 canais de esportes disponíveis que só passam reprises no mesmo horário, não faz sentido. Além disso ela pode quaificar ainda mais o público colocando comentaristas mais especializados e que não geram antipatia. Fosse eu diretor da Globo, tirava as corridas hoje da grade e deixava tudo no Sportv.

  • vou ter que assistir em vt, pois não possuo o sport tv, somente o 2, ao vivo só no 1, não vou entrar na internet pra saber quem é pole, nem ver noticias na tv, é muito ruin essa decisão, vou ter que aumentar minha assinatura pra poder ver tudo ao vivo, ou acompanhar aki o livetext do GP que é ótimo.

  • É o começo do fim! A F-1 virou produto de TV a cabo porque hoje o povo tem mais opções de entretenimento, não apenas a TV aberta. Há a já mencionada TV por assinatura, videogames, mídias sociais… Porque não tem brasileiro ganhando? Sim, para a Globo, quando não há brasileiro ganhando a audiência cai. Talvez seja esta a famosa herança do fatídico 1º de maio, que determinou a frase pronta: ‘F-1, para mim, depois do Senna…” Mas o público está, sim, mais segmentado. Passa o Papa-léguas! Pelo menos ficaremos no mesmo tema: velocidade!

  • Gente, o buraco é mais embaixo. A crise na TV aberta (F1, novelas jornais, etc) tem grande relação com a internet e com a qualidade da informação a qualquer hora. Há 10 anos atrás como saber quem irá largar na pole se não assistir o treino? Hj é muito mais fácil, imediato, A TV a cabo irá oferecer em breve o padrão de qualidade da BBC para transmissão da F1 que é maravilhoso.

  • Burrice da Globo.

    Nem por audiência leva vantagem nesta escolha. O treina da F1 dá mais audiência do que a Tv Globinho.

    Burrice mesmo. Aliás, não é a F1 que não é a mesma. É a Globo. Té em queda de audi~encia em TODOS os eus programas.

    Muito provavelmente porque esteja recheada de diretores de programa tão incompetentes quanto este diretor de programação que corta uma transmissão de treino (as vezes corrida) de F1 para passar desenho animado ou qualquer outra porcaria que todos os outros canais passam/transmitem também.

    Fazem a mesma burrada com a Stock Car.

    Exclusividade pra quê, se os otários vão passar o mesmo tipo de programa que outras emissoras passam no mesmo horário?

    Incompetentes….e jogam dinheiro fora. Quem deve pagar mais os patrocinadores locais da F1 ou os patrocinadores da tv globinho??

    Burros.

    A única coisa boa é que no Sportv (se um dia passar definitivamente p/ lá exclusivamente), a narração pode ser do Sergio Mauricio. Estaremos livre do GB na F1.

      • Ele não fica forçando amizade com ex-piloto e não fica falando asneira em cima da transmissão de rádio dos pitoso/equipe durante a corrida. Não se coloca como ‘sabe mais’ que os comentaristas.

        Não fica lembrando “das saudosas manhãs de Domingo” como os pachecos GB e Luis Roberto.

        É mais profissional. Não fica toda hora lembrando passado. Não fica criando picuinha entre piloto brasileiro e o companheiro da equipe, equipe. Não transforma piloto brasileiro mediano em mártir…

        Isso já é muita coisa.

        Coisa raríssima na narração de esporte no Brasil.

    • Pois é JP, até parece que criança acorda cedo aos sábados para assistir a TV Globinho.

      Com relação ao Sérgio Maurício, concordo com você também. É bem melhor ouvir ele falando “E aí tá ligado!?” do que ouvir Galvão Bueno ressuscitando Airton Senna e narrando somente a corrida de Massa e esquecendo dos outros pilotos.

  • Brasileiro não gosta de F1, brasileiro gosta de ganhar…

    Outro esporte que tende a sofrer isso é o vôlei, essa atual geração não é tão talentosa e pode perder espaço também…

    Daqui a pouco vão transmitir apenas as 2 últimas voltas, SE um brasileiro estiver na frente, senão não vale a pena, vai ser igual natação nas olimpíadas, chega a ser ridículo.

    Eu pago o App da F1, que é legal, mas como já falaram, 90% de quem vê F1, não entende absolutamente do que está acontecendo, só ficam na esperança de um brasileiro chegar na frente.

    Mas é estranho fazerem isso, sendo que o Massa foi Pole a pouco tempo.

    Não digo nem TV a cabo, deviam era criar um canal na internet, a ASP (Associação de Surfistas), tem um e transmite ao vivo os eventos. Agora imaginem a F1 em alta definição, você podendo acessar a telemetria do carro, mandar zapzap pro piloto, ver qqualquer câmera no circuito e carros, hj a ideia é essa, dar o máximo de liberdade. Até para gente sentir a diferença dos carros e tudo mais… a FOM tenta fazer isso, mas só mostrando a rotação do motor e o combustível não me basta.

  • A Globo se ligou que o esporte é elitizado e fim de papo. Pobre gosta de futebol e não assina TV a cabo (num mundo perfeito, sem “cat net”). Assim, vão redirecionar a programação aos poucos. Normal, povão gosta do “Esquenta”…
    Duvido que um dia parem de transmitir a Fórmula 1. É um produto que atrai um segmento diferenciado e com bom poder aquisitivo. Só vão tirar do canal aberto.
    Eu caguei pra informação porque o Galvão não narra no Sportv. Ótimo.

  • Com a F1 cada vez mais chata por causa de tanta bizarrice, a audiência só tende a cair.

    E o que preocupa também são as futuras gerações, porque pra eles é perda de tempo acordar cedo nos domingos para assistir algo que não os encanta, diferente de nós que um dia encantou a todos.

    A F1 esta cheia de plasticas e botox mal feitos, que só podia dar merda mesmo.

  • O público que realmente gosta de automobilismo sempre foi pequeno. Audiências maiores só acontecem se tiver piloto brasileiro com chances reais de vitória porque aí, além dos amantes do automobilismo, aparecem também os torcedores de F1.

  • É o começo do fim? Acredito que não, a F1 precisa de mais espaço, possui um público fiel que carece de maior atenção, atenção esta que apenas os canais por assinatura conseguem dar, assim como acontece no futebol com o pré e pós jogo, e posteriormente com programas esportivos que falam sobre o assunto. Na década de 80 e 90 a Globo até superava as expectativas nas transmissões da F1, porém os tempos eram outros, acredito que a maioria da população brasileira ficava sintonizada na Globo o tempo todo, o que não ocorre hoje, o pessoal que acompanha a F1 provavelmente sintoniza a rede Globo apenas no momento da classificação e da corrida. Esse público fiel também é mais exigente, até pelo fato de serem conhecedores profundos do esporte, a maioria não gosta da forma que as transmissões são feitas justamente por isso, pois nada do que se fala é novidade, ao contrário do que ocorria em outros tempos, quando só tínhamos esse meio de comunicação para nos inteirarmos do assunto.
    A F-1 virou, mesmo, produto de TV a cabo? Com certeza.
    Por quê? Hoje em dia temos N opções de programação na TV e o público está cada vez mais segmentado, isto é, ninguém mais assiste um programa por falta de opções, como ocorria em outros tempos, isso talvez mascarava um pouco os números da audiência, obviamente que há outros fatores sim, como um brasileiro vencendo por exemplo.
    Milton Leite disse recentemente em uma entrevista a diferença de uma narração em canal aberto para canal a cabo, segue na integra parte da entrevista:
    “…o que eles me chamaram a atenção quando eu comecei a fazer futebol na Globo foi: “Olha, você tem que perceber que aqui o público é heterogêneo”. Se lá [no SporTV] tem o cara que gosta de futebol, que acompanha, que está mais ligado nas informações, aqui tem o cara na sala assistindo, que é aquele que gosta de futebol, talvez um filho adolescente, mas tem a mãe que está ao lado, a avó que não acompanham futebol, e você tem que segurar essas pessoas junto com você, porque senão a esposa convence o marido a trocar de canal [risos]. Você não pode deixá-la trocar de canal.”
    Porque não tem brasileiro ganhando? Ou porque o público é, mesmo, cada vez mais segmentado? Os dois.

  • TV por assinatura é muito melhor que TV aberta em todas as areas, não só no esporte. Tomara que no Brasil ela (TV paga) fique cada vez mais accessível. Eu nem me lembro que existe Rede Globo…

  • Acho ótimo, como alguns colegas já disseram: O canal fechado dará mais atenção ao evento, pena esse canal que passará ser da globo também, ou seja, mantém alguns vícios da transmissão, como torcer, e não passar entrevistas dos primeiros.

    Só acho que a tv a cabo devia ser mais em conta, para mais pessoas poderem ter a democracia do controle remoto.

  • Há duas questões aí, a meu ver.
    A primeira e básica: mercadológica. Audiência em queda e coisa e tal e a Platinada está mais interessada em números.
    A segunda passa por um probleminha que a própria Globo ajudou a sedimentar com sua cobertura ufanista e sonhadora. A maioria do povo brasileiro, seja em que esporte for, gosta é de vitória. Não está nem aí pro esporte em si. Prefere aplaudir uma vitória conquistada no apito, feia, chucra, de um brasileiro, a um empate ou derrota espetacular de um nacional ou de um estrangeiro. E a Globo, no que tange à F1, sempre vitaminou isso, sobretudo em cima das vitórias do Ayrton.

    Agora, parece, toma-se o caminho natural do cabo, que não vai ser tão natural assim dados os motivos que o plim plim usou. Mas tudo bem. O futuro chegou.

    Será uma pena pra quem – e tem muita gente assim ainda e eu que vim do interior sei do que falo – que só tem tv aberta. O sujeito que gosta de corrida de fórmula 1 e só tem a tv aberta, fedeu-se.

    Já que fedimos estamos. Que além do Sportv, outro canal fechado consiga os direitos.

  • Já vai tarde! Não assisto corridas pela globo há muito tempo vejo pelo sportv por falta de opção e pq o Galvão apesar de respeitá-lo muito por sua história e tudo mais encheu o saco tentando junto com Rubinho e Massa arrumar desculpas para o indesculpável! Cadê o Celso Itiberê ele junto com o Lito Cavalcanti ou o Reginaldo Leme seriam um grande reforço para o sportv só espero que a Globo não invente uma espécie de Premier ou Combate para a Fórmula 1 aí seria demais deixa no sportv mesmo que tá bom o Sérgio Maurício se empolga muito mas espero que com o tempo ele vá melhorando concordo com os amigos realmente muitas pessoas assistiam fórmula 1 pq o Senna tava ganhando a grande maioria 99,99% não entendia nada de f1 e ainda hoje não entendem e só fazem criticar e quando o Senna não ganhava como em 92/93 3 94 muitas sentavam o pau e depois que ele morreu e os outros pilotos não ganharam nada só fizeram lembrar dele se esquecendo dos nossos grandes campeões Emerson e Piquet espectadores como nós que assistimos e vamos nas corridas pela paixão independente de ter brasileiro ganhando ou não são desvalorizados pela globo visando sempre a audiência e olha que são muitos os aficionados!

    • Não entendo isso, O Reginaldo Leme e o Lito Cavalcanti conseguem ser mais pachecos que o Galvão. Ambos donos de um arsenal de desculpas estaparfúdias e infinitas para justificar o reveses dos brasileiros. Mas o pessoal tem a tendência de poupá-los, talvez por serem “gente boa”, diferentes da postura arrogante e teimosa do Galvão.

      • Concordo que o Reginaldo ás vezes acaba seguindo a linha do Galvão chega ser estúpido ver o constrangimento do Reginaldo mas o Lito me parece mais realista e não passa a mão na cabeça de brasileiro quando erra ou faz uma cagada como a do Massa em Montreal o Celso Itibere que anda sumido também é muito bom com certeza nenhum deles é tão despreparado e ruim como Barrichelo e Burti este então que já é comentarista há bastante tempo não aprendeu nada e está completamente perdido com o funcionamento do novo f1 a nós só nos resta esperar que venham dias melhores!

      • Lito Cavalcanti? Nunca o poupei de críticas. Considero-o ultrapassado e extremamente parcial em suas opiniões. Quanto a Reginaldo Leme, apesar do amplo conhecimento que tem sobre o assunto, com o passar dos anos foi se acomodando. Hoje, raramente passa algo relevante ao telespectador. Nem mesmo seu programa no Sportv se salva. É de dar sono.

  • Se eu ja nao estava com saco de assistir a maior formula 1 manipulada de todos os tempos ( veja formas de ultrapassagem, economia de combustivel, proibicoes aos pilotos de dar a propria opiniao, punicoes ate por nao estar com a cueca engomada… ) de gratis, acha que vou pagar para ver esta merda? Por mim pode deixar de transmitir… O DTM esta muito mais interessante!