MENU

Wednesday, 9 de May de 2018 - 21:52One comment

ONE COMMENT

Porra!

11 comentários

  1. CRSJ says:

    Parece que ele decolou, só que não deu pra levantar voo.

  2. Thiago Azevedo says:

    Impressionante a velocidade que eles passam ali…

    Não sei se ele teve azar ou muita sorte.

  3. ags says:

    esse entro pro céu com AmericaExpresse no bolso…….

  4. Alex says:

    É o problema do efeito solo. O fundo do carro tem uma determinada forma que acelera a passagem de ar, praticamente suga o ar que passa na parte inferior, criando assim uma zona de vácuo. A força do ar que passa por cima, empurrando o carro para baixo não tem mais a oposição do ar que passa embaixo e o carro simplesmente cola no chão. Quando se desfaz essa zona de vácuo, seja por algum impacto ou irregularidade na pista, o carro literalmente decola como aconteceu com Gilles Villeneuve em seu acidente fatal, no famoso loop de Manfred Winkelhock em Nurburgring em 1980 e em tantos outros casos já citados. Foi por isso que no final de 1982 a F-1 proibiu os lendários carros-asa que tinham assoalho em perfil de asa de avião invertida e as saias laterais

  5. Evandro says:

    Lembra do vôo do Webber em Le Mans.. igualmente feio.

  6. Paulo says:

    Essa curva está amaldiçoada.

  7. Ricardo Arruda Jr says:

    O Christian Fittipaldi teve um acidente parecido, não?

    • Robertom says:

      Não, no caso do Cristian ele decolou por que tocou no pneu traseiro do Minardi de Pierluigi Martini que ele tentava ultrapassar metros antes da linha de chegada (era a última volta).
      Ou seja, não foi um caso de perda de pressão aerodinâmica…

    • Tales Gaede says:

      Para quem não conhece a estória: em 2003 o Tony Kanaan havia se acidentado em Motegi. O Mario Andretti, então com 63 anos e sem pilotar desde 1994, foi classificar o carro do Kanaan para Indianapolis. A experiência acabou com uma das maiores decoladas já vistas no automoblilismo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *