TOMANDO FORMA

RIO(acaba, inverno) – Acho que vale a pena dar uma olhada mais atenta aos três conceitos de carros para 2021 que a F-1, agora oficialmente, tornou públicos.

Há um lado muito bom nisso, que é a certeza de que as coisas vão mudar.

Há um outro muito ruim: 2019 e 2020 serão um repeteco das últimas temporadas. Ninguém vai investir muito em desenvolver carros que se tornarão obsoletos em dois anos.

Bom, tudo tem um preço.

Comentários

  • Não será espanto se o primeiro esboço for o caminho a ser seguido, espanto me causará se for o segundo, e surpresa total se a F1 radicalizar e seguir os traços do terceiro esboço, que apesar da fluidez das linhas tem visual rebuscado com muitas aletas e spoilers.

  • Há alguns anos (2005 ou 2006?), a FIA conduziu uma pesquisa com fãs da F1. Pelo que lembro, pouco ou nada do que foi apurado foi implementado. Espero que a iniciativa de agora não seja um repeteco. Pelo que li parece que estão concentrando os esforços na parte estética dos carros. Acredito que deveriam priorizar a mecânica e a aerodinâmica, pensando em simplificar as coisas.

  • Ainda tem penduricalho demais. Tem que limpar visualmente e reforçar os carros para facilitar as disputas e amenizar o medo de os carros se tocarem. Acho esteticamente ainda meio poluído. A asa dianteira grande demais, mas o “corpo” está com um designa bem mais bonito. O Halo também poderia ser melhor incorporado com a tomada de ar superior. A tendência é isso acontecer, ele ainda parece um apêndice colocado ali as pressas. Acho que no Design ele precisa ficar mais incorporado ao carro. O problema é que em se tratando de design, é preciso manter a identidade visual e modificar aos poucos, para não impactar demais (a BMW faz isso À anos em seus carros).