MENU

sábado, 7 de dezembro de 2019 - 2:16Gomes, Grande Prêmio

GP ÀS 10: FALEMOS DISSO

10 comentários

  1. William disse:

    Meses atrás quando o Lewis sofreu ataques racistas em um dos seus posts no Instagram, mandei e-mail ao Grande Prêmio falando da necessidade de falar disso em matéria e perguntei sobre esses histórico relatado por você no vídeo, Victor me respondeu com essa informações, mas graças a recorrência do assunto pelo Lewis é que temos esse vídeo muito bacana. Sempre quis saber simplesmente porque sou negro e estudo, recentemente, questões raciais academicamente. Abraços!

  2. CRSJ disse:

    O Hamilton não é absolutamente um negro, ele também pode ser chamado de Mulato por ter uma mãe branca.
    Falando nisso, em 1986 surgiu a possibilidade da F-1 ter tido um piloto negro na Brabham através do Bernie Ecclestone, mas ficou só na possibilidade.

  3. Amaral disse:

    Há não muito tempo a questão era que Hamilton era o primeiro negro na F-1.
    Hoje ele é um dos poucos negros a transcender a questão. Chegou ao patamar de Pelé, Tiger Woods, Michael Jordan, e outros poucos que, acima do fato de serem referências negras no que fazem, são referências de expertise no que fazem. Isso não é pouca coisa.
    Mas hoje a pergunta pode ser outra. Quem será o segundo negro na F-1? Desconheço algum nas categorias de base que possa ter alguma chance.

  4. Roberto Torres disse:

    Que tal falar Sobre Jim Clark. Um gênio pouco lembrado.

  5. Victor Penteado disse:

    Belíssimo vídeo.

    Deixo como sugestões de pauta algum vídeo relacionado à Brawn GP. Neste ano fizeram 10 anos do título mais improvável da história.

    Falar de automobilismo nacional também é legal.

  6. Flávio, Asé!
    Muito pertinente esse Gp às 10. Como negro, baiano e muito influenciado pela presença de Lewis Hamilton na Fórmula 1, assim como vários negros aqui em Salvador. Venho relatar que O CARA se tornou pauta até em escolas por aqui, só para que se tenha ideia do tamanho da sua importância. Principalmente em tempos onde o presidente do Brazil, declara abertamente o seu repúdio a negros e indios. Na sexta feira última, Roger Machado, hoje técnico do meu Baêa, recebeu a medalha Zumbi dos Palmares e o titulo de cidadão Soteropolitano. Estive no evento e conversei com ele (sou apenas um cidadão comum. Mas Roger tratou a todos com muita simplicidade e foi muito solicito con todos que lá estavam), e o mesmo disse que, estar em Salvador o tornou mais forte, e que o racismo no futebol ainda é mais cruel do que se mostra na Tv. Sou arquiteto, trabalho na área desde 1995. Mas só pude entrar na academia no ano de 2004, em função das politicas adotadas pelo governo da época. Sim, precisamos falar disso!
    E os incomodados que não acessem o seu site.
    Asé, meu irmão!

  7. Felipe B disse:

    Por aqui vale lembrar dos pilotos Benedicto Lopes, primeiro brasileiro a correr na Europa, de Alfa Romeo, em 1937 (3 pódios!) e Lucas Molo, que chegou a ser campeão brasileiro de endurance.

  8. tonhão disse:

    assunto que já tá enchendo o saco mas me surgiu uma duvida essa historia do autodromo de Deodoro pode por em risco o GP Brasil ou seja ficaremos sem a corrida em Interlagos e consequentemente sem nada porque não vai brotar uma pista no Rio de Janeiro

    • Amaral disse:

      Relaxa que não vai ter autódromo no RJ. Essa história já miou. Passaram a vergonha no crédito e parcelaram a perder de vista.
      Vai continuar em SP por longos anos.
      E a F-1 no Brasil vai continuar existindo. O público gosta, os pilotos gostam, a mídia gosta. Com ou sem piloto brasileiro.

  9. Gabriel P. disse:

    Flávio
    Que bom voce pensar assim, isso só o valoriza mais e demonstra teu conhecimento neste mar de ignorância ( ser preconceituoso é antes de tudo burrice) que vivemos hoje.
    Mais um motivo para continuar te acompanhando e exaltando.
    Quanto a pautas para os próximos GP ás 10, já que voce tocou no assunto da negritude, seria interessante falar sobre os negros na mídia e crônica esportiva (imagino ser raridade também), na F1 ou mesmo no automobilismo brasileiro deve ocorrer o mesmo. Locutor, ou mesmo comentarista negro creio que nunca tivemos.
    A propósito, bem que o Grande Prêmio poderia ter negros nos comentários,blogs, programas e/ou outros.
    E já que estamos no assunto de preconceitos, pauta interessante seria também sobre as mulheres no automobilismo esportivo em geral..
    Me parece ser irreversível que a F1 do futuro seja elétrica e não faria sentido conviver com a FE, haverá uma junção em algum momento ?
    Já existe câmeras que filmam 360º ou mesmo em 3D , Sabe porque ainda não são usadas nas transmissões ou mesmo para tirar dúvidas nos casos de acidentes ? Daria para falar algo a respeito ?
    Toto Wolff na Ferrari. ou…..Hamilton…ou Mercedes fora da F1 ?
    Cores na F1 talvez seja interessante saber porque a Ferrari sempre foi vermelha, Renault amarela, Lotus preta, etc….e os simbolos ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *