DTM NO FIM

René Rast, atual campeão: Audi ajuda a enterrar de vez o DTM

RIO (e o mundo, realmente, acabando) A Audi informou ontem que ano que vem está fora do DTM. A montadora vai concentrar seus esforços na Fórmula E. Na verdade, na eletricidade como forma de propulsão. Não quer mais saber de motores a combustão. Não quer mais saber de corridas. Já tinha deixado o WEC, já tinha esquecido Le Mans. Um jeito melancólico de enterrar sua história.

O DTM vai morrer. A Mercedes saiu no final de 2018. A Aston Martin, que inscreveu quatro carros no seu lugar em 2019, pulou fora no começo do ano. O campeonato de 2020 tinha apenas 14 carros inscritos: oito da Audi e seis da BMW. O calendário desta temporada também corre risco. Por enquanto, tem dez datas previstas entre 12 de julho e 15 de novembro, com duas etapas sem local definido. Ninguém tem certeza da realização de nenhuma delas, diante do quadro de evolução do Covid-19 na Europa.

A única chance de sobrevivência do campeonato é uma fusão com seus semelhantes japoneses da Super GT. Não sei se vai rolar.

A Audi sai da categoria com 113 vitórias e nove títulos no currículo.

Comentários