KA, 25

RIO (acharei) – O Ka está chegando aos 25 anos. Aqui, um pouco menos: foi lançado em 1997. Este texto aqui se derrama em elogios ao mais original dos Fords dos últimos tempos. E, no vídeo acima, o implacável Jeremy Clarkson faz o mesmo. (Falando nele, o Top Gear que foi para a Amazon é legal?)

Tirei um 0 km em 1998. Mas fiquei pouquíssimo tempo com ele. Era 1.0 e, com o ar condicionado ligado, não subia a rampa da garagem do meu prédio. A Ford foi melhorando o carro com o passar do tempo. Nem por isso fiquei com raiva do bichinho. Não mesmo. Acabei trocando por uma perua Escort, porque minha mulher estava grávida e não caberíamos todos no simpático ovo cinza-chumbo. Essa perua, verde-metálico, era um carro excepcional, também. Não tenho queixas da Ford. Meu Corcel também é bárbaro.

Vou procurar um bom Ka da primeira série, de 1997 a 1999. Se alguém souber de algum ou tiver paciência de vasculhar os sites de vendas, me mande pelo e-l flaviogomes@warmup.com.br. Tem de estar zeradinho. Se eu gostar de alguma indicação, mando um livro de presente para quem tiver me enviado. Tem de ser tipo esse da foto. Se der, nessa cor. Mas avaliaremos todos!

Comentários

  • O kA 98 de bom é a economia,tive um amigo que comprou um zero que fazia 19km/l de Brasilia à Goiania, antes da duplicação.Agora quem anda no modelo 2000(Zetec rocam) é mais feliz,pois anda bem, gasta um pouco mais,mas o torque dele é demais.Sempre tive Ford(Escort,3 Fiesta e Focus),pena que terei que abandonar,pela nova mentalidade da Ford em abandonar carros Hacth medio, tenho um Fiesta Street 2002,para o trabalho(terra) e um Focus III 1.6 plus,para lazer.O motor Zetec Rocam 1.0,foi o que casou melhor com os modelos(Ka,Fiesta),andam muito e o cambio curto,ate hoje,dá canseira a uns modelos com motor mais frouxo,o Zetec só não casou bem quando chegou o Flex(gasta muito)nisso o Sigma é imbatível em desempenho e economia.

  • Tive um 2007, dos últimos desse modelo e, de todos os carros que tive, é dos que mais tenho saudades! Também tive que trocar com a chegada da primeira filha. Ainda sonho com outro, se possível um 1.6. Será um casamento para toda a vida!

  • Também tive um Ka da primeira leva, 1998, 1.0 com ar condicionado, que padecia do mesmo mal e do qual me desfiz em benefício de um inssosso Corsa Sedã 1.8 pela mesma razão que você, Flavio. Uma pena, porque era muito simpático o carrinho. O relógio analógico oval no centro do painel era um charme.

    Dessa primeira geração, vale desembolsar um pouquinho a mais e pegar o modelo XR. A relação peso/potência de quase 10 kg/cv e a suspensão mais firme deixam o carro muito agradável.

  • Tivemos um aqui em casa que minha mulher comprou por pura teimosia. Achava interessante o conceito, mas aquele específico era tão ruim que se eu indicar pro FG ele me bloqueia aqui no blog. Carro desse de mais de 20 anos vai ser uma empreitada para achar em bom estado.

  • Design incrível….quase capotei um desses uma vez………….não sei se foi na Europa que a promoção quem fazia era Sir Jack Stewart, talvez por conta da equipe de F1 que usava motor FORD…..Quanto ao Top gear………..não é tão legal quanto o antigo, eles continuam afiados, o problema é que os carros atuais são sem graça para cecete, sendo assim o programa só se salva quando tiram alguma antiguidade da garagem……….os carros atuais são criados para pessoas que não gostam de carro………desde os mais baratos aos que possuem preços estratosféricos……….

  • Tenho uma história carinhosa com esse carrinho: Moro em Feira de Santana. Eu tinha um Celta que dividia com minha esposa, mas como ela estava querendo fazer mestrado em Salvador, decidi comprar outro carro. Falei para minha esposa que eu ia comprar o mais barato do Brasil, um KA. Ela então disse que ia usar o Celta, porque o KA parecia uma galinha olhando de trás. Decidi então comprar o KA para mim, sem ar, sem nada, já que ia usar apenas para ir ao trabalho. O carrinho me custou 19K Lulas, nada tão barato. Quando o carro chegou, minha esposa decidiu então testar. Ai veio a confusão… ela adorou o carro, principalmente o cambio, e me disse que o meu seria o Celta. Bom, como casa feliz é aquela que a mulher está feliz, dei adeus ao meu KA no primeiro dia. E melhor, ele fez 20K com um litro na primeira viagem a Salvador. Mas depois que coloquei o ar, o carro nunca mais foi o mesmo.

  • Tive um XR 2003 vermelho. Sou de Brasilia, peguei um avião pra busca-lo em SP, voltei dirigindo o bichinho. Carrinho muito gostoso. Viajei algumas vezes de Brasilia para o Rio, sozinho. Tambem fiz Rio-SP uma vez. Carrinho valente, ninguem acompanhava na serra, comportamento dinâmico excelente.

  • Na época, marcou pelo design diferente da merdia. Mas a segunda impressão foi péssima, dado o espremimento dos passageiros do banco traseiro e aquele para-barro sempre marcado no paralama traseiro…. Pode botar placa preta, fazer 100 anos, nunca será um clássico na essencia… Design feito de fora pra dentro não dá certo….

  • Se a ford tivesse lançado com o motor espanhol 1.4 do fiesta seria de longe um dos carros mais rápidos do mercado nacional, teria vendido muito, na época bateria os esportivos vw, gm, fiat, fácil, mas… e o apelido dele nas periferias é CU, feio por fora e apertado por dentro, srrs

  • Dirijo Ford Ka desde 1997, o primeiro com motor Endura 1.0, o segundo foi um image 2002, que possui o melhor acabamento, na minha opinião, e um 1.6 action 2003, o que mais andava. Em 2009, comprei um XR 2007 e estou com ele desde então. Comportamento dinâmico muito bom, curto bastante o Ka de primeira geração (97-2007).

  • Sou um admirador da marca, e desde o primeiro Ford nunca mais comprei outra marca. Fiquei muito triste com a decisão deles de parar de produzir veículos de passeio para de dedicar exclusivamente a picapes e SUVs. No Brasil ainda temos o Ka, mas que em breve sairá de linha.

  • Tive um 1.3 com Ar condicionado e todas aos luxos disponíveis. Foram 200 mil km de alegrias até ser vendido a um amigo ano passado. Saudade dele, pequeno, mas gostoso de dirigir e viajar.
    Tenho 1m88 e sinceramente, a posição de dirigir era ótima (obviamente o banco no limite).

  • Passado o estranhamento inicial de um moleque do alto de seus 13 anos, hoje em dia admiro o Ka de 1ª e 1,5ª geração, especialmente o capetinha XR. Mas tenho outras prioridades na lista de desejo.

  • Uma namorada teve um com o motor zetec rocam, era bem valente! Na primeira vez que ela saiu da garagem (de ré), tomou uma chumbada na lateral de uma motorista desatenta… Chorou horrores… Seu texto me trouxe boas memórias tanto do carro quanto da antiga namorada… Bons tempos… Abraço!

  • Quem não comprou um Ford zero em 1998, através de factoring, baseado em dólar, com o câmbio a quase 1 pra 1? Só que no final do financiamento o câmbio mudou e não foi fácil terminar de pagar. Eu comprei um Fiesta que ficou comigo 17 anos.

  • Tive 2. Um GL 2000, prata Cairo, que é meio que entre bege e dourado claro. Para-choques pretos e calotas iguais esse da foto. Aliás, se quiser esse primeira série, sendo a partir de 99 e com motor Rocam, muito melhor. Depois tive um One, 2006, ainda dessa primeira carroceria, mas com aqueles retoques na traseira que acabaram com a harmonia do primeiro. Os dois foram ótimas companhias. 40 mil km rodados no primeiro, 110 mil no segundo. Os dois com uma dinâmica ótima e desempenho aceitável (pra andar sozinho, com meus cento e poucos quilos, e sem ar condicionado). Um defeito crônico nos dois: entra água em dias de chuva pela forração das portas, com o carro estacionado em local mais inclinado lateralmente.
    Mantive a fidelidade e hoje estou no terceiro, um 2017 1.0. Anda bem, dinamicamente fica um pouco atrás dos primeiros, mas obviamente não tem a mesma personalidade. Deu uma penca de problemas no primeiro ano, mas agora parece mais calmo, acho que estamos nos entendendo.

  • Sempre achei o Ford Ka o mais simpático dos carros da Ford aqui no Brasil.

    Sobre o The Grand Tour (Top Gear da Amazon), eu achei demais! Não consigo comparar com o Top Gear, pois não assisti, mas o Grand Tour diverte que é uma beleza! A jornada deles cruzando a Namíbia é sensacional, na primeira temporada, está tranquilamente entre uma das coisas mais legais que vi em séries nos últimos anos!