CANSOU

RIO (mexe em tudo) – A notícia começou a pipocar na noite de ontem, e na madrugada de hoje saíram os comunicados oficiais. Vettel está fora da Ferrari em 2021. Talvez nunca mais guie um carro vermelho. Afinal, alguém aposta todas suas fichas na realização de um campeonato neste ano? Eu tenho sérias dúvidas.

Sebastian não quis ser escada para Leclerc. A Ferrari estendeu o contrato do monegasco até 2024 e oferecia apenas mais um ano para o alemão, tetracampeão mundial. Ainda queria baixar seu salário. Na negociação, o time italiano topou dois anos, mas com salários mais baixos. Vettel captou os sinais. Aliás, eles eram óbvios a partir do momento em que Maranello resolveu apostar em Charlinho a longo prazo. Sebastian sabe como funcionam as coisas.

O que será de Vettel agora? Quem vai para seu lugar? Como as peças vão se mexer nesse tabuleiro? São perguntas que já têm algumas respostas.

Carlos Sainz Jr. deverá ser seu substituto. É possível que em um ou dois dias a Ferrari anuncie sua contratação. Isso abre uma vaga na McLaren e na imprensa europeia acredita-se que o nome para ocupar o carro laranja ao lado de Lando Norris é o de Daniel Ricciardo. Se isso acontecer, teremos a dupla mais engraçada da história da F-1, no mínimo. Todo mundo precisa agir rápido, agora. Com o australiano deixando a Renault, os franceses terão de correr atrás de algum nome forte, e não há tantos assim no mercado. Além do mais, a equipe amarela não chega a ser muito sedutora, pela dificuldade de conseguir bons resultados, mesmo com um orçamento invejável.

Vettel na Renault? Difícil

Na Mercedes?

Toto Wolff falou sobre o alemão poucas horas depois do anúncio de sua saída da Ferrari. “Somos leais aos nossos pilotos, mas não podemos ignorar o que aconteceu”, disse. Há uma hipótese que, embora um pouco mais remota, não deve ser desprezada: Hamilton na Ferrari. Daí o “não podemos ignorar” do dirigente da Mercedes. Vai que os caras em Maranello resolvem fazer barulho, seria preciso alguém de muito peso para substituir Lewis. Acho difícil, mas não impossível. E ainda tem um “player” correndo por fora chamado George Russell, vinculado à Mercedes e alocado na Williams, que de repente pode dar um salto inesperado na carreira.

Minha primeira reação ao saber da decisão de Vettel foi apostar numa aposentadoria do alemão. Sebastian é uma figura ímpar, que destoa um pouco dos tempos atuais. É o tipo de cara que se precisar parar, o faz sem nenhum drama. Nos últimos dois ou três anos já deu mostras de que a F-1 de hoje o aborrece um pouco. Quanta disposição ele teria para abraçar um projeto de médio ou longo prazo a essa altura da vida? Não muita. Mas um lugar na Mercedes, bom, isso pode mudar as coisas. Ou até na McLaren, a se confirmar a saída de Sainz Jr. para o time vermelho. É bom lembrar que a equipe de Woking, no ano que vem, vai usar os motores alemães. Pode ser, também, um movimento de impacto.

Na Ferrari, Vettel acabou não cumprindo o objetivo de ser um novo Schumacher. Chegou em 2015 e, depois de cinco anos, ganhou 14 corridas e subiu ao pódio 54 vezes em 102 GPs. Foi vice-campeão duas vezes e teve de amargar a quase impossibilidade de título diante do domínio da Mercedes. Não ficou satisfeito. A equipe não ficou satisfeita. O casamento foi se deteriorando e acabou de vez quando o time encontrou um novo amor, Leclerc.

Era um desfecho previsível, no fim das contas. Prolongar a infelicidade mútua não faria muito sentido.

Comentários

  • Pode ter certeza, que o Vettel , agora sem o peso nas costas, vai andar muito bem e o Lecrec , agora com a pressão, sem muita experiência, pode tomar do Vettel!! Duvido ainda que o Vettel acate as ordens de equipe e vai dar trabalho!! Lecrec é muito bom, mas Vettel tb! veremos!!

  • Pro Vettel só resta ser Campeão nessa Temporada de 2020 para voltar a ser mais valorizado o que é improvável, ou então sair da F-1 porque fora da Mercedes, Ferrari e Red Bull fica muito difícil vencer um GP e disputar um Título.
    Tá certo que a passagem do Vettel na Ferrari não foi absolutamente bonita até aqui, mas ele não fica devendo nada a ninguém por ser Tetracampeão do Mundo tendo seus quatro Títulos consecutivos conquistados dos 23 aos 26 anos na Red Bull entre 2010 e 2013, isso é para poucos.

  • Interessante seria Vettel/Russel na Mercedes (bom para a Mercedes mostrar que não depende do Hamilton) e Hamilton na Renault (mostrar que não depende da Mercedes).
    Mas parece difícil…

  • Vettel e atualmente, Verstappen são os únicos pilotos que fazem ou fizeram frente ao domínio absurdo das Mercedes. E o que vemos aqui? Uma depreciação de ambos por motivos diversos.
    Se Vettel aposentar, restará Verstappen e o domínio prateado se acentuará. E a F-1, que já é previsível, se tornará, também, monótona.

  • Vettel nunca foi essa maravilha toda, agora acho q a ficha caiu, a minha já tinha caído em 2010. Aposenta tarde, deveria ter preservado os números da época na redbull, Alonso vem aí na Renault.

  • Temos aqui nesse blog um leitor que é mais do que fã. Eu não sabia que Sebastian Vettel tem um advogado de defesa no Brasil. Seu nome é Vai Vettel ! (tem ponto de exclamação!)

    Mas que coisa, né? Ele se julga o dono da verdade e está sempre pronto para entrar em ação e defender o seu ídolo, quer dizer, o seu cliente. Eu até pensei em escrever um longo texto contando todos os podres do Vettel – o piloto, não o advogado – mas estou com medo desse cara me processar.

    Vou correr o risco e dizer apenas isso: assim que for noticiado a aposentadoria do Vettel, vou pedir uma pizza para comemorar! Meia margherita, meia calabresa. Se não fosse o maldito Corona, eu iria em uma pizzaria.

  • Seria demais ter o Ricciardo na Ferrari, mas pensar em uma McLaren com motor Mercedes não seria nada ruim. talvez seja a melhor escolha para o australiano.

    Vettel aposenta
    Sainz na Ferrari
    Ricciardo na Mclaren
    Mercedes continua como está

    Vamos aguardar os próximos dias.

  • Seria demais ter o Ricciardo na Ferrari, mas pensar em uma McLaren com motor Mercedes não seria nada ruim. talvez seja a melhor escolha para o australiano.

    Vettel aposenta
    Sainz na Ferrari
    Ricciardo na Mclaren
    Mercedes continua como está

  • Os saudosistas falam em um possível retorno de Alonso na Ferrari. Gente! Alonso ficou atrás de Vettel em DEZ Mundiais seguidos (2009 a 2018).
    Se existiu um piloto FAKE na categoria, foi o espanhol.

    Repetindo: Dez temporadas atrás de Vettel (2009 a 2018).

    • Kkkkkkkkkk pelo nome dá pra ver que é uma fanzete do alemãozinho né.

      Cara na boa, comentar é livre mas falar uma asneira dessa é demais.
      Quer analisar ano a ano:
      2009 Alonso tava naquela Renault matando tempo pra andar na Ferrari, a RBR já era um carro bem melhor que a Renault tanto que o Vettel terminou o ano como vice, a frente do Rubens andando de Brawn GP.

      2010 a 2013 o mundo todo sabe que a RBR tinha um foguete, tanto que até o WEBBER disputou título, vejam, estou falando do WEBBER.

      2014 Chegou a Mercedes desbancando todo mundo e ainda assim a RBR era melhor que a Ferrari, e não esqueça que o Mr. Spin levou pau do Ricciardo.

      2015 a 2018 Você realmente quer discutir com aquela Mclaren que o Alonso pilotou? Aquilo não era carro, até choque o cara levou dentro daquele lixo.

      Mas te entendo, deve estar bem tristezinho com a aposentadoria compulsória do seu ídolo….kkkkk.

  • O cara é tetra. Está saindo duma equipe de ponta sabendo que não há vagas nos times principais. Vai aceitar correr numa equipe intermediaria e ficar brigando la no meio do pelotão, rezando para aparecer um podium inesperado? Duvido muito. Deve parar. E se o fizer, a categoria está perdendo um tetracampeão. E isso não é bom.
    Quanto aos que dizem que ele é superestimado, das centenas e centenas de pilotos que passaram por essa categoria, muitos foram campeões. Alguns foram bi-campeões. Cinco foram tri-campeões. Ele e Prost foram tetra. Fangio penta. Hamilton hexa e Schumacher hepta-campeão. Dizer que um piloto que habitará eternamente o clube seleto dos multicampeões é subestimado soa como bobagem.

  • O sinal mais claro de que Vettel já estava próximo de uma aposentadoria, é os fatos que aconteceram depois do GP da Alemanha de 2018. Vettel pilotou muito abaixo da média (salvo algumas poucas corridas).
    Pode ser psicológico, pode ser falta de prazer, pode ser outras prioridades, pode até ser idade, junte-se a isso Leclerc ser um piloto acima da média e a Ferrari, com razão, puxar pro lado do menino pra esse ano.
    Se Hamilton não for pra Ferrari, improvável Vettel continuar……. e mesmo que sobre vaga na Mercedez ele terá vida duríssima. O alemão já não é mais o mesmo. Foi um dos melhores da história, mas seu tempo já passou.

  • Independentemente de quem for para a Ferrari, uma coisa me parece certa: irá para ser segundo piloto.
    Fosse mais jovem, apostaria em Vettel na Renault em 2021 já contando com a grana dos franceses para desenvolver o carro asa. Mas não me parece o caso.
    Sem mais nada para provar na F-1, deve se aposentar e se dedicar à sua garagem. Bela garagem, por sinal.

  • Vettel não aguenta a pressão quando encontra alguém melhor do que ele. Foi assim com Ricciardo e agora com Leclerc. Acho mais provável a McLaren para ele. Seria bom pra ele e bom pra McLaren. Ainda mais com motores Mercedes. Só não espere altos salários. Com essa crise que está por vir, ninguém quer alguém caro de se manter. E quanto aposentadoria, só se ele for maluco. Será que não está vendo com essa quarentena a merda que é não ter compromisso , desafios.
    Quanto a Mercedes, só se forem burros em mudar o quadro atual que é o time mais vencedor da história da Formula 1.. Hamilton está no auge e Bottas é o cara ideal para o posto de segundo piloto. Discreto, eficiente, e não pode perder o emprego.

      • Eu já percebi uma coisa. Os companheiros de equipe de Vettel não foram muito longe. Nenhum deles conseguiu levantar um título! E nem um vice.
        Raikkonen já era campeão, quando foi companheiro de Seb.

        Vamos ficar de olho e ver até onde Leclerc vai chegar.

  • Prezado F&G : L.Hamilton, na Ferrari, seria a maior jogada da F-1, seria simplesmente fantástico e tudo pode acontecer nessa hipótese ,seria uma movimentação interessante Vetel na Mercedes-Bens, mas o melhor seria Daniel R. ou na Ferrari ou na Mercedes, a melhor aposta seria Carlos Sainz . Nada é exato na F-1. desafio de L. Hamilton na Ferrari é a mais provável mágica da F-1, e isso é mais que previsível, reuniões ocorreram com a turma do macarrão com o piloto Inglês, em dezembro de 2019.

  • Nada demais, como FG disse, Vettel sabe como funciona o circo. Ele fez isso com Webber e ficou bem confortável com Kimi sendo seu escudeiro de luxo, tanto que fez campanha pela renovação do finlandês, que acabou não acontecendo.

    Com claúsula de 3 colocado a certa altura do campeonato de 2014 ou não, ele foi dominado pelo Ricciardo. Saiu.

    Com o petulante e igualmente talentoso Leclerc, também não aguentou e se perdeu no emocional, que representa diria eu uns 50% da performance de um piloto de F1. Vai sair novamente e desta vez sem nenhuma perspectiva promissora. Mclaren não parece pronta para disputar o título em 2021 já que as regras continuam as mesmas, talvez, 2022. Renault nem isso, equipe de fábrica com um baita piloto (Ricciardo) e não evoluem.

    Se eu fosse o Sainz não sairia da Mclaren, a não ser que a Ferrari garanta em contrato que darão condições de igualdade aos dois pilotos, do contrário, seria trocar uma boa posição em uma equipe com bom potencial para ser segundão na Ferrari.

    Leclerc aliás, que pare de ficar com aqueles áudios do tipo “que idiota que eu sou” “ah meu Deus, como sou burro”, a Ferrari é tóxica e o ambiente vai pesar para o monegasco a partir de agora.

    Se eu mandasse na Ferrari, tentaria trazer o Ricciardo em primeiro lugar, pois já mostrou que tem talento, que pode sim disputar um campeonato se o carro permitir, e que é um boa praça, deixaria a Ferrari mais leve.
    Se não ele, traria de volta o Alonso por 1 ou 2 anos apenas, e deixaria o pau comer dentro da pista, sem preferências até o limite da matemática dos pontos. Alonso é muito melhor que Vettel, extrai mais do carro, erra muito menos do que o sr. Spin.

  • Vettel colocou um objetivo bem claro ao chegar na Ferrari. Ser campeão. Afinal o que esperar de um piloto quatro vezes campeão na mítica scuderia? O problema é que havia uma Mercedes no caminho. Dois vice-campeonatos, um dos maiores vencedores da Ferrari, liderou a equipe, mas agora parece que ambos se cansaram um do outro. Subestimar Vettel como piloto é claramente um erro. 2018 foi um ano em que ele guiou muito bem até o fatídico GP da Alemanha. Sucumbiu a partir dali, vítima da superioridade da Mercedes e de si próprio. A meta era ambiciosa como tinha de ser, mas irreal, frente as poderosas Mercedes. 2019 foi assim, de altos e baixos. O GP do Canadá foi o divisor de águas. Uma vitória nas mãos, construída desde a classificação, resistindo à pressão de Hamilton, mas um breve momento de relaxamento e o pesadelo voltou. Punido, se de maneira justa ou não, pouco importa agora, proporcionou a melhor cena da temporada após o término da corrida. Os vários atritos com o novato Leclerc talvez tenham sido a senha para repensar sua postura e seu envolvimento com a Ferrari e a F1. O desgaste ficava cada vez mais evidente, e um claro sinal de que os ventos mudavam de direção em Maranello foi a extensão do contrato de Leclerc até 2024. E agora, a proposta de renovação de contrato de um ano inicialmente, depois de dois anos. Qual será o papel de Vettel no mundo da F1 pós pandemia. Duvido que aceitará um lugar na Renault, para ser coadjuvante numa equipe que até agora não disse a que veio. Mclaren? Uma equipe que está escaldada após o relacionamento com Alonso, também não acredito que fará malabarismos financeiros para ter o tetracampeão em seu cockpit. Redbull estruturada ao redor de Verstappen já fechou suas portas ao filho pródigo. Quem sabe um ano sabático para um retorno em 2021.
    Já a Ferrari diante da nova realidade econômica vai certamente buscar um piloto mais barato e que entregue resultados consistentes. Mas não se deve negar que tudo agora será direcionado para Leclerc. Qualquer outro piloto que eventualmente ocupe a posição de Vettel será isso, um segundo piloto. Sainz na emergente Mclaren pode ser uma opção. Mas para o espanhol, sabendo que será primeiro piloto na equipe inglesa e, com a certeza de utilizar os motores Mercedes em 2021 seria uma boa opção ir para a rossa? Riccardo? Um bom piloto, mas viverá o mesmo dilema de Sainz, ser segundo piloto. Mas claro, muito melhor uma Ferrari do que uma Renault.
    Quem perde é a equipe Ferrari. Vettel estava envolvido diretamente no desenvolvimento do carro além de conhecer toda a estrutura técnica da equipe. Leclerc conseguirá exercer o mesmo papel? Claramente não. Ele foi muito rápido e agressivo, como tinha que ser mesmo, se queria conseguir seu espaço na equipe. Agora, se e quando ocorrer uma temporada, não conseguir traduzir toda essa expectativa novamente em resultados será massacrado.
    E aqui um parênteses. Para quem acompanhou Drive to Survive na Netflix, Riccardo não me parece um piloto que queira ou tenha conhecimento para desenvolver um carro.
    E para aqueles que pediram o Alonso, só tenho a dizer, traz o Raikkonen de volta para a Ferrari.

  • Concordando com muitos que já disseram que o alemão foi muito superestimado.
    Verdade verdadeira, se não fosse pelos foguetes que o Newey disponibilizou nos tempos de Red Bull, e dos quais ele foi apenas o melhor “motorista”, periga de ter ficado no “zero” títulos mundiais.
    Bastou 1 ano de Leclerc para a Ferrari perceber que Vettel é supérfluo no organograma da equipe.
    Agora viajando total na maionese, se a Rossa já “fez as pazes” anteriormente e trouxe o Kimi de volta, vai que os italianos pretendam o retorno do Alonso, desde que com o ego domesticado?
    Seria uma hipótese bem interessante.
    Certeza de que o espanhol não arregaria para o Leclerc e ainda poderia entregar ótimos resultados.

    • Os foguetes de Newey só funcionaram nos anos de 2011 e 2013. Nos anos de 2010 e 2012, os títulos de Vettel foram conquistados no braço e no talento.

      Você pasteurizou os quatro títulos da Red Bull. Seja mais focado da próxima vez!

      • 2010/2012 no braço e talento? Ah sim, braço e talento do Espanhol, kkk!! Estivessem com suas bundas no cokpit da RBR nestes anos, Alonso ou Hamilton teriam faturado o título no meio da temporada, hahaha……o SchukruteFakeJr passou sufoco e, ainda assim, tiveram de pedir a outra equipe que usava motor renault pra segurar o Alonso em Abu Dhabi.

        Vettel foi vexatório, mesmo no domínio da RBR.

      • Temos que levar essa grave denúncia envolvendo a Renault e o russo em Abu Dhabi 2010 diretamente para a FIA, meu caro Xau-Xau!

        E podemos juntar com a denúncia envolvendo a Lotus e o Maluco da Primeira Volta, quando ele tirou o Alonso da corrida em Spa 2012, fazendo com que o espanhol perdesse mais um título no final do ano! Afinal, a Lotus também usava motor Renault…

        Está tudo claro agora!

    • O cara foi só quatro vezes campeão. Não importa se tinha um foguete nas mãos. Quantas vezes já vimos alguém ser campeão sentado numa carroça? Sendo assim, Hamilton também seria, pois tem um foguete prateado nas mãos….

    • é o que eu digo sempre. Ao falar supeestimar, já está menosprezando. O que ele teria feito na MErcedes? O mesmo que HAmilton, que por sinal fez muita lambança quando não tinha um carro anos luz a frente dos outros. Antão, enche o saco esse tipo de comentário “Não querendo desmerecer, mas já desmerecendo”……….

    • Tomando como exemplo (a esmo) Ayrton Senna: o brasileiro foi campeão com algum carro ruim ? Ele foi campeão na Lotus entre 85 e 87 ou com a Mclaren em 92 ou 93 ? Não, né ? Os carros do tri eram superiores à todos os demais do grid (parelhos com a Williams em 91, ok), correto ? Em 1988 então, nem se fala…
      Mas (quase) ninguém diz que ele era apenas “motorista” dos projetos de Gordon Murray, Neil Oatley e cia…

  • Se não for ficar na Mercedes (o que eu acho difícil), ele aposenta. Depois de ficar em uma equipe grande e não conseguir o título, não iria pra uma Renault. Pra Mclaren seria arriscado o projeto dar errado e ele passar anos no estilo Alonso.

    • Hamilton está determinado a bater os recordes de títulos e vitórias de Schumacher. Se estivéssemos em situação normal, poderia atingir as duas marcas este ano e seguir para Ferrari para concluir de forma gloriosa sua trajetória na F1. Mudar de equipe nessa incerteza de cenário, sem esses objetivos concluídos, poderia ser um risco muito alto para o plano dele.

      • Em 2016, Hamilton perdeu para o Rosberg. Isso diminui a carreira dele? Nem um pouco. Sebastian é tetra. Está no mesmo degrau que Prost e acima dele só existem três.

      • De 10 anos pra cá o piloto passou a fazer cada vez menos diferença em relação ao carro. Além disso, a disparidade de orçamentos aumentou e isso desequilibrou demais a competição, em relação ao que havia até o fim da década de 2000. Isso desvaloriza vitórias e conquistas. Os seis títulos de Hamilton, por exemplo, transportados pros anos 80 e 90, num panorama de divisão de vitórias e pontos com várias equipes competitivas, como eram McLaren, Ferrari e Williams e mesmo Benetton, valem por apenas dois ou três. Mesmo o caso do Vettel. Em 2010 e 2012, ok, ele derrotou Alonso em duras disputas (em 2010 tinha também Webber e Hamilton) e portanto merece o crédito. Mas os títulos de 2011 e 2013 não são dele, e sim da Red Bull. A vantagem era tamanha que qualquer piloto mediano – um Hulkenberg, por exemplo – poderia conquistar o título em seu lugar.

    • É a Red Bull lhe deu asas!;Mas o ano de 2014,lhe trouxe uma realidade,tomou pau de um novato(Riccardo,)que é muito bom,mas não chega aos pés de um Verstappen;A ida para Ferrari, foi como sonho de Ícaro, sua queda era iminente,a Ferrari estava esperando ele pedir o boné,por isso fez propostas indecentes,vejo que o mesmo se tocou…,é melhor ir para casa como o Rosberg.

  • Eu gosto muito do Vettel. Sua forma de pilotar, de tocar o carro e ainda, o que fez no Canada em 2019! Aquilo foi o máximo.
    Acharia super legal ele ir pra McLaren ou Mercedes, mas concordo com o FG… difícil…
    Quem vai perder (e muito) é a F1.
    Vettel é TETRACAMPEÃO e isso, nos dias atuais, não é pra qualquer um…
    Vettel vai fazer falta…

    • Fará falta apenas para fãs boys como você…….Me diga o que ele fez de tão interessante no Canadá ano passado? Ah me lembrei, aquele lance da troca das placas? Eu só lembro dele ter entregado a rapadura quando o Mirtão fungava no seu cangote, hehehe.

      • Falou quase tudo, Xau-Xau! Faltou dizer que ele não vai fazer falta porque teremos o Riccardão na gloriosa MacLata conquistando inúmeros oitavos e nonos lugares!

        E quem sabe poderemos ter também o Choronso na Renô andando no pelotão da merda!

        Vai ser demais!

  • Baita piloto. 4 títulos, muitas vitórias , ganhou corrida com carro nada bom! A Ferrari se perde . Ele deveria ter um título lá assim como o Massa! Vai pra casa curtir a vida e aproveitar! 4 títulos!! Ele é um dos maiores da história.

  • Que o ‘oráculo’ Eddie Jordan acerte a sua previsão de algum tempo atras. Toto e Hamilton na Ferrari em 2021.

    Adoraria ver o Vettel fechar o seu ciclo da F-1 com mais um titulo “100% Alemão” na Mercedes.

    Se fosse o Hamilton embarcaria na Ferrai sem pestanejar, somente Ele e Toto para repaginar a Equipe Italiana.

    Que o Vettel seja feliz! Parece ser um sujeito competente e muito legal.

  • Nos grupos de whatsapp dos amigos fãs de automobilismo me perguntaram pra onde eu achava que o Vettel iria. Disse que “para casa”. Sobre o Sainz, acredito que você tenha mais informações que eu, mas também acredito num movimento menos ousado da Ferrari, colocando o Giovinazzi como oficial segundo piloto. Se um medalhão e um imberbe saidinho já “deu ruim”, imagine um imberbe saidinho e outro na 1ª fase da vida pós-imberbe e tão saidinho quanto. Italianada saberia gerenciar?

    Agora, um movimento dos sonhos seria Vettel na Mercedes e Ricciardo na Ferrari.

  • Carlos Sainz é uma ótima aposta da Ferrari. Além da motivação e do talento em si, o sobrenome é marqueteiro (filho de um grande campeão de rali) e vai empurrar o Leclerc pra frente, porque é competitivo e vai dar trabalho. Já o momento-cultura-inútil fica por conta de ser a segunda dupla Carlos-Carlos da história da F1. A primeira foi aquela excepcional e inesquecível da Brabham dos anos 70: Carlos Reutemann e Carlos Pace (como o brasileiro sempre foi conhecido lá fora). Não sei se já houve outras duplas de xarás.

  • Pois é. Eu diria que ele cansou já faz algum tempo. O aparente desânimo com a falta de resultados decentes não é de hoje. Nunca é fácil para um multicampeão perceber que já não é rápido o suficiente para liderar o time. Chega um leão novo e enquadra o ex alfa do bando. Rei morto, rei posto.
    Melhor curtir a merecida e farta aposentadoria. Se é que não vai imitar o Raikkonen é faturar mais um bom troco numa possível sobrevida da carreira.

  • Ciao Flávio, penso che Vettel ha fatto due conti e con 400.000.000€ questi nn combinano niente pensa con 1/3 …. fa benissimo a andare via, è un 4volte campioni dell mondo e merita rispetto , esiste vita oltre a la Ferrari e lui ha già capito, me lo auguro di vederlo insieme a Lewis sarebbe un bene x la formula uno.

  • Fica menos vergonhoso se ele aposentar no final do ano. Se ficar no ano que vem, será em equipe média ou pequena, onde também vai levar pau de companheiro de equipe… Seria ainda mais humilhante

  • Boa tarde, pessoal. Que estejam todos bem nesses tempos difíceis.

    Foi bombástico, mas se nos lembrarmos dos sinais, não completamente inesperado.

    E segue o fato de que o único cara que conseguiu um título com a Ferrari após o Schumacher é o Raikkonen. Em que pese o amor que os tifosi têm por ele, acho que o Kimi é um injustiçado na história, em certa medida. O cara (quase sempre, admito) rendeu muito e dentro do esperado nas condições em que se encontrava em praticamente todas as etapas da carreira. Não diria que foi um melhor piloto, no longo prazo, do que Alonso, Vettel e Hamilton, mas no auge e na média, acho que não dá pra dizer que é pior que esses – e um pouco melhor que Button e razoavelmente melhor que Rosberg, pra falarm de todos os campeões pós-Schumacher.