FW43B

SÃO PAULO(trancados) – Não esperem muito desse carro. Aliás, não esperem nada. A Williams apresentou o FW43B hoje, primeiro automóvel da equipe sob gestão do Dorilton Capital, o fundo de investimento que comprou o time no ano passado tirando a família Williams do negócio.

(Aliás, estou esperando uma boa matéria sobre o dia a dia da Williams, algo que terá de ser feito necessariamente pela imprensa inglesa. Como ficou a fábrica, o que foi feito do acervo da equipe, por onde andam Frank e Claire, quem ocupa a sala do antigo dono, esses detalhes saborosos que fazem tanta falta no jornalismo atual.)

Se é B, é porque não é novo. E como o carro do ano passado era uma bomba, o deste ano continuará sendo. A Williams apenas adaptou-o ao novo regulamento, e a tendência é que fique onde terminou 2020: em último. Gostei da pintura, porém. Mas quando a gente nota que não tem um patrocinador forte, dá para imaginar a penúria que será esta temporada para a equipe.

Sinto por Russell. Mas acho que é o último ano dele nessa provação. Algo me diz que em 2022 ele será titular da Mercedes.

Comentários

  • A Williams não será a última. Será a penúltima, e isso se a Alfa Romeo tiver melhorado o que ela acha que melhorou. Porque a Haas já anunciou que de novo só tem a pintura e os pilotos, e vai continuar andando mal, ao que tudo indica, e com um garoto superestimado por ser filho do mestre chucrute e com outro garoto que tem dois caminhões de dinheiro e mais históricos de polêmicas do que resultados, vai fazer água. Não tem o menor perigo disso dar certo. Vai ser de novo a estrela da Netflix.
    Quanto a Williams… Realmente os caras entendem nada de F-1. Porém empresa tem que dar lucro. E equipe de F-1 só dá lucro quando ganha. Ou seja, ou eles descobrem o segredo de tostines ou vão vender a equipe no home broker em dois tempos.
    Sendo que eles têm uma oportunidade ímpar de ter um moleque bota demais que tira 120% do carro na maioria das vezes. Ano que vem ele vai pra Flecha de Prata. Seja no lugar do Milton ou do Valtério.
    Eu adoraria ver o Toto queimar a minha língua e fazer a jogada mais louca (e impossível, claro!) do século:
    Trazer o Jorginho cabeça quadrada pro lugar do Valtério, e trocar o Milton pelo jóquei De Vries, e transformar o mito numa espécie de piloto-embaixador da F-E pra ele chegar lá quebrando todo mundo. Eu acho que Hamilton e F-E têm tudo a ver, ainda mais com a Mercedes querendo destruir a concorrência lá, como faz na F-1.
    E acabaria de vez com a (hoje em dia injustificada) fama de ser categoria de enjeitadinhos da F-1. Agora é uma categoria respeitada, com ótimos pilotos jovens e experientes, equipes de fábrica, porrada comendo na pista – que eles nunca se inspirem em Piquet-Salazar – e com carros mega estilosos e cada vez mais rápidos. E o barulho de broca de dentista melhorou bem. Com cinco minutos a gente acostuma e nem lembra que a barata é elétrica.
    Tá, tem uns Nico Muller da vida lá (que vem sendo sistematicamente jantado com pão de queijo e cachaça pelo 7-Câmara, que também não é esse guaraná Mantiqueira todo). Mas na F-1 tem o Latifi. Então dá no mesmo.
    Provavelmente ano que vem eles precisarão realmente fazer um carro muito bom pra compensar uma possível dupla Latifi-Nissany. Só imaginar isso faz Schumacher-Mazepin parecer palatável.

  • Não sei direito o que aconteceu, mas o lançamento do carro era pra ter sido com um esquema de realidade aumentada, onde você projetaria o carro na sua casa (ele aparece em 3D no seu telefone, como se estivesse dentro da sua casa), mas o site foi hackeado…

    E Isso pq são patrocinados por uma empresa de segurança eletrônica.

    Vi um vídeo do George Russel explicando como que era pra ter sido o lançamento, com aquela cara de “putz…”.

    Espero que fiquem na frente do Mazepin!!!

  • Triste ver a Williams assim. Dá para ver o quanto os atuais gestores entendem de F1 quando soltaram nota dizendo que a pintura desse ano seria inspirada no FW14. A equipe virou um ícone num canto do site de uma consultoria junto a outros ícones de empresas de ensaios não-destrutivos e medidores em geral. Triste.

  • “Como ficou a fábrica, o que foi feito do acervo da equipe, por onde andam Frank e Claire, quem ocupa a sala do antigo dono, esses detalhes saborosos que fazem tanta falta no jornalismo atual”

    E aquele irmão da Claire, que não se dá com ela e cuidava daquele museu, hein?…

  • Acho que todos nós, que gostamos de F1, estamos a torcer para que a Williams volte aos primeiros lugares. Claro que isso não vai acontecer este ano, mas já era bom que a equipa britânica consegue-se lutar com a Haas e a Alfa Romeu.
    Dá pena e é decepcionante ver George Russell na cauda do pelotão e a lutar pelos últimos lugares. Espero que brevemente seja recompensado pelo esforço que tem feito, nestes últimos dois anos, e que consiga ter um carro vencedor para poder demonstrar todo o potencial que tem.

    Abraço

    visitem: https://estrelasf1.blogspot.com/

  • Se ainda restasse um pingo de esportividade no Toto, Russel seria piloto da Mercedes já esse ano. O rapaz provou que é bom e que, com aquele carro, daria uma canseira no companheiro. Além de custar bem menos a equipe do que com o Hamilton. Mas, ao que parece, Mr. Wolf, não quis se arriscar. Pena, seria legal ver a disputa dos dois, mesmo porquê o resto do grid iria continuar a ser exatamente isso, resto.