SF21

SÃO PAULO(na hora certa) – A Ferrari apresentou o último dos dez carros de 2021 hoje e dá alguma esperança aos seus torcedores. A equipe usou seus “tokens” (estalecas!) na parte traseira do carro, que tinha deficiências crônicas de construção no ano passado. Suspensão e caixa de câmbio foram redesenhadas. Com isso, conseguiram reduzir a altura da carenagem. A entrada de ar sobre a cabeça do piloto também foi refeita. E o bico é o que mais me chamou a atenção. Notem que há duas fendas laterais por onde sai o suporte que sustenta a asa dianteira. Desconfio que o caminho que o ar fará pelas entranhas do carro será dos mais interessantes.

Quando digo que os tifosi podem ter esperanças, é numa melhora considerável em relação a 2020. Porque o carro, no ano passado, começou o campeonato de uma forma lamentável. No final da temporada, reagiu e já era um bichinho vermelho bem mais aceitável. E deu para ver, na apresentação da SF21 (S de Scuderia, F de Ferrari, 21 do ano, zero criatividade), que teve gente trabalhando no modelo deste ano. Se vai dar resultado, depois de amanhã a gente começa a conversar — será o primeiro dos três dias da pré-temporada no Bahrein.

Leclerc e Sainz Jr., que talvez eu passe a chamar apenas de Sainz neste ano por questões de tenho preguiça de ficar chamando o cara de “Jr.” o tempo inteiro, formam uma boa dupla. Charlinho é claramente um piloto diferente, com potencial para ser um dos grandes, e o espanhol já tem uma experiência razoável de seis anos em três equipes (Toro Rosso, Renault e McLaren), nas quais sempre mostrou grande capacidade de fazer pontos, sem desperdiçar as chances que as circunstâncias lhe oferecem.

Por dois anos, o monegasco prodígio conviveu com um piloto, Vettel, meio desanimado e contrariado. Chega agora alguém muito motivado por uma oportunidade inesperada na carreira. A Ferrari contratou o substituto de Sebastian a toque de caixa, mesmo sabendo que o alemão sairia no final do ano — até porque foi a equipe que decidiu não renovar. A sensação que tive quando Sainz foi anunciado foi de que Maranello foi pega de surpresa pelo comunicado antecipado de Vettel, isso sim. Mas pode ter sido apenas impressão. Talvez tudo já estivesse acertado e planejado.

Chamou a atenção na pintura da nova Ferrari a adoção do verde para a marca Mission Winnow, da Philip Morris, que ninguém sabe exatamente o que é. Basta entrar no site oficial para entender menos ainda. “What is Mission Winnow? Mission Winnow is an unconventional communications platform to share our journey and create a stage for constructive dialogue”, diz a apresentação do… da… ah, sei lá o que é isso!

Isso aí sempre me pareceu propaganda de cigarro subliminar idealizada, concebida e executada por publicitários illuminati, pertencentes a alguma seita secreta que implanta no cérebro dos telespectadores, internautas e transeuntes chips virtuais.

Seja como for, o verde causa certa estranheza nesse plano satânico. Nova versão mentolada, talvez?

Comentários

  • Esse MIssion Winnow, assim como o A Better Tomorrow da British American Tobacco, me parecem propagandas subliminares de cigarro. Marcas criadas para despertar estranheza e curiosidade e sempre lembrar as pessoas da existência dessas companhias e dos seus produtos, cuja exibição pública será cada vez mais restrita. Mas também eu acho que faz parte da estratégia de lançamento de uma nova geração de produtos fumígenos, desses que não queimam, mas aquecem as substâncias que produzem fumaça. Eles já estão por aí, mas ainda são produtos de nicho. Eu acho que essas companhias já enxergam o fim da era dos cigarros como conhecemos e vão abraçar esse mercado. E criam essas marcas para já partir com uma identidade moderna e esportiva. Na verdade não li isso em nenhum lugar, mas é o que consigo entender quando vejo tanto investimento em algo aparentemente incompreensível. Sobre o verde, obviamente deu mais destaque à marca, mas não achei feio. Me parece o verde da bandeira italiana, por isso não me causa estranheza. E também gostei da variação de tonalidade de vermelho ao longo da carroceria. Pelos investimentos e pela dupla de pilotos, acredito que eles disputam terceiro lugar no campeonato, que será a grande disputa do ano.

  • Essa tatuagem fosforescente – subliminarmente – representa uma Ferrari de raça diferente: mais tecnológica, mais integrada com o mundo, mais antenada com a própria Mercedes Benz-AMG que utiliza um verde degradê como a mostrar sintonia fina com os mais altos princípios da excelência técnica.
    Certamente será mais agressiva e menos cansada, Vettel não estará mais lá, sangue novo e novos apetites, é toda essa bagunça (rsrsrs) que a foto me inspira a imaginar; os marketeiros (sic) vermelhos são phoda!
    Tomara que a Ferrari venha grande, tomara mesmo.

  • POSE ENSAIADA dos dois pilotos. Ficou bem artificial. Vamos ver quem quem vai arregar na primeira curva. O Vettel nunca arregou, por isso mesmo sabotaram o carro dele a temporada toda. Quem sabe agora o SAINZ baixa a cabeça e fica bom para o Monegasco. Quem é o macho alfa aí. Só quero ver se entra um Santander Espanhol no meio, ai ai…… coitado do Lécléc, aí ferrou pra ele.

  • Resumindo, a Ferrari aceitou a grana da Phillip Morris pra colocar uma cor verde chamativa evidentemente feia para atrair atenção à patrocinadora. A partir de agora, toda vez que alguém meter o olho no carro da Ferrari, vai olhar diretamente àquela maçã verde estampada na tampa do motor.
    Patrocinadores ficam felizes, a Ferrari um pouco mais feliz, o resto tendo a agonia de olhar pra esse vale da estranheza o ano inteiro.
    Tirando essa pintura aí, o carro da Ferrari ficou bonitão com suas aletas pra tudo quanto é lado e esse nariguão de tamanduá.

    Se for pra dar uma nota, ficaria no 6.5/10, nem 6 nem 7.

  • Nas FAQ da Mission Winnow, está tudo muito bem explicadinho, embora no estilo do assessor do ministro, na série “Yes, Minister”, que eu tando adorava (não sei se é conhecida no Brasil https://www.youtube.com/watch?v=37iHSwA1SwE)

    Mesmo assim, continuo sem entender muito bem o por quê de uma empresa investir milhões numa marca, ou ação publicitária, que não ajudará, no meu entender, a vender um produto, e que nem sequer promove a sua notoriedade, já que quem vê o símbolo, neste caso nos carros da Ferrari, não o associa à Philip Morris International.

  • “Isso aí sempre me pareceu propaganda de cigarro subliminar idealizada”. Eu acho que é isso mesmo. “O que é Mission Winnow? Ah, é aquela coisa da Philip Morris, aquela que faz cigarro”. Pronto, mensagem transmitida. Também não deve ser coincidência que a sigla é MW, já que o W é um M invertido, e ambos remetem a Marlboro.

    Eu sempre gostei de ler isso como “Mission Minnow”, o grande projeto de transformar a Ferrari num peixinho, numa equipe pequena.

  • A Ferrari precisa mostrar ao menos uma evolução nesse ano de 2021, sua dupla de jovens pilotos Leclerc e Sainz Jr. precisa mostrar serviço, se continuar no marasmo vai ser ruim para toda Ferrari e o maior sacrificado nisso tudo é o jovem Leclerc.

  • Não consigo gostar dos carros de F-1 de 2009 pra cá . Não é nem pelo halo, mas porque eles são feios por inteiro, cheios de prateleiras, placas, abas, apêndices, as proporções são estranhas, enfim, uma aberração estética. Para os competidores o que vale é ganhar mas para o publico, faz muita diferença ver uma corrida com carros bonitos

  • Prezado F&G : Como sou torcedor da Ferrari, após uma breve análise, o que vale no exato momento é a questão do motor, a Fia, vai liberar o segredo e o castigo imposto nesta questão, pois em 2020, o fato notório foi que a Ferrari, sofreu uma punição ,por ter em 2019, escondido algumas manobras ocultas no motor. Assim sendo, se o motor foi repaginado e liberado as questões técnicas , que podem acrescentar mais cavalaria para impulsionar . Já o projeto estético você mesmo ressaltou ,as modificações nas laterais, e novos defletores próximo ao cokpit , e a entrada de ar para o motor e fluxo de saída para refrigerar freios traseiros e radiadores do motor. Com relação aos Pilotos dupla sertaneja Charles& Carlos, vai dar samba , muito equilíbrio e vai possibilitar uma somatória de resultados e assim poderemos acreditar que a Ferrari poderá tentar brigar pela terceira força, ficando na parte da Série “A” da F-1. Para o ano de 2022, novo regulamento, existe sim por parte da FERRARI, um grande interesse em buscar e convencer o Mágico L.Hamilton, em fazer parte da Escuderia Ferrari, só faltaram combinar com os RUSSOS. Acredito dois caminhos para L.Hamilton, vencer e ser campeão emm2021, em seguida abandonar a carreira e seguir com sua luta política e social ( fantástica a posição).E a minha segunda hipótese romântica, pois todos os Pilotos correm primeiro atrás da grana dos patrocinadores, seria encerrar a carreira pela equipe Maclaren. Mas quem vai fechar a carreira com chave de ouro será ” El Fodon”, pela equipe ALPINE, com excelentes resultados, colocando a mulecada para chorar.

  • Eu diria que “Mission Winnow” (Win now ?) pode significar “Missão vencer agora” .
    Enquanto não deu certo, explicam com essa sopa de letras “…unconventional communications platform to share our journey and create a stage for constructive dialogue”.
    Devem ter usado aquele site “gerador de lero lero”.

  • Tenho que confessar que estou sentido (muita) falta dos textos aqui no Blog. Vídeo é legal e tudo mais, mas nada como ler as belas resenhas suas. Espero ler muitos deles a partir de depois de amanhã.

  • Segue o jogo… agora só nos resta ver o novo carro da HAAS com a pintura nova.

    Obs.: O site do Grande Premia falou hoje que a Ferrari foi a ultima a lançar o carro da temporada 2021, mas isso não é verdade, a nova HAAS, com sua nova pintura russa, será apresentada nos testes daqui a alguns dias (veja as fotos aqui no Blog mesmo da HAAS, o assoalho entregou que o que eles apresentaram foi o carro velho com a pintura nova).

    A briga no bolo “Ferrari, Aston Martin, Renault, Alpha Tauri” será das melhores.

  • O Mission Winnow em verde não é jogada de marketing … é apenas a antiga silver-tape, agora na cor verde … poderíamos chamar de green-tape, mas os publicitários illuminati não acharam legal. Essa fita é muito usado em reparos pela sua resistência e durabilidade. Ela também pode ser construída para ser resistente ao calor, útil para selar aquecimento, ventilação, condutores de ar condicionado … em resumo, o encaixe da tomada de ar não ficou bom no SF21, então os caras fixaram a bagaça na base do silver-tape (no caso o green-tape) porque a hora do lançamento se aproximava e não dava pra fazer outra coisa … “é o que tem pra hoje”, disse Binotto debaixo do seu penteado “a la Don King”.