SOB O SOL DA RIVIERA (1)

Leclerc, P1: Ferrari surpreende no primeiro dia em Mônaco

SÃO PAULO(fazia falta) – Depois de um ano ausente, Mônaco voltou. Não dá para ter campeonato de Fórmula 1 sem Mônaco. Respeito quem não gosta (mentira, não respeito). Mas é uma corrida essencial.

Feita a declaração de amor ao Principado, vamos à pista. Foi dia de Ferrari, e não se pode negar que ver Ferrari fazendo 1-2, ainda que num treino livre, é uma enorme surpresa. Só para registrar, a última vez que isso aconteceu foi no Brasil em 2019 com Vettel e Leclerc.

Charlinho fez o melhor tempo do dia em 1min11s684, depois de alguns problemas na primeira sessão. Carlinhos foi o segundo, 0s112 atrás. A diferença sobre Hamilton, o terceiro, foi grande, quando se considera o tempo curtinho de uma volta em Monte Carlo. Isso quer dizer que a Ferrari é favorita à pole e à vitória? Claro que não. Quer dizer apenas que a Ferrari vai andar bem no fim de semana. E “andar bem” significa ficar atrás só de Hamilton e Verstappen. Que seguem sendo os grandes candidatos às glórias monegascas. Isso apesar do pessimismo de Max: “Tem sido nosso pior fim de semana no ano. Não estamos mais lentos. Estamos muito mais lentos”, falou o holandês, cuspindo marimbondos.

A Red Bull, porém, garante que sabe o que deu errado hoje e não vai dar sábado. A ver.

Os tempos da quinta-feira: equipe italiana na frente

O tráfego acabou sendo fator decisivo para explicar a diferença dos dois carros vermelhos sobre os favoritos da temporada. A tendência, sábado, é que as coisas se acomodem com um pouco mais de lógica. Vimos alguns pilotos fazendo voltas interessantes em momentos distintos das duas sessões, como Pérez e Gasly. E outros apanhando um pouco, como a dupla da McLaren — especialmente Ricciardo.

Falando neles, os mclarianos, não posso deixar de mostrar a lindeza dos capacetes de Norris e Ricardão para esta corrida, na qual a equipe adotou a mais bela pintura possível para carros de corrida. Está tudo aí embaixo, carro e capacetes.

Aliás, não são só os pilotos da McLaren que mexeram nos capacetes para o sempre festivo GP de Mônaco — em que pese a desgraça que vivemos no mundo; não sei como ainda não perdemos de vez a capacidade de sorrir. A Williams está comemorando 750 GPs na F-1 e Latifi e Russell prestam suas homenagens ao time que defendem. E Leclerc celebra a memória do monegasco Louis Chiron, que correu na F-1 na década de 50, fez um pódio (terceiro em Mônaco em 1950) e é até hoje o piloto mais velho a disputar um GP na categoria — tinha 58 anos quando se despediu, em 1958.

E tomem mais fotos!

Nenhuma batida muito importante aconteceu durante os treinos de hoje. Apenas Tsunoda e Schumaquinho se atrapalharam com guard-rails e muros, mas nada sério. Vettel ficou em décimo, dando algum sinal de vida. Alonso se colocou num discretíssimo 12º lugar, mas pelo menos ficou à frente de Ocon. Igualmente nada muito significativo, afinal é só uma quinta-feira.

O que está pegando, mesmo, é mais uma treta entre Mercedes e Red Bull envolvendo asas flexíveis desta última. Pebolim Wolff anda resmungando pelos cantos. Christian Horner responde no mesmo tom. Briguinha besta que, por enquanto, não aparenta ter muitas consequências. Mas é sempre bom ficar de olho.

Bottas, quinto colocado: Mercedes começa o fim de semana de forma discreta

Hoje à noite tem live no meu canal do YouTube, o já consolidado “Fórmula Gomes”, para analisar o primeiro dia de treinos em Monte Carlo. Começa às 19h, apareçam lá!

Comentários

  • A Ferrari mais rápida é meio que surpresa até no Treino Livre, enquanto isso o piloto da casa Charles Leclerc tira os seus 15 minutos de Fama como o mais rápido.
    Nikita Mazepin o Décimo Oitavo, por enquanto vale como uma Pole para ele.
    Reginaldo Leme continua errando feio ao dizer que Piquet em Mônaco 1981 abandonou faltando quatro voltas para o Fim quando liderava, o que na verdade Piquet abandonou quando liderava faltando 23 voltas para o Fim, reveja isso Reginaldo Leme que hoje tem Internet!

  • Prezado F&G : Mônaco, o carro de F-1, não precisa muito de asa, vale somente três coisas: Muito motor, muito freio, um bom piloto inspirado no dia, o resto é um autorama, só se ocorrer imprevistos em razão de problemas climáticos muita chuva, em razão da tradicional fama a pista fica como entre os cinco circuitos clássicos da F-1: Monza, Mônaco,Silverstone,Spa-Francorchamps e Interlagos.
    e dois futuros – clássicos : Ímola e Suzuka.
    Na sexta- feira tudo será definido.
    Carros da Mclaren os mais lindos do Grid.

  • O melhor do dia em que acontece a Corrida em Monaco é o GP das 500 Milhas de Indianápolis nos EUA.

    Brincadeiras a parte (apesar de realmente achar que “esse caminho de rato no meio de uma favela” rendem apenas corridas monotonas) essa é uma pista que vai entregar algumas virtudes de algumas equipes. Nessa quinta feira podemos começar a acreditar que a Ferrari é muito melhor do que a Mclarem nas curvas lentar.

    Que tudo fique bem embaralhado mesmo, com as duas Ferrari lá na frente a jogar um tempero mais forte na corrida. Gostei do Vettel hoje (parece que o problema da Aston Martin é a traseira em curvas rápidas, hoje ele deu mostras que o carro tem uma boa frente).

  • Ferrari na frente é mesmo uma surpresa. E das grandes.
    Embora ainda dê pra saber se sábado vai ser igual, pergunto:
    A melhora da Ferrari é real, verdadeira, ou é o famoso “jeitinho deles”?
    E que show a pintura da Mclaren. Me remete ao Porsche 917, 1970, que pra mim é o mais lindo carro de corrido de todos os tempos.

  • Tendo a concordar que Mônaco é essencial. E é também uma procissão. Faz parte. Nem tudo que é essencial é assim tão bom. Quem sabe não acontece algo fora do “normal” pra dar um clima diferente? Caso contrário será o trenzinho de sempre.

  • Camarada, se eu tivesse grana suficiente, comprava a McLaren só para tornar essa pintura obrigatória pra sempre lá.

    Pelamordedeus… como os caras conseguiram bolar uma coisa tão linda dessas? O braço chega a arrepiar.