BREVES NOTINHAS

Chuva em Sóchi: pode ser assim o fim de semana todo

SÃO PAULO(atualizando) – Por motivos de “não tive muito tempo nos últimos dias”, deixamos de registrar algumas breves notícias aqui que não vão mudar a cotação do dólar, mas merecem algumas considerações. Como já está todo mundo em Sóchi pronto para o GP da Rússia, é um bom momento para passar a régua. Vamos lá:

HAMILTON – Disse que Verstappen parece um pouco ansioso, já que disputa um título pela primeira vez. “Sei como é, já aconteceu comigo, mas ele precisa entender que nem tudo se resolve numa única curva”. Recusou-se a admitir que exista uma “guerra psicológica” com o adversário. Falou que já passou dessa fase, com a experiência que tem na F-1, e que no fim das contas tudo se resolve na pista, mesmo. “O importante é que numa disputa todos sobrevivam com segurança.”

VERSTAPPEN – “Ah, sim, estou muito nervoso, não consigo nem dormir”, rebateu o holandês com ironia. “Se Lewis disse isso, mostrou mais uma vez que não me conhece.” Depois, chamou de “hipócritas” os que criticaram sua indiferença ao passar pelo carro de Hamilton, sob o seu, em Monza. “Vi que ele estava tentando sair de ré. Depois, foi para os EUA participar de um evento de moda. Se fez tudo isso, é porque estava bem.” Assunto aparentemente encerrado. Sobre a perda de três posições no grid do GP da Rússia, “não tenho de concordar com a punição, mas não é o fim do mundo”. Assunto encerrado também. A Red Bull vai esperar o resultado da classificação, sábado, para decidir se troca o motor do holandês, pagando o pênalti de largar no fundo do grid.

METEOROLOGIA – A decisão sobre a troca do motor depende também das condições climáticas. Tem chovido bastante na região de Sóchi nesta semana e se o clima se mantiver assim, a Red Bull pode mudar de ideia.

ASTON MARTIN – A equipe confirmou a manutenção da dupla Sebastian Vettel/Lance Stroll para 2022. Nenhuma novidade. O alemão chegou neste ano e veio basicamente para ajudar a estruturar o time com o conhecimento que traz de anos de Red Bull e Ferrari. No ano que vem, a Aston Martin espera inaugurar sua fábrica nova, que está sendo construída onde sempre esteve, em frente aos portões de Silverstone, desde os tempos em que se chamava Jordan. Os planos são ambiciosos.

HAAS – Também fez o anúncio oficial sobre seus pilotos para o próximo Mundial, e da mesma forma não houve surpresa alguma. Ficam Nikita Mazepin e Mick Schumacher. O primeiro porque o pai banca a equipe com dinheiro russo. O segundo por fazer parte da academia de jovens talentos da Ferrari, que fornece os motores ao time americano.

ALFA ROMEO – Guanyu Zhou, chinês que faz um bom campeonato na F-2 (é o atual vice-líder) e é membro da turma de jovens talentos da Alpine, ganhou força nas últimas semanas como candidato a uma vaga no time ítalo-suíço, que já confirmou Bottas para 2022 e a saída de Raikkonen. Briga com ele, neste momento, apenas o atual titular Antonio Giovinazzi. Mas as coisas estão pendendo para o piloto da China — que além de talentoso traz dinheiro de patrocinadores de seu país e abre um mercado cobiçadíssimo por todos na F-1. Em Sóchi, Raikkonen volta ao time, recuperado da Covid. Disse que não viu pela TV as duas corridas que perdeu.

MIAMI – 8 de maio. Esta é a data anunciada para o GP de Miami, que entra no calendário do ano que vem. A pista será montada em volta do Hard Rock Stadium. A lista das 23 etapas de 2022 com suas datas ainda não foi divulgada.

ÍMOLA – O prefeito da cidade e os administradores do autódromo andam dizendo por aí que o circuito será incluído no Mundial de 2022 a 2025. Nada confirmado, porém.

Leclerc: motor trocado, fundo do grid

LECLERC – O monegasco terá na Rússia a mais nova versão do motor da Ferrari — segundo consta com alguns cavalinhos, não muitos, a mais. Por isso, terá de largar da última fila. O motor trocado faz parte do programa de desenvolvimento da equipe para 2022. Hora de começar a testar algumas coisas.

SAINZ – Foi vítima das milícias digitais brasileiras porque teria dito “não quero ser um Barrichello na Ferrari”. Não foi o que disse, literalmente; perguntaram, na imprensa espanhola, se ele preferia ter sido Schumacher ou Barrichello na história da Ferrari, e ele obviamente respondeu “Schumacher”. Foi o bastante para os chatos das redes sociais atacarem o espanhol. “Tenho muito respeito por Rubens. Quantas corridas ele ganhou? 11. Eu não ganhei nenhuma. Então, não sou ninguém perto dele. O que eu disse foi outra coisa, mas como sempre os ‘feeds’ de notícias vão distorcendo tudo.” Explicado, com toda educação e respeito do mundo.

Comentários