DICA DO DIA

SÃO PAULO (semana cheia) – Sexta-feira fez 84 anos da morte de Bernd Rosemeyer, piloto que vivo citando aqui. A Deutsche Welle fez um excelente minidocumentário discutindo as causas do acidente e jogando na mesa algumas possibilidades sobre as quais eu ainda não tinha ouvido falar. A morte de Rosemeyer é tão controversa quanto a de Ayrton Senna. Ninguém sabe até hoje, exatamente, o que aconteceu. Muito bom. Em inglês.

Subscribe
Notify of
guest
4 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Antonio Seabra
Antonio Seabra
3 meses atrás

Bernd Rosemayer era um icone em sua epoca, provavelmente o unico a ombrear-se com Tazio Nuvolari.
Aqui por essas plagas tupiniquins e pelos neofitos do automobilismo na internet não seria tão conhecido se não fosse vc, Flavio, estar sempre comentando sobre ele.

Andar a 430 km/h no final dos anos 30 era uma tarefa de altissimo risco, considerando o parcos conhecimentos de aerodinâmica da época. Não posso deixar de lembrar dos comentarios do Letri, Marinho,Norman e a estoria contada pelo bob Sharp, de como o Carcará “passarinhava” perigosamente e era difícil de ser mantido em linha reta na antiga BR-6 (hoje Av. das Americas) a meros 212 km/h

Pensemos que agora, 84 anos depois, um dos carros de maior desempenho do mundo sofreu e sangrou para atingir 417 km/h de pico de velocidade (no velocimetro, não aferido) numa estrada comum.

Volto a comentar depois de ver o documentário inteiro (só vi os primeiros 10 minutos, até o Camille Jenatz)

Creio que o video vá dar uma pincelada também por Malcom Campbell, Donald Campbell (Bluebirds), Art Arfons (Green Monster), Craig Breedlove (Spirit of America) e os mais recentes Blue Flame, etc….mas essa parte é outra estoria, carros foguetes, feitos apenas pra quebra do recorde de velocidade em terra.

A mim me interessa saber sempre mais sobre Bernd, sua velocidade em circuitos mistos e seu acidente na tentativa de recorde em estrada.

Abraço

Antonio

Antonio Seabra
Antonio Seabra
Reply to  Antonio Seabra
3 meses atrás

Agora vi o documentario todo. Interessante. Perde um pouco de tempo demais com os carros a jato, Arfons, Breedlove, Gabelich; e curiosamente não fala dos Campbell – Malcolm e Donald – e nem mostra o Spirit of America Sonic I, o carro dos 965 km/h de Breedlove, diferente do outro do acidente que marcou 863 km/h.
Esperava mais sobre toda a carreira de Rosemayer, mas o video se limita a analise do acidente. Aliás, bem proposta.
Ficou claro que a Audi se preocupou mais com a aerodinamica do que com a potencia motriz, e que o vento foi provavelmente subestimado, e foi a causa do acidente.
Já dizer que o Bernd estava preocupado, pela analise de uma foto anterior ao acidente, me pareceu forçação de de barra Algo como a foto do Ayrton atrás do carro, no dia do seu acidente.
Rosemayer era dito um cara “fearless”, e não acredito que estava com medo, ou por demais apreensivo. Foi lá pra fazer o recorde, e sabia que podia sofrer um acidente e morrer. Sempre soube disso, a cada corrida, mas ia lá e sempre baixava a borduna. Ponto.

Valeu a pena ver…mas esperava um pouco mais sobre a carreira do alemão.

Carlos Pereira
Carlos Pereira
3 meses atrás

Impressionante o documentário.

Miguel Direito
Miguel Direito
3 meses atrás

excelente documentário. Vi-o na DW, que tenho na minha TV em Portugal. Pensei no Flávio, quando vi o documentário. Ainda bem que também o viu.